quarta-feira, 2 de julho de 2014

Cultura de ódio renasce na Europa



"Eyal, Gilad e Naftali estão mortos, vítimas de uma cultura de ódio que cresce imparável em toda a região."
Esther Mucznik no Público.
Mas a cultura de ódio já se estende à Europa. Em França, os muçulmanos impediram a manifestação de apoio aos jovens raptados:

Veja mais sobre a islamização da França na nossa etiqueta "França".

Milhares de judeus abandonam a França e outros países europeus todos os meses, devido a perseguições e ataques a tiro, à pancada, à facada, à machadada e outros. Veja por exemplo este artigo. Os muçulmanos perseguem todos os "infiéis", mas os primeiros da lista são os judeus, que, segundo a sua religião, são "descendentes de macacos e porcos". Mas não faltam também portugueses a regressar de França. Calam-se, porque quando tentam contar que foram alvo de espancamentos, humilhações, facadas, as pessoas não acreditam.

Outra manifestação, há uns meses, no Dia da Lembrança do Holocausto, assaltada por muçulmanos, que trouxeram o Nazismo de volta, da forma que podeis ver:

As esquerdas de todo o Mundo têm celebrado o assassínio dos três jovens israelitas.
E Portugal não é excepção.  Ainda ontem o 'embaixador' da 'Palestina' em Portugal fez um apelo público ao genocídio dos judeus, nas páginas do jornal Público:

TERRORISMO NO PÚBLICO

Tal qual. Como se fosse Hitler! E o que farão as autoridades da República?...


 Alguns posts que escrevemos sobre este caso (e ficou a faltar tanto...):

A dimensão da barbárie

Naftali, Gilad, Eyal - ore por eles

A dimensão da barbárie (acabam de atacar a ambulância que transportava os corpos dos três rapazes)

EUA e UE cúmplices no sequestro

EUA e UE cúmplices no sequestro (continuação)

EUA e UE cúmplices no sequestro (conclusão)

Identificados terroristas sequestradores

O Riso da Besta

Euronews malha em Israel - as usual

Abbas chama "ratos" aos adolescentes raptados

Assim se paga o Mal  

Oremos por Eyal, Naftali e Gilad

O Culpado do Costume

Terroristas do Dawlat al-Islam reivindicam raptos



A Imprensa tem grande culpa na propagação do antissemitismo. Nas Televisões, não passam as notícias dos assassínios de israelitas. Passam exaustivamente imagens de terroristas, quando são detidos pelas autoridades israelitas. Nos jornais, é o que se vê, no Público, no DN, no Correio da Manhã, etc., etc.. A Imprensa mundial mantém o povo na ignorância sobre Israel e os judeus. O cartunista do The Guardian, o conhecido islamonazi Steve Bell, que já ganhou o Dishonest Reporting Awards em 2012, produziu a peça hedionda de propaganda que podemos ver acima. Um exemplo entre milhares, no tratamento vil dado pela Imprensa a este horrendo triplo assassínio !



Qualquer imagem de crianças mortas e a legenda de que foi Israel que as matou, passa nas redes sociais como legítima. A máquina de propaganda do ódio criada pelo ultra terrorista Yasser Arafat, não pára! Veja a nossa etiqueta Pallywood.


A saudação nazi do século XXI: os três dedos em celebração do triplo assassínio dos jovens israelitas. Podem limpar as mãos à parede a Imprensa, e certos sectores políticos "palestinianistas" - caso do Bloco de Esquerda, que até candidatou uma militante do grupo terrorista Hamas a euro-deputada!
 A LOUCURA CHEGA A ESTE PONTO:

"Na minha opinião, os dois cidadãos palestinianos que pretendiam, num gesto de bondade, dar boleia aos três rapazes, foram violentamente atacados por eles, dentro do carro, durante a viagem. Quando sentiram que as suas vidas corriam perigo, e sem outra alternativa, optaram pela auto-defesa, e dispararam armas de fogo contra os jovens colonos, que os atacavam pelas costas. Trata-se apenas de um acto de "auto-defesa." Via Inácio Steinhardt.

A autora desta barbaridade é a deputada Hanim Zoabi do Partido árabe Balad que, ao contrário do que se poderia pensar, não é deputada em nenhum país árabe, mas sim na Knesset - o parlamento israelita- para onde foi eleita pela minoria árabe israelita. Zoabi já havia dado nas vistas ao participar na flotilha terrorista humanitária que tentou chegar a Gaza em 2009.

Via Lisboa-Jerusalém 

-------------------------------------------------------------------- 

P.S. - Sobre a cultura do ódio, leia também a declaração de guerra do Califa do novo Califado Global:

Iznogud!

Estamos todos no mesmíssimo barco que Israel. Somos todos «infiéis»!

2 comentários:

  1. Pequena quadrilha internacional sem raízes que promove a discórdia entre os povos e não permite que o mundo viva em paz.

    "Adolf Hitler "

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.