segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Indignação em França



São muitos os convertidos ao Islão que se juntam a grupos jihadistas violentos, mas não vemos nenhuma organização muçulmana na Europa ou na América que tente demovê-los e lhes explique o que é o "verdadeiro Islão" - que, como não se cansam de dizer certos clérigos, não é violento.

Um dentre milhares de exemplos em que não vemos os clérigos muçulmanos tomarem posição contra:

"Irmãos convertidos ao Islão apelam à Jihad em  França" 

in Times of London, 19 de Agosto:
Dois jovens franceses convertidos ao Islão, que se juntaram à guerra santa na Síria, causaram indignação em França ao apelarem à jihad, em vídeo que difundiram na Internet.
No vídeo de 12 minutos, os dois jovens apelam à guerra santa (a jihad) em França, envergando camuflados de combate e brandindo armas automáticas Kalashnikov. Apelam a que o Presidente Hollande faça a França abraçar o Islão e que retire as suas tropas do Mali. Os irmãos são da cidade de Toulouse, a cidade do terrorista assassino Mohamed Merah, inspirado pela Al-Qaeda, e crê-se que estão entre os 270 muçulmanos de França a combater pela jihad na Síria.

A jihad na Síria, apoiada pela União Europeia e pelos Estados Unidos, inclui um dos ingredientes básicos de uma jiahd que se preze: a decapitação de infiéis. Aqui são dois cristãos, um deles sacerdote católico, a serem decapitados sob um coro de Allahu Akhbares entusiásticos:




Nesta reportagem, muçulmanos em França cada vez mais agressivos, culpam os franceses pelos seus problemas:
"Imigrantes muçulmanos cada vez mais agressivos culpam os franceses nativos pelos seus problemas e atacam franceses brancos e franceses judeus. Os imigrantes muçulmanos estão a ficar extremamente agressivos para com a população indígena francesa. Uma  jovem francesa nativa foi recentemente assassinada por jovens muçulmanos.

Um francês de origem árabe escreveu recentemente um livro classificando as agressões dos muçulmanos como racismo anti-brancos. Mas é claro que para os lunáticos socialistas, comunistas, marxistas, liberais, os muçulmanos não podem ser racistas, porque não detêm o Poder... É claro que qualquer pessoa pode ser racista e preconceituosa, sem que tenha necessariamente de estar no Poder; basta que de alguma forma ataque deliberadamente outras pessoas por motivos relacionados com a sua raça ou etnia.

Paris e outras cidades de França estão transformadas em zonas de guerra desde que os muçulmanos se tornaram vincadamente mais agressivos contra a população nativa original francesa. Os liberais e os socialistas fecham os olhos, enquanto a situação se deteriora e ameaça sair do controlo."

 Texto do vídeo de Ground Zero Mosque

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.