domingo, 22 de dezembro de 2013

Entretanto, no Império Otomano...

 erdogan2013.jpg
 



Pois, o escândalo de corrupção que agora estalou na Turquia é capaz de ser um tanto aborrecido. Já o facto de o amigo Erdogan pretender reestabelecer o Império Otomano, invandindo países vizinhos, são amendoins para Imprensa mundial...

Cada vez mais à vista de de todos, o imperialismo neo-otomano de Erdogan, enquanto a Turquia rapidamente se re-lslamiza...


Primeiro-Ministro turco diz que  os territórios dos países dos Balcãs pertencem à Turquia
FOCUS News Agency,
    Skopje - A Grécia ficou de cabelos em pé com os comentários feitos pelo primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan de que o território turco incluía a parte grega da Trácia, partes da Macedónia, Bulgária e Bósnia e Herzegovina
(...)

    A
Grécia considerou esta declaração tudo menos uma  atitude amigável de um país vizinho, com quem a Grécia fez tentativas para superar problemas e estabelecer parcerias.

(...)


    
"Desta forma Erdogan continua com provocações em termos de dar vida nova ao velho, mas nunca esquecido, plano de relançamento da "República Turca do Trácia", que inclui partes da Grécia, o sul da Bulgária e os Balcãs Centrais" - escreveu a Imprensa grega.

    
O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bulgária também comentou hoje sobre as palavras do primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan a respeito de territórios que ele declarou pertencerem à Turquia.

    
O porta-voz afirmou que, partindo do pressuposto de que as relações búlgaro-turcas tinham sido tradicionalmente boas e que uma sessão da Comissão sobre questões não resolvidas está para breve, acredita que tais declarações não ajudam ao desenvolvimento do diálogo bilateral visando soluções pragmáticas.
    O Ministro também afirmou que tais interpretações relacionadas com o passado dos Balcãs devem ser manuseadas com cuidado, tendo em vista as peculiaridades da História dos países dos Balcãs e das sensibilidades que as declarações podem despoletar.
    O Prof. Bozhidar Dimitrov, director do Museu Histórico Nacional da Bulgária, afirmou que afirmações como as de Erdogan não deveriam ser feitas, principalmente porque a Bulgária e a Grécia, dois dos países vizinhos da Turquia, são membros da UE.

    
Como é bem sabido, a Turquia é um candidato à adesão à UE e conta com o apoio búlgaro e grego para aderir à UE.


- Esperamos para ver se Erdogan pretende também voltar a ocupar Israel, que fez parte do Império Otomano antes de ter passado para  a administração Britânica, e daí para a reconquista da soberania, há 65 anos.



 --------------------

 hagia-sophia-turkey.jpg

Este é mais um sinal da rápida re-islamização da Turquia. Se os turcos realmente quisessem pertencer à UE, eles iriam prestar atenção às palavras do Patriarca e permitir que a Basílica de Santa Sofia se tornasse uma igreja novamente. Isso, no entanto, não vai acontecer.
"Turquia: cresce a pressão para a Hagia Sophia ser convertida em mesquita"
Michael Trimmer para Christian Today, 13 de Dezembro

 Destacamos apenas uma passagem do texto:

Engin Akyurek, professor de Arte Bizantina na Universidade de Istambul, declarou num artigo que esse será um passo desastroso para a Arte  e para a História:
"Usar este edifício para alguma outra função, uma mesquita ou qualquer outra coisa, significará reconstruir quase 80% do prédio ... não vai ser mais um edifício do século V. Será uma catástrofe."Alguns têm apontado que a crença de que a Basílica de Santa Sofia deve tornar-se uma mesquita novamente, está ligada a um princípio da Sharia que estabelece que, se um edifício for utilizada como mesquita, ele não poderá jamais ser usado para qualquer outra finalidade.
 Ficheiro:Aya sofya.jpg

E esta é uma metáfora do que está a acontecer ao mundo, que todo ele se re-Islamiza...

2 comentários:

  1. Eu espero bem que a Turquia nunca venha a fazer parte da UE.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sou eu para opinar, mas atrevo-me a dizer que é uma faca de dois gumes; há por lá milhões de muçulmanos que sabem respeitar a liberdade religiosa, e outros milhões que anseiam pelo re-estabelecimento do Império Otomano, e se possível pelo Califado Global - iria a integração na UE apoiar a corrente democrática, ou, pelo contrário, acelerar a islamização da Europa?

      IB

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.