sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Israelitas ajudam nas Filipinas

A ajuda humanitária está agora a chegar à costa das Filipinas afectada pelo tufão de sexta-feira 
PÚBLICO
Que pena que as capacidades humanas não possam ser aproveitadas sempre e apenas para a paz... Israel está com um novo conflito à porta, e permanentemente sob fogo dos seus inimigos, mas mesmo assim mobilizou recursos materiais e humanos para ajuda às Filipinas, após a passagem do tufão Haiyan.
 
Philippines typhoon  - Israelis arrive at the scene
   A equipa israelita ao chegar ao terreno

Uma equipa avançada israelita de seis pessoas partiu para as Filipinas para ajudar os sobreviventes do tufão Haiyan, que na sexta-feira matou pelo menos 10 mil e deixou mais de 600 mil desabrigados.
A equipa, que integra especialistas nos campos de busca, salvamento e medicina, inclui quatro membros do Comando das Forças de Defesa de Israel e dois do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Estão no terreno para determinar o que é necessário, antes de Israel enviar um contingente maior.

Israel tem uma grande comunidade filipina, e muitas dessas pessoas ficaram alarmadas por não conseguirem contactar amigos e parentes no seu país natal. Há também israelitas nas Filipinas, e alguns estão entre as cerca de 800 mil pessoas desaparecidas.

"Em nome do Governo e do povo de Israel, dirijo sinceras condolências às famílias daqueles que perderam a vida como resultado deste tufão horrível, e envio os melhores votos de uma rápida recuperação para aqueles que ficaram feridos", disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em carta enviada ao presidente das Filipinas, Benigno Aquino. "Os nossos pensamentos e orações estão consigo e com o povo filipino, neste momento difícil". 

O minúsculo Estado de Israel é conhecido por assumir a liderança em face dos desastres naturais. Por exemplo, a sua equipa de socorro foi a primeira a responder ao terremoto devastador no Haiti em Janeiro de 2010, levando recursos de alta tecnologia para o terreno e salvando milhares de vidas. 

Conforme publicado no Ha'aretz no final deste mês, o ex-presidente dos EUA Bill Clinton declarou: "Não sei o que teríamos feito sem o hospital israelita no Haiti. O hospital israelita [ improvisado ] foi a única instalação operacional que foi capaz de realizar cirurgias e testes médicos sofisticados". 
Israel Haiti
À direita: Médico das Forças de Defesa de Israel examina um paciente no hospital de campanha em Port-au-Prince, Haiti - Março de 2010 (Foto: Porta-voz do IDF)
 
O Fórum de Israel para a Ajuda Humanitária Internacional (IsraAID), uma organização com sede em Israel composta por grupos judaicos e israelitas que fornecem ajuda em todo o mundo para as pessoas em necessidade, também enviou uma equipa de sete profissionais médicos para as Filipinas, e vai avaliar a situação antes de enviar assistência adicional, incluindo profissionais de protecção às crianças vítimas de trauma.


"Vamos esperar para obter uma melhor compreensão da situação para depois decidirmos quantas pessoas vamos adicionar", disse o director e fundador da IsrAid, Shahar Zahavi. "As pessoas ficaram sem serviços se saúde, por isso o nosso primeiro objectivo é a intervenção de saúde".

Photo from IsraAid's website.

Foto do site da IsraAid

"Depois dos problemas médicos imediatos, as próximas preocupações são questões como o fluxo de pessoas que se tornaram sem-abrigo", disse Zahavi . "Nos dias depois destas catástrofes, as pessoas começam a ficar doentes, e, em seguida, não há comida suficiente para todos. Assim, a mudança de necessidades vai-se alterando". 

Vários países e outras organizações humanitárias judaicas em todo o mundo, como o Jewish Joint Distribution Committee americano, trataram imediatamente de recolher donativos para ajuda às vítimas do desastre nas Filipinas. 

Atara Beck

United With Israel

11 de Novembro de 2013

Com votos de paz para todos, e um pensamento para todos quantos sofrem, como presentemente sofrem os filipinos, desejamos a todos um bom fim-de-semana Se nós todos quiséssemos, o Mundo poderia ser assim, amigo e solidário.

1 comentário:

  1. A sério? E a Arábia Saudita não enviou equipas de ajuda? (Ironia)

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.