quinta-feira, 12 de abril de 2018

TV "palestina" afirma que judeus colocam "palestinos" em fornos

Na Semana da Recordação do Holocausto, TV "palestina" afirma que judeus colocam "palestinos" em fornos

“O seu ódio pode ser ocultado pela dissimulação, mas a sua maldade será exposta em público.” 
Provérbios 26:26 (The Israel Bible ™)


 Via:


https://www.breakingisraelnews.com/105784/on-week-of-holocaust-remembrance-pa-tv-claims-jews-put-palestinians-in-ovens/?utm_source=Breaking+Israel+News&utm_campaign=f2ff4da649-BIN_evening_4_18&utm_medium=email&utm_term=0_b6d3627f72-f2ff4da649-87198949&mc_cid=f2ff4da649&mc_eid=491162ce32


Imagem editada e deturpada pela TV da "Autoridade Palestina" apresentando os árabes como vítimas em 1948. (Palestinian Media Watch)

Uma apresentação na televisão da 'Autoridade Palestina' afirmou esta semana retratar imagens de árabes abatidos por grupos paramilitares judeus em 1948. No entanto, não só o programa contém várias mentiras descaradas, como as fotos foram falsificadas. Uma das fotos cuidadosamente editadas que diziam retratar árabes queimados em fornos por soldados judeus, na verdade, mostrava vítimas judias do Holocausto.
A organização Palestinian Media Watch (PMW), um grupo não-governamental de vigilância dos media que documenta casos de incitação mos media "palestinos", relatou a notícia na quarta-feira. (...)
O programa exibiu uma foto afirmando tratar-se de centenas de "palestinos" mortos pelos soldados judeus. A foto era na verdade de judeus que foram mortos em Nordhausen, um sub-campo de concentração de Buchenwald na Alemanha.
Este não foi um erro não intencional. Para fazer com que a foto parecesse o que reivindicavam, as imagens de judeus mortos em uniformes de prisão listados foram apagadas:

Além disso, os soldados americanos, que tinham acabado de libertar o campo de concentração e estavam de pé, ao lado, foram recortados, bem como os edifícios do campo de concentração:


Uma versão muito mais ampla da imagem manipulada pela televisão da "Autoridade Palestina" em 9 de Abril de 2018, que na verdade retrata as vítimas do Holocausto no campo de concentração de Nordhausen. (Palestinian Media Watch / AP / US Army Signal Corps)

Os produtores do programa acrescentaram uma legenda à imagem retrabalhada, dizendo: “Quando eles mataram e mutilaram os corpos de 250 mulheres, crianças e idosos residentes”.
O programa incluiu outra imagem que também foi cuidadosamente cortada. A imagem foi reivindicada como pertencendo a outro grupo de "palestinos" mortos pelas milícias judias. No entanto, foi na verdade uma foto de "palestinos" que haviam sido mortos nos campos de Sabra e Shatila, no Líbano, por cristãos falangistas em 1982:



Imagem real do massacre de Sabra e Shatila manipulado pela Televisão da "Autoridade Palestina". (Palestinian Media Watch / Instituto de Estudos da Palestina)

Talvez a falsidade mais escandalosa - a legenda que apareceu sob a foto: "E eles [os judeus] queimaram as mulheres e crianças no forno da aldeia":


Imagem real do massacre de Sabra e Shatila, manipulada pela Televisão da "Autoridade Palestina". (Palestinian Media Watch / Instituto de Estudos da Palestina)

Deir Yassin é foco de muita controvérsia, mas até que este programa de televisão apresentasse esta foto manipulada, ninguém jamais fez uma afirmação tão absurda.

Deir Yassin, uma aldeia árabe de aproximadamente 600 pessoas, foi atacada na noite de 9 de Abril de 1948 por elementos do Irgun e Lehi, dois grupos paramilitares israelitas operando independentemente da Haganah, o precursor das actuais Forças de Defesa de Israel. O ataque foi parte de um esforço para romper o bloqueio jordano de Jerusalém, que precedeu o fim do Mandato Britânico da Palestina. A estimativa do número de vítimas varia muito, assim como os relatos de atrocidades atribuídas aos grupos paramilitares judeus.

 .....................................



 COMENTÁRIO

Este post fica listado na nossa secção PALLYWOOD.

Visite o site homónimo, que vale a pena:

www.pallywood.com

Durante a Guerra da Independência e antes, os judeus tiveram que se defender da investida dos árabes. Para saber mais, só se estudar a HISTÓRIA DE ISRAEL.

Mas estudar dá bué trabalho tipo, e faz, tipo, dores de cabeça, e se a Ana Bola e a Rita Ferro dizem que Israel é os maus, é porque é verdade, tipo.

Os massacres de judeus por muçulmanos duram há 1400 anos.
Quando o Império Otomano (que incluía o Médio Oriente e o Leste da Europa) chegou ao fim, os muçulmanos temeram que Israel reconquistasse a independência, e os massacres redobraram. Os judeus defenderam-se, e isso o Mundo nunca perdoou...


Muçulmanos massacrando judeus em Jerusalém, em 1929, jornal francês "Le Petit Journal Illustré".

Israel deu aos árabes o imenso território que é hoje a Jordânia e ficou com 12% da sua Terra. Israel é 0,5% do Médio Oriente e 0,02% do mundo islâmico em área. Os judeus em Israel são 8 milhões, no mundo 13 milhões; os muçulmanos são 1 bilião e 800 milhões. Os muçulmanos simplesmente odeiam de morte todos os infiéis, começando pelos judeus.
 O Islão continua a perseguir, torturar, mutilar, estuprar, matar, canibalizar- hoje como no século 7. Mas na cabeça dos muçulmanos, os infiéis é que são os maus:

PROJECÇÃO ISLÂMICA: Porque é que os muçulmanos odeiam infiéis



Ele pode fingir e esconder o seu ódio, mas a sua maldade será exposta em público.

Provérbios 26:26

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão desactivados pois o blogue está inactivo. As nossas desculpas por qualquer incómodo.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.