segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Gal Kobi - R.I.P.


Em 3 dias, este é o segundo jovem de 20 anos a ser assassinado por terroristas "palestinos". Nas celebrações do Sukkot, quando Israel de enche de alegria, os terroristas fazem questão de lançar o luto entre os que odeiam acima de tudo e todos. Gal Kobi foi assassinado por ser israelita. Dias depois de Israel ter libertado mais de 1000 (MIL!) prisioneiros palestinos, acusados de crimes de terrorismo, como gesto de boa vontade para as negociações de paz que se avizinham.

Gabriel 'Gal' Kobi não vai ter direito a aparecer nas notícias. Como os outros judeus que caem vítimas do ódio. Os judeus não contam.

Fonte: I Acknowledge Anti-Semitism Poses as Palestinian "Human Rights" Activism


O sargento Kobi foi assassinado por um atirador furtivo árabe com um tiro do pescoço quando guardava o local sagrado da Gruta dos Patriarcas, perto de Hebron. O assassínio ocorreu durante um motim de "palestinos", que atiraram pedras e explosivos contra as forças da ordem, que responderam com meios não letais adequados a dispersar multidões. Algumas fotos dos motins em que o sargento Kobi foi alvejado:


- A Imprensa mainsstream só costuma mostrar fotos como esta última, em que os desordeiros são detidos pelas forças da ordem. A repetição de motins e atentados tem levado a que nesta região haja vedações de separação entre as comunidades judaica e árabe, uma medida incompreensível para quem desconhece a realidade no terreno. No dia em que o terrorismo contra Israel parar, estas medidas de segurança serão retiradas. Infelizmente, esta campanha de assassínios em plenas festividades religiosas e na véspera de mais negociações de paz, confirmam que do lado árabe o interesse na paz é pouco.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.