segunda-feira, 31 de julho de 2017

Post patrocinado pelas Tartarugas-Ninja


Um empregado de uma pizzaria  num subúrbio de Tel Aviv defendeu-se com sucesso contra um terrorista - com um prato de pizza.

Novas imagens de um ataque terrorista na semana passada mostram Shlomi Madar, empregado de uma pizzaria em Petah Tikvah, defendendo-se do assaltante com um prato de pizza e batendo com ele na cara do terrorista.

O terrorista, de 21 anos, acabara de esfaquear e ferir outro homem no mesmo bairro.
Atordoado pelo golpe, foi capturado por civis próximos.

O terrorista é de Qalqilya, uma aldeia da Samaria administrada pela "Autoridade Palestina", e disse que estava a lutar "por causa de Al-Aqsa" no Monte do Templo.

 

A ONU já deve estar a preparar mais um protesto e mais uma condenação de Israel por violência com pizzas sobre os pobres terroristastazinhos islâmicos.
Em Israel, como no Mundo Livre em geral, os terroristas e que podem andar armados. As pessoas normais têm que se defender como podem. E a seguir, toca a tratar o terrorista e devolvê-lo ao seu habitat natural.



Boas Férias!

EUA e Israel - os maiores obstáculos à Nova Ordem Mundial



Durante os anos do consulado Obama, os Estados Unidos deixaram de ser alvo da ira mediática. O país, que é um dos pilares do Mundo Livre, estava no caminho do abismo. Tudo ia bem para os agentes da Nova Ordem Mundial.
Depois Trump venceu:

Trump venceu - Contra a Nova Ordem Mundial

Agora, Trump está a enfrentar o que nenhum outro Presidente dos Estados Unidos jamais enfrentou. Porque veio atrapalhar os planos globalistas-islamistas-comunistas. 
Israel, sempre na berlinda, é claro. É pequenino, mas é o outro pilar do Mundo Livre. 
O cinismo dos tiranos é ignóbil. Pagam aos media para demonizarem os Estados Unidos e Israel. E muita gente engole isco, anzol e chumbada. Vale-nos a Internet - por enquanto!!!


Não há razão para alegar ignorância:



O vídeo acima foi removido pelos lacaios da Nova Ordem Mundial.






POST-SCRIPTUM:
Exemplos de lacaios da Nova Ordem Mundial:
Tal como o embaixador da "Autoridade Palestina" na ONU, a Al-Jazeera lusitana, vulgo Al-Público, continua a promover o terrorismo abertamente, deixando de lado a duplicidade de discurso até aqui vigente - com a ajuda dos Al-Públicos da vida, o anti-semitismo já está a níveis pré II Grande Guerra e já se pode.
Perante a onda de assassinatos de israelitas a que aqui chamamos INTIFACADA, o velho  Al-Público dá voz à conhecida jihadista Shahd Wadi, (membro do Bloco de Esquerda e outros grupos de gente de ideologias assassinas) que, entre as clássicas mentiras da propaganda neo-nazi/islamista e os habituais libelos de sangue, afirma:
Pode ir lá à notícia e deixar a sua "sugestão de correcção".
Narciso Machado, é o nome desta coisa repugnante aqui em cima.

Mas a má-fé, a mentira descarada, a difamação, o branqueamento do terrorismo, a manipulação, o anti-semitismo mais raivoso e mais fanático, deste outro propagandista do Al-Público, é ainda pior. Esta criatura pelos vistos é juiz e debita as mais descabeladas ALDRABICES, toldada pelo ódio doentio que lhe corrói o ser.

Israel, o minúsculo Estado que cabe 4 vezes dentro de Portugal,  respeita escrupulosamente o Direito Internacional, os Direitos Humanos, é a única democracia do Médio Oriente e possui o Exército mais ético da História. A Jordânia, Gaza e a Península do Sinai foram dados aos Árabes - e nem 1 milímetro de Israel lhes deveria ter sido dado! Porque raio há-de Israel dar a sua Terra???
- Diz esta espécie de nazi requentado com batatas, que Israel pratica "apartheid" porque instalou detectores de metais na entrada do Monte do Templo. O Monte do Templo está ilegitimamente ocupado pelos muçulmanos, que aí praticam o apartheid, como praticam em todo o lado. Desde logo, judeus e cristãos não entram!
- Omite que os detectores foram instalados após o assassinato de mais dois israelitas, por muçulmanos armados que levaram as armas para a mesquita no Monte do Templo. E que existem detectores de metais em Meca, no Vaticano, em toda a parte - e aí já não são "apartheid"!
- Omite a campanha islâmica de genocídio dos judeus que dura desde o século 7, e que é diariamente instilada por Mammoud Abbas e Companhia, e cita um episódio de uma represália de jovens judeus que mataram um árabe - e que foram condenados a prisão perpétua.
- Omite ainda que, enquanto a política oficial dos seus amigos "palestinos" é premiar com milhões os assassinos de judeus, Israel condena a perpétua os judeus que pagam na mesma moeda aos terroristas.
 - Afirma que existem "refugiados palestinos", mas não diz que são colonos árabes que chegaram a Israel em 1920 e que saíram de Israel voluntariamente para que os exércitos árabes coligados "atirassem os judeus todos ao mar". Israel ganhou a guerra, sem ter exército nem armas! Azarito, Narciso! :-)
 - Fala de "territórios ocupados", quando estes não existem, pura e simplesmente. A Judeia E Samaria são Israel:

Usem as palavras CORRECTAS

Imprensa e entidades oficiais: Usem as palavras correctas; a "Cisjordânia" não existia há 46 anos, e a "Palestina" é uma pura invenção.


- Mas, mesmo assim, Israel deu aos árabes a Jordânia, a Península do Sinai e Gaza. E quer há décadas negociar a doação de terras na Judeia e Samaria - o que se passa é que os árabes apenas aceitam a destruição total de Israel:

História de Israel - Porque é que não há paz?

Islamismo veja como os muçulmanos são "bonzinhos"

Mas a vampiros assim, que não têm nenhuma crítica aos países islâmicos e  à jihad, nada contenta, a não ser a extinção dos judeus. Exige este indivíduo que Israel dê ainda mais terra aos "palestinos", que por sua vez não aceitam menos que TODO o território de Israel. Mais vale que cuspilhe o seu veneno do que chore lágrimas de crocodilo pela extinção dos judeus - que ele ardentemente deseja!








Q Al-Público, sempre aberto aos assassinos de judeus e seus apoiantes - como a jihadista Shahd ou este Narciso - já tinha dado voz, por exemplo, ao terrorista  representante da "Autoridade Palestina" em Portugal, apelando à continuação do Holocausto em versão século 21:

TERRORISMO NO PÚBLICO 



O Al-Público é o exemplo de uma Imprensa podre, que só sobrevive como nós sabemos, e só porque me mandaram o libelo da terrorista é que passei os olhos por essa folha de couve nauseabunda.

 Questionário «palestino»:

1. Quando é que o país foi fundado e por quem?  
2. Quais foram as suas fronteiras?  
3. Qual foi a sua capital?  
4. Quais foram as suas cidades mais importantes?  
5. Quais foram as bases de sua economia?  
6. Qual foi a sua forma de governo?  
7. Pode citar pelo menos um líder palestino antes de Arafat?  
8. A Palestina alguma vez foi reconhecida como um país cuja existência, então ou agora, não deixa margem a interpretação?  
9. O que era a língua da Palestina?

10. Qual era a religião predominante da Palestina?


11. Qual era o nome de sua moeda? Escolha uma data qualquer na história e diga qual era a taxa de câmbio da moeda palestiniana em relação ao dólar dos EUA, ao marco alemão, à libra esterlina, ao iene japonês ou ao yuan chinês na referida data.


12. E, finalmente, dado que este país não existe actualmente, que é o que causou o seu desaparecimento e quando é que ocorreu? Você que lamenta o "afundamento" de uma orgulhosa e nobre nação ", diga s.f.f, quando exactamente é que essa "nação" era orgulhosa e nobre?

Poucos países possuem a legitimidade de Israel, e nenhum deu tanto do seu território e fez tantas cedências em troca de uma paz que jamais virá, enquanto o Mal imperar - personificado pelas Shahds e pelos Machados da vida:

VIDEO: Árabes fingem ser feridos em tumultos no Monte do Templo


Um fotógrafo (quiçá também adepto do Hezzbollah, como o Lobitinho Inchalá) foi captado em vídeo a tirar fotos de árabes fingindo ser derrubadas pelo chão pelas forças israelitas no Monte do Templo.
A generalidade do Jornalismo nos dias de hoje é isto: anti-semita, extrema-esquerdista e pró-islamista. Pago em petro-dólares, naturalmente.
Há alguns anos, num caso infame de preconceito anti-Israel, os media apresentaram um adolescente judeu ensanguentado como uma vítima "palestina" no Monte do Templo. Com tanto êxito junto das massas que tem sido repetido regularmente.
Visite o site PALLYWOOD, para ver como funciona a fábrica de mentiras islamista, extrema-esquerdista, nazi e anti-semita:


http://www.pallywood.com/


Visite também a nossa secção PALLYWOOD.

Veja como o fotógrafo regista quedas falsas, para fazer com que Israel apareça como o mau da fita:

domingo, 30 de julho de 2017

O outro lado de Arafat (o de trás)

Yasser Arafat, o mega-terrorista egípcio, ao contrário de Osama Bin Laden (abatido pelos Estados Unidos), Abu Omar al-Baghdad (abatido pela Rússia), e tantos outros terroristas eliminados pelos Exércitos de todo o Mundo, morreu de SIDA.
Arafat, porque matava judeus, até foi agraciado com o Prémio Nobel da Paz (Hitler merecia outro, coerentemente) e recebido como herói por todo o lado - da ONU ao Vaticano.



Mas se a sua fachada era a de um terrorista sanguinário, impiedoso, demoníaco (leia sobre a recente HISTÓRIA DE ISRAEL ou veja em vídeo se lhe der trabalho ler), as traseiras, a coberto de olhares indiscretos, eram as de um homem extremamente afectuoso:


Depois não venham dizer que não vos arranjamos posts catitas para um domingo de silly-season...

Alemanha: mais um massacre que nada teve a ver com o Islão



 “E quando vos enfrentardes com os infiéis, golpeai-lhes os pescoços, até que os tenhais dominado.”
- Alcorão 47:4


Anteontem, na Alemanha, um "refugiado" muçulmano, aos gritos de "Allahu Akbar" atacou um grupo de cidadãos à facada, assassinando um em nome e ferindo quatro, em  nome de Alá.


O que é inovador é que até aqui as autoridades e os media tinham a decência de "pôr a possibilidade de se tratar de um ataque terrorista". Claro que essa possibilidade era descartada assim que se confirmava o óbvio: que o autor de cada massacre era um muçulmano.

Agora, temos à partida a garantia inequívoca de que não é um ataque terrorista.

Esta noite, na Alemanha, um muçulmano iraquiano, de 34 anos, abriu fogo numa discoteca e assassinou duas pessoas. 

Também não é nada de novo. No Massacre de Orlando, um muçulmano assassinou 100, e não foi considerado terrorismo, apesar de ele ter anunciado que o fazia em nome de Alá - temos uma secção dedicada ao Massacre de Orlando.

O Kleine Zeitung relata que o terrorista islâmico que esta madrugada assassinou duas pessoas numa discoteca era "conhecido pela Polícia". Mas a Polícia, que tem ordens superiores, insiste que este não foi um ataque terrorista islâmico.

Conclusão: o terrorismo islâmico simplesmente NÃO EXISTE, como diz o Papa Francisco!
Apenas por coincidência, os crentes no Islão, uma religião que exige o assassinato dos não-muçulmanos, continuam a matar os não-muçulmanos!
E quem disser o contrário é um "islamofóbico", está "cheio de ódio", é um "bruto" e "não é assim que se combate o terrorismo" - combate-se o terrorismo é com flores, velas, ursinhos de peluche, mudando a bandeira no perfil do Facebook e indo a concertos de solidariedade com as vítimas, com muitos balões coloridos e pombas brancas. Todos a cantarem "Everything's gonna be alright", "Don't look back in anger", "Imagine", etc..


 Até agora, há dois mortos confirmados; na notícia abaixo ainda só havia um:


 "Tiroteio em discoteca - um morto e três gravemente feridos quando um atirador abriu fogo"
por Sofia Petkar, Express, 30 de Julho de 2017 
    Uma pessoa foi morta e três ficaram gravemente feridas após um tiroteio numa discoteca na Alemanha.

   
O atirador abriu fogo na cidade de Konstanz - perto da fronteira suíça - atingindo várias pessoas, às primeiras horas da madrugada.

    
Pelo menos uma pessoa foi morta e outras três feridas gravemente.

    
A discoteca recebia uma festa de estudantes no momento do incidente, que se acredita ter durado alguns minutos.

    
O suspeito, um homem de 34 anos, ficou gravemente ferido no tiroteio com polícias no exterior da discoteca, quando tentou fugir por volta das 4h30, hora local.

    
Mais tarde morreu no hospital.
(Se tivesse sido em Israel, não só o terrorista seria um "herói da resistência anti-Sionista", como a Polícia seria acusada de ter feito uma "execução extra-judicial").

    
Um polícia também foi ferido durante o tiroteio. Não corre risco de vida.

    
Forças especiais de comandos e um helicóptero foram deslocados para a área, uma vez que não está claro se o homem armado tivesse cúmplices ou actuasse sozinho.

    
Os agentes disseram que o motivo do atirador não é claro ...

    
De acordo com relatos no jornal Bild, o atirador é um iraquiano e era conhecido pela Polícia.

    
Uma testemunha ocular disse: "Ele abriu fogo e disparou aleatoriamente. A discoteca estava cheia. Eu acho que
estavam lá várias centenas de pessoas".

    
A Polícia diz que não há indícios de que o ataque esteja relacionado com o terrorismo, sugerindo que foi provocada por uma disputa doméstica ou de relacionamento ....




Pensando melhor, fui injusto. Ainda ontem à noite tive uma discussão com a minha Mulher, por causa de umas pataniscas de bacalhau. Como é lógico, desatámos aos tiros sobre as pessoas que passavam na rua, e imediatamente foram enviados para aqui um batalhão de comandos e havia um helicóptero por cima da nossa casa! O trivial...