domingo, 18 de março de 2018

Alemanha - Merkel ameaça retirar filhos e empregos a quem FALE

ALEMANHA: Angela Merkel ameaça retirar os filhos a quem criticar falsos refugiados muçulmanos ou as políticas muçulmanas de imigração em massa

Qualquer pessoa que publique declarações "xenófobas" ou "islamofóbicas" no Facebook ou participe numa manifestação contra "centros de refugiados muçulmanos" pode perder o direito de contacto com os seus próprios filhos, mesmo que nenhuma infracção criminal tenha sido cometida, de acordo com A Ordem dos Advogados alemã.

AnonymousNews -  À medida que mais e mais pessoas falam e se manifestam contra a recepção e acomodação dos invasores muçulmanos (colocando as necessidades destes à frente das necessidades dos alemães nativos), arriscam ver os próprios filhos serem-lhes retirados, e os seus empregos também.

As crianças devem ser removidas de casas onde há pais xenófobos, por causa dos "valores errados" que lhes são transmitidos. Nem importa se o que os pais estão a fazer não é ilegal ou punível de acordo com a lei.
Qualquer pai que diga a uma criança que prefere viver no bairro sem nenhum refugiados muçulmanos sírios pode transformar a criança numa ameaça contra os refugiados que põem em perigo o bem-estar da criança. É por isso que o ministro da Justiça Federal, Heiko Maas (SPD) concordou em meados de Setembro com as autoridades do Facebook para intervir nas redes sociais, para tomarem medidas contra "slogans desumanos e de direita contra imigrantes" (ver penúltimo vídeo).
Portanto, os pais "de direita" que não concordarem em mudar o seu comportamento "xenófobo", perderão o direito de ver os seus próprios filhos. O ministro Haas está totalmente sob o controle da extrema-esquerda alemã.

http://barenakedislam.com/


COMENTÁRIO

Mais uma gota de água num oceano de  islamização do Ocidente. Esta notícia está aqui apenas porque representa mais um passo em direcção à implantação de um regime islamo-nazi na Europa.
O plano de islamização e substituição populacional da Europa é assumido pela União Europeia (apesar dos avisos de Israel para que não repita os seus erros):


Os políticos europeus estão a atraiçoar os seus povos em nome de uma utopia globalista (ver último vídeo da lista), mas também porque são bem pagos e não se atrevem a contestar a ideologia oficial endossa pala extrema-esquerda intelectualóide.
Para ter uma ideia do que mais vai pelo Merkelistão, visite a nossa secção ALEMANHA.


O Islão é promovido e imposto pela governo alemão. Verifique:
 

Será mentira, será "propaganda", o que lhe mostramos e os jornaleiros lhe escondem? Confira:


 



O que começa na Alemanha, chegará cá (Portugal, Brasil, etc.):




E o que é afinal o globalismo, de que tanto se fala?

4 comentários:


  1. Inadmissível, a quantidade de imigrante que seguem para Alemanha.Esses refugiados econômicos, que não trabalham, vivem sob a tutela do Estado, procedem como terroristas, e os alemães,agindo feitos mentecaptos, continuam votando em Merkel. A extrema-direita,irá consertar o estrago. É o partido para salvar a Alemanha dos caos,inclusive em outros Países Europeus.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns povo alemão por mais uma eleição parcialmente ganha por esta treta de chanceler vinda da ex-RDA, Que pena terem derrubado o muro da vergonha. Esta C... estaria melhor do outro lado do citado muro.

    ResponderEliminar
  3. As feministas e os gays alemãs adoram muçulmanos, depois quando a Sharia se expandir os gays serão caçados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A extrema-esquerda arregimenta grupos de pessoas na chamada sociedade civil, convencendo-as de que são discriminadas e perseguidas.

      Depois, essas pessoas ganham um ódio de morte ao sistema vigente.

      E vêem como aliados os muçulmanos, que combatem o mesmo sistema.

      Só quando tiverem a lâmina fria no pescoço é que vão perceber que os muçulmanos os odeiam.

      OdF

      Eliminar

Os comentários estão desactivados pois o blogue está inactivo. As nossas desculpas por qualquer incómodo.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.