quinta-feira, 6 de junho de 2013

A(nother) Che is Born!




Tem-nos sido materialmente impossível divulgar todas as peripécias que envolvem  os dois decapitadores do soldado Lee Rigby, no Reino Unido. Ou os dois suspeitos, como se diz agora, sempre que se trata de terroristas jihadistas e apesar de o mundo ter visto o assassínio. Respeitinho é muito bonito...

Falámos do assassínio na altura, por exemplo neste post.

Mais dois cidadãos que, como os dois terroristas de Boston, estavam sob vigilância das autoridades mas não foram considerados perigosos. Este já apareceu em Tribunal, de Corão em punho, alegre e a mandar beijinhos para a assistência e tudo. 

Esta sessão de julgamento foi rica em filosofia, como podereis ler abaixo, e não nos admirariamos que em breve o grande filósofo Michael Adebolajo venha a disputar com Dzhokhar Tsarnaev lugar cativo nas t-shirts da romântica mocidade ocidental. E nas de alguns adultos mais impressionáveis.


Daqui:

"Eu sou um homem. Eu sou um soldado. Eu sou um cidadão britânico. Não podem ver as minhas partes íntimas.
 
Protestos exaltados do assassino do soldado Lee silenciados pelo juiz

Assassino de WOOLWICH Michael Adebolajo interrompeu várias vezes uma audiência ontem - e reclamou sobre ter que mostrar as suas "vergonhas" aos guardas durante operações de revista.

O homem de 28 anos, acusado de matar o soldado Lee Rigby - também chamou "meias esquisitas" e "peruca engraçada" ao Juiz durante a sua aparição em Tribunal por vídeo conferência, a partir da prisão de segurança máxima de Belmarsh.

Algemado a dois agentes penitenciários da polícia anti-motim, foi ele quem tomou a iniciativa de falar durante a audiência.

Disse ao juiz Sweeney: "Eu tenho que interrompê-lo já, para fazer um breve comentário. Em nenhuma altura hoje tenho resistido nada. Eu não quero mentir - Deus ama a verdade.


"A dado momento, hoje eu resisti, não fisicamente, só verbalmente. Eu resisti quando eles pediram para ver os meus testículos e pénis. Pediram-me mais uma vez, "Deixe-me ver o seu pénis e os tomates".

 "Eu disse, 'Eu estou cansado disto,  são ainda 10:00 horas e você já quis ver as minhas vergonhas duas vezes. Eu sou um homem, um soldado, um cidadão britânico. Eu não estou acostumado com as pessoas a olharem para as minhas vergonhas.

"Ele (um oficial da prisão) disse:" Para ser honesto, eu não quero ver as suas vergonhas novamente, mas alguém fez uma lei que nos obriga a olhar para as suas vergonhas novamente. Eu digo-lhe, que quem fez essa lei, é um incompetente.
 
"Eu admito, eu chorei como um bebé. Mas acabei por mostrar as minhas partes íntimas. O meu problema é que quando as pessoas dizem a palavra 'Por favor' acho difícil de resistir.

 

"Assim como quando eu estou no supermercado Tesco a empurrar o carrinho e a olhar para a manteiga - Flora ou Butterly - e estou a bloquear o caminho. E eles dizem 'Por favor, você pode desviar-se para eu eu passar.' "


E acrescentou: "Desculpe - por favor, continue."


Como o tribunal decidiu que ele deve permanecer algemado, Adebolajo - vestindo um camisolão encarnado até o pescoço, para evitar um molde de gesso no braço esquerdo - falou de novo: "Eu tenho que interromper.

"Para ser honesto, esses dois tipos (os agentes penitenciários) sabem que não preciso ser algemado."Todo este processo é muito mais do que isto. Não é sobre mim, apesar de que joguei um papel importante neste processo. Não é nem mesmo sobre o chamado 'juiz'.


"É realmente e sinceramente sobre os bons, honestos e decentes trabalhadores, membros britânicos da sociedade, sejam eles muçulmanos ou não-muçulmanos. Eles são os únicos que sofreram por causa das minhas acções.
 
"Não é sobre você, senhor juiz, com peruca e vestido grande e meias engraçadas."

 
Depois de o Juiz ter ordenado que as algemas fossem removidas, ele deu um sinal de polegar para cima e disse-lhe: "Que Deus te abençoe.


"Esse homem que usa a peruca branca, teve coragem."

Adebolajo interveio novamente quando o Tribunal ouviu os argumentos sobre possíveis restrições de relatórios, depois rejeitados pelo juiz.

Usando o nome Mujaahid Abu Hamza, Adebolajo disse: "É possível que ao longo da vida, por vezes, as pessoas possam caluniar-nos e dizer coisas sobre nós que são falsas.

"Mas, como seres humanos e cidadãos comuns, somos capazes de superar isso. Temos que viver com isso.


 "Eu acredito que os britânicos são decentes. pela minha experiência de crescer neste país, e que há apenas uma fracção da sociedade que deseja calúnias e mentiras contra mim.

"O resto são pessoas que preferem ouvir a verdade, mesmo que ela volte a morder-me as nádegas."
Quando o juiz o avisou sobre as interrupções, ele pôs a língua para fora e disse: "Pare de tentar abafar a verdade. Sirva os seus cidadãos, por uma vez.

 "A sua formação pode tê-lo levado a acreditar que você é melhor do que o cidadão comum só porque você usa uma peruca engraçada. Você não é. "

Adebolajo interrompeu o seu próprio advogado para dizer: "Eu não estou familiarizado com todo esse jargão jurídico, tendo em conta que eu sou um soldado, não um advogado." ...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.