sábado, 15 de junho de 2013

Islamistas atacam meninas em Inglaterra


A jihad, a guerra santa islâmica que teve novo alento a partir dos atentados de 11 de Setembro em Nova Iorque, vai correndo o mundo, e assume diversas formas. Em Inglaterra têm sido comuns as expedições punitivas aos infiéis. Nos piores casos, os supremacistas islâmicas matam, como aconteceu noutro dia com a decapitação do jovem soldado Lee Rigby na via pública. Noutros casos, os jovens islamistas, doutrinados no ódio a tudo o que não é muçulmano, "só" espancam uns quantos infiéis. É de notar o esforço das autoridades para esconder mais este ataque, desde o desmentido do município à retirada do vídeo do youtube.

"Tensão nem cidade britânica após 'meninas brancas," terem sido atacadas por "jovens muçulmanos'" em The Commentator, 12 de Junho: 


Vivem-se dias tensos na cidade inglesa de Ashton-under-Lyne após ter sido divulgado um vídeo que mostra uma grupo de jovens estudantes britânicas a serem atacadas por paquistaneses numa paragem de autocarro.
O incidente, que ocorreu na cidade dos arredores de Manchester, levou a uma série de grupos a pedirem uma 'marcha' ou 'comício' na cidade, no próximo sábado (hoje), e a Liga de Defesa Inglesa a propor a criação urgente de uma filial em Ashton-under-Lyne.
O vídeo foi removido do YouTube, mas ainda pode ser encontrado no LiveLeak, e mostra o incidente de 22 de Junho.
"Este vídeo foi feito em Ashton Under Lyne, Inglaterra, e mostra um grupo de jovens muçulmanos a atacar um grupo de raparigas brancas. Pouco antes de a filmagem ter começado, um dos jovens muçulmanos tinha ferido uma das meninas na cara com um objecto cortante. Isso está a tornar-se ocorrência comum nas ruas do Reino Unido. "
Embora tenha havido relatos de prisões após a noite do incidente, a Polícia de Tameside ainda não o confirmou, limitando-se a admitir que foram feitas "prisões". Aos grupos de cidadãos que pediram explicações foi dito apenas que foram detidas quatro pessoas por "pequenas ofensas à ordem pública".
Houve também relatos de novos confrontos, como resultado do incidente, que foram reprimidos pelas autoridades locais. Logo a seguir ao ataque racista, o Município de Tameside twittou o seguinte: "Circulam rumores sobre uma suposta luta ocorrida hoje no centro da cidade de Ashton. Esses relatos são imprecisos, não houve desordem".
Fontes também sugerem que a polícia enviou uma mensagem de texto pedindo aos pais e responsáveis ​​para manterem os seus filhos longe da área. O ataque aparentemente incluiu bastões de críquete.


O vídeo, que tem sido reproduzido em páginas pessoais de inúmeros utilizadores da Internet, tem motivado a perseguição por parte de supremacistas islâmicos como o racista Adam Butt.

Adam (à direita), instigou a perseguição islamista contra uma menina britânica de 14 anos (como as que foram atacadas pelos jihadistas), dirigindo-lhe diversas mensagens de morte e divulgando os dados respectivos pessoais. 

Outros casos de perseguição têm sido registados a quem tem ousado divulgar o vídeo. Ver aqui, sff..

2 comentários:

  1. Passei alguns meses no West Yorkshire. Era deprimente: só paquistaneses e muito arrogantes! Nunca vi um inglês a conviver com eles. Aliás os ingleses detestavam-nos: arruinaram-lhes os pequenos negócios. Punham a trabalhar a família toda e estavam abertos sempre. As autoridades faziam vista grossa a muita legislação que era necessária para estas actividades mas nunca aos ingleses. Assim era impossível competir.
    Os fins de semana eram um pandemónio de aceleras e buzinadelas pelas ruas: a maioria também imigrantes.

    Não fiquei com saudades.

    ResponderEliminar
  2. Há cidades do mundo ocidental que parecem cidades islâmicas, tal a profusão de burkas e outro vestuário usado expressamente para fins de provocação e afirmação de supremacismo étnico- religioso.

    Cá em Portugal os chineses limitam-se a destruir os pequenos negócios e a indústria. Não passaram ainda à fase da provocação aberta. Deixaram simplesmente de andar sempre a sorrir para nós. Agora já mostram má cara e falam por cima da burra, que é como quem diz, por cima do Range Rover último modelo, enquanto o tuga passa fominha.

    I.B.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.