quinta-feira, 19 de setembro de 2013

"Mohammed Salem"



Escrevemos há poucos dias um post intitulado O Sheik Vai Nu, em que apontávamos a pressa da Imprensa em apresentar Aaron Alexis (na imagem), o indivíduo que assassinou 13 pessoas numa base naval em Washington, como ligado ao Budismo. Assinalámos que quando os autores de massacres são muçulmanos, o facto nunca, ou raramente, é referido.

Ver notícia no Público.

Agora, aguardamos a actualização da notícia, que, pela mesma lógica, deverá referir o  "Mohammed Salem".

"Aaron Alexis criou uma página com o nome " Mohammed Salem ". Não há outra indicação de que fosse muçulmano ou tivesse qualquer interesse no Islão. Pode ser, no entanto, que na sua loucura delirante, ele tenha começado a identificar-se com os jihadistas que cometem assassinatos em massa, em nome do seu deus sanguinário" - jihadwatch.
"A mãe do atirador diz que está de coração partido e triste pelas famílias "
  
Kyle Eppler, Pete Williams e Erin McClam para a NBC News , 18 de Setembro:

    A mãe de Aaron Alexis, o atirador de Washington, disse quarta-feira que estava de coração partido e triste pelas famílias das vítimas, e que ela estava feliz por o filho estar agora "num lugar onde não pode fazer mais mal a ninguém. "

    Numa breve declaração a um repórter, em Nova Iorque, Cathleen Alexis disse que o seu filho "matou 12 pessoas e feriu várias outras." ...

    As autoridades dizem que ainda estão à procura de um motivo. Desde que Alexis realizou o ataque segunda-feira na base naval, surgiram sinais de uma história conturbada.
    • Alexis, que serviu como reservista naval em 2007-2011 e trabalhou mais recentemente como empreiteiro civil, teve um registo disciplinar militar que incluiu conduta desordeira, insubordinação e ausências injustificadas.
    A polícia disse que ele telefonou em 7 de Agosto para dizer que tinha mudado de hotel duas vezes, porque acreditava que estava a ser perseguido e que lhe enviavam vibrações através das paredes para o impedir de dormir.

    A polícia disse ter encaminhado o seu relatório para a estação naval em Newport. (...)

    • O Departamento de Assuntos de Veteranos disse esta quarta-feira que recebeu Alexis duas vezes. Ele deu entrada na emergência, em Providence, a 23 de Agosto, queixando-se de insónias. Foi-lhe dada medicação para o sono e aconselhado o acompanhamento médico, disse a agência. Cinco dias depois, Alexis apareceu numa sala de emergência em Washington para obter outra dose de medicamentos e foi novamente encorajado a consultar um médico.

    A associação de veteranos declarou que Alexis negou sofrer de ansiedade, depressão ou pensamentos sobre ferir-se a si mesmo ou aos outros. Alexis inscreveu-se na área da saúde da associação em 2011 mas nunca procurou apoio para a sua saúde mental.

    • Alexis também teve desentendimentos com a lei sobre violência armada. Foi acusado em 2004 de ter disparado sobre os pneus de um carro em Seattle, e em 2010 de ter disparado uma arma para um apartamento, no andar de cima, em Fort Worth, Texas.

    • Amigos e parentes também disseram que ele tinha uma preocupação com os atentados de 11 de Setembro de 2001, que se sentia menosprezado como veterano, que teve problemas de dinheiro e que estava tão infeliz com a vida que pensou em deixar os EUA.

    Polícias disseram à NBC News que Alexis criou uma página com o nome " Mohammed Salem ", mas disseram que nunca fez nada com ela. Disseram que não tinham encontrado nada que pudesse indicar qualquer interesse na jihad violenta ou mesmo no Islão.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.