quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Bíblia - Ordem para Queimar!



O pastor Terry Jones (na imagem) voltou a fazer das suas. Que é como quem diz, voltou a tentar queimar exemplares do Alcorão. Para o pastor “as palavras do Corão são perigosas espiritual, política e socialmente” - escreve o Público.
E nisso o pastor tem parcialmente razão. O Corão contém passagens da mais sublime moral, mas outras que prescrevem atrocidades incompatíveis com o mundo de hoje. E o problema é que essas prescrições ainda são cumpridas com rigor. No mundo islâmico e cada vez mais no Ocidente. Enquanto outras religiões puseram de parte procedimentos de outras eras e colhem dos livros sagrados o que é intemporal, o Islão tarda em dar esse passo.
Não damos razão ao pastor no dessacralizar um livro que representa para outros o que a Bíblia representa para ele. É uma violência moral, não causa mortos nem feridos (ao contrário do Islamismo radical), mas tem algo de infantil e gratuito. 
É de notar contudo que quem se indigna com o acto do pastor, não se indigna com a jihad islâmica, nem com as 3 mil pessoas que morreram nos atentados que o pastor escolheu assinalar desta forma lamentável.
Desde estes atentados de 11 de Setembro, que marcaram o início de mais uma guerra santa do Islão contra o Mundo, o saldo é o seguinte:



LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2004

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2005

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2006

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2007


LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2008

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2009

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2010

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2011

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2012

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2013 (1º SEMESTRE)

- Posto isto, vamos a um caso gritante de duplo padrão no que toca a queima de livros sagrados:
No Afeganistão, a administração Obama mandou queimar exemplares da Bíblia para não ofender os muçulmanos. Quando militares norte-americanos queimaram exemplares do Alcorão usados pelos prisioneiros para contrabando, foi o caos e o horror!

Excertos de dois artigos sobre o tema:


Onde estavam as desculpas de Obama, quando as Forças Armadas queimaram Bíblias ?
in National Catholic Register

Funcionários do governo e militares foram rápidos com as desculpas pela queima de exemplares do Alcorão no aeródromo de Bagram. Onde estavam as desculpas quando eles queimaram Bíblias no mesmo local ?por Steven D. Greydanus segunda-feira 27 de fevereiro, 2012
(...)A profusão de desculpas do governo e oficiais militares, incluindo, mas não limitadas ao presidente Obama, ao secretário de Defesa Leon Panetta e ao general John Allen, que está a comandar as forças da NATO no Afeganistão, são apenas o começo. De acordo com o New York Times:
Algumas horas após o episódio, o general Allen ordenou uma investigação e, até o final do dia, emitiu uma ordem a todos os soldados da coligação no Afeganistão, para que completem uma formação nos próximos 10 dias sobre "tratamento adequado dos materiais religiosos" .
E bom saber que a administração e a liderança militar estão preocupadas em que as forças armadas aprendam "o manuseio adequado de materiais religiosos." Uma pessoa menos informada até pode ter feito uma ideia muito diferente, baseada no incidente anterior em que os militares em Bagram  queimaram Bíblias confiscadas .

    
Militares deitaram fora e depois queimaram Bíblias confiscadas que foram impressas nas duas línguas afegãs mais comuns, por preocupação de que pudessem ser usados ​​para tentar converter afegãos, disse um porta-voz do Departamento de Defesa

    
As Bíblias não solicitadas enviadas por uma igreja nos Estados Unidos foram confiscados há cerca de um ano na Base Aérea de Bagram, no Afeganistão, porque as regras proíbem às tropas qualquer actividade que possa ser tomada por proselitismo religioso enquanto permanecerem lá, disse o tenente-coronel Mark Wright .

   
O que pode colocar em risco as tropas americanas e os civis, num país devotadamente muçulmano, disse Wright .
(...)
O presidente Obama não teve nenhum problema com as Bíblias queimadas em Bagram. Nem ele, nem outro governante nem os militares pediram desculpas.

 Imagem das manifestações após a queima dos exemplares do Alcorão, em 2012

A realidade é que a administração Obama não poderia estar menos preocupada com "o tratamento adequado dos materiais religiosos". A sua única preocupação é o que vai ou não vai ofender os muçulmanos, potencialmente violentos, não por causa de qualquer respeito exagerado pelo Islão em particular (...), mas porque muçulmanos irritados é igual a violência. Quem se preocupa com a queima de livros sagrados cristãos? O que é que os cristãos vão fazer sobre isso?

Na prática, o "tratamento adequado dos materiais religiosos" significa: Se objectos religiosos ofenderem os muçulmanos, há que queimá-los. Mas, se a queima de objectos religiosos ofende os muçulmanos,  peçam desculpas, façam o que for preciso para não ofender os muçulmanos, porque eles são os únicos que ficam violentos quando ofendidos.

Como post-scriptum: Alguns cristãos americanos sentem, não inteiramente sem razão, que a veneração muçulmana do Alcorão excede veneração cristã da Bíblia, e, portanto, profanar Corões é uma ofensa para os muçulmanos maior do que profanar a Bíblia é para os cristãos. Isso não é totalmente incorrecto. Para os muçulmanos, o Alcorão é a auto-revelação suprema de Allah, enquanto que para os cristãos a suprema auto-revelação de Deus não é a Bíblia, mas o próprio Jesus Cristo.
(...)

Barack Obama pede desculpas por queima de Corões, mas não pela queima de Bíblias?
in Mr. Conservative

Tornou-se muito claro que Barack Obama não acredita que todas as religiões devem ser tratadas igualmente. Nos últimos dias, Barack Obama tem feito grandes esforços para se desculpar pela queima "acidental" de exemplares do Alcorão por parte das forças militares norte-americanas no Afeganistão. Na verdade, Obama deu sua palavra de que os Estados Unidos irão "punir os responsáveis" pela queima dos exemplares do Alcorão. Mas quando os militares dos EUA propositadamente queimaram Bíblias no Afeganistão há alguns anos, nunca houve qualquer pedido de desculpas de Barack Obama. Grupos cristãos em todos os EUA manifestaram grande indignação, mas houve um silêncio mortal de Obama. Porquê o duplo padrão? Os muçulmanos obtêm do presidente um pedido de desculpas, porque estão dispostos a tornar-se violentos por causa da queima de um Alcorão? Será que Barack Obama considera queo Alcorão é mais valioso do que a Bíblia?

Barack Obama enviou ao presidente afegão Hamid Karzai uma carta de três páginas na quinta-feira pedindo desculpas pela queima de exemplares do Alcorão numa base aérea da NATO em Bagram. Na carta, Obama especificamente prometeu que os "responsáveis​​" seriam punidos ....
 "O erro foi inadvertido, garanto-vos que vamos tomar as medidas adequadas para evitar que se repitam, para incluir responsabilizar os responsáveis." - escreveu Obama.
 A verdade é que os soldados que puseram os exemplares do Alcorão no incinerador estavam apenas a cumprir ordens.

 E então, quem vai ser responsabilizado ?Os seus superiores ?Alguém mais acima na cadeia de comando ?Barack Obama está sentado na cadeira do Comandante-em-Chefe.Não é ele o responsável máximo?
Claro que todos nós sabemos que um pobre bode expiatório será encontrado. Essa é a forma como este tipo de coisas funciona.Desde que notícia desta queima saiu, o Afeganistão tem estado num constante estado de agitação. Afegãos e soldados norte-americanos foram mortos na violência selvagem que entrou em erupção. A seguir, a partir de um artigo da Reuters:
    "A queima do Alcorão acendeu a fúria anti-ocidental. Milhares de pessoas tomaram as ruas e pelo menos 27 pessoas foram mortas nos protestos. Dois soldados norte-americanos foram mortos a tiro na quinta-feira por um soldado do exército nacional afegão que se juntou aos comícios.

Até mesmo polícias afegãos e soldados afegãos se juntaram aos protestos anti- americanos."
O exemplo a seguir é do New York Times:


    Mohammed Anwar , um polícia de folga, juntou-se aos manifestantes na sexta-feira e parecia mal conseguir conter sua fúria. "Eu vou-me vingar dos infiéis pelo que fizeram com o nosso Alcorão, e eu vou matá-los sempre que eu tiver chance", disse ele, enquanto caminhava com multidão de manifestantes armados com pedras e paus . "Eu não me importo com o a profissão que tenho."

Mas nunca houve uma única palavra de desculpas de Obama pela queima deliberada de Bíblias cristãs pelas forças dos EUA no Afeganistão, que aconteceu poucos anos antes.Aparentemente, a queima de Bíblias não é um problema para a administração Obama.Muitos podem não ter ouvido falar sobre este incidente. Um artigo da CNN em 2009 descreveu o que aconteceu:

    "Militares deitaram fora e depois queimaram, Bíblias confiscadas que foram impressas nas duas línguas afegãs mais comuns, devido à preocupação que poderiam ser usadas ​​para tentar converter afegãos, disse um porta-voz do Departamento de Defesa."

Não houve pedido de desculpas quando grupos cristãos expressaram raiva sobre isto.
Porque é que o Alcorão tem de ser tratado com muito mais respeito por parte do governo dos EUA do que a Bíblia ?
Mas isto está longe de ser o único momento em que Barack Obama deu ao Islão uma quantidade enorme de respeito, enquanto mostra enorme desprezo pelo Cristianismo.
A seguir, algumas citações de Barack Obama que mostram a admiração incrível que ele tem regularmente expressado pela religião do Islão:

   
"O Islão sempre fez parte da América"

   
"Vamos incentivar mais americanos a estudar em comunidades muçulmanas"

   
"Estes rituais fazem-nos lembrar dos princípios que temos em comum e do papel do Islão na promoção da justiça, do progresso, da tolerância e da dignidade de todos os seres humanos ."

   
"América e Islão não são mutuamente exclusivos e não precisam de estar em competição. Em vez disso, eles sobrepõem-se e compartilham princípios comuns de justiça e progresso, tolerância e dignidade de todos os seres humanos."

    
"O Ramadão é a celebração de uma fé conhecida pela grande diversidade e igualdade racial. "
  "Esta experiência orienta a minha convicção de que a parceria entre a América e o Islão deve ser baseada no que o Islão é, não no que não é. E eu considero parte da minha responsabilidade como presidente dos Estados Unidos lutar contra os estereótipos negativos do Islão onde quer que apareçam . "

    "Eu também sei que o Islã sempre foi uma parte da história da América".

Sobre o Cristianismo, é menos entusiástico:

   " Ainda que o tenhamos sido, já não somos uma nação cristã "
   "Nós não nos consideramos uma nação cristã".
(...)

1 comentário:

  1. Queimar o corão não é nada de novo. Otomão, o terceiro califa muçulmano, compilou e uniformizou o corão e queimou todas as variantes que existiam na altura. Ele reinou de 644 a 656, portanto o pastor Terry Jones leva entre 1357 e 1369 anos de atraso.

    Agora, fritar o corão? Isso sim é inovação. Foi o que ia acontecendo em 2012. Bubba the Love Sponge, um DJ nos EUA, anunciou que ia fazer isso mesmo. Foi dissuadido devido à intervenção de David Petraeus (na altura Diretor da CIA) e do General John R. Allen (na altura líder das forças americanas no Afeganistão).

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.