terça-feira, 31 de outubro de 2017

Surpresa! O terrorista de Manhattan é muçulmano!


É o senhor Sayfullo Saipov, do Uzbequistão. É muçulmano!
E esta, hein?!!!... Toda a gente a pensar que tinha sido um budista, um hindu, um judeu, um cristão, um sikh, um zoroastriano, um ateu, um agnóstico, um cientologista, um umbandista, um... um... tudo menos um muçulmano a cumprir os mandamentos da sua religião!... 
"Sayfullo" significa "Espada de Alá".
Se Saipov foi admitido nos Estados Unidos, foi por ser, sem dúvida, um "moderado".
Os hippies que todos os dias vão para os aeroportos protestar contra a política de Trump de proibir a entrada a suspeitos de terrorismo, devem estar felizes.

 


Com dezenas de estações de TV a fazer reportagem em directo do local (pode procurar no YouTube), na cidade mais cosmopolita do mundo, com milhares de testemunhas, com centenas de milhar de pessoas presentes no local, a Internet já está inundada de teorias da conspiração que afirmam que não houve nenhum ataque. A imbecilidade ganhou dimensão planetária.
Excerto da reportagem em directo, da FOX:



"Testemunhas oculares disseram à Polícia que o motorista gritou 'Allahu Akbar!' - Árabe para 'Alá é Grande!' - e depois trucidou mortalmente, até agora 8 inocentes. Número de feridos é de mais de uma dúzia.
Só porque se tratar de um muçulmano aos tiros e a gritar "Allahu Akbar" já dizem que é a jihad islâmica!
Maldita islamofobia!

-------------------------------------------



O terrorista estava nos Estados Unidos ao abrigo de uma invenção do Partido Democrata chamada a "Lotaria da Diversidade" que faz entrar no país milhares de indivíduos que podem ou não ser terroristas.
Era traficante de drogas, motorista da Uber, jurou aliança ao Estado Islâmico/ISIS e era "muito simpático".
Agora vamos ter as habituais manifestações de apoio ao Islão, "porque nem todos os muçulmanos são terroristas" (como se fosse isso que estivesse em causa) e gritar-se-á que "os terroristas não terão o nosso ódio" (como se fosse isso que estivesse em causa).


 "Oito pessoas morreram depois de um atirador terrorista as ter atropelado com uma camião de aluguer da Home Depot, que invadiu a ciclovia da Baixa de Manhattan"
Reuven Blau, Jillian Jorgensen e Rocco Parascandola, New York Daily News, 31 de Outubro de 2017:

    
Pelo menos oito pessoas foram mortas esta terça-feira, quando um camião
do Home Depot em alta velocidade atropelou ciclistas numa ciclovia da Baixa de Manhattan num ataque terrorista, disseram fontes.

    
Testemunhas oculares disseram à Polícia que o motorista gritou "Allahu Akbar!" - Árabe para "Alá é Grande!" - depois de atingir os ciclistas indefesos por trás, os seus corpos destroçados espalhados atrás do seu camião.
    O homem do Médio Oriente foi preso depois de a Polícia ter disparado contra a traseira do camião, após um acidente entre o camião e um autocarro escolar. Fontes disseram que ele agitava uma pistola de ar comprimido e uma arma de pressão quando os polícias chegaram à cena.

    
O camião subiu a calçada perto de Houston St. às 3:04 p.m. e começou a esmagar os ciclistas desavisados, disseram fontes ao Daily News. (...)




O ISIS desaconselha aos muçulmanos o uso veículos todo-terreno, SUV's e veículos com tracção às quatro rodas de baixa cilindrada, "que não possuem os atributos necessários necessários para causar um banho de sangue", pois "os veículos menores não têm peso e força necessários para esmagar muitas vítimas".
Eles recomendam camiões com rodas duplas para "dar às vítimas uma chance menor de escapar de serem esmagadas pelos pneus do veículo":


O ISIS explica que o veículo deve ser comprado, alugado ou "pedido emprestado" ao infiel pelo engano ou pela força.
Fonte: “Tutorial do ISIS aconselha aos jihadistas veículos mais pesados e mais mortaos, como os camiões, para levarem a cabo os seus ataques” por Bridget Johnson, PJ Media, 5 de Maio, 2017
A religião da paz...

MAS...

  
AINDA HÁ GENTE COM BOLAS DE AÇO!:



(Se calhar até não era má ideia de todo...).

 


Islão - O que o Ocidente Precisa Saber

Youtube
Sites

Jihad automóvel - Mais um banho de sangue em Nova Iorque


1. Estamos a ver a FOX News e as testemunhas relatam atropelamento, disparos, colete de bombas e que o terrorista gritava "Allahu Akbar" enquanto assassinava inocentes. 8 mortos, até agora.
Nas Televisões alinhadas à esquerda (todas as outras, umas mais, outras menos), os jornalistas desdobram-se em acrobacias para falarem sem dizer nada. Foi uma "carrinha assassina", foi "um incidente", "não teve  nada a ver com terrorismo"... o costume.
O importante, quando os ataques da jihad ocorrem no seio do Mundo Livre e não em local remoto onde possam ser ignorados, é mastigar frases sem sentido, com efeito soporífero. Anestesiar a opinião pública.


"Não está relacionado com o terrorismo", diz também a Polícia. A Polícia de todo o mundo tem um padrão de negar que os ataques terroristas islâmicos são ataques terroristas islâmicos.
Será mais um caso para abafar, como este?:


Em Junho, o Estado Islâmico/ISIS publicou um cartaz que mostrava um todo-terreno a passar sobre um monte de caveiras, com a legenda "ESMAGUEM-NOS SEM PIEDADE":


2. Há 2 anos, o ISIS emitiu este apelo:

    "Então, oh muwahhid, não deixeis de entrar nesta batalha onde quer que estejais. Deveis atacar os soldados, os líderes e as tropas do tawaghit. Golpeai as suas polícias,  o seu pessoal de segurança e de serviços de informações, bem como os seus agentes traiçoeiros. Destrui-lhes as vidas.  Fazei-lhes a vida amarga. Se puderdes matar um americano ou europeu infiéis - especialmente o francês rancoroso e imundo - ou o australiano, ou o canadiano, ou qualquer outro infiel dos infiéis que fazem a guerra, incluindo os cidadãos dos países que tenham entrado numa coligação contra o Estado Islâmico, então, confiai em Alá e matai-o de qualquer forma... Se não conseguirdes encontrar uma pistola ou explosivos, não deixeis de atacar o americano infiel, ou o francês ou qualquer um dos seus aliados. Esmagai-lhes as cabeças com uma rocha, ou matai-os com uma faca, ou executai-os com o vosso carro, ou atirai-os de um lugar alto, ou estrangulai-os ou envenenai-os."
Londres, Berlim, Nice, Nova Iorque, Jerusalém, a jihad automóvel é hoje o dia-a-dia. Constroem-se barreiras de cimento para proteger os transeuntes dos ataque islâmicos. Mas é PROIBIDO mencionar o INIMIGO.
Hoje, o terrorismo islâmico voltou a fustigar Manhattan:



3. As primeiras notícias - sem filtro - antes da versão politicamente correcta, para não ofender o Islão, diziam a verdade:
"Banho de sangue no centro de Nova Iorque. Motoorista dispara sobre a multidão"
Tina Moore e Daniel Prendergast, New York Post, 31 de Outubro de 2017:

    
Pelo menos duas pessoas foram mortas na Baixa de Manhattan, terça-feira à tarde, por um homem armado disparando do seu camião, disseram fontes policiais.

    
O pistoleiro, que está sob custódia da Polícia, atirou sobre pelo menos seis pessoas na West Street e Chambers Street, que fica perto da Stuyvesant High School, às 3:15 p.m.

    
"O que aconteceu foi que houve um acidente de carro ... ele saiu de um dos carros. Ele tinha duas armas. Ele corria pela Rua Chambers e alguém começou a persegui-lo", disse um estudante de Stuyvesant, de 14 anos.
"Ouvi de quatro a seis disparos - todos começam a fugir".

Tal como estávamos a ver na FOX News e escrevemos acima:
4. O terrorista atropelou a multidão aos gritos de "ALLAHU AKBAR":



 

Descoordenação entre a força conjunta de combate ao terrorismo e os agentes da Polícia, que, habituados à narrativa do politicamente correcto (e compreensivelmente temerosos de perder o emprego), adiantaram logo que não se tratava de terrorismo.


Bicicletas esmagadas depois de o motorista aos gritos de "Allahu Akbar" ter atropelado propositadamente a multidão e assassinado pelo menos 8 pessoas - Notícia completa AQUI.
O vídeo:


Estamos a escrever à medida que as notícias vão chegando. Enquanto foi a FOX News a dizer, não era terrorismo.
Mas agora, se calhar, já é. Porque as Televisões de esquerda começaram, relutantemente, a dizer que a Polícia está a investigar o caso como terrorismo...
As testemunhas ouviram o terrorista a gritar "Allahu Akbar". Mas só passou a ser verdade a partir do momento em que a toda-poderosa CNN o admitiu. A REALIDADE, para o ser, precisa de um atestado passado pela Esquerda:

5. CNN - o motorista/pistoleiro gritou "Allahu Akbar". O ataque está a ser investigado como terrorismo.

As autoridades inicialmente negaram que se tratava de terrorismo.
Como é que sabiam? Não sabiam. Na verdade, não queriam que fosse terrorismo, porque não se encaixa na narrativa. Para a esquerda e para os media do sistema,  são os “extremistas de direita”, ou seja, os cidadãos comuns e conservadores, que  atropelam pessoas com carrinhas, e não os jihadistas islâmicos.
Robert Spencer/Jihad Watch


"O ataque com um camião em Manhattan está a ser investigado como terrorismo, segundo as fontes"
Eric Levenson, Brynn Gingras e Ray Sanchez, CNN, 31 de Outubro de 2017

     Múltiplas fontes policiais e legais dizem que o incidente de Nova Iorque está a ser investigado como terrorismo. Separadamente, quatro fontes oficiais disseram que as testemunhas informaram que o suspeito estava aos gritos de "Allahu Akbar".

     Uma fonte de aplicação da lei disse que a Task-Force Conjunta para o Terrorismo, do FBI assumiu o comando da investigação. (...)


     O suspeito, num caminão de aluguer da Home Depot, subiu uma calçada na West Houston Street e dirigiu-se para sul na ciclovia da West Street, no lado oeste da West Side Highway, disse o funcionário. (...)


UMA PERGUNTA:

6. Se após o Massacre de Las Vegas a Esquerda global exigiu que se banissem as armas, agora exigirão a proibição dos veículos automóveis?

YouTube e Facebook removem o vídeo do atacante de Las Vegas em protesto anti-Trump

Las Vegas - após o desalento, o desarmamento...


Antifa já colaboram com Al-Qaeda e ISIS


Elementos dos Antifa dos Estados Unidos e outros grupos esquerdistas encontraram-se na Alemanha com a al-Qaeda e o ISIS para tramar a destruição de Trump 
Esses grupos de extrema-esquerda, embora afirmem ser contra o fascismo, são fascistas até à medula, e fazem todo o possível para silenciar, violentamente, se necessário, qualquer um que discorde deles.  
Eles afirmam ser contra o ódio, mas são mais odiosos do que ninguém, e por isso vêem na Al Qaeda e no Estado Islâmico aliados naturais. Ambos odeiam o Ocidente, ambos odeiam os Estados Unidos, ambos odeiam a tradição judeu-cristã. Então eles vêem-se como espíritos afins. 
Robert Spencer/JihadWatch

"EXCLUSIVO: Grupos de extrema-esquerda dos Estados Unidos viajaram para a Alemanha para a Cimeira do G20, em Julho passado, para se encontrarem com líderes da Al Qaeda e do ISIS e tramar a destruição do presidente Trump, revela investigação secreta do FBI" 
por Ed Klein, Dailymail.com, 29 de Outubro de 2017 
Edward Klein é o ex-editor-chefe da New York Times Magazine e o autor de vários best-sellers, incluindo seu quarto livro, Clintons, Guilty as Sin, de 2016. O seu último livro, All Out War: The Plot to Destroy Trump, será lançado em 30 de Outubro de 2017. 
Uma investigação secreta do FBI sobre o violento movimento de "resistência" nos campi universitários contra o presidente Trump levou a uma descoberta alarmante – o conluio entre anarquistas americanos e terroristas estrangeiros do Estado Islâmico e da Al Qaeda, de acordo com um relatório do FBI. 
"Há claramente uma evidência esmagadora de que há laços crescentes entre os radicais dos Estados Unidos e o Estado Islâmico, bem como com vários grupos dispersos ligados ao ISIS", afirma o relatório do FBI, que foi entregue ao director interino Andrew McCabe em 11 de Julho de 2017, e que foi publicado pela primeira vez no meu novo livro All Out War: The Plot to Destroy Trump. 
O relatório do FBI sobre os esforços dos terroristas islâmicos para recrutar seguidores entre grupos americanos violentos como o “Antifa” corrobora a reivindicação polémica do presidente Trump, após os protestos mortais do Verão passado em Charlottesville, Virgínia, de que os grupos anarquistas de esquerda são tão perigosos quanto os supremacistas brancos de direita. 
Uma investigação secreta do FBI sobre o violento movimento de "resistência" nos campi universitários contra o presidente Trump levou a uma descoberta alarmante – o conluio entre anarquistas americanos e terroristas estrangeiros no Estado Islâmico e da Al Qaeda (a foto acima é dos os protestos em Charlottesville, VA). 
"Este é o maior desafio para a aplicação da lei desde o Weather Underground e o Black Panther Party", declara o relatório do FBI. No Verão passado, o FBI enviou uma força para a Europa para recolher informações sobre manifestações massivas planeadas por grupos radicais, como o contingente alemão Antifaschistische Aktion, para protestar contra a presença do presidente Trump numa reunião de líderes e governadores de bancos centrais do grupo G20 dos principais países industrializados. 
"A task-force reuniu-se por ocasião do encontro do G20 em Hamburgo, estudou informações das autoridades locais, da Interpol e de outros activos e verificaram que os grupos anarquistas/radicais tinham viajado para a Alemanha e estiveram envolvidos na violência", afirma o relatório do FBI. 
"Há também evidências de reuniões entre esses indivíduos e membros do ISIS. Existe uma necessidade urgente de monitorizar de perto os indivíduos identificados". Os agentes enviados pelo FBI prestaram especial atenção a um grupo de anarquistas de Oakland, uma grande cidade portuária que fica adjacente ao campus da Universidade da Califórnia em Berkeley, cenário de vários protestos violentos ....

----------------------------------------------------------------
 

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Feministas americanas querem a lei sharia


Vídeo do Facebook do Milo Yiannopoulos.

Será possível que estas senhoras, na Idade da Informação, não saibam qual é o estatuto da Mulher no Islão?
Será possível que o ódio a Donald Trump (por ser rico, conservador, cristão, heterossexual e branco) as leve a aliarem-se com os islamistas, mesmo que estes tratem as mulheres como menos do que objectos?
Veja as feministas americanas a arrojarem-se perante o Islão:


A maior parte das coisas que estas mulheres fazem (sair de casa sem acompanhante masculino da família, guiar veículos, usar calças, ter relações sexuais fora do casamento, usar maquilhagem, etc., etc.) são punidas assim pela lei islâmica, a sharia, desta forma (ou pior):


Esta senhora está a levar esta sova porque vestiu calças.
Visite a nossa secção  Mulheres e confira.
Uma ex-muçulmana explica o que vai na cabeça das feministas ocidentais de hoje:

ALGUNS CANAIS YOUTUBE (a Khadija Kafir é ex-muçulmana e tem muitos vídeos sobre as Mulheres no Islão):


Estado Islâmico ameaça matar o Príncipe George, de 4 anos *


O ISIS ameaçou matar o príncipe George numa plataforma de redes social rotulada por especialistas em segurança cibernética como "terreno fértil" para terroristas. O Reino Unido está furioso, e tem razões para isso, mas o ponto chave é que os cidadãos do Reino Unido parecem surpreendidos, quando não deveriam estar. 
Houve um protesto nacional nas redes sociais à medida que eram conhecidas as notícias sobre a trama doentia. Os britânicos usaram o twitter para declarar a sua indignação. 
Um escreveu: "Há ameaças para matar Prince George ?! Wtf ele é apenas uma criança !!! O que há de errado com algumas pessoas?!". 
Os jihadistas são máquinas de matar. Homens, mulheres, crianças e idosos são todos alvos para matar quando se trata de infiéis e apóstatas. O Estado Islâmico explodiu um bebé num exercício de treino e alimentou uma jovem jovem Yazidi com o seu próprio bebê, cozido. 
No entanto, essa mesma Grã-Bretanha que está mortificada com a ameaça à vida do jovem Príncipe George, permitiu que o Estado Islâmico se infiltrasse no seu próprio país. 
O M15 anunciou recentemente o alerta de ameaça mais alto de sempre; 23.000 jihadistas estão no solo do Reino Unido, em oposição a 3.000, como foi recentemente revelado. Acorde, Grã-Bretanha! Infelizmente, o choque com a ameaça de morte ao Príncipe George provavelmente não mudará nada no Reino Unido em relação ao seu apaziguamento dos supremacistas islâmicos. 
Christhine Douglass-Williams/ Jihad Watch 



"Ele é uma CRIANÇA!" - Grã-Bretanha FURIOSA com ameaça do ISIS de MATAR o Príncipe George na escola" 
por Thomas Mickie, Express, 27 de Outubro de 2017: 
Usando o aplicativo criptografado de mensagens instantâneas Telegram, os terroristas disseram: "Mesmo a família real não conhecerá paz". 
Os seguidores de ISIS, publicaram uma foto de Príncipe George na sua escola, Thomas's Battersea, no sul de Londres, de acordo com o Daily Star Sunday. Houve um protesto nacional nas redes sociais à medida que as notícias da trama doentia eram conhecidas. Os britânicos usaram o twitter para declarar a sua indignação. 
Um escreveu: "Há ameaças para matar Príncipe George ?! Wtf ele é apenas uma criança !!! O que há de errado com algumas pessoas ?!". 
Outro escreveu: "Onde está a indignação nacional na descoberta de um plano do ISIS para assassinar o Príncipe George? F ***!" O que se passa com este país?".
Milica Delrey disse: "Espero que o Príncipe George esteja seguro, ele é apenas uma criança pequena, raios!"
Stephen Curl disse: "Um plano para matar qualquer criança é mau". 
Alex Bus escreveu no Twitter: "Há pessoas muito más... Rezo e espero que nada de mal aconteça ao nosso Príncipe George"
A foto do menino de quatro anos foi publicada no aplicativo de mensagens com a legenda "A escola começa cedo". A publicação vil também incluiu palavras árabes tiradas de uma música jihadista que se traduz como: "Quando a guerra chega com a melodia das balas, caímos sobre os infiéis e buscamos vingança"
Os serviços secretos britânicos têm monitorizado fortemente o serviço de mensagens anónimas num esforço para deter potenciais ataques terroristas no Reino Unido.
Especialistas em segurança cibernética disseram que era fundamental manter a monitorização e advertiram que o aplicativo Telegram é um "terreno fértil" para terroristas. 
Barry Spielman, cuja companhia de vigilância na Internet, Sixgill, acompanha os canais Telegram desde o início do ano, disse: "Os nossos serviços de informações entendem que estas ameaças devem ser levadas a sério". (...)


----------------------------------------------------------------

COMENTÁRIO

(Não se pode dizer nada, senão é "islamofobia" e "racismo"...) 


80% dos muçulmanos em Londres apoiam o ISIS



domingo, 29 de outubro de 2017

Alemanha - Armamento de guerra escondido em mesquita


Atreva-se a explorar o nosso blogue, pois é um manancial, modéstia à parte.


---------------------------------------------------

 
"As mesquitas são os nossos quartéis, as cúpulas os nossos capacetes, os minaretes as nossas baionetas e os fiéis os nossos soldados ..."
- Recep Tayyip Erdogan


ALEMANHA EM CHOQUE: A Polícia alemã revistou uma mesquita e descobriu o que os jihadistas tentavam ocultar 
Uma enorme quantidade de armas AK-47 que pertenciam a extremistas islâmicos foram encontradas escondidas perto de uma mesquita na Alemanha.

O arsenal de armas foi descoberto durante uma incursão secreta por uma equipa SWAT em Nordrhein-Westfalen. O político local Ismail Tipi revelou detalhes da busca e advertiu sobre "o perigo dos fundamentalistas". As armas foram encontradas numa câmara frigorífica de um verdureiro perto da mesquita. Trata-se do Estado mais populoso da Alemanha, com quase 18 milhões de pessoas, que inclui Dusseldorf.
O Sr. Tipi, que é membro do Parlamento regional, advertiu para os perigos dos fundamentalistas Salafistas. Ele diz que o perigo dos islamistas fundamentalistas que estão prontos a usar a violência na Alemanha é muito grande. Esta busca e o arsenal encontrado confirmam as suas afirmações.

Assista ao vídeo:



A Alemanha assistiu a um aumento acentuado do número de muçulmanos ultra-conservadores conhecidos como salafistas nos últimos anos, com o número total de simpatizantes agora avaliados em 8.900. Eram 7.000 no final de 2014, disseram autoridades alemãs. 
A Suécia declarou 55 ter "No Go Zones" (áreas muçulmanas onde os infiéis não podem entrar).
O Sr. Tipi, de que é dito ter recebido ameaças de morte pelos seus comentários contra os jihadistas, expressou as suas preocupações de que as células adormecidas estão a preparar mais um ataque terrorista na Alemanha.


O político democrata-cristão Ismail Tipi


Ele disse: "A informação sobre um ataque iminente está a aumentar. O medo é grande de que os terroristas Salafistas, os jihadistas e os terroristas do ISIS na Alemanha recebam apoio de serviços secretos estrangeiros que não são amigáveis ​​para nós. Este arsenal pode indicar que as células adormecidas de jihadistas militantes podem estar a preparar um ataque. Isto é exactamente o que eu sempre temi".
Ele acrescentou: "Os políticos devem falar claramente sobre isto. Se esses medos são fundamentados, podemos assumir que os arsenais de armas secretas estão a ser criados para um grande ataque terrorista, não só na Alemanha, mas em toda a Europa. Seria um abandono do dever não reconhecermos esse perigo e não procurarmos mais arsenais de armas. Devemos reconhecer esse perigo e lidar com ele o mais rápido possível. Os responsáveis ​​pela nossa segurança devem olhar para isto de perto e compartilhar esta informação com todas as agências de segurança relevantes. Os políticos devem ser claros sobre isto, informar sobre possíveis perigos e ameaças, educar as pessoas e convidá-las a estarem bem despertas e a informar a Polícia".

Via I Love My America

 ----------------------------------------


COMENTÁRIO 
O senhor Tipi fala bem, mas a senhora Merkel não tem nenhum interesse em impedir ataques terroristas ou em estancar a invasão islâmica da Alemanha:

O lado nazi de Angela Merkel


Além de que seria profundamente "islamofóbico" revistar as mesquitas onde os islamistas guardam as armas com que nos matam! As pessoas modernas e evoluídas deixam-se massacrar!

"Muttie! Muttie!" - os alemães voltam a encantar-se com uma "Mãezinha" que pensa por eles...

Na nossa secção Alemanha temos diversos vídeos que ilustram a invasão islâmica do país.Os islamistas não fazem segredo das suas intenções. Eles acham que nos vêm trazer a "Luz". O Islão vê-se como a única ideologia "certa" e tem como mandamento sagrado subjugar o mundo inteiro ao deus Alá:
 

As mesquitas não são como as igrejas ou as sinagogas, as mesquitas são locais onde se prega o ódio e onde se faz a guerra.
Os polícias israelitas Or Arish, Solomon Gabrieh e Youssef Othman, foram assassinados no final de Setembro em Jerusalém, por terroristas que dispararam sobre eles a partir da FALSA Mesquita de Al-Aqsa, para grande alegria da esquerda e dos anti-semitas em geral.
Essas pessoas não vêem que o que acontece em Israel há 1400 anos é agora, cada vez mais, também o nosso quotidiano. Não ouvem os avisos de Israel, o ódio anti-semita é-lhes superior até à auto-preservação.

 Or Arish, Solomon Gabrieh e Youssef Othman, alvejados  a partir da mesquita.


Nos países islâmicos é proibida a construção de templos não-muçulmanos, mas os muçulmanos acham-se no direito de nos imporem a sua ideologia totalitária, criminosa e terrorista. Nós aqui em Portugal até lhes pagamos as mesquitas!!!

ALGUNS CANAIS YOUTUBE (não há desculpa para ignorar o que se passa):


Eram judeus, e não árabes, que jogavam na selecção palestina


Especialista "palestina" em desporto diz que os judeus jogavam na "equipa palestina" na década de 1930

Uma representante "palestina" confirma que eram judeus, e não árabes, que jogavam na selecção palestina na década de 1930, antes da criação do moderno Estado de Israel em 1948.


No ano de 135 AEC, os romanos fundiram a Síria romana com a Judeia, que renomearam "Síria Palaestina", em referência ao inimigo filisteu dos judeus.

No Mandato Britânico da Palestina, antes do estabelecimento do Estado judeu moderno em 1948, todos os residentes eram chamados "palestinos", designação referente à localização geográfica.

Nunca houve um Estado árabe palestino na Terra de Israel. Apesar da perseguição e do exílio, ao longo dos séculos houve uma contínua presença judaica.


Neste vídeo, a Dr. Saba Jarrar, palestrante da Universidade Árabe Americana em Ramallah, na tentativa de minar os direitos judeus à Terra de Israel, confirma afinal que eram judeus e não árabes que jogavam na selecção de futebol palestina na década de 1930.


Via UNITED WITH ISRAEL

---------------------------


COMENTÁRIO
 
Os Árabes invadiram Israel em 1920. Têm tanto direito à Terra de Israel como têm direito à França, à Suécia, à Dinamarca ou a qualquer dos países europeus que estão a invadir actualmente - incluindo o nosso Portugal - que eles também reivindicam, com base em que já invadiram a Península Ibérica.
O modus operandi dos muçulmanos foi sempre o mesmo desde o século 7. Invasão, migração em massa e extermínio dos nativos.

Israel é dos poucos Estados nativos do Mundo:

Até aos anos 70, quando os comunistas soviéticos impuseram essa narrativa, ninguém falava de uma Palestina árabe:

A Mentira Soviético-Palestina



Visite a nossa secção Mitos sobre Israel


A bandeira da Palestina, em 1939.

Alguns países, que foram erguidos sobre terras usurpadas aos nativos, tentam comprar uma boa consciência condenando Israel. Outros, que conservam os seus impérios, fazem o mesmo:

O clube dos COLONOS da ONU enterra Israel



Pessoas incapazes de localizar Israel num mapa, incapazes de citar um único facto sobre a História de Israel (ou qualquer outra História) escolheram a narrativa de que Israel é um território árabe e islâmico. Tem tanta lógica como o Nzingalis...