sábado, 1 de dezembro de 2012

Amigo de Israel

Sou português. Gosto de Portugal. Podia não gostar, mas gosto. Não apenas por ser a minha terra natal, mas porque gosto mesmo. E gosto de muitos países. E nunca me fizeram reparos por isso.

Gosto especialmente da Irlanda, da China, do Japão, do Quénia, do México, do Brasil, dos E.U.A., do Canadá, da Tunísia, de S. Tomé e Príncipe, de Cabo-Verde. E nunca me fizeram reparos por isso. Mas quando afirmo gostar de Israel, sou olhado de lado, interpelado com argumentos muitas vezes ofensivos, e até hostilizado.
Por causa dessas e de outras, passei não apenas a gostar de Israel, mas a ser amigo de Israel. E como sou sempre pelos mais fracos e pelos injustiçados, quanto maior é a injustiça contra Israel, mais cresce o meu amor por essa Nação e por esse tão martirizado e tão simpático povo.
Proponho-me explicar, de forma simples e acessível a qualquer pessoa, a razão que assiste a Israel no conflito que mantém o Estado Judaico sob o fogo de várias organizações terroristas e sob o fogo da Imprensa e de grupos de pressão com interesses menos claros.
Se com este blog conquistar um amigo que seja para a causa de Israel, que é a causa da Paz, da Democracia e da Razão, dou-me por satisfeito. Se nem isso conseguir, pelo menos fiz o meu dever.

2 comentários:

  1. Shalom

    Excelente post de abertura. Eu também sou fascinado por esse país - a sua incrível diversidade e a sua fascinante história. Viva Israel!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela força. Que Deus nos permita ainda nesta vida vermos paz no Médio-Oriente. Se lá for possível, no resto do mundo será canja :-)

    I.B.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.