sábado, 18 de janeiro de 2014

Taliban afegãos e o elogio do terror

 Two Americans among 21 killed in Kabul blast: Afghan security forces personnel investigate the site of Friday's suicide attack and shooting: Afghan security forces personnel investigate the site of Friday's suicide attack and shooting, in Kabul, Afghanistan, on Saturday.
No Afeganistão, a jihad global ceifou mais 21 vidas. Uma bomba num restaurante. A culpa de quem é? Pois decerto que dos americanos? De quem mais senão dos americanos, de Israel ou da Europa, os grandes satãs deste mundo?
"A autoria do ataque foi prontamente reivindicada pelos taliban, que o justificaram como uma resposta a um bombardeamento aéreo da coligação liderada pelos EUA, a meio da semana passada, a Norte de Cabul. (...) "A guerra contra o terrorismo só dará frutos quando houver uma distinção entre vítimas e terroristas e quando os terroristas forem combatidos. Se a NATO, liderada pelos Estados Unidos, quiser ser uma aliada do povo afegão, deve ter como alvo o terrorismo", declarou Karzai.(...)
PÚBLICO

O que a Imprensa mainstream esquece, ao fazer este tipo de elogios implícitos aos terroristas, é que:
- o Afeganistão alberga poderosas forças de terroristas islâmicos, que têm na sua linha de mira o Mundo Livre, ou seja: a NÓS!

- o presidente Karzai é leal aos taliban e não às forças da NATO
- os terroristas islâmicos usam sempre escudos humanos
- a política externa do incensado Obama está a ser responsável pelo fracasso da Guerra ao Terror.
- Os taliban exageram frequentemente o número de baixas
- O ataque foi levado a cabo pelo Exército afegão

Quem ler notícias como esta, fica, para mais, com a ideia de que as forças da ONU andam a fazer tiro ao alvo indiscriminadamente contra pessoas inocentes e indefesas.

A política de «apaziguamento» e de ambiguidade de Obama:

Thumbnail image for KarzaiObama.jpg
"No ano passado, durante a minha visita a Washington, numa entrevista muito importante, um dia antes de conhecer o presidente dos EUA [Barack Obama], reuni-me com o seu conselheiro de segurança nacional, Tom Donilon, altos funcionários da Casa Branca, generais e oficiais dos serviços secretos, e o conselheiro de segurança nacional disse-me: 'Os taliban não são nossos inimigos e nós não queremos lutar contra eles.'"
Hamid Karzai, 26 de Novembro de 2013
A missão no Afeganistão, que visava decapitar os comandos taliban, passou então a ser não se sabe bem o quê. Se os taliban não são inimigos, o que faria se o fossem:

"Dois americanos entre os 21 mortos em
explosão em Cabul"
de Patrick Quinn para a Associated Press, 18 de Janeiro

    
CABUL, Afeganistão - O número de mortos de um ataque de taliban em Cabul num restaurante popular entre os estrangeiros e afegãos ricos, subiu para 21 pessoas, incluindo dois norte-americanos, disseram autoridades este sábado. A violência mortal contra civis estrangeiros no país dura desde o início da guerra, há
quase 13 anos.
- Sério? E já nessa altura era em retaliação por causa deste ataque na semana passada?
    O chefe da polícia de Cabul, general Mohammad Zahir Zahir, disse que as vítimas incluem 13 estrangeiros e oito afegãos e disse que a maioria são civis. A Embaixada dos EUA disse que pelo menos dois cidadãos norte-americanos estão entre as vítimas, mas não forneceu outros detalhes.
- Se Obama se interessar tanto por este ataque como pelos outros, nomeadamente os de Benghazi, nem tira os olhos do golfe. Literalmente.
    A Universidade Americana do Afeganistão disse que dois de seus funcionários nos EUA estão entre os mortos ....

    Os mortos no restaurante La Taverne du Liban também incluem o director do Fundo Monetário Internacional no Afeganistão, três funcionários das Nações Unidas e um membro da Missão de Polícia no Afeganistão. (...)

    Zahir e funcionários internacionais, disseram que os mortos incluem dois britânicos, dois canadianos, um dinamarquês, um russo, dois libaneses e um paquistanês. Pelo menos quatro pessoas ficaram feridas e cerca de oito afegãos, incluindo o pessoal da cozinha, sobreviveram.

    Cinco mulheres, quatro estrangeiros e um afegão, também estão entre os mortos, disse Zahir.


    Os três atacantes, incluindo um homem-bomba e dois homens armados, também foram mortos durante o ataque de sexta-feira no restaurante libanês.
- Situação ideal para o Islão: o «martírio», morrer a combater o «infiel».
    Entre os mortos estão o chefe do FMI no Afeganistão, Wabel Abdallah, um libanês de 60 anos; um polícia dinamarquês e seus guarda-costas britânicos, e a ONU em Cabul disse que os seus três membros assassinados incluem um paquistanês, um russo e um somali-americano. O proprietário libanês do restaurante, Kamal Hamade, também foi morto.
    O ataque foi condenado pelo Conselho de Segurança da ONU, a NATO e a União Europeia.
    "Condeno veementemente este ataque a civis aleatórios e os meus pensamentos e profunda simpatia vão para os parentes mais próximos", disse o primeiro-ministro dinamarquês Helle Thorning-Schmidt em comunicado.

    O Ministério dos Negócios Estrangeiros dinamarquês recusou dar detalhes sobre a vítima, como é habitual, mas TV2 da Dinamarca disse que é uma mulher de 34 anos de idade.

    "Condeno nos termos mais fortes possíveis esta violência terrível e injustificável. Os perpetradores devem ser levados à justiça", disse o Alto Representante da UE, Catherine Ashton, sábado.

    O gabinete do presidente afegão, Hamid Karzai, ainda não condenou o ataque.


    Os taliban reivindicaram a responsabilidade pelo ataque, dizendo que era em represália por uma operação militar afegã no início da semana contra os insurgentes na província de Parwan oriental, que os insurgentes alegam que matou muitos civis. Os taliban frequentemente fornecem números de vítimas exageradas.

    "O alvo do ataque era um restaurante frequentado por estrangeiros de alto escal
ão", disse o porta-voz dos taliban, Zabihullah Mujahid, em comunicado enviado por email. Ele disse que o ataque teve como alvo um lugar "onde os invasores costumam jantar, com bebida e licor na abundância."
    Ele descreveu o "ataque de vingança", como tendo desferido um "pesado golpe de admoestação para o inimigo, que jamais esquecerei." ...

--------------------------------------------------------------------

- Onde está o criticismo da opinião pública e dos media? Os taliban são TERRORISTAS! Vingam-se desta forma, e as suas acções são legitimadas pela imprensa e pela opinião pública loonie-lefty! Esta imprensa e esta opinião pública que acha que os taliban devem ser «deixados em paz», esquece que quem declarou guerra ao Mundo, foram eles! Esta imprensa e esta opinião pública que deitam postas de pescada sobre a «paz» e a «não-violência», esquecem-se de que, se podem dormir descansados, é porque há gente que não deixa os terroristas dormirem, nem de dia nem de noite.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.