segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

A Causa da Segunda Intifada & Outras


O mega terrorista egípcio Arafat e o seu amigo Abbas, líder actual dos ocupantes árabes de Israel.

Qual foi  causa da Segunda Intifada? Pois naturalmente, todos os que vivem neste planeta e não no do Meu Pequeno Pónei se lembram do que os media divulgaram: a causa foi a visita de Ariel Sharon à «Esplanada das Mesquitas».

Em Camp David, o mega-terrorista egípcio Yasser Arafat tinha abandonado as negociações, pois menos do que a extinção dos judeus não lhe interessou jamais.

"A 27 de Setembro de 2000, a explosão de uma bomba colocada junto à estrada perto de Netzarim na Faixa de Gaza, matou o sargento israelita David Biri. No dia seguinte, na cidade de Kalkilya, na Judeia e Samaria, numa patrulha conjunta composta por um polícia palestiniano e por um polícia israelita, o polícia palestiniano abriu fogo sobre o seu colega israelita, matando-o.
Nesse mesmo dia, 28 de Setembro, Ariel Sharon, líder do Likud, fez uma visita ao Monte do Templo em Jerusalém."

No seu país, um israelita não pode visitar o Monte do Templo, o lugar mais sagrado da sua religião, para não ofender os ocupantes árabes. E esse foi o pretexto para a  Segunda Intifada. O blog Lisboa - Tel Aviv conta a história completa.

-------------------------------------------

É ridículo que Israel e o Mundo continuem a assumir culpas que não têm. É ridículo pensar que é possível «apaziguar» o Islão, ignorando o terrorismo.

É ridículo fingir-se que existe ou existiu um país Árabe chamado «Palestina». Esse foi um dos muitos nomes que a Terra de Israel teve, nomeadamente sob a ocupação Romana.

Os Árabes, em Israel, são invasores, como foram na Península Ibérica. Têm rejeitado TODOS os planos de partilha da terra com o povo nativo: os Judeus! Não aceitam nada menos do que a destruição de Israel e a extinção dos judeus - projecto em que trabalharam com Hitler, no Holocausto.

Chega de sermos todos ingénuos. Não é apenas Israel que eles visam, como não nos cansamos de demonstrar. Eles querem o CALIFADO GLOBAL.



A razão do conflito Israelo-Árabe não é de território. Israel é 1% do Médio Oriente, é ridiculamente pequeno no meio do mundo islâmico. A razão do conflito é o supremacismo islâmico. E ou se está a favor desse supremacismo, ou se está contra. Qualquer neutralidade, mais cedo ou mais tarde, terá de cair, quando os supremacistas derem a escolher: ou a conversão;  ou a decapitação - na melhor das hipóteses a escravatura/pagamento da jyziia (imposto de infiel).

De que lado está você?

VEJA O DOCUMENTÁRIO, NÃO TENHA MEDO DA VERDADE:

1 comentário:

  1. "É ridículo pensar que é possível «apaziguar» o Islão, ignorando o terrorismo."

    É só recordar um pouco da História de II Guerra Mundial, e ver no que deram as politicas externas de Chamberlain.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.