quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Tortura em Guantanamo!!!

Este homem está em profunda agonia! Chamem o Público para cobrir mais esta abominável tortura!

Trata-se de Ramzi Binalshibh, um dos acusados pela morte de 2976 pessoas inocentes nos ataques terroristas de 11 de Setembro em Nova Iorque.  

Conta o New York Daily News de 20 de Agosto que o Ramzi foi o único dos cinco acusados que se deu ao trabalho de comparecer na audiência preliminar de terça-feira... mas apenas para acusar os militares de cortarem a quantidade de azeitonas e mel nas suas refeições!

De cabeça perdida, Ramzi gritou raivosamente ao juíz,
coronel do Exército James Pohl, através de um tradutor:

"Há grandes problemas com a comida que foi fornecida!"
    
 
"É uma forma de tortura psicológica!" - rosnou.    
 Após o  seu discurso, Ramsi Binalshibh juntou-se ao auto-proclamado sheikh Khalid Sheikh Mohammed e aos outros três co-réus nas suas celas de Guantánamo.

    
Binalshibh fez a denúncia para justificar porque
não queria participar na sessão da tarde.

    
O capitão da Marinha Robert Durand, um porta-voz da prisão militar dos EUA na Baía de Guantánamo, em Cuba, onde os acusados ​​estão detidos, disse que Ramsi Binalshibh recebeu "uma refeição-padrão halal preparada na hora", mas que "se queixou de que o almoço não incluiu alguns condimentos, como azeitonas e mel ".

   
Ramsi Binalshibh terá financiado os atacantes e ajudado na busca de treino de vôo.

    
Ele deveria ter sido um dos sequestradores suicidas, segundo as ordens de Osama Bin Laden, mas assumiu um papel de apoio depois de lhe ter sido negado um visto para os EUA quatro vezes.

Escusado será salientar a gravidade deste caso das azeitonas e do mel, que constitui mais uma prova evidente de que os Estados Unidos são maus e de que o 11 de Setembro foi um inside job!

E ainda que não tenha sido! Só por assassinar  2976 infiéis, um homem bom e honesto vê-se privado da quantidade adequada de azeitonas e mel!!!



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.