sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Assim se paga o Bem



Wafa al Biss, uma das que foram tratadas num hospital em Israel e voltaram para o fazer explodir. É um 'must'! A extrema-esquerda caviar baba-se com isto!

Mesmo  os jihadistas mais selvagens, cobardes e assassinos sabem que a sua rectórica sobre Israel é falsa, e voltam-se para Israel quando precisam de ajuda. Depois, regressam ao terrorismo que ambiciona destruir Israel.


"Terrorista beneficia de ajuda humanitária em Israel, e volta para assassinar soldados do IDF"
do Blog do IDF, 26 de Dezembro

    
Um morador da Faixa de Gaza estava no processo de planeamento de um ataque de franco-atiradores contra soldados da IDF, quando foi ferido e entrou em Israel com uma permissão humanitária para cuidados médicos em Ramallah.

    
No início de Dezembro de 2013, o ISA (Agência de Segurança de Israel/Shin Bet), com o apoio da Polícia de Israel, prendeu um agente terrorista das
Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa da Faixa de Gaza, que esteve envolvido em actividades terroristas nos últimos anos contra civis e soldados das Forças de Defesa de Israel, incluindo o planeamento de um ataque de franco-atiradores.

    
O terrorista Mohammad Tzaber Mohammed Abu Amsha, 32 anos, de Beit Hanun, admitiu que estava a receber treino para ser atirador num ataque dirigido a soldados israelitas ao longo da cerca da fronteira na Faixa de Gaza. A fim de investigar diferentes formas de realizar o ataque terrorista, ele disse que tinha recolhido informações sobre os movimentos de patrulha do IDF em diferentes áreas, e informações sobre os seus exercícios.

    
No processo de planeamento do ataque, Abu Amsha disse que começou a sofrer de uma doença ocular que prejudicou sua capacidade de tiro. Pediu então para entrar em Israel com uma permissão humanitária, a fim de receber tratamento médico num hospital de Ramallah. O ataque foi adiado para o seu regresso a Gaza, uma vez que sua visão estava a  ser restaurada.

    
"Israel autoriza a entrada de milhares de moradores de Gaza todos os meses para fins humanitários e médicos", disse o tenente-coronel Peter Lerner. "Este exemplo de abuso de uma licença para intenções terroristas, é repugnante e constitui uma violação que põe em risco o acesso à ajuda médica em Israel e na Judeia e Samaria, de que tantos palestinos desfrutam".

    
Abu Amsha será indiciado hoje no Tribunal Distrital de
Beer  Sheva sob três acusações: tentativa de homicídio, conspiração, e envolvimento em crime (homicídio).

- Aguarda-se as habituais manifestações pela libertação deste «activista», e de condenação a Israel, por não o ter deixado fazer o seu atentadozinho terrorista. E muitas condenações da cerca de segurança, que é mazona, e prejudica a pontaria no nobre desporto do tiro ao israelita!

- A culpa é capaz de ser de Israel, que já cedeu mais de 2/3 do seu território actual para o surrealista Estado Palestino; que ocupa uma fracção mínima do seu território original e agueante todo o tipo de provocações e atentados de cara alegra; que permite a entrada e residência de 'palestinos' no seu país - quando está claramente estabelecido que nem um israelita jamais entrará na tal "Palestina"; e que liberta milhares de terroristas que diariamente lançam mísseis, se fazem explodir, esfaqueiam, alvejam e tudo fazem para varrer Israel e os seus cidadãos da face da Terra! Não há "diálogo" possível com terroristas fanáticos, Israel! A prova é que eles pagam assim o Bem! Sempre!


 Palestinian patient crosses through Erez Crossing

Mulher 'palestina' vai a Israel para receber tratamento médico. Procedimento de rotina. Em Gaza os milhões que o mundo envia são usados para enriquecimento pessoal e para o terrorismo.

3 comentários:

  1. Será que o al-PÚBLICO, que laudou efusivamente o ardo com o Irão, virá dizer isto: "Iranian nuclear chief: Islamic Republic designing new centrifuges"? Não, pois não? É que se o dissesse teria que admitir que "Iran agreed to limit its enrichment capabilities and reduce the number of operational centrifuges already installed at the Fordow and at Natanz enrichment facilities. Iran was also to refrain from installing new centrifuges" e isso não pode ser pois seria mostrar a má-fé da teocracia islâmica iraniana. Mas quando senadores dos USA quiseram incrementar sanções aos Irão lá veio, no al-PÚBLICO, a acusação, dirigida àqueles, de "má-fé".

    Aquihágato

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também li a pseudo-notícia do al Público sobre o «acordo histórico com o Irão». Resolvi nem comentar, nem fazer post. Sinceramente, senti-me como alguém que deixa cair um anel de ouro numa retrete pública, mas que, perante o nojo de lá meter as mãos, puxa o autoclismo. Aquelas gaiatas do al Público, a Margarida Lopes, a Sofia Lorena, as outras duas islamófilas mais assanhadas, com um pouco de sorte, vão trabalhar para a al Jazeera e deixam de respirar o ar lusitano.

      Israel Bloom

      Eliminar
  2. outra notícia que o al-PÚBLICO pura e simplesmente omitiu (ao contrário da conclusão do laboratório suiço): "Yasser Arafat died of natural causes - Russian report".

    Aquihágato

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.