sexta-feira, 14 de julho de 2017

Vítimas do ataque terrorista de hoje eram polícias drusos (VÍDEO)

Mais um triste episódio da campanha de terror promovida por Mammoud Abbas, o respeitado terrorista líder da "Autoridade Palestina"; mais de mil ataques contra israelitas - ver   INTIFACADA:


Sargento Chefe Kamil Shnaan (Esq.) e Sargento Chefe Haiel Sitawe (Dir.).

Dois polícias drusos israelitas criticamente feridos num ataque terrorista junto ao Monte do Templo, na manhã desta sexta-feira, sucumbiram aos seus ferimentos.
Foram gravemente feridos perto do Monte do Templo, na Cidade Velha de Jerusalém, hoje de manhã, quando três terroristas abriram fogo perto da entrada do Monte do Templo, aproximadamente às 7 da manhã. Outra vítima ficou levemente ferida.
Médicos do United Hatzalah na cena disseram que uma quarta pessoa foi tratada por choque.
A Polícia disparou e matou os três assaltantes. 
As vítimas assassinadas foram identificadas como Kamil Shnaan, de 22 anos, da vila Drusa de Hurfeish e Haiel Satawa, 30 anos, da vila Drusa de Majar.
O comissário da Polícia de Israel, Roni Alsheich, disse: "Esta foi uma manhã difícil para a Polícia. Temos duas pessoas mortas, agentes que pagaram o preço mais caro nesta batalha".
Sitawe juntou-se à Polícia de Fronteiras como parte do seu serviço nacional obrigatório, em vez de servir nas forças armadas, de acordo com o Times of Israel. Juntou à Polícia de Israel em 2012 e actuou na unidade responsável por garantir a segurança no Monte do Templo, desde então.
Sitawe deixa uma esposa, um filho de três semanas de idade, os pais e três irmãos. 
"Shnaan juntou-se à Polícia logo após o ensino médio. Decidiu ficar na força policial há sete meses, como oficial de carreira".
"Ele era o filho mais novo de um ex-membro do Partido Trabalhista no Knesset, Shachiv Shnaan. A sua festa de noivado com a sua namorada deveria ser realizada na próxima semana", informou o Times.

Deixa pais, um irmão e três irmãs.


Serviços de emergência médica em acção.

"Polícias corajosos impediram um grande desastre"

Numa declaração de condolências às famílias das vítimas, o presidente Reuven Rivlin disse: "O ataque terrorista no Monte do Templo foi interrompido pelos valentes polícias israelitas, que impediram um desastre ainda maior. Não permitiremos que terroristas assassinos profanem o nome de Deus e nos arrastem para uma guerra sangrenta, e trataremos os terroristas com severidade. Temos uma dívida da vida para com os nossos filhos caídos. Os nossos corações estão com as famílias enlutadas durante este momento difícil, e desejamos que os feridos tenham uma rápida recuperação ".
 
O presidente do município de Jerusalém, Nir Barkat, enviou as suas "sinceras condolências às famílias dos dois agentes mortos, em nome de todos os moradores de Jerusalém".

Dois dos terroristas. 

Os três terroristas eram cidadãos israelitas e moradores da cidade de Umm al-Fahm, no distrito de Haifa. Eles foram identificados como Ahmed Mohammed Jabarin, 29 anos; Mohammed Hamed Abed Alatif Jabarin, 19 anos; e Mohamed Ahmed Mafdal Jabarin, 19 anos.
Por: World Israel News

-------------------------------------

A operação policial:

Câmaras de segurança captaram o assassinato:


Hoje, há famílias enlutadas em Israel, há vidas destroçadas, há filhos que perderam o pai, pais que perderam filhos, uma Esposa que perdeu o marido, uma noiva que perdeu o noivo, um país que chora, e com ele todos os que amam Israel.

Tudo em nome de um fanatismo religioso que reivindica o micro-Israel, pelo seu valor simbólico (berço do Judaísmo e do Cristianismo) e de uma opinião pública global trabalhada para odiar Israel.
Que o Eterno acolha  Kamil Shnaan e Haiel Sitawe e providencie consolo às famílias enlutadas.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.