sexta-feira, 14 de julho de 2017

Holocausto em Câmara Lenta



 Na sequência de:

Mais dois inocentes foram hoje assassinados. Mais de 1000 ataques contra israelitas desde o início da INTIFACADA.


1. OS IMPÉRIOS COLONIAIS ACUSAM ISRAEL DE... COLONIALISMO!!!

Duas coisas misteriosas e curiosas sobre os odiadores de Israel, que clamam que o país deve ser entregue aos colonos Árabes, que aí aportaram em 1920:
- Entre cristãos e muçulmanos, temos uns 4 BILIÕES de pessoas que têm na Bíblia e no Alcorão a confirmação de que o pequenino Israel pertence aos Judeus. E para os ateus e crentes de outras religiões, temos os 5 mil anos de História contínua de Israel na SUA Terra. E temos o Direito Internacional! 

- A maior acrimónia contra Israel vem de países que colonizaram ou colonizam ainda, que submeteram ou mantêm submissos outros povos (ver Apêndice). 



2 . A EXTINÇÃO DE ISRAEL E DOS JUDEUS, É PEDIR MUITO?...
O ataque terrorista de hoje faz parte da campanha de terror ordenada por Mammoud Abbas, líder da "Autoridade Palestina":



Abbas, que foi o cérebro de operações terroristas como o massacre da delegação de Israel nas Olimpíadas de Munique, é o único líder terrorista que goza de estatuto de Chefe de Estado. Imagine-se o Bin Laden a ser recebido no Vaticano ou na União Europeia, como Abbas é...
O apelo ao genocídio dos judeus é euforicamente secundado pelos clérigos muçulmanos:



Uma cena comum ao longo dos anos - os colonos muçulmanos, que invadiram Israel em 1920, amotinam-se no Monte do Templo, desta vez durante o dia em que os judeus choram a destruição dos dois Templos sagrados há 2.000 anos:





Os muçulmanos atacam os visitantes judeus ao Monte do Templo no dia mais triste do calendário judaico, quando ambos os templos judeus sagrados foram destruídos, o primeiro em 586 AEC e o segundo em 70 AEC.
O mundo ignora a hostilidade muçulmana em relação aos judeus no Monte do Templo, um local que tem significado para as três religiões, mas sobretudo para o Judaísmo.
Porquê? Porque durante 2 mil anos, os judeus, industriosos, disciplinados e inteligentes, geraram anticorpos em todo o Mundo. Eram os bodes expiatórios ideais.
Dantes mandavam-nos regressar a Israel, para junto dos outros judeus, que foram gemendo sob as diversas ocupações estrangeiras. Agora, que os judeus reconquistaram a independência, o Mundo chama-lhes colonizadores e exige que Israel entregue, pedaço a pedaço, o seu minúsculo país.
A Jordânia, a Península do Sinai, Gaza, todos os territórios dados por Israel aos muçulmanos são hoje plataformas para destruição de Israel.



Perda de território israelita: Antigo Reino Judaico, 1920 e hoje.


3. HOLOCAUSTO POR PROCURAÇÃO

    Como é usual quando os terroristas matam israelitas, o fogo de artifício já estala, há alegria entre os colonos muçulmanos de Israel, entre os muçulmanos de todo o Mundo e entre os extrema-esquerdistas.

    Alegria porque morreram israelitas, algum desapontamento porque não eram judeus, e indignação porque os terroristas foram abatidos. Na opinião dos detractores de Israel, sempre que um polícia ou um soldado israelita respondem a um ataque terrorista, são culpados de racismo, apartheid e outras coisas horríveis.

    Para uma opinião pública moldada pelos media pró islâmicos e extrema-esquerdistas, os terroristas que matam israelitas estão no seu pleno direito, porque se tem perpetuado a inacreditável estupidez de que "os judeus invadiram Israel".
Na mesma linha de raciocínio, os portugueses terão invadido Portugal!

 

    Os judeus são POVO NATIVO de Israel! Como os portugueses são o povo nativo de Portugal, apesar de termos sido invadidos por diversas vezes, tal como os Israelitas.
Mas para atacar Israel, qualquer pretexto serve.

Mapa de Israel (a amarelo, quase impossível de ver) cercado de países Árabes/Muçulmanos (a encarnado) que simplesmente não toleram a existência de judeus, e muito menos de Israel, que já existia milénios antes de qualquer país islâmico ter sido criado (sob as cinzas dos povos conquistados e exterminados).






 


 ------------------------------------- 

APÊNDICE 

Jerusalém, Judeia e Samaria são Israel.O território em questão foi conquistado por Israel ao defender-se da coligação de exércitos árabes que atacou o Estado Judaico em 1967 e nunca foi parte de uma entidade "palestina".
Por outro lado, TODOS os países do continente americano são COLONATOS, países erguidos em terras ROUBADAS aos indígenas. A Austrália e a Nova Zelândia também. O Reino Unido e a França mantêm um IMPÉRIO COLONIAL. A Rússia e a China anexam países a seu bel-prazer. TODOS os países árabes foram conquistados em jihad e a sua população exterminada (veja-se por exemplo o Paquistão e todos os países do Norte de África). E são esses COLONOS que querem que o micro-Israel dê ainda mais terra aos TERRORISTAS, para eles fazerem como fizeram em Gaza e usarem o território para mais ataques contra Israel!

    EGIPTO - um país que é árabe porque os árabes o conquistaram no século VII, impondo a sua língua e religião. Cerca de 10% dos residentes são cristãos coptas que estavam no Egipto séculos antes da colonização e que sofrem regularmente perseguições.
    FRANÇA - tem a maior Zona Económica Exclusiva (ZEE - espaço marítimo sobre a qual um Estado costeiro exerce direitos de soberania de exploração e aproveitamento de recursos) no mundo! Com a ocupação dos territórios conquistados em todo o mundo, os "territórios ultramarinos", a França tem um império marítimo real: Guiana, Guadalupe, Martinica, Reunião, Polinésia Francesa, Mayotte, a Nova Caledónia. Os Kanaks de Nova ... Caledónia, ou os nativos da Guiana não estão à espera de ver a França lutar contra a sua colonização das Nações Unidas.
  JAPÃO - deixou de ser expansionista desde que as suas últimas aventuras lhe renderam uma bomba atómica ... Antes disso, o Japão atacou a Coreia, Taiwan e a Manchúria chinesa. Durante a Segunda Guerra Mundial, ocupou grande parte do Sudeste da Ásia: Burma, Tailândia, Malásia, Indochina, Indonésia, Filipinas ... e a Guerra do Pacífico e o ataque em Pearl Harbor, no Havai. O Japão manteve a soberania sobre as ilhas de Ryukyu, conquistadas em 1872, das quais a mais conhecida é Okinawa.
    NOVA ZELÂNDIA - um país povoado por 74% dos europeus que colonizaram o território em detrimento dos indígenas Maori.
    RÚSSIA - colonizou muitos povos na Ásia Central, no Cáucaso, nos países Bálticos e ainda a Sibéria e o Extremo Oriente, que foram anexados ao território daquele que se tornou o maior país do mundo, depois de os seus povos terem sido subjugados pelos russos. Para não mencionar as aventuras recentes na Chechénia, Abkhazia, Ossetia, Crimeia; e, claro, na Síria, cujos povos não têm nada a ver com os russos;  
  ESPANHA - não tem intenção de desistir de suas pequenas colónias africanas de Ceuta e Melilla, restos de um dos maiores impérios coloniais, que contaram a maior parte das Américas;
 REINO UNIDO - cultivando laços com as suas antigas conquistas, agrupadas na Commonwealth, continua a manter o seu próprio império confetti longe de sua costa: em Gibraltar, no Caribe, nas Bermudas, no Oceano Índico ... O Reino Unido lutou contra a Argentina para não perder a posse das Malvinas / Falklands. Como a França, as ilhas oferecem-lhe uma grande zona económica exclusiva, fonte de riqueza;   
 URUGUAI - era povoada pelos índios Charruas antes de os antepassados ​​europeus dos actuais habitantes terem monopolizado o país;   
VENEZUELA - os 26 grupos indígenas representam apenas 2% da população;    
ESTADOS UNIDOS - um país construído por europeus que colonizaram uma terra povoada pelos índios americanos.
Eis então os Estados que condenam a colonização!  Junte-se-lhes ainda Senegal, Angola, Malásia e Ucrânia, cuja formação foi marcada, entre outras coisas, pela presença Francesa, Portuguesa, Britânica e Russa.
E Israel?

    
Apesar do que a ONU diz, é inegável que o povo judeu é indígena de Israel. Jerusalém é o berço do Judaísmo e muitos outros locais históricos atestam a presença milenar judaica em toda a região, independentemente de a linha do Armistício de 1949 da ONU ser usada para impor um Estado árabe palestino na Judeia e Samaria .

    
Os Árabes conquistaram Jerusalém em 637. Se há colonos na região, são eles.

 Está tudo AQUI. Mas de que serve, quando se escolhe o ódio?


Festim de ódio anti-semita no Monte do Templo:

  


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.