domingo, 3 de novembro de 2013

Matar: OK; Vacinar: KO

Um clérigo muçulmano paquistanês disse que as vacinas da pólio são anti-islâmicas.
E os Taliban mataram as pessoas que estavam a administrar da vacina contra a pólio no Paquistão.

Polio workers shot: Amtiaz Khan, center, brother of Nasima Bibi, an anti-polio drive campaign worker shot by gunmen, comforts relatives at a hospital morgue Tuesday in Karachi, Pakistan. IMAGE

Familiares das pessoas assassinadas pelos taliban no Paquistão por administrarem vacinas

Agora, os jihadistas paquistaneses estão a trazer a pólio para a Síria:
Jihadistas estrangeiros responsáveis ​​pela poliomielite na Síria
da Associated Press, 03 de Novembro:
    DAMASCO: Um ministro do governo sírio disse no domingo que os combatentes estrangeiros que vieram para o país para empreender a jihad são responsáveis ​​pelo surto de poliomielite no norte controlado pelos rebeldes.

    
Na semana passada, a agência de saúde das Nações Unidas confirmou 10 casos de pólio no nordeste da Síria, o primeiro surto confirmado da doença no país em 14 anos, aumentando o risco de propagação em toda a região. Entre os casos confirmados estão bebés e crianças que estavam "sub-imunizados", de acordo com a Organização Mundial de Saúde. A agência está a aguardar os resultados de laboratório em outros 12 casos que apresentam sintomas da poliomielite.

   O
Ministro dos Assuntos Sociais, Kindah al-Shammat, disse à Associated Press neste domingo que os jihadistas do Paquistão eram os culpados.

    
"O vírus tem origem no Paquistão e foi trazido para a Síria pelos jihadistas que vêm do Paquistão", disse o ministro. Ela não ofereceu nenhuma evidência e não entrou em detalhes sobre a reivindicação. O Paquistão é um dos três países onde a pólio ainda é endémica ....

Vacinas é que não! Jihadistas estrangeiros na Síria assassinam camionistas por estes não terem acertado no número de vezes que um bom muçulmano deve orar por dia:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.