domingo, 30 de julho de 2017

O outro lado de Arafat (o de trás)

Yasser Arafat, o mega-terrorista egípcio, ao contrário de Osama Bin Laden (abatido pelos Estados Unidos), Abu Omar al-Baghdad (abatido pela Rússia), e tantos outros terroristas eliminados pelos Exércitos de todo o Mundo, morreu de SIDA.
Arafat, porque matava judeus, até foi agraciado com o Prémio Nobel da Paz (Hitler merecia outro, coerentemente) e recebido como herói por todo o lado - da ONU ao Vaticano.



Mas se a sua fachada era a de um terrorista sanguinário, impiedoso, demoníaco (leia sobre a recente HISTÓRIA DE ISRAEL ou veja em vídeo se lhe der trabalho ler), as traseiras, a coberto de olhares indiscretos, eram as de um homem extremamente afectuoso:


Depois não venham dizer que não vos arranjamos posts catitas para um domingo de silly-season...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.