quinta-feira, 7 de março de 2013

MITO 8 - «Os judeus têm escassa ligação histórica com Israel»



Desmontamos os principais mitos sobre Israel, convidando os leitores a confirmarem as nossas afirmações, e a visitarem o site original que resumiu esta problemática, o «Muro da Verdade».

Os judeus viveram continuamente na terra de Israel por mais de 3000 anos, os árabes chegaram através de múltiplas invasões, a partir do século VII. No ano 70, quando a civilização judaica contava mais de 1000 anos, os romanos forçaram a maioria dos judeus da Judéia e Samaria (Cisjordânia agora) ao exílio. Até o final do século XIX, a maioria da população de Jerusalém era judia.



2 comentários:

  1. Pequena lição de História do Médio Oriente para ignorantes ou distraidos…

    Os palestinianos são a população autóctone da Palestina, pelo menos há 4.000 anos. A sua religião maioritária até aos finais do séc. I foi o judaísmo, passando depois a ser o cristianismo (em todo o Médio Oriente e norte de Africa). Houve um fenómeno duplo de conversão religiosa (cristã) e de aculturação (helenística) que se repetiu seis séculos mais tarde, passando então a religião maioritária a ser o islão e a cultura a árabe.

    MAS O POVO É E FOI SEMPRE O MESMO. Só os ignorantes é que desconhecem o fenómeno da aculturação e imaginam que os “árabes” vieram todos de Meca !!! Meca era uma aldeia com umas centenas de beduínos… que não podiam povoar o vastíssimo império árabe do Indo aos Pirinéus. Os povos desses territórios não mudaram. Só que se converteram ao islão e assimilaram a cultura e lingua árabes. Também não foram os cidadãos de Roma que povoaram o também vastíssimo império Romano, mas os autóctones que se romanizaram a adoptaram o latim como lingua…Elementar…

    Mas há mais… É que a maioria (90%) dos judeus de hoje, os askenazis nem sequer são semitas e oriundos, mesmo longinquamente da Palestina !!! Só a minoria sefardita pode invocar esse parentesco longínquo: são semitas, mas magrebis e não palestinianos ou médio orientais (vieram com os árabes para a península em 711 com Tarik, ele próprio ex-judeu convertido ao islão após a conquista árabe do Magrebe, onde antes havia um reino berbere judeu).

    Mas os palestinianos de hoje é que são os descendentes directos dos habitantes da Palestina do tempo de Cristo. O povo é ETNICAMENTE o mesmo. É semita. Só a religião dominante mudou duas vezes em 2.000 anos. E não perdem o parentesco de sangue pelo facto de os seus antepassados se terem convertido sucessivamente ao cristianismo e ao islão. Foram judeus (que é religião e não comunidade étnica) mas já não são. Mas continuam a ser semitas palestinianos. Sempre.

    Os askenazins de pele e olhos claros são descendentes dos turcos khazares do antigo império Khazar, convertido ao judaísmo (séc VII-X) na região do Cáucaso, Ucrânia e Casaquistão (hoje), que foram depois empurrados pelos mongóis para a Polónia e Lituânia, berço dos askenazins medievais e dos quais descendem 90% dos judeus actuais e dos israelitas judeus. Não são semitas e NADA têm a ver com a Palestina. Também os filipinos são católicos e nem por isso têm a ver etnicamente com a terra de Jesus. Elementar…

    Ver, v.g., a obra de Arthur Koestler, judeu askenazin, “a 13ª Tribo” onde tudo está explicado…

    ResponderEliminar
  2. Olá anónimo. A História Criativa, tal como a Escrita Criativa, é fascinante. O seu amigo Adolf praticava essa arte com afinco. O seu amigo terrorista Arafat, por exemplo, disse ao papa João Paulo II que Jesus era um «palestino a lutar contra os judeus». Aguardo o seu próximo comentário em que vai decerto explicar como é que os judeus levam a cabo todos os dias a jihad islâmica mascarados de muçulmanos, e como na realidade Osama Bin laden se chamava John Smith Eleazar e era judeu americano que comia hot-dogs. Ou quiçá como é que o Holocausto nunca existiu e os campos de concentração eram a Fábrica de Chocolate do Charlie. Continue, que a gente gosta, seu brincalhão. Sugestão extra: apresente os seus guiões ao infowars e ao PNR. Eles vão a-do-rar!

    I.B.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.