quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Erotismo




Entre os leitores de E.L. James (a autora do best-seller erótico As Cinquenta Sombras de Grey) estão os presos pelos atentados do 11 de Setembro, actualmente detidos na prisão de Guantánamo, conta o Público. Mais ainda: a seguir ao Alcorão na lista dos mais requisitados na prisão, estão as obras de cariz erótico.

Como explicar este interesse, por parte de pessoas que pertencem a uma cultura e a uma religião que trata as mulheres como acessórios e as priva de quase todos os direitos? Estarão estas pessoas a descobrir algo de novo para elas? Como reagirão os clérigos mais conservadores?

Não nos esqueçamos que aqui no Ocidente, foi a série de Televisão A Jóia da Coroa que acordou a nossa parte do mundo para a realidade do orgasmo feminino. Estávamos no final do século XX.

Um exemplo da visão do papel e estatuto das mulheres no mundo islâmico:
"Os homens são os gestores dos assuntos das mulheres, porque Allah preferiu recompensá-los a eles em detrimento delas, e por isso eles as têm como propriedade. As mulheres justas são, portanto, obedientes, guardando discrição para glória de Allah. E as que assim não se comportarem deverás admoestá-las, bani-las dos seus leitos e bater-lhes". 
(Alcorão 04:34)
Todos os porta-vozes muçulmanos que constantemente nos asseguram que apenas os islamófobos acham que esse versículo realmente significa bater nas Esposas, estão decerto agora a caminho do Egipto, para explicar a Mahmoud Al-Denawy que bater nas Esposa é errado.


"Clérigo egípcio Mahmoud Al-Denawy explica aos muçulmanos europeus como devem bater nas Esposas", de MEMRI, 17 de Junho:

    Seguem-se excertos de uma entrevista com clérigo egípcio Dr. Mahmoud Al-Denawy, que foi ao ar na TV Iqra Europa / África, em 17 de Junho de 2013:

    Mahmoud Al-Denawy: Aqui temos uma questão importante da irmã Hagar, da Noruega. Ela diz: Qual é a visão islâmica sobre o espancamento de esposas? Não-crentes podem usar esse ponto contra o Islão. Que Allah a recompense, irmã.

    De facto, muitas pessoas aproveitam esta questão para atacar o Islão e aos muçulmanos. Eles dizem: O Islão defende o espancamento de esposas. Há tantos ditos e muitos conceitos errados sobre isso, mas eles esquecem de uma coisa importante: Allah diz que, se houver um problema - ou uma mulher, por exemplo, que é desobediente, que tem um mau comportamento, por exemplo - o marido deve fazer o seu melhor para corrigi-la, para corrigir esse problema, antes de tudo, admoestando, deixando a sua cama. Por exemplo, ele não deve dormir com ela. Ele deve dormir em um quarto separado. E, no final ... Allah diz: "Dormir em camas separadas, e bater-lhes".

    A questão das sovas ... Primeiro de tudo, se alguém o faz apenas para admoestar, ou qualquer outra coisa ... Quando se trata de bater, ele nunca deve espancá-la severamente. Ele nunca deve levantar a sua mão. Ele nunca deve bater-lhe no rosto. Mas ele pode usar algo muito simples - como um siwak [vara] ou algo parecido com esta caneta em espessura. A sova não deve quebrar os braços ou os dentes. Ele deve evitar isso, porque o Profeta exortou-nos e disse-nos que quando você bater em alguém, você nunca deve bater-lhe sobre o seu rosto. Isto é porque a face é propriedade de Allah.



Mas não se pense que isto é caso isolado. Um breve busca no youtube por "Islam wife beating" oferece-nos inúmeros documentos como estes, sobre o espancamento e assassínio "legal" de mulheres - de um ponto de vista teórico e religioso, porque em termos de resultados práticos, os resultados são inenarráveis (ataques com ácido na cara, narizes cortados, olhos vazados, assassínios, etc.). Não nos parece viável o multiculturalismo quando o abismo de valores é tão gritante, e a crescente islamização do Mundo Livre não prenuncia nada de bom, nomeadamente para as mulheres.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.