terça-feira, 16 de abril de 2013

Dizer NÃO ao Terrorismo!



Nos tempos Antigos, a ocasião dos eventos desportivos era motivo de trégua, mesmo entre os povos mais beligerantes dessas épocas em que ser-se beligerante era uma segunda natureza. Hoje, que os Direitos Humanos e a Democracia ganharam terreno no Mundo, não deixa de ser especialmente chocante a imagem de atletas e espectadores da Maratona de Boston, a serem atingidos por bombas assassinas, sabe-se lá de quem e porquê.

Correr uma maratona, para profissionais como para amadores, é uma ocasião mágica de superação na vida de um atleta. Para o público, todos são vencedores. Eventos como este são oásis de paz e fazem-nos acreditar na Humanidade. Por muito que pensemos, não conseguimos encontrar explicação para os motivos que levam alguém a cometer tal acto. Sejam quais forem, só pode tratar-se de alguém mentalmente muito doente. 

A coberto do anonimato que a Internet possibilita, também vêm ao de cima os habituais rancores. Apesar de não se saber se foi um louco ou uma organização de loucos, se foi alguém dos EUA ou do exterior, se os atentados tiveram motivações religiosas, políticas ou outras, há quem assegure desde já que foram os próprios EUA que colocaram os engenhos para terem um pretexto para invadir a Venezuela, a Coreia do Norte ou o Irão! Onde estão as provas de tal coisa? É destes ódios construídos sobre suposições e teorias da conspiração que se alimentam os terroristas.

Como há quem se escandalize com o relevo que estes ataques têm na Imprensa, quando todos os dias morrem dezenas, por exemplo, no Iraque. Como se a Imprensa não os divulgasse, e estes não acabassem desgraçadamente por cair na rotina.

Um pouco de decoro não faria mal a esta gente. Quem foi ferido, quem morreu, quem viu familiares e amigos morrerem ou serem feridos, é gente igual a qualquer pessoa do mundo, independentemente dos estúpidos jogos políticos que se jogam.

Depois de tantas outras cidades, chegou a vez de Boston fazer parte das que sofreram ataques terroristas. O triste recorde é de Jerusalém, onde o dia-a-dia é feito de receio de todo o tipo de bombas, homens-bomba e atiradores furtivos. E aí, infelizmente, também já não é notícia. Como os habitantes de Jerusalém, o Presidente Obama também recusa vergar-se ao terror!Que assim seja...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.