segunda-feira, 17 de junho de 2013

Pet Shop Boys não cedem!

Os Pet Shop Boys tocam em Israel na próxima semana, o que significa que os neonazis, os inimigos de Israel e os apoiantes do terrorismo islâmico recorrem a todos os expedientes para tentar intimidá-los e levá-los a cancelar o espectáculo.

A resposta é curta, e mostra que pelo menos algumas estrelas pop têm um certo grau de inteligência:


     Não concordo com essa comparação entre Israel e a África do Sul da época do apartheid. É uma caricatura. Israel tem (na minha opinião) algumas políticas de força com base na defesa, mas também tem o sufrágio universal e igualdade de direitos para todos os cidadãos, tanto judeus e árabes. Na época do apartheid da África do Sul, os artistas só poderia tocar para um público segregado, em Israel que comprar um bilhete pode assistir a um concerto. Neil x
O gráfico que os inimigos usam ​​para tentar demonizar o duo e demovê-lo de actuar revela muito sobre como os inimigos de Israel  inventam factos sempre que lhes apeteça:



Uma criança morta a cada três dias? Duas crianças "enjauladas" todos os dias?

Estas estatísticas anti-Israel são fantasias.

Não houve crianças árabes palestinianas mortas por Israel nos últimos cinco meses (a última foi atingida por fogo cruzado quando estava a atirar pedras e garrafas contra a IDF, em Janeiro.) Mesmo durante a segunda intifada, 2000-2005, o número de crianças mortas não chegou este nível.


Da mesma forma, a idea de duas crianças presas todos os dias é igualmente ridícula.

Quantas pessoas, ao verem um cartaz como este, acreditarão nestes números? O movimento de Boicote a Israel mente descaradamente, e muitos ocidentais tendem a confiar nestes "factos" fabricados.

As mentiras dos inimigos de Israel são insidiosas e, claro, quem odeia Israel não se preocupa com isso.

(h / t Gidon Shaviv)


 - Mas, perguntar-se-á quem está menos dentro do assunto, Israel já abateu crianças? Não. Os terroristas é que as usam como escudos humanos e as mandam fazer-se explodir em Israel.

O que a seguir apresentamos é apenas uma amostra. Ficam de fora por exemplo as crianças-bomba. 

Este vídeo de propaganda intitula-se pomposamente "Crianças Contra Soldados". Trata-se de uma patrulha regular do exército israelita no seu ambiente natural: crianças que são mandadas insultá-los e dificultar-lhes a vida, na esperança de que percam a paciência e se possível matem uma ou duas. Como tal não acontece, têm que se contentar com os títulos pomposos. Em que outro país do mundo é aceitável mandar crianças insultar soldados que estão a efectuar operações anti-terrorismo? Note-se a presença de cobardes idiotas ocidentais a insultarem os soldados, seguros de que nada lhes acontece!



Esta é famosa Shirley Temple palestiniana, uma estrela da máquina de propaganda dos terroristas, que segue os soldados do IDF para onde quer que vão, dirigindo-lhes toda a sorte de provocações. Que país do mundo consente em albergar dentro das suas fronteiras milhões de terroristas que tudo fazem para o destruir?





Aqui também é business as usual, com vários árabes a fazerem todo o possível por se fazerem massacrar, e a não terem sorte nenhuma. Que outro exército no mundo aguenta isto? Se fizessem tal coisa num país islâmico o que lhes aconteceria?



Aqui podemos ver uma cena habitual, terroristas palestinianos usando as suas próprias crianças como escudos humanos nas suas acções bélicas. Quando Israel responde aos ataques e alveja uma base de lançamento de mísseis (costuma estar colocadas em escolas, hospitais ou mesquitas), os escudos humanos que os terroristas lá põem, naturalmente que morrem!


Aqui, um líder do movimento terrorista Hamas, explica que os islamistas amam a morte como as pessoas normais amam a vida. E faz questão de colocar as crianças na primeira linha dos «mártires». Os cobardes são assim, mandam os outros morrer por eles e pelas suas paranóias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.