terça-feira, 13 de agosto de 2013

Mahmoud Abbas decide matar os doentes de leucemia em Gaza…



Cultura de morte: Mahmoud Abbas, o segundo a contar da esquerda, saúda um guerrilheiro infantil

Silêncio na União Europeia: Mahmoud Abbas decide matar os doentes de leucemia em Gaza…

Mahmoud Abbas, o bom "amigo" Catherine Ashton e da União Europeia, impede a entrega de medicamentos a Gaza para tratar 36 pacientes com leucemia! Mas ninguém na UE fala disso! os pseudo apoiantes do povo "palestino", sobre isto não falam... Nem se fizeram ouvir em protesto quando "palestinos" foram massacrados na Síria há algumas semanas. A «Palestina» é sobretudo um pretexto para o antissemitismo que reclama a extinção de Israel!

Esta história foi publicada pela primeira vez há um mês pelo Centro Palestino para os Direitos Humanos ... Surpreendentemente (ou não), ninguém, nenhum media, falou do assunto... Tivesse sido um israelita a fazer um xixi fora do penico ou a atravessar fora da passadeira, e já haveria manifestações por este mundo afora...

Assim, como é o Abbas que quer que morra gente para culpar Israel, nem uma mosca se ouve...


"O Centro Palestino para os Direitos Humanos está seriamente preocupado com as condições de vida de 36 pacientes que sofrem de leucemia na Faixa de Gaza, porque não recebem o tratamento de que necessitam há já 8 meses. O Centro está preocupado com as complicações graves que estes pacientes podem ter, o que pode levar à morte se a droga não for enviada imediatamente. O Centro pediu ao presidente Mahmoud Abbas para agir rapidamente para salvar a vida desses pacientes e pediu ao Ministério da Saúde em Ramallah para fornecer a medicação necessária aos pacientes o mais rápido possível.

    O sofrimento dos pacientes com leucemia, que é um grave câncer que afecta as células do sangue, começou em Dezembro de 2012, desde que a droga (Glivec 400 mg) ficou fora de stock.
 Como resultado, os pacientes não receberam o seu tratamento médico. Médicos e funcionários do Hospital Shifa, disseram que a droga é "o único tratamento para pacientes com leucemia" e que "quem não receber pode morrer". De notar que a droga só está disponível através do Ministério da Saúde, em Ramallah, e pode ser encontrada em médicos ou farmácias privadas em Gaza.

    
Como parte das visitas aos doentes, a nossa unidade de assistência jurídica enviou ao Ministério da Saúde, em Ramallah em Abril 16, 2013, uma carta, e explicou que as vidas de pacientes com leucemia na Faixa de Gaza estão em perigo. Além disso, a unidade pede ao Ministro da Saúde para incentivar as autoridades competentes para enviarem imediatamente o medicamento aos pacientes na Faixa de Gaza. Em 30 de Abril de 2013, o Departamento de Farmácia do Ministério da Saúde, em Ramallah, disse que a droga está disponível em Ramallah e que a coordenação foi implementada para a enviar aos pacientes em Gaza. No entanto, a quantidade de Glivec 400 mg que chegou a Gaza em Junho era muito limitada: 210 comprimidos, o suficiente para ajudar os pacientes durante sete meses. No total, Gaza precisaria de pelo menos 1,6 mil comprimidos por mês. Este medicamento é o único que pode salvar essas vidas. "

Israel nunca fez qualquer embargo com medicamentos para Gaza. Mahmoud Abbas, aparentemente, sim.
 
Além disso, um apelo para doações foi feito sábado nas sinagogas, para financiar esses medicamentos para Gaza, e na segunda-feira ou terça-feira seriam entregues, se Abbas autorizasse.

Que pena os media não divulgarem... Que pena que nem a Imprensa anti-israelita Europeia, nem a imprensa árabe divulgarem.  Tenho a certeza de que, através da mobilização, poderiam finalmente ser úteis ...

Eric Petrosino - JSSNews

1 comentário:

  1. http://www.foxnews.com/world/2013/08/13/sinai-missiles-rain-down-on-israeli-city-prompting-fears-new-front/?test=latestnews

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.