sexta-feira, 3 de julho de 2020

Deputado alemão condena invasão islâmica e é levado pela Polícia



Político alemão expulso e levado à força do Parlamento depois de acusar os esquerdistas de terem sangue nas mãos por inundarem o país com violentos invasores muçulmanos
O membro independente do Parlamento, Dr. Heinrich Fiechtner, foi retirado à força do Parlamento estadual de Stuttgart na Alemanha pela Polícia na quarta-feira, depois de ter atacado os partidos de esquerda que governam a Alemanha.
Fiechtner acusou-os de "terem sangue nas mãos" por inundarem o país com bandidos muçulmanos.



RAIR - Centenas de jovens muçulmanos gritando 'Allahu Akbar' entraram em choque com a Polícia em Stuttgart durante os piores distúrbios na História da Alemanha, que ocorreram no fim de semana passado.
As políticas de migração de fronteiras abertas da chanceler alemã Angela Merkel continuam a ter efeitos catastróficos na Alemanha.
Várias centenas de invasores muçulmanos e radicais de esquerda congregaram-se no centro da cidade e atacaram lojas, destruíram carros, partiram vitrinas e saquearam negócios durante várias horas. Atacaram a sede da Polícia com garrafas e partiram carros da polícia.



O poderoso discurso de Fiechtner foi amplamente condenado pelos políticos de esquerda e pelos media como "discurso de ódio". "Discurso de ódio" é a versão marxista das leis de blasfémia islâmica.
O presidente do Parlamento estadual, o muçulmano turco Muhterem Aras, do Partido Comunista dos Verdes, chegou ao ponto de expulsar o político durante o debate sobre os distúrbios de Stuttgart, chegando a chamar a Polícia para o remover. Ele também foi suspenso por cinco sessões do Parlamento.
O Dr. Fiechtner criticou as políticas comunistas dos líderes estabelecidos, que permitiram que a Alemanha fosse inundada com imigrantes perigosos que trouxeram a guerra civil ao país anfitrião.
Os horríveis tumultos do fim de semana passado em Stuttgart, que resultaram em enormes danos às empresas e deixaram 19 polícias feridos, é um exemplo da violência.
Cerca de 20 pessoas “principalmente jovens (MUÇULMANOS) com antecedentes de migração” foram presas. Doze presos eram estrangeiros da Bósnia, Irão, Iraque e Afeganistão. Três dos outros doze eram cidadãos alemães de origem muçulmana



O vice-chefe de polícia de Stuttgart, Thomas Berger, afirmou que nos seus 30 anos como polícia, nunca tinha visto uma violência como esta e que "nunca houve cenas como estas em Stuttgart". 
No entanto, as cenas de violência e ataques na Alemanha aumentaram drasticamente desde que a chanceler Merkel decidiu deixar as fronteiras da Alemanha abertas no início da invasão ilegal de migrantes muçulmanos em 2014/2015. 
Os invasores muçulmanos dizem que a Alemanha é que causa os distúrbios, "o problema é que algumas pessoas se sentem em desvantagem e isso leva-as a cometer actos criminosos".
Os muçulmanos dizem que se a Alemanha lhes desse mais recursos gratuitos dos contribuintes, eles não agiriam violentamente:




Nota do Tradutor - exactamente o mesmo discurso dos colonos muçulmanos em Israel: a culpa é das vítimas, que não cedem a todas as demandas islâmicas (que os deixem invadir, que os sustentem e finalmente que lhes cedam a soberania do país).

Fiechtner teve o seu direito de falar removido pelo presidente do Parlamento estadual depois de ter condenado o seu partido político (Verdes) e os outros líderes de esquerda, pela sua recusa em admitir ou lidar com a natureza migrante dos manifestantes em Stuttgart. Ele ainda os acusou de quererem invadir a Alemanha com estrangeiros e comunistas:  
Todos vocês, os verdes, os vermelhos [SPD], os pretos [CDU de Merkel] e os magenta [esquerdistas] sabem disso. Você têm esqueletos no vosso armário. Vocês querem a ver nossa população alemã invadida por estrangeiros. Foram vocês quem na Turíngia elegeu um comunista para o cargo. Vocês têm sangue nas mãos!



 Via:

 

BARE NAKED ISLAM

Hiperligações no original.



COMENTÁRIO

1. Angela Merkel, como cripto-nazi que é, beneficia da invasão islâmica, reeditando a velha aliança Alemanha/Islão:

  MERKEL E A ASCENÇÃO DO 3º REICH


2. A União Europeia, fundada por nazis, visa essencialmente vingar a derrota do plano supremacista global da Alemanha, responsável por duas Grandes Guerras Mundiais:


Walter Hallstein, o NAZI fundador da União Europeia


3. O EURISLAM é o programa OFICIAL de islamização da União Europeia:



"Eurislam" - Projecto OFICIAL de Islamização da Europa


4. A ONU, nas mãos dos muçulmanos e dos comunistas, apoia oficialmente o programa de islamização da Europa:

“Fronteiras abertas são a fonte da força da Europa”, diz o Secretário-Geral da ONU


5. No Mediterrâneo, noite e dia, os barcos das ONG's da extrema-esquerda, na sua maior parte alemãs, recolhem e desembarcam os invasores muçulmanos:


APANHADOS! Barcos de contrabandistas rebocam "migrantes"


6. A União Europeia e a ONU, islamófilas e antissemitas, aliadas a extrema-esquerda, igualmente islamófila e antissemita, promovem a invasão e a islamização da Europa.
Até o Papa aprova a islamização e louva o ISIS.
Mas o que é que as pessoas desprovidas de capacidade de raciocínio acham? Claro! Que a culpa é dos judeus!
A realidade de nada vale quando há uma qualquer conspiração antissemita à mão.
Seja a do europeísta Conde Kalergi, que é "acusado" de ter sido casado com uma senhora judia e portanto ter engendrado a islamização há mais de 100 anos (!!!);  seja a do nazi George Soros, que por ser filho de pai judeu (e apesar de ter assassinado judeus em massa e de ser o mais perigoso antissemita vivo) é usado para acusar colectivamente os judeus da islamização da Europa e do Mundo Livre.
Além disso, há o hábito adquirido. Na Idade Média, os judeus eram acusados de causar a Peste Negra através do envenenamento de poços, do queijo e do azeite. Hoje, são acusados de causarem o 11 de Setembro, a jihad islâmica, o COVID-19 e a importação em massa de muçulmanos para a Europa e o Mundo Livre e geral (os quais se dedicam prioritariamente a perseguir e matar judeus, como manda o Islão).
É antissemitismo. Não tem de fazer sentido.  Basta que satisfaça o apetite das massas por sangue judeu (um apetite velho de 2 mil anos).
No caso da invasão islâmica, enquanto as massas culpam os judeus, os autores do mal folgam! Matam dois coelhos de uma cajadada: importam muçulmanos e seiam um novo Holocausto.

Para quê PENSAR, ESTUDAR, quando culpar o judeu é tão simples, sabe tão bem, e justifica milénios de atrocidades antissemitas?


E para os que perguntam "o que fazem os judeus na Europa":
- os judeus vieram para cá como escravos, trazidos pelos Romanos, e só no século 19 conquistaram alguma liberdade (muito pouca).
- para os que perguntam o que fazem os judeus no Novo Mundo: os judeus foram para lá para fugir à Inquisição e às perseguições comunistas e nazis.
- e para os que perguntam porque é que os judeus não regressam à Terra deles: são precisamente vocês que querem obrigar os judeus a darem Israel aos colonos árabes.



Acusados simultaneamente se serem comunistas e capitalistas, de serem conservadores e libertários, de serem religiosos e de serem ateus, de serem ricos e de serem pobres, de irem para a terra deles e de não irem para a terra deles, os judeus são acusados de todas as coisas - e do seu oposto.

Brooklyn, ontem: Manifestações antissemitas de extrema-esquerda e ds Black Lives Matter; depois de um mês, chegaram à conclusão de que a culpa... é dos judeus:





quinta-feira, 2 de julho de 2020

VÍDEO: "Migrante" mata gato e assa-o na rua



Enriquecimento cultural em Itália: "refugiado" africano (a guerra da Síria agora é em África, não sabia?) assa um gato na rua.
(Entra ladainha do costume: "É a cultura deles, temos de respeitar, divulgar estas coisas é provocar o ódio", etc.).


Via:

https://www.europe-israel.org/2020/07/video-italie-un-migrant-africain-fait-rotir-un-chaton-en-pleine-rue/




Migrante mata o gato na estação e grita: "Não tenho dinheiro". Horror entre os passageiros. Ceccardi: "Isto não é integração"



Quem denunciou o caso foi Susanna Ceccardi, parlamentar europeia nomeada pela Liga, Irmãos da Itália e Forza Itália, para a presidência da região da Toscana, que compartilhou o vídeo arrepiante nas suas redes sociais.

"O choque de uma senhora, os seus gritos desesperados para tentar parar um imigrante que assa um pobre gatinho na frente de toda a gente. Mas como podemos chegar a tanta crueldade?", escreve Susanna Ceccardi a acompanhar o vídeo.
"Este é o novo 'estilo de vida' que devemos seguir? Este é o sistema 'acolhedor' da região da Toscana? Isto não é integração. PS: É uma cena quase irreal pela sua monstruosidade, é difícil de assistir, mas é importante que a verdade seja conhecida", conclui a deputada. (...)

https://www.ilgiornale.it/news/cronache/migrante-arrostisce-gatto-stazione-livorno-non-ho-i-soldi-1873990.html


COMENTÁRIO
Antes que a Esquerda comece a chorar, ai que o senhor só matou o gato porque tinha fome, coitadinho:
Estas pessoas são sustentadas, na quase totalidade, pelos nativos.

ITÁLIA gasta 15 milhões para empregar os "migrantes", mas só emprega 120


Ajudar países pobres? 100% de acordo! Mas fique sabendo que:
Ajudar estas pessoas na terra delas é 135 vezes mais barato que "ajudá-las" trazendo-as para cá.
O que significa que com o dinheiro que se gasta a ajudar uma pessoa cá, ajuda-se 135 pessoas lá.
E sim; nós sabemos que no mundo judaico-cristão também há quem maltrate os animais, mas cá é mal visto e punido por lei - lá, é a regra:

- Visite a nossa secção ANIMAIS

quarta-feira, 1 de julho de 2020

“Homossexuais devem ser queimados vivos e apedrejados até à morte”


Televisão muçulmana: "Homossexuais devem ser queimados vivos".


1. O ódio da Esquerda ao Mundo Livre é maior que o seu amor à própria vida
Segundo o Islão e a lei sharia (a lei islâmica que governa TODOS os 57 países islâmicos e 25% da Humanidade), a homossexualidade é punida com penas que vão desde a prisão e tortura até a execução sumária.
De notar que, segundo as estatísticas mais fiáveis, mais de metade dos muçulmanos do Mundo inteiro aprovam a lei sharia (e a consequente execução de homossexuais, mulheres supostamente adúlteras, não-muçulmanos, muçulmanos que deixam o Islão, etc.):


MIL MILHÕES DE MUÇULMANOS QUEREM VIVER SOB A LEI ISLÂMICA SHARIA

Por outro lado, no Mundo Livre, apanha-se 16 anos de prisão por queimar a bandeira gay.
Em face desta realidade, a Esquerda, que se assume como defensora de todos os fracos e oprimidos, quem é que apoia? O Mundo Livre ou o Islão?
O ISLÃO!
Porque o Islão e a Esquerda têm um ódio comum: o Mundo Livre, a Civilização Judaico-Cristã, a Liberdade.
O caso que hoje vos trazemos é um entre milhões. E nenhum chega para demover a Esquerda da sua paixão pelo Islão - que mata homossexuais.








2. Gays pela "Palestina"
A "Palestina", enquanto país, nunca existiu. "Palestina" foi o nome que os Romanos deram a Israel.
A União Soviética saiu-se com a patranha da "Palestina árabe" nos anos 70, para apoiar as aspirações imperialistas dos seus aliados Árabes, e a Esquerda global mantém-se fiel ao mito - aliás servido por propaganda antissemita de estilo nazi (vulgo Pallywood).


Esta gente não lê, não estuda, não pensa. Move-se por instintos básicos e emoção.


MITOS E FACTOS SOBRE ISRAEL

 PALLYWOOD

Além de que a Esquerda é intrinsecamente antissemita (por várias razões; uma delas é que a sobrevivência dos judeus pulveriza o mito das "minorias coitadinhas que devem ser subsidiadas", das "minorias obrigatoriamente criminosas e desajustadas por culpa do capitalismo", etc., etc..).
Os meninos da Universidade, do Bloco de Esquerda e do Starbucks, consideram-se marginalizados e perseguidos no Mundo Livre (aqui é na Austrália) e acham-se irmãos espirituais dos colonos árabes e dos terroristas islâmicos que matam judeus em Israel:

O Imã Tawhidi, da Austrália, um muçulmano realmente comprometido com a Paz,  convida-os a irem a Gaza, um Estado independente governado elo grupo terrorista Hamas, escolhido pela população local. E informa-os de que se o fizerem serão imediatamente mortos, ao abrigo da lei islâmica:


Em resumo:

GAYS PELA "PALESTINA":


GAYS NA "PALESTINA"


2. "Os homossexuais devem ser queimados vivos":




BARE NAKED ISLAM


Ao vivo na Watan TV, uma emissora de televisão da Irmandade Muçulmana sediada na Turquia, uma apresentadora explicou que o Profeta Maomé ordenou a morte de todos os homossexuais.

Nota do Tradutor: com garotas tão simpáticas e giraças como a Hala Samir, não percebemos porque é que há tantos homens gay (e tão poucas mulheres lésbicas).


A Watan TV exortou os espectadores a assassinarem as pessoas da comunidade gay, relata o canal do Instituto de Pesquisa de Media do Médio Oriente (MEMRI) A apresentadora, uma certa Hala Samir, fez um monólogo de pouco mais de um minuto, durante o qual afirmou enfaticamente em nome do profeta Maomé, que “os homossexuais devem ser mortos, queimados vivos e apedrejados até à morte”.
"Os companheiros do profeta Maomé concordam por unanimidade"

Citando o fundador do Islão, Hala Samir garantiu que, se um muçulmano "encontrar um homem envolvido num acto homossexual, ele deve matar quem é activo e também quem é passivo".
"Não comece a perguntar: 'Você é activo ou passivo?. Mate os dois", disse ela, antes de acrescentar:" Os companheiros do Profeta Maomé concordam por unanimidade que os homossexuais devem ser mortos. Alguns dizem que devem ser queimados vivos. [...] Outros acreditam que devem ser atirados de um telhado e apedrejados até à morte.”
A apresentadora também diz que a mesma pena se aplica às lésbicas. "As pessoas perguntam-se se as mesmas regras se aplicam ao lesbianismo. A escola islâmica diz, por unanimidade, que o lesbianismo é proibido", disse ela.
"Algumas pessoas dizem: 'Eu não sou homossexual, sou gay'. "Eles só querem que pareça melhor. São homossexuais, sodomitas e lésbicas”, concluiu. (...)


Traduzido de:

 https://www.europe-israel.org/2020/06/les-homosexuels-devraient-etre-tues-brules-vifs-lapides-a-mort-selon-la-television-des-freres-musulmans-en-turquie-video/


Diversão para a população islâmica: no Islão mais puro e próximo dos ensinamentos d Maomé, é proibido dançar, ouvir música, ver filmes, ver futebol, etc.. Mas pode-se (e deve-se!) atirar gays do alto dos prédios, para gáudio da população:



Lembramos ainda, que, segundo a ciência islâmica, a homossexualidade é provocada por um verme anal que se alimenta de esperma:


Enquanto isso, Israel, o mauzão, trabalha numa cura para o SIDA/AIDS. Esperamos que os esquerdistas boicotem essa cura e boicote toda a Mediv«cina israelita e judaica.


terça-feira, 30 de junho de 2020

Casal armado enfrenta terroristas racistas do Black Lives Matter

No AMIGO DE ISRAEL

ACTUALIZADO EM 30.6.2020:

Proprietários armados enfrentam manifestantes do Black Lives Matter que marcham para a casa da presidente do município de St. Louis
Os manifestantes do Black Lives Matter que se dirigiam para a casa da presidente do município de St. Louis, Lyda Krewson, passaram por dois proprietários armados e aparentemente prontos para fazer o que fosse necessário para proteger a sua propriedade.





 Via:

https://worldisraelnews.com/watch-armed-homeowners-greet-blm-protesters-marching-to-st-louis-mayors-home/?utm_source=newsletters_worldisraelnews_com&utm_medium=email&utm_content=Iran+Issues+Arrest+Warrant+for+Trump%3B+Can+Israel+Corral+Corona+with+Antibody+Tests%3F+Republicans+Blast+Pelosi+for+Stifling+Debate+as+Racial+Tensions+Rise&utm_campaign=20200629_m159021286_Iran+Issues+Arrest+Warrant+for+Trump%3B+Can+Israel+Corral+Corona+with+Antibody+Tests%3F+Republicans+Blast+Pelosi+for+Stifling+Debate+as+Racial+Tensions+Rise&utm_term=WATCH_3A+Armed+Homeowners+Greet+BLM+Protesters+Marching+to+St_+Louis+Mayor_E2_80_99s+Home



COMENTÁRIO

Os jornalistas, que se apressaram a condenar este casal como "racista", não mencionam a invasão de propriedade pelos Black Lives Matter, que a seguir incendiaram a casa da presidente do município.
Os terroristas comunistas supremacistas Negros do Black Lives Matter, que estão a semear a morte e a destruição nos Estados Unidos, vão encontrar algumas dificuldades quando a maioria silenciosa de pessoas honestas, ordeiras e trabalhadoras decidir que já CHEGA e tomar a sua defesa nas próprias mãos.
Os Estados Unidos são uma federação, e por isso Trump sozinho pouco pode fazer para travar a guerra civil em curso, financiada pela Esquerda norte-americana para impedir a sua reeleição.
A Esquerda está disposta a tudo e conta com aliados e financiadores de peso: todos os que querem a destruição dos Estados Unidos e consequentemente do Mundo Livre.
O Verão promete ser animado.

Supremacistas Negros em carros topo de gama gritam

"MATEM OS BRANCOS!!!"

Para os jornalistas, os brancos que não se deixam matar, são "racistas".



Veja também na FOX.





ACTUALIZAÇÃO

A história ainda é mais interessante do que escrevemos acima com os elementos ontem disponíveis:
Mark McCloskey, 63, e a sua esposa de 61 anos, Patricia, são os dois advogados e apoiantes dos Black Lives Matter.
São daquelas pessoas que gostam de ver o caos, a destruição (talvez a morte) mas pela Televisão - ao contrário do que reza a máxima da extrema-esquerda, de que "a Revolução não vai ser transmitida pela Televisão".
De maneiras que quando os terroristas invadiram a sua propriedade, os dois esquerdistas anti-racistas pacifistas (ambos advogados) correram a pegar em armas para proteger o seu palacete estilo Renascença, avaliado em 1,15 milhões de dólares!!! 



Incêndios na casa dos outros, para estes esquerdistas, é refresco!


Pormenor igualmente delicioso é que a turba raivosa foi tentar incendiar a casa da Presidente do Município, Lyda Krewson (também esquerdista), porque esta divulgou os nomes constantes do abaixo-assinado para extinguir a Polícia - um documento PÚBLICO!


A Magistrada  Lyda Krewson

Mais delicioso só o facto de que a magistrada Lyda Krewson ordenou a investigação do incidente, e os dois apoiantes dos Black Lives Matter podem ter-se metido em problemas por se terem defendido dos seus queridos terroristas.

 Cá vamos, cantando e rindo:


 Fonte

P.P.S.:  A Magistrada  Lyda Krewson é uma racista de extrema-esquerda e vai fazer tudo para condenar este casal por "racismo":

domingo, 28 de junho de 2020

Enlouqueceram - L'Oréal abandona a palavra "clareamento" dos seus produtos para a pele!




A L'Oréal, a maior empresa de cosméticos do mundo, removerá as palavras referentes a "branco", "clarear" e "claro" dos seus produtos para cuidados com a pele.

Um porta-voz disse-o esta sexta-feira, um dia depois de a Unilever ter feito um anúncio semelhante, perante as críticas crescentes nas redes sociais.

A Unilever e a L'Oréal são os dois principais players no mercado global de cremes para clareamento da pele usados ​​em muitos países da Ásia, África e Caribe, onde a pele clara é frequentemente considerada desejável.

A Unilever, em particular, foi criticada pela sua marca "Fair & Lovely", num momento em que a atenção mundial estava focada na injustiça racial, depois de semanas de protestos provocados pela morte de George Floyd, em Maio.

Os produtos da L'Oréal incluem o "Skin Naturals White Complete Multi Action Fairness Cream".
 
Mas, nesta disputa pelo politicamente correcto que flerta com o ridículo, a L'Oréal tem sido uma arma de pequeno porte. 
A Johnson & Johnson fez muito melhor ... 
A Johnson & Johnson anunciou planos para parar de vender o creme clareador para a pele, muito popular nos mercados asiáticos, em resposta aos protestos globais contra o racismo.
As duas linhas de produtos Neutrogena Fine Fairness e Clear Fairness da Clean & Clear, são vendidas como redutores de manchas escuras, mas muitas mulheres utilizam-nas para clarear o tom da pele.

Os produtos não são comercializados nos Estados Unidos, mas são no Médio
Oriente e Ásia, que não têm debate sobre o racismo anti-negro.

Mas no Twitter, grupos de activistas organizados para destruir a sociedade capitalista ocidental e estabelecer uma ditadura marxista atacaram a marca, dizendo que alguns produtos sugerem que o branco é melhor que o tom de pele original.
© Jean-Patrick Grumberg para Dreuz.info

via

https://www.europe-israel.org/2020/06/au-secours-ils-sont-fous-loreal-abandonne-le-mot-blanchiment-de-ses-produits-pour-la-peau/


COMENTÁRIO

Um bando de garotos delirantes cuja experiência de vida é delimitada pelos bancos da universidade (onde aprendem idiotices) e os bancos do Starbucks (onde papagueiam idiotices), impõem a sua tola visão do Mundo a toda a gente.
Sempre o primado da narrativa sobre a realidade...
Estas pessoas não sabem que nos países em que as pessoas são naturalmente mais brancas, a pele mais escura é um padrão de beleza ambicionado?
Será que a seguir vão proibir os bronzeadores como "apropriação cultural"?


E também não sabem que, talvez porque a galinha da vizinha é sempre melhor que a minha, em África e  em outros continentes muitas mulheres passam a vida a tentar ser mais brancas? Em alguns casos chegam a usar lixívia. Noutros, felizmente, usam apenas receitas caseiras como Nescafé:


Nota: Esta dos cremes é apenas um exemplo. A loucura está a atingir proporções impensáveis:

sábado, 27 de junho de 2020

"Protestos George Floyd" fazem disparar a Síndrome de Jihad Súbita




Lógica esquerdista: se a Polícia nos Estados Unidos matou um tipo preto (como mata ocasionalmente brancos, amarelos e outros), então os árabes e os africanos que o Reino Unido recebeu e a quem sustenta, devem destruir completamente o país.
Você não concorda? Então você é racista!


(Numa nota curiosa relacionada com este tema, os polícias no Reino Unido não só não matam ninguém, como nem usam arma. Usam um intercomunicador e um bloco notas).

Desde que a tentativa de revolução global esquerdista a propósito da morte de George Floyd saltou dos Estados Unidos para todo o Mundo Livre, os muçulmanos têm aproveitado para fazer o que a sua religião ordena: matar infiéis.
Não que eles precisem de incentivo especial, mas a visão de tantos infiéis (ainda que extrema-esquerdistas e portanto veneradores do Islão) desperta-lhes a famosa síndrome de jihad súbita.
No sábado, 13 de Junho, quando começou o caos no Reino Unido,  os muçulmanos começaram logo a decapitar infiéis:

Os jornaleiros amestrado, fiéis à narrativa da extrema-esquerda, maquilham estas ocorrências com eufemismos idiotas tais como "um indivíduo foi atingido com uma faca no pescoço", etc., etc..
Desde há anos que as facas, as pistolas, os carros as bombas, ganham vida e assassinam sozinhos. Vale tudo para esconder a verdade sobre o Islão.
E a coisa tem-se repetido diariamente. Hordas de muçulmanos juntam-se aos africanos que o país acolheu, passeiam-se com bandeiras dos seus países de origem, colaboram na destruição e lá vão decapitando um ou outro infiel.
E temos de aceitar, para "não provocar o ódio", porque "é a cultura deles e todas as culturas merecem respeito, pá".


Síndrome de jihad súbita em Paris - ensinados desde o berço de que o bom muçulmano deve matar infiéis, a simples visão de não-muçulmanos põe esta gente em transe; veja com os seus olhos:

 




Cada muçulmano é um terrorista potencial - desde que se disponha a cumprir o que o Islão e os seus clérigos ordenam:




    sexta-feira, 26 de junho de 2020

    Sem-abrigo incendiado em Nova Iorque (e querem extinguir a Polícia)



    "Homem sem-abrigo literalmente incendiado ontem à noite nas ruas do Brooklyn. Observe atentamente que NÃO se vê uma pessoa a defender esta vítima. Ninguém parece  importar-se, não há nenhum manifestante para condenar nem nenhum jornalista para contar a história".


    NOW THE END BEGINS


    COMENTÁRIO

    . George Floyd morreu por causa de um péssimo trabalho policial (é o mínimo que se pode dizer). No entanto, o que sucedeu a Floyd já se passou, e muito mais vezes, com pessoas brancas, mas nesses casos ninguém se rala.
    . Todas as estatísticas confirmam que as pessoas negras, apesar de serem apenas 13% da população dos EUA e responsáveis por metade do crime  no país, são o grupo "racial" que menos morre em confrontos com a Polícia e aquele em que a Polícia tem mais reticências em usar a força (por medo de acusações de racismo).
    . Segundo a ideologia extrema-esquerdista, a narrativa tem prioridade sobre a verdade. Por isso, mesmo que as pessoas negras não sejam alvo de racismo nos Estados Unidos, uma morte trágica de uma pessoa negra pela Polícia (ainda que um criminoso violento de carreira como George Floyd) é o pretexto ideal para desencadear a guerra civil e abrir caminho à implantação do Comunismo.
    . Uma das reivindicações dos "manifestantes por George Floyd" é a abolição da Polícia. Se um polícia mau matou uma pessoa negra, então, todos os polícias são maus e racistas (onde é que foi provado que o racismo foi a causa da morte de Floyd?) e a Polícia deve acabar (Claro! Sem Polícia é mais fácil a tomada de poder pela força!).
    . De loucura em loucura, chegámos a loucuras como esta. Enquanto Nova Iorque se prepara para extinguir a Polícia (com o apoio entusiástico do mayor de esquerda - e não é de agora) grupos de "jovens" divertem-se a deitar fogo a pessoas sem-abrigo.
    . E não, não vamos sequer comentar em função da cor da pele dos incendiários e da cor de pele da vítima. Repugna-nos a narrativa RACISTA da esquerda, em que tudo depende da cor da pele. Aparentemente, os incendiários são negros e a vítima é branca. A nossa indignação seria exactamente a mesma qualquer que fosse a distribuição "racial" dos envolvidos. Ser-se incendiado vivo dói igualmente a negros e brancos, a cristãos e a judeus, a homens e a mulheres. E se a Polícia for abolida, muita gente, de todas as cores, formas e feitios, será incendiada, estuprada, assassinada.
    CHEGA DE LOUCURA!

    Afro-americanos: estatísticas de crime e sua razão

    Minneapolis: "MATEM OS BRANCOS!"


    E por falar em loucura, Amy Horowitz foi para as ruas de Nova Iorque entrevistar pessoas sobre a extinção da Polícia.
    Os hipsters do Starbucks, fiéis ao conceito de sofisticação da esquerda (apoiar tudo quanto seja flagrantemente errado, imoral, contra-intuitivo), declaram odiar a Polícia com todas as fibras do seu ser e exigem a extinção da Polícia "porque as vidas negras contam".
    As pessoas negras entrevistadas não querem a extinção da Polícia, "porque a Polícia faz falta e a maior parte dos polícias são boa gente, empenhada em servir a comunidade".
    Por outras palavras: a esquerda está-se nas tintas para as vidas negras, brancas ou de qualquer cor. Para a esquerda tudo se resume à tomada do poder.

    quinta-feira, 25 de junho de 2020

    O Socialismo na Sua Mais Simples Expressão



    Carro de um apoiante de Trump vandalizado por ser de um apoiante de Trump: 





    Carros incendiados e destruídos no concessionário Mercedes de Oakland, Estados Unidos, durante os "protestos" que estão a usar como pretexto a morte de George Floyd:


    quarta-feira, 24 de junho de 2020

    Líder dos Black Lives Matter ordena a destruição das igrejas


    Já tínhamos chamado a atenção (e demonstrado) para que os actos de guerra civil e golpe de Estado nos Estados Unidos,  estão a ser financiados pelo Partido Democrata e levados à prática pelos grupos terroristas Black Lives Matter e Antifa, ambos patrocinados pelo Islão.

    Veja por exemplo estes posts:

    Antifa e Black Lives Matter incendeiam igrejas e sinagogas (MAS NEM UMA MESQUITA)

    Motins EUA: Partido Democrata e Soros pagam para libertar bandidos

    Advogada muçulmana tenta fazer explodir carro da Polícia nos EUA


    Agora, os Black Lives Matter passaram a fase seguinte e assumem que é seu objectivo prioritário atacar os cristãos e destruir o Cristianismo.
    Atacar os judeus já eles fazem há décadas. No vídeo seguinte podemos ver alguns espancamentos de judeus por negros nos Estados Unidos, captados em 2019.
    Mas houve ataques e massacres a tiro, dos quais falámos sobejamente neste blogue, e que foram entusiasticamente festejados pela comunidade negra no país:



    Novo massacre de judeus em Jersey, EUA

    Massacre de Jersey: Conexão Islâmica/Supremacista Negra

    Jersey: Afro-americanos festejam massacre de judeus


     (Esta senhora de vez em quando aparece; as nossas desculpas...)

    Da tradição de atacar sinagogas e judeus, passamos agora à de atacar igrejas e cristãos; o que começa com os judeus nunca se fica apenas pelos judeus:

    Líder dos Black Lives Matter ordena destruição de igrejas

    Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou...
    Génesis 1:2

    Porta de uma igreja católica romana após ataque por bombas de gasolina e tinta durante um ataque.

    As tensões raciais em curso nos EUA foram caracterizadas pelo derrube estátuas de figuras históricas com associações racistas, mas isso expandiu-se e passou a incluir outras figuras históricas sem associações raciais.
    Shaun King, controverso líder do movimento Black Lives Matter (BLM), pediu a expansão da destruição de estátuas de figuras históricas às igrejas e à figura cristã de Jesus, que o Novo Testamento descreve como judeu de Belém, mas que King descreveu como um "europeu":



    "Sim, as estátuas do europeu branco que afirmam ser Jesus também devem ser derrubadas.

    Elas são uma forma de supremacia branca.

    Sempre foram.

    Na Bíblia, quando a família de Jesus queria esconder-se e misturar-se, adivinhem para onde eles foram?

    EGIPTO!

    Não para a Dinamarca.

    Derrubem-nas."

    Nota do Tradutor: o senhor King, além de terrorista, é um idiota encartado.

    King twittou novamente pedindo a destruição de vitrais, murais e outras partes de igrejas e edifícios que retratam as figuras bíblicas como brancas. Em mais um tweet, King postou o que pensa ser um retrato provável de um Jesus decididamente moreno, mas não negro:


    "Os americanos brancos que compraram, venderam, trocaram, estupraram e exploraram africanos até à morte, por centenas de anos neste país, simplesmente não podiam ter ESTE homem no centro de sua fé", escreveu King.

    Nota do tradutor sobre a real dimensão da escravatura negra nos Estados Unidos:
    "E quantos desses 10,7 milhões de africanos foram enviados directamente para a América do Norte? Apenas cerca de 388.000. Isso mesmo: uma pequena percentagem".
    Confira em qualquer fonte séria:
    https://www.pbs.org/wnet/african-americans-many-rivers-to-cross/history/how-many-slaves-landed-in-the-us/

    Além do mais, os Estados Unidos aboliram a escravatura há muitos anos e não há nenhum americano vivo que tenha tido escravos. Até houve uma sangrenta guerra civil pela libertação dos escravos. No mundo muçulmano, a escravatura continua a ser legal, e os Black Lives Matter e a Esquerda não estão nem aí...


    King é escritor, activista de direitos civis e co-fundador do Real Justice PAC, de esquerda. Depois da faculdade, trabalhou como professor do ensino médio e mais tarde foi pastor numa igreja que fundou em Atlanta, chamada Courageous Church.


    Embora King afirme ser racialmente negro, o homem listado na certidão de nascimento de Shaun King como seu pai foi revelado no ano passado ser branco. King respondeu dizendo que a sua mãe lhe confidenciou que ele era o resultado de um caso extraconjugal e que o seu verdadeiro pai biológico é um homem negro de pele clara.
    Nota do tradutor: a moda de os esquerdistas quererem ser de "raças" que identificam como oprimidas é mais um sintoma da sua insanidade. Este senhor branco odeia brancos e faz-se passar por negros.

    King foi acusado de angariar fundos para causas que nunca foram recebidos pelos destinatários.
    Em 2019, King liderou uma campanha na Internet para encontrar o assassino de Jazmine Barnes, de sete anos de idade. Retratando inicialmente o assassinato como racialmente motivado e postando uma foto de um homem branco, mais tarde foi descoberto que os homens ligados à morte de Barnes eram negros.

    Em Maio de 2018, King liderou uma campanha contra um polícia branco do Estado do Texas, divulgando as falsas alegações de uma mulher negra presa por conduzir embriagada, que mentiu sobre Hubbard ter tentado estuprá-la durante uma operação de trânsito.


    King desempenhou um papel importante no movimento "mãos no ar, não atire", que veio em resposta à filmagem de Michael Brown em Ferguson, Missouri, em 2014. Quando as investigações revelaram que não havia evidências de que Brown estivesse a render-se e que atacou os polícias, King insistiu que as circunstâncias reais eram irrelevantes para suas alegações.


    Traduzido de:


    https://www.breakingisraelnews.com/153621/blm-leader-calls-to-destroy-churches/?utm_source=ActiveCampaign&utm_medium=email&utm_content=Record+Number+of+Flights+Booked+for+Jew+Worldwide+to+Move+to+Israel&utm_campaign=BIN+-+PM+-JUNE+23%2C+2020

    O que move os terroristas da extrema-esquerda é a inveja e o ódio a tudo quanto constitui a base da Civilização: Democracia, Liberdade, Religião.
    Na sua visão tresloucada do Mundo, não têm a mínima crítica para os regimes tirânicos comunistas e islamistas, onde a regra é a miséria, o terror, a opressão, e onde os grupos que a esquerda sacraliza no Ocidente (gays, mulheres, negros) são tratados pior que objectos.

    A propósito:


    E música:



    "Culpado de Ser Branco" - Minor Threat

    Estou muito arrependido 
    De algo que eu não fiz 
    Linchei alguém 
    Mas eu não sei quem  
    Culpas-me pela escravidão 
    Cem anos antes de eu nascer  
    Culpado de ser branco 
    (...)