segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Forças Especiais de Israel libertam reféns no Quénia




Forças Especias de Israel libertam reféns dos terroristas islâmicos em Nairobi
As tropas quenianas travaram uma batalha acesa contra os jihadistas somalis dentro do centro comercial Westgate, em Nairobi, que é parcialmente administrado por investidores israelitas. As tropas quenianas e as Forças Especiais de Israel conseguiram parar o ataque terrorista.

68 pessoas foram mortas, centenas ficaram feridas e um número desconhecido de reféns ficaram retidos nas instalações. As Forças Especiais de Israel, cujo comércio com o Quênia é vasto e de longa data, juntaram-se aos quenianos.

"Os israelitas acabam de entrar no centro comercial e estão a tentar libertar os reféns", disse uma fonte à AFP duas horas e sob a condição de não ser identificado, terminando um cerco que durou mais de 26 horas.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel recusou dizer se as forças israelitas estiveram envolvidas na operação.


 © Jean-Patrick Grumberg para www.Dreuz.info

- Estes são os soldaos que têm que aguentar calados as agressões dos idiotas úteis pela Palestina. A informação da intervenção de Israel foi notada.



A SkyNews confirmou entretanto: "Alguns reféns foram baleados à queima-roupa, porque não teremm sido capazes de recitar uma oração islâmica". E as elites vão dizer que o Islão não é isto. No entanto, o Islão mata com os métodos dos nazis. 68 pessoas, incluindo sete crianças foram mortas hoje em Nairobi, abatidas a sangue frio pela mais bela religião conhecida pelo Homem. (...)

- Não é de espantar, pois Hitler admirava o Islão acima de qualquer religião, e os Árabes combateram ao lado dos alemães, participaram no Holocausto e continuam admirar Hitler e o Nazismo, que foram quem esteve mais  perto de conseguir erradicar os Judeus da face da Terra.

1 comentário:

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.