domingo, 12 de janeiro de 2014

Como devem vestir-se as mulheres?

Como cada uma queira, dirá qualquer habitante do Mundo Livre, espantado com a  pergunta. Tão espantado como ficaria se lhe perguntassem que formato de pão se deve preferir ou se deve andar com as mãos nos bolsos ou soltas, enquanto caminha. A gente esquece-se do privilégio da Liberdade...

Mas em outras paragens, não é assim. Em boa parte dos países islâmicos as mulheres têm que andar tapadas. E só 4% dos inquiridos nesta sondagem considera que elas devem ter permissão para andar de cabeça descoberta.


Muslimwomen.jpg 
A explicação para esta regra é de que o corpo ou a cabeça não tapados tornam as mulheres responsáveis por eventuais estupros, que desencaminham os homens, etc.. Ou seja: nós, homens, segundo o Islão, somos bestas incontroláveis que não podem ver uma mecha de cabelo ou um braço!

O que é um excelente sinal de que no mundo islâmico o sentido de humor ainda existe, é este gráfico satírico, em resposta à sondagem acima:

Americanwomen.jpeg
Alguém ainda duvida de que há um choque de civilizações? De que estas pessoas, quando vêm para o Mundo Livre, querem por força corrigir-nos e meter-nos no caminho da «virtude»?

Por falar nisso, quando se deu a revolução islâmica na Pérsia (a.k.a. Irão), os relatos que nos chegavam sobre as «Brigadas do Vício e da Virtude», que percorriam as ruas em busca de mulheres não tapadas e lhes cortavam os lábios com cacos de vidro, lembram-se? Já falei aqui de uma gira que foi ao Irão de bicicleta com o marido e que ficou maravilhada por:

- Os terem deixado entrar, ainda que com fortes restrições, é certo (é só liberdade...).

- A "modernidade" das iranianas, que usam calças de ganga por debaixo da burqa!!!

Um exemplo de "modernidade" (entre milhares):

Muslim Girl Crying 10 

As mulheres na Arábia Saudita devem andar sempre acompanhadas por um tutor masculino - um parente, habitualmente.  Esta rapariga, de 19 anos de idade, aventurou-se na companhia de uma amiga, foi violada por sete homens, e por isso foi condenada a 200 chicotadas e seis meses de prisão.
de A Sharia sem Véu.

E por falar em choque de civilizações:
A tenente Shelly Marhevka é uma comandante dos serviços de informações do IDF, que tem como missão vigiar a fronteira sul de Israel. No caso de uma infiltração terrorista, Shelly e os seus soldados são os responsáveis ​​por detectar e frustrar um ataque.

 Lt.Shelly Marhevka is an IDF intelligence commander who keeps 
watch over Israel’s southern border. In the event of a terrorist infiltration, Shelly and her soldiers are those responsible for detecting and thwarting an attack.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.