sábado, 9 de novembro de 2013

A Festa das Luzes

Pre-Scriptum: Ontem batemos outra vez, e largamente, o recorde de visitas e visualização de páginas! Jamais pensámos, na nossa minúscula pequenez, e sobretudo com as nossas limitações de disponibilidade, cativar a atenção de tanta gente! Tivemos mais visitas de Portugal e dos Estados Unidos, seguidos de perto por um grupo formado por Brasil, China, França, Espanha, Alemanha, Israel, Japão e Libéria! Que Deus vos abençoe (os ateus que nos desculpem)!


 Hanucá, ou Chanucá, a Festa das Luzes

Hoje trazemos até vós um artigo do rabino Ari Enkin, publicado pelo site da organização Unidos com Israel, e que gostamos sempre muito de ler:

Chanukah: a luta pelo que está certo !
 http://cdn.unitedwithisrael.org/wp-content/uploads/2013/11/enkinALWAYS1-236x300.png
Em breve, começará a nossa celebração do Chanukah - A festa judaica das luzes! Esta festa comemora a revolta dos Macabeus, (possivelmente as primeiras Forças de Defesa de Israel da História!) contra o ímpio rei Antíoco. Não foi suficiente para Antíoco simplesmente controlar a terra e o povo de Israel - ele queria controlar as suas almas!
Mas não se enganem: ao contrário de Haman, Hitler, Torquemada, ou do Hamas, Antíoco não tinha nenhum interesse específico em matar qualquer judeu; ele simplesmente queria que os judeus se convertessem. Ele queria que eles abandonassem a sua religião, os seus princípios e as suas crenças.
Ele queria que o povo judeu assimilasse rapidamente na cultura grega, aceitasse o seu estilo de vida e abraçasse os seus deuses.
Para este fim, Antíoco proibiu observância judaica, incluindo a proibição de circuncisão, a observância do Sábado, e, claro, o estudo da Torá, tudo sob pena de morte! Infelizmente, houve muitos judeus que cederam. Eles pensaram: "Porquê lutar contra o poder? Quem é que quer ter problemas? Vamos fazer o que diz que Antíoco e viveremos em paz. Vamos juntos tornar-nos uma super- nação e um império".

 

Os Macabeus sabiam que esta atitude estava errada, e que as coisas não se passariam assim. Matitiahu e o seu filho Judá lideraram a brigada dos Macabeus e rebelaram-se contra Antíoco e os seus decretos. Eram poucos contra muitos. Os Macabeus estavam severamente em desvantagem, mas Deus fez um milagre, e um pequeno grupo de judeus militarmente destreinados, saíram vitoriosos sobre o exército Sírio-Grego, com formação avançada e armas poderosas.

holy temple

Com a vitória dos Macabeus re-dedicou-se o Templo Sagrado, que tinha sido profanado  pelos Gregos. Como parte deste processo de re-dedicação era imperativo que a Menorah, o Santo Candelabro, fosse acesa. O problema, porém, é que não havia óleo puro para acender a Menorah. Mas aqui novamente Deus interviu e um único frasco de óleo foi encontrado. Os Macabeus acenderam a Menorah, mas as chamas que eram esperados para durar apenas algumas horas permaneceram durante oito dias! É isso mesmo! Um único frasco de óleo durou oito dias.
O festival de Chanukah não é simplesmente uma batalha antiga do povo judeu - é a batalha de toda a Humanidade em todo o mundo. É a batalha da liberdade religiosa. É a batalha do certo sobre o errado. É a luta pelo que está certo. Da História Antiga para a guerra de 1948 até hoje - e tudo o mais - Deus presente para ajudar aqueles que defendem o que está certo.
menorah

Quando acender a Menorah neste Chanukah, lembre-se que as velas do Chanucá não estão lá pela sua beleza ou para o prazer dos olhos - elas estão lá como busca de inspiração! Que a inspiração dos Macabeus inflame as nossas almas com faíscas de beleza a cada noite de Chanukah, e mantenha o fogo a arder em nossas almas durante todo o ano.
Feliz
(quase) Chanukah!
 Rabbi Ari Enkin
8 de Novembro de 2013

------------------------


"Quanto aos livros da Torá, os que lhes caíam nas mãos eram rasgados e lançados ao fogo. Onde quer que se encontrasse, em casa de alguém, um livro da Aliança ou se alguém se conformasse à Torá, o decreto real o condenava à morte. Na sua prepotência assim procediam, contra Israel, com todos aqueles que fossem descobertos, mês por mês, nas cidades. No dia vinte e cinco de cada mês ofereciam-se sacrifícios no altar levantado por sobre o altar dos holocaustos. Quanto às mulheres que haviam feito circuncidar seus filhos, eles, cumprindo o decreto, as executavam com os mesmo filhinhos pendurados a seus pescoços, e ainda com seus familiares e com aqueles que haviam operado a circuncisão. Apesar de tudo, muitos em Israel ficaram firmes e mostraram-se irredutíveis em não comerem nada de impuro. Eles aceitaram antes morrer que contaminar-se com os alimentos e profanar a Aliança sagrada, como de facto morreram. Foi sobremaneira grande a ira que se abateu sobre Israel".
 1 Macabeus 1:56-64

A perseguição religiosa continua, nos nossos dias. Contra os judeus, e contra outras religiões. A organização RESCUE CHRISTIANS, criada pelo ex-terrorista islâmico, convertido ao Cristiansmo,  Walid Shoebat, rema corajosamente contra a maré do comodismo, do medo e da indiferença. Shoebat é um macabeu dos nossos dias!


A todos os nossos leitores, amigos e inimigos, votos de paz, de um bom fim-de-semana. E como este é um blog é amigo de Israel... Shabbat Shalom!

2 comentários:

  1. Boa noite,
    Tenho seguido este blog desde Agosto deste ano e queria deixar uma palavra de agradecimento pelo trabalho dos autores que têm contribuído não só para veicular as notícias que grande parte da imprensa islamófila quer ocultar (sobretudo o Público, onde curiosamente tomei conhecimento deste espaço), mas também por estas peças de divulgação da riquíssima cultura judaica que passa muitas vezes despercebida (será também devido a esta tendência da imprensa que não hesita a publicar peças sobre as grandes celebrações islâmicas como o Eid al-Fitr por exemplo?)
    Desde que me lembro sempre me questionei sobre o porquê de tanta hostilidade da imprensa contra Israel que é uma história impressionante de como um povo depois de tantas adversidades conseguiu constituir um estado tecnologicamente tão avançado e democrático (o único do Médio Oriente) no meio de outros estados tão hostis! Infelizmente é difícil assumir esta posição perante a sociedade tão formatada pelos media contra Israel...
    Mais uma vez, o meu muito obrigado ao Amigo de Israel (e as minhas desculpas pelo extenso comentário)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós é que agradecemos, caro amigo. No primeiro post explicámos que foi o crescendo de hostilidade anti Israel e anti judeus entre o pequeno mundo dos nossos amigos, que nos deu a ideia de criar este blog.

      A explicação para a hostilidade será a aliança de Israel com os EUA, a que boa parte do mundo tem um ódio patológico e desproporcional aos erros desse país (fruto da propaganda esquerdista mais radical).

      A hostilidade contra os judeus e contra Israel é mais antiga, e emerge em épocas de crise, como a que precedeu a 2ª Grande Guerra. Os judeus, para além da diáspora a que foram obrigados durante dois mil anos, foram apontados como deicidas, pela alegada execução de Yeshua ben Yousef, que o mundo conhece na versão desjudaizada, helenizada e latinizada de «Jesus Cristo». Esse absurdo atavismo (Jesus era judeu e tinha seguidores judeus, e a sua alegada execução teve com responsáveis tanto judeus como romanos), semeou ódios difíceis de extirpar.

      Nós somos dois modestos tugas, sem pretensões de sabedoria, que poderíamos ter criado um blog Amigo da Irlanda, Amigo do México, Amigo do Tibete, Amigo do Darfur, ou de qualquer outro país de que gostamos. Esta luta pacífica é por Israel, mas amamos todo o mundo.

      Abraço, muito grato!

      I.B.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.