segunda-feira, 17 de junho de 2013

Jornalista português agredido na Turquia


"Nas ima­gens pode ver-se como lutei destemi­da­mente con­tra as forças da repressão (exac­ta­mente como fazem os cidadãos tur­cos quando são apan­hados assim nas mal­has da autoridade).
Em jeito de con­clusão, direi que estes polí­cias tiveram muita sorte. Se eu não estivesse um pouco ator­doado pelo gás, tê-los-ia cor­rido todos à chapada."

As palavras são de Paulo Moura, repórter do Público, que foi agredido pela polícia turca, apesar de ser jornalista e estar portanto em trabalho e em neutralidade relativamente ao conflito. Como a Polícia se limita a cumprir ordens, é de crer que na opinião de Erdogan, o presidente e alvo dos protestos, este jornalista também seja um dos alegados "terroristas" ou esteja ao serviço de alguma obscura conspiração.

Lembramos que Erdogan tinha avisado que quem entrasse na Praça Taksim, seria tratado como terrorista. A nossa solidariedade para com o repórter português.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.