segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Diplomata francesa agride soldado israelita




Ir a Israel em apoio dos terroristas e dos desordeiros, e insultar e agredir soldados israelitas, é um tipo de turismo antissemita muito em voga, e muito ao gosto de certa esquerda. Os "activistas" procuram a todo o custo provocar uma reacção dos soldados israelitas, para poderem vitimizar-se e apresentá-los como vilões perante o Mundo. As forças armadas de Israel são as ÚNICAS no mundo inteiro que suportam este tipo de provocações, diariamente, por parte de gente que ama os Estados-pária da região, que desconhece absolutamente a história do conflito israelo-árabe, e que odeia o único Estado livre e democrático do Médio-Oriente: ISRAEL. O antissemitismo não acabou com o fim do Nazismo, e o Holocausto continua, nos países árabes e um pouco por todo o mundo, com os judeus a pagarem com a vida o terem nascido judeus e quererem o direito de existir.
Desta vez, uma diplomata francesa participou na festa, com o ódio habitual. 
A Imprensa mainstream não vai noticiar. E se noticiar vai deturpar.

Em cima: A diplomata francesa Marion Fesneau-Castaing a desferir um golpe no rosto de um soldado israelita em Khirbet al- Makhul no Vale do Jordão, sexta-feira 20 setembro, 2013

A diplomata francesa Marion Fesneau-Castaing agrediu a murro um soldado israelita durante o fim de semana, o que levou o Ministério dos Negócios Estrangeiros a exigir "uma explicação sobre esta flagrante violação dos códigos conduta diplomática", informaram a AFP e o Israel Hayom domingo 
[AFP e Israel Hayom]. O Israel Hayom publicou uma sequência de imagens de Fesneau-Castaing e de como ela bateu com o punho no queixo e no capacete de um guarda de fronteira. A cena ocorreu na sexta-feira, quando as tropas do IDF chegaram para dispersar um grupo de diplomatas europeus que tentaram distribuir barracas e outros equipamentos a beduínos em Khirbet al-Makhul .O Ministério disse : "Israel rejeita o anúncio unilateral que foi emitido pelos porta-voz dos altos representantes [ Catherine ] Ashton e a Comissária Georgieva sobre os acontecimentos do Vale do Jordão Norte. Este anúncio não leva em conta a flagrante violação da lei pelos diplomatas europeus, o seu desafio a uma decisão do tribunal israelita e a provocação desnecessária sob o alegado pretexto de ajuda humanitária."

 
"Os diplomatas são enviados pelos seus governos para serem mediadores e não para agirem como provocadores. Israel já disse que não vai aceitar esta derrapagem. A resposta de Israel será proporcional à gravidade dessas violações".O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Paul Hirschson, disse à AFP que Fesneau-Castaing estava deitado no chão, como um sinal de "resistência passiva" contra a execução de uma ordem do Tribunal de Justiça para proibir a construção de beduínos sem autorização.


No camião, a diplomata Marion Fesneau-Castaing

 "Fizemo-la sair do camião ... então ela caiu no chão ... ninguém a atirou ao chão", disse ele à AFP. "Houve violência por parte dela, quando ela se levantou e caminhou em direção ao policia e o socou", disse Hirschson.

Na segunda-feira, o Supremo Tribunal de Justiça de Israel determinou que um grupo de casas, estábulos e um jardim de infância em Khirbet al-Makhul não tinham licenças de construção adequados, pelo que a decisão de Israel foi de destruir estas estruturas.

A diplomata deixou-se cair no chão

De acordo com o Israel Hayom, o IDF afirmou que as suas forças haviam tentado opor-se à instalação de tendas na área na sexta-feira, e que os habitantes da região e "militantes estrangeiros" responderam lançando pedras. O IDF usou de meios não-letais de dispersar o tumulto após as pedradas.

UM VÍDEO DO INCIDENTE:




Fontes : The Algemeiner – 22 Setembro 2013 – Por Joshua Levitt - Tradução de Nancy Verdier
© Copyright Europe Israël – reprodução autorizada com menção da fonte.

- ENTRETANTO, A AGRESSÃO DA DIPLOMATA AO SOLDADO, ESTÁ A SER TRANSFORMADA PELA MÁQUINA DE PROPAGANDA GLOBAL ANTISSEMITA, EXACTAMENTE NO OPOSTO. NADA A QUE NÃO ESTEJAMOS HABITUADOS. O PROCEDIMENTO PADRÃO É MANDAR PESSOAS PROVOCAR OS SOLDADOS E POSTAR OS VÍDEOS NA INTERNET COM TÍTULOS COMO "ARMAS CONTRA PALAVRAS". MISERÁVEL PROPAGANDA. E O PIOR É QUE HÁ QUEM ACREDITE.

1 comentário:

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.