quinta-feira, 24 de julho de 2014

Não fossem os escudos humanos...


Para o bando terrorista islâmico Hamas,  violar as leis internacionais é a rotina. Quanto mais civis morrerem em Gaza e em Israel, melhor para eles. Tudo é ganho!

Os terroristas do Hamas transformaram o  Hospital Wafa em base terrorista. Atacaram o IDF a partir do hospital. O IDF fez avisos repetidos para evacuarem os civis. Os fanáticos suicidas do Hamas continuaram a disparar. O IDF alvejou locais específicos do hospital onde estavam armazenadas armas e munições. As explosões secundárias, que podem ser vistas no vídeo, confirmam-no.


 

Os media intoxicam a população, dizendo que «Israel bombardeou um hospital» e outras barbaridades profundamente cínicas, debitadas por certos répteis extrema-esquerdistas amantes da Coreia do Norte, do Irão, do Hamas, da Al-Qaeda, do Arafat, de tudo quanto é terrorismo, tirania e barbárie...

Não fossem os escudos humanos, e  o IDF, o Exército mais moral do Mundo, não teria baixas e resolveria esta situação em horas. Poucas. O site HONEST REPORTING dá conta de que até jornalistas ocidentais estão a ser usados como escudos humanos.

 

A 21 de Julho, terroristas do Hamas infiltraram-se em Israel a partir de um túnel de Gaza (existem duas Gazas, uma à superfície e outra, uma cidade terrorista subterrânea). Os assassinos islamistas vinham completamente equipados com uniformes do IDF, e explosivos à volta do corpo. O IDF detectou-os e abateu-os:



 

Apesar da difamação global e do terrorismo que não pára de vir de Gaza, Israel continua a fornecer-lhes tudo, como sempre:

 


Personalidades como Bill Clinton continuam a condenar a estratégia dos terroristaas do Hamas em usarem escudos humanos:



Ron Dermer, embaixador de Israel nos Estados Unidos, comenta a estratégia dos escudos humanos:




Fazemos votos de que Israel reintegre Gaza no seu minúsculo território, neutralize quantos terroristas puder, expulse ou prenda todos os terroristas dentro das suas fronteiras, e nunca mais cometa o erro de dar território aos islamistas. O objectivo da guerra é aniquilar o inimigo. Israel é o único Exército do Mundo que prefere sacrificar os seus soldados a ceder 1 milímetro aos mais elevados padrões éticos. Não pode ser! Há que ganhar esta guerra e o mais depressa possível!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.