terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Escola Islâmica em Inglaterra ensina os alunos a MATAR OS INFIÉIS


 Portões de Viena

Um canal do YouTube que explica o que é o Islão.

É isto que muitas crianças muçulmanas aprendem nas suas "escolas", aqui mesmo, na Europa. Em Portugal há pelo menos uma escola islâmica.
Se isto não chega para fazer ACORDAR as pessoas...

No Reino Unido (e em outros países europeus), além das escolas islâmicas, os muçulmanos tentam controlar o Ensino:

Inglaterra: perseguição aos professores "infiéis"

Reino Unido: O Medo nas Escolas

Islamistas confiscam ovos de Páscoa

Etc....

 

Os muçulmanos procuram apoderar-se das direcções das escolas europeias para as converterem em escolas islâmicas.

A Islamização da Europa e do Mundo

  1. Tu deves crucificar e amputar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
  2. Tu deves matar os não-muçulmanos para garantir receber as 72 virgens no céu. Alcorão 9: 111
  3. Tu deves matar quem deixar o Islão. Alcorão 2: 217, 4:89
  4. Tu deves decapitar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
  5. Tu deves matar e morrer por Alá. Alcorão 9: 5
  6. Tu deves aterrorizar os não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 8:60
  7. Tu deves roubar e furtar os não-muçulmanos. Alcorão Capítulo 8 (Saque / Espólios de Guerra)
  8. Tu deves mentir para fortalecer o Islão. Alcorão 3:28, 16: 106
  9. Tu deves lutar contra os não-muçulmanos, mesmo que não queiras. Alcorão 2: 216
  10. Tu NÃO deves tomar os não-muçulmanos como amigos. Alcorão 05:51
  11. Tu deves chamar os não-muçulmanos de porcos e macacos. Alcorão 5:60, 7: 166, 16: 106
  12. Tu deves tratar os não-muçulmanos como as criaturas mais vis, que não merecem misericórdia. Alcorão 98: 6
  13. Tu deves tratar os não-muçulmanos como inimigos jurados. Alcorão 4: 101
  14. Tu deves matar os não-muçulmanos por não se converterem ao Islão. Alcorão 09:29
  15. Tu deves extorquir não-muçulmanos para manter o Islão forte. Alcorão 09:29. 


O TERRORISMO GLOBAL (ALGUNS SITES):

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Muçulmano cospe em bebé: "Os brancos não devem reproduzir-se"

Inglaterra - Rezzas Abdulla cospe num bebé e diz à sua mãe: "Os brancos não devem reproduzir-se".

O veredicto: não haverá pena de prisão, apenas uma sentença de oito meses em uma instituição mental.
Este indivíduo, Rezzas Abdulla, cuspiu na cara de uma bebé de nove meses antes de gritar "AS PESSOAS BRANCAS NÃO DEVEM REPRODUZIR-SE!" para a sua mãe horrorizada.

Rezzas Abdulla deixou Layla John coberta de cuspo, no seu carrinho de bebé, após o ataque chocante.
A mãe, Rebecca Telford, 25 anos, caminhava com a bebé em South Shields, quando foram subitamente confrontadas com este homem de 33 anos.

"Acho que ele cuspiu na minha bebé só porque somos brancos. Eu sou uma mulher solteira e um alvo fácil".

Abdulla já foi duas vezes condenado por ataques de ódio racial contra as mulheres brancas.
Fonte  via EUROPE-ISRAEL
http://www.europe-israel.org/

-------------------------------------

TOME ATENÇÃO (E OUÇA A VOZ DA RAZÃO):

1 -  Este caso não é uma raridade. É apenas um dentre milhares, que ocorrem todos os dias, onde quer que haja muçulmanos, pois o Islão é racista e supremacista, pratica a escravatura e o direito de vida e de morte sobre os "infiéis".
2 - O Islão usa - como sempre usou - a Guerra Demográfica- no seu programa de conquista do Mundo, para o estabelecimento do Califado Global:

Imã de Jerusalém apela à jihad sexual na Europa



Via Daily Mail:
O Imã da mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém incitou os imigrantes muçulmanos a fazerem filhos às mulheres europeias, de modo a conquistar os respectivos países, e prometeu:
"Vamos esmagar-vos sob os nossos pés, se Alá quiser".

    O Sheikh Muhammad Ayed fez o discurso na
mesquita Al-Aqsa, em Jerusalém.


     Disse que os americanos, italianos, alemães e franceses são obrigados a aceitar refugiados.


 Disse muçulmanos para usarem a crise dos "migrantes" para se cruzarem com as mulheres europeias e "conquistarem os seus países".

3 - A pena ridícula aplicada a este indivíduo (reincidente) resulta do facto de que a mentalidade dominante, de Esquerda, só admite a existência de brancos racistas; os não-brancos são todos inerentemente perfeitos, e, quando erram, nunca têm culpa. Sobretudo de forem muçulmanos. O terrorismo, o racismo, a violência, são sempre "doença mental" ou culpa do Capitalismo.
4 - Para a ideologia oficial, as pessoas brancas devem ser extintas:
Se tivesse pedido genocídio dos Negros ou dos Amarelos, estaria preso. Assim, é aplaudido.

Hitler procurou extinguir os judeus, os ciganos, os eslavos, e outros indesejáveis. Este parasita (um de muitos como ele, que querem o mesmo) que pede a extinção dos Brancos, é pago para conspurcar o cérebro dos alunos, para formar dementes como ele.

5 - Os líderes políticos europeus assumem abertamente que a Europa está "demasiado branca" e os académicos vão mais longe, e , com a sua impunidade legal, advogam o extermínio das pessoas branca. Um exemplo:

O grave problema da endogamia europeia


Tão grande tem sido a obstinação da Alemanha em escancarar ainda mais as portas à islamização da Europa, que o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, até disse numa entrevista que "a imigração em massa é uma coisa boa, porque de outra forma, a endogamia poderia fazer a degenerar a raça alemã".

O Papa Francisco - que até compara a o ISIS a Jesus Cristo -  também já exortou os muçulmanos a virem para a Europa fabricar criancinhas com as mulheres europeias.

6 - Os líderes políticos europeus estão apostados em islamizar a Europa. Sabem que isso significa a aniquilação dos europeus, mas estão confortáveis com isso.

ISRAEL AVISA: Centenas de terroristas muçulmanos planeiam atacar a Europa



Os europeus estão a ser retirados à força de suas casas para alojar os invasores, como pode ver por exemplo neste post:

Um novo Hitler está na Europa - os Governos devem cair!

Para nos salvarmos do terrorismo, do racismo e do supremacismo islâmico, precisamos de muitos Trump aqui na Europa:

Trump ou a Vitória da Classe Trabalhadora

 

E AGORA, A VOZ DA RAZÃO:



Um cidadão anónimo, do povo, tem a clareza que falta às elites pensadeiras. Ele está a fazer a sua América grande de novo. Vamos fazer o mesmo na nossa Europa, com o Brasil, com a Índia, com a Austrália, com o mundo colonizado pelo Islão!

Guterres e ONU homenageiam apoiante de ditaduras e do terrorismo islâmico

Mais um exemplo de como a ONU está completamente ao serviço das ditaduras comunistas e islamistas. Mais um odiador confesso do Mundo Livre, apoiante de terroristas islâmicos e de tiranos comunistas, mais um anti-semita, vai ser homenageado, com a bênção de António Guterres, que, pela sua conhecida mansidão, foi uma escolha acertada por parte das forças sombrias que dominam a ONU.
A folha de serviços do senhor Jean Ziegler, de que hoje vos falamos, um "intelectual de esquerda" coerentemente incensado pelos media, pelos académicos e por boa parte da classe política, revela um perfil familiar - o daqueles que se acham “o primeiro escalão da espécie humana”:
 
"TODO O COMUNISTA, SEM EXCEPÇÃO, É CÚMPLICE DE GENOCÍDIO, É UM CRIMINOSO, UM CELERADO, TANTO MAIS DESPROVIDO DE CONSCIÊNCIA MORAL QUANTO MAIS IMBUÍDO DA ILUSÃO SATÂNICA DA SUA PRÓPRIA SANTIDADE."
Olavo de Carvalho




ONU vai homenagear o apoiante do Hezbollah Jean Ziegler  

Fundador do "Prémio de Direitos Humanos Kadafi"...


  Jean Ziegler defende o "o ódio ao Ocidente".


Carta enviada hoje pelo Director Executivo da Un Watch, Hillel Neuer, à Embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley:

Fevereiro 26, 2017

Cara Embaixadora Haley,


Estamos alarmados, porque o secretário-geral da ONU, António Guterres, vai amanhã abrir a sessão do Conselho de Direitos Humanos honrando o membro consultivo Jean Ziegler - um notório ideólogo anti-americano, que acusou os EUA de cometerem "genocídio" em Cuba, que apoia o grupo terrorista Hezbollah, e é co-fundador e vencedor do Prémio de Direitos Humanos Muammar Kadafi - como um dos seus porta-vozes de alto nível.

 
Além disso, o Sr. Eric Tistounet, chefe do Conselho de Direitos Humanos do Alto Comissariado para os Direitos Humanos (ACDH) da ONU, falará com o Sr. Ziegler em Genebra, na apresentação do filme "Jean Ziegler: O Optimismo da Vontade", uma operação de publicidade que exalta Ziegler como um grande "intelectual".


Vimos solicitar que condene esta celebração obscena da ONU, deste apologista de ditadores brutais e de terroristas. Os Estados Unidos doam cerca de 40 milhões de dólares à OHCHR em orçamento regular e fundos voluntários, e ainda assim parece que este gabinete pretende insultar os EUA, honrando uma figura líder anti-americana.

Ziegler e mais um que venera o psicopata assassino "Che" Guevara. Uma espécie de Boaventura Sousa Santos suíço...


Ambos os eventos são apoiados pela ONU para obscurecer o histórico vergonhoso do Sr. Ziegler, que inclui:
    - Em 2006, o Sr. Ziegler disse: "Recuso-me a descrever o Hezbollah como uma organização terrorista. É um movimento nacional de resistência".

    - Ziegler actuou durante décadas como propagandista dos piores ditadores do mundo, incluindo Muammar Kadafi, Fidel Castro, Hugo Chàvez e Robert Mugabe, como documentado num ensaio de 2008.


    - Em 1989, quando terroristas líbios explodiram o avião Lockerbie do voo 103 da Pan Am sobre a Escócia, o Sr. Ziegler foi à Líbia para co-fundar o "Prémio Muamar Kadafi de Direitos Humanos". E anunciou-o ao mundo. Tudo isso está totalmente documentado no nosso relatório de 2006, confirmado pelo Neue Zürcher Zeitung.

  - Sob a supervisão do Sr. Ziegler, o prémio foi atribuído aos ditadores anti-ocidentais Fidel Castro e Hugo Chávez, e a anti-semitas como Louis Farrakhan e o primeiro-ministro malaio Mahathir Muhammad.

    - Em 2002, o próprio Sr. Ziegler recebeu o Prémio Kadafi, juntamente com o negacionista do Holocausto Roger Garaudy, que Ziegler já havia elogiado como um "pensador líder do nosso tempo".
- Surpreendentemente, quando confrontado em 2006, o Sr. Ziegler negou completamente qualquer envolvimento com o Prémio Kadafi. Mentiu descaradamente em repetidas ocasiões ao longo de sete anos, até que, em 2013, apareceram as provas em vídeo de Ziegler a receber o prémio.
Se não tivessem aparecido os vídeos, o senhor Zitler continuaria a negar que fundou e se agraciou a si mesmo com o "Prémio Kadafi para os Direitos Humanos" (!!!). Tudo isto faz lembrar o regime norte-coreano (que ele, aliás, apoia):
  - Ziegler nunca foi confrontado pelos estimados 100.000 dólares em dinheiro do prémio, o que viola as regras de ética da ONU.

   - Em 1986, o Sr. Ziegler serviu como assessor ditador etíope coronel Mengistu, que aboliu a Constituição instituindo regime de partido único.


   - Em 2002, o Sr. Ziegler exaltou o ditador do Zimbabué, Robert Mugabe, dizendo: "Mugabe tem uma história de moralidade a seu favor".



   - Segundo o Le Monde, o Sr. Ziegler fez visitas amigáveis ​​a Saddam Hussein no Iraque, e a Kim Il-Sung na Coreia do Norte.

   - Ziegler era um defensor veemente de ditador cubano Fidel Castro, cujo regime o Sr. Ziegler saudou durante uma visita oficial da ONU, na qual recusou atender os dissidentes cubanos.


   - Ziegler louvou Hugo Chàvez, da Venezuela, absurdamente dizendo que "ele acabou com a fome"; os venezuelanos estão agora a morrer de fome. Em troca, Chàvez indicou Ziegler para um posto na ONU em 2004. Ziegler tem um pacto semelhante com o regime de Maduro.

Os esquerdopatas (de barriguinha cheia!) conseguem ver bem-estar num país em que se morre de fome. Os óculos da ideologia...

Razões mais que suficientes para que o Sr. Ziegler tenha sido condenado:

   - A Embaixadora dos Estados Unidos Samantha Power declarou em 2013 que o Sr. Ziegler foi "impróprio" ao serviço da UNHRC.

   - Setenta membros do Congresso dos EUA enviaram uma carta à ONU em 2005 citando o Sr. Ziegler por anti-semitismo, e instando à sua remoção.


   - Ziegler foi nomeado como criminoso por membros do Congresso dos EUA na secção 501 (10) da proposta de lei sobre a Transparência nas Nações Unidas.


   - Ziegler foi condenado em 2005 pelo secretário-geral da ONU Kofi Annan e pela Alta Comissária dos Direitos Louise Arbour pelas suas considerações comparando israelitas com guardas de "campos de concentração". As suas referências a Israel foram, nas palavras de Arbour, "evocativas da Alemanha nazi" e "inflamatórias".
 - Quando o Sr. Ziegler serviu como Relator Especial da ONU sobre o Direito à Alimentação, o Director James T. Morris enviou cartas urgentes ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan, avisando que Ziegler se tinha envolvido em actividades "profundamente imorais" e políticas "inflamatórias" que põem em perigo as vidas de milhões de pessoas famintas em todo o mundo.
(O senhor Ziegler é venerado como um deus, porque, quando estava neste cargo disse que "uma criança que morre de fome é uma criança assassinada". A frase é correcta, mas ele é cúmplice desses assassínios).

    - A
Comissão dos Assuntos Externos do Parlamento Suíço opôs-se à nomeação de Ziegler em 2013, dizendo que era "imprópria".   
O senhor Ziegler, de turbante e metralhadora, no deserto... Os "intelectuais de esquerda", sempre sensíveis ao sortilégio do terrorismo.

Da mesma forma, o Sr. Ziegler tem sido condenado por numerosos grupos da sociedade civil:

    
Um grupo de 45 ONGs condenou Jean Ziegler em 2011 pelo seu papel como propagandista de Kadafi, e pediram uma investigação.

   
- Em 2006, uma coligação de 20 activistas de direitos humanos condenaram a nomeação de Jean Ziegler para a reeleição.

    -
Ziegler tem sido repetidamente condenado por organismos de combate ao anti-semitismo, incluindo a Liga Anti-Difamação, o American Jewish Committee e o B'nai B'rith International.
Embaixadora Haley, a senhora tem falado firmemente contra os abusos que se passam na ONU e que traem os seus próprios princípios fundamentos.
Os 17 anos de carreira do Sr. Ziegler como um "expert" do Conselho de Direitos Humanos da ONU têm sido dedicados a apoiar tiranos e terroristas, e encarnam os valores degradados de uma determinada cultura política.
Assim, nós pedimos-lhe para intervir contra a elevação do Sr. Ziegler pelo Conselho de Direitos Humanos com a cumplicidade do Alto Comissariado.
Atenciosamente,
Hillel Neuer, Director executivo
Cc: Secretário-Geral U.N António Guterres
      Alto Comissário para os Direitos Humanos Zeid Ra'ad Al Hussein

domingo, 26 de fevereiro de 2017

HOLOCAUSTO DOS CRISTÃOS - Mais um vídeo que será removido


  1. Tu deves crucificar e amputar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
  2. Tu deves matar os não-muçulmanos para garantir receber as 72 virgens no céu. Alcorão 9: 111
  3. Tu deves matar quem deixar o Islão. Alcorão 2: 217, 4:89
  4. Tu deves decapitar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
  5. Tu deves matar e morrer por Alá. Alcorão 9: 5
  6. Tu deves aterrorizar os não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 8:60
  7. Tu deves roubar e furtar os não-muçulmanos. Alcorão Capítulo 8 (Saque / Espólios de Guerra)
  8. Tu deves mentir para fortalecer o Islão. Alcorão 3:28, 16: 106
  9. Tu deves lutar contra os não-muçulmanos, mesmo que não queiras. Alcorão 2: 216
  10. Tu NÃO deves tomar os não-muçulmanos como amigos. Alcorão 05:51
  11. Tu deves chamar os não-muçulmanos de porcos e macacos. Alcorão 5:60, 7: 166, 16: 106
  12. Tu deves tratar os não-muçulmanos como as criaturas mais vis, que não merecem misericórdia. Alcorão 98: 6
  13. Tu deves tratar os não-muçulmanos como inimigos jurados. Alcorão 4: 101
  14. Tu deves matar os não-muçulmanos por não se converterem ao Islão. Alcorão 09:29
  15. Tu deves extorquir não-muçulmanos para manter o Islão forte. Alcorão 09:29.


O nosso blogue está no radar dos islamofascistas do YouTube/Google e seus comparsas. Os media tradicionais já são controlados pela extrema-esquerda e seus aliados islamistas; agora a guerra é sufocar a Internet. Qualquer vídeo que mostre a realidade do Islão e que nós aqui postemos, é imediatamente deitado abaixo.
No post anterior, mais uma vez, tivemos vídeos eliminados:

Trump salva CRISTÃOS: daí tanto ÓDIO


O que se passa é da maior gravidade. Os cristãos estão a ser exterminados; há até matadouros de tipo industrial.
Os jornalistas e os políticos escondem a realidade e condicionam as massas a ignorarem esta catástrofe global, e a aceitarem a breve prazo o mesmo destino.
Por exemplo, o vídeo seguinte, que mostra a decapitação de cristãos por muçulmanos, em praça pública, para deleite da multidão, vai decerto ser retirado em menos de 24 horas.
Mesmo o Live Leak (que evitamos, por razões que explicaremos mais tarde) já tem censura.
Como este vídeo há muitos no YouTube, de  cristãos executados por não renegarem a sua fé em favor do islamismo, mas postá-los aqui significa que serão de imediato CENSURADOS, e menos gente os verá.
1 cristão (fora outros "infiéis") executado a cada 5 minutos, não é suficiente para ACORDAR a opinião pública do torpor em que os jornalistas e os políticos a mantêm. É triste. 


Três sites (entre muitos) especialmente focados em dar testemunho do HOLOCAUSTO DOS CRISTÃOS:

ECOANDO A VOZ DOS MÁRTIRES

RAYMOND IBRAHIM

SALVEM OS CRISTÃOS


A opinião pública ocidental está muito mais interessada em justificar o terrorismo islâmico do que em evitar este Holocausto, que, a este ritmo, suplantará o dos judeus às mãos dos nazis e dos comunistas.
Na medida das nossas escassas possibilidades, vamos dando conta dos massacres de cristãos na Nigéria, no Egipto, no Iraque, na Síria, no Paquistão, na Indonésia. Cristãos, budistas, judeus, yazidis, muçulmanos moderados, curdos, todas as vidas inocentes que o terrorismo islâmico ceifa. Mas enquanto os media tradicionais não falarem do assunto, é como se não existisse "mesmo".

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Trump salva CRISTÃOS: daí tanto ÓDIO



Os anti-Trumpistas estão indignados, porque a sua eleição veio interromper a islamização dos Estados Unidos e do Ocidente, e o seu regresso aos valores judaico-cristãos.  Se não leu, não perca o nosso post:
MATAR CRISTÃOS - o objectivo dos amigos dos "refugiados"
Estão indignados, sobretudo, porque Trump está a ajudar os cristãos, que são assassinados à media de 1 a cada 5 minutos, perante a sua total indiferença - ou alegria:
Décadas de doutrinação anti-cristã criaram no Ocidente um ódio irracional ao Cristianismo. Obama era amado por esta gente porque era muçulmano. Trump é odiado porque é cristão.
A todos os descontentes do Ocidente, a máquina de propaganda da Esquerda "explicou" que a causa males do Mundo é a "tradição judaico-cristã" e o Capitalismo, que a salvação é o Comunismo, e que todas as culturas não judaico-cristãs são perfeitas.



Um artigo de Raymond Ibrahim:



TRUMP AJUDA OS CRISTÃOS PERSEGUIDOS E PROTEGE A AMÉRICA AO MESMO TEMPO

O verdadeiro altruísmo também beneficia quem o pratica.

Durante uma entrevista recente à CBN, o presidente Trump foi questionado sobre se pensa que os Estados Unidos devem dar prioridade aos cristãos perseguidos como refugiados. E respondeu:

Sim. Sim, eles foram horrivelmente tratados. Se você fosse um cristão na Síria era impossível, ou pelo menos muito, muito difícil, entrar nos Estados Unidos. Se você fosse um muçulmano, você poderia entrar, mas se você fosse um cristão, era quase impossível e isso era tão injusto - todos eram perseguidos, é verdade - mas eles cortam as cabeças aos cristãos. E eu penso que isso é muito, muito injusto. Então, vamos ajudá-los.

Esta é uma resposta muito diferente daquela dada por BarackHussein Obama em Novembro de 2015. O então presidente atacou a ideia de dar preferência aos refugiados cristãos, descrevendo-a como "vergonhosa": "Isso não é americano. Nós não somos assim. Não temos testes religiosos para a nossa compaixão", acrescentou Obama.
Enquanto Obama fazia tais exortações moralistas, o seu governo discriminava silenciosamente os cristãos do Médio Oriente de uma miríade de maneiras - incluindo, como Trump apontou, aceitar os refugiados muçulmanos e recusar os cristãos. Apesar do próprio governo dos EUA reconhecer que o ISIS estava a cometer genocídio contra os cristãos na Síria - e não contra outros muçulmanos sunitas - o governo Obama deixou entrar 5.435muçulmanos,quase todos sunitas, mas apenas 28 cristãos. Considerando que os cristãos são 10 por cento da população da Síria, para estarem em uma relação de igualdade com os muçulmanos que entram na América, pelo menos 500 cristãos devem ter recebido asilo, e não 28.

 Obama nunca escondeu o seu amor aos jihadistas e o seu ódio aos cristãos:



Obama Insiste que o Massacre de Cristãos Não é Genocídio


Mas, para além de questões de equidade, a ideia de priorizar os refugiados cristãos sobre os muçulmanos (que eu defendi em 2015) não é apenas mais humana; traz benefícios para a América também. 


Consideremos os factos:

Ao contrário dos muçulmanos, as minorias cristãs estão a ser escolhidas e perseguidas simplesmente por causa da sua identidade religiosa desprezada. Do ponto de vista humanitário - e o humanitarismo é a razão citada para aceitarmos milhões de refugiados - os cristãos devem receber a máxima prioridade simplesmente porque são o grupo mais perseguido no Médio Oriente.
Mesmo antes de o Estado Islâmico ser formado, os cristãos eram e continuam a ser alvo dos muçulmanos - muçulmanos individuais, turbas de muçulmanos, regimes muçulmanos, países muçulmanos de todas as raças (árabes, africanas, asiáticas) - e pela mesma razão: os cristãos são o Infiel número um (veja "Crucificado de Novo: Expondo a Nova Guerra do Islão contra os Cristãos", onde documento centenas de casos de perseguição ocorridos antes do surgimento do ISIS, assim como as doutrinas muçulmanas que criam tal ódio e desprezo pelos cristãos). 
Por outro lado, os refugiados muçulmanos - muitos deles membros do ISIS e outros simpatizantes jihadistas que se apresentam como "refugiados" - não fogem da perseguição religiosa (como mencionado, 99% dos refugiados muçulmanos aceites nos EUA são, como o próprio ISIS, sunitas); fogem do caos provocado pelos ensinamentos violentos e supremacistas da sua própria religião. Por isso, quando um grande número de muçulmanos entra em nações ocidentais - na Alemanha, Suécia, França, no Reino Unido - a tensão, os crimes, as violações e o terrorismo disparam. 

O jihadista Obama apoiou activamente o regime terrorista da Irmandade Muçulmana no Egipto, que perseguiu os cristãos, como documentámos neste blogue. Este é dos poucos vídeos ainda não censurados pelos islamofascistas do YouTube:
De facto, que mais provas são necessárias de que os chamados "refugiados" muçulmanos atiram os cristãos ao mar durante as suas viagens de barco pelo Mediterrâneo até à Europa? Ou que a maioria dos centros de refugiados muçulmanos na Europa são essencialmente microcosmos das nações de maioria muçulmana: lá, as minorias cristãs continuam a ser perseguidas. 

Uma pesquisa apurou que 88% dos 231 refugiados cristãos entrevistados na Alemanha sofreram perseguição religiosa, insultos, ameaças de morte e agressões sexuais. Alguns foram pressionados a converter-se ao islamismo. "Realmente não sabia que, depois de vir para a Alemanha, seria assediado por causa da minha fé, da mesma forma que no Irão", disse um refugiado cristão.   

Perseguir as minorias religiosas é um comportamento próprio de pessoas que precisam de estatuto de refugiado na América? Ou este comportamento é mais um lembrete de que não são os muçulmanos do Médio Oriente que estão verdadeiramente necessitados de asilo?


Quando Obama era o herói libertador da Síria: O senador John McCain encontra-se com "rebeldes sírios", muitos dos quais não são sírios, e um dos quais é um conhecido sequestrador (à esquerda-Muhammad Nour).

Os EUA devem dar prioridade aos refugiados cristãos porqueas políticas externas dos EUA são directamente responsáveis ​​por exacerbar a sua perseguição. Os cristãos não fugiram da Síria de Bashar Assad, do Iraque de Saddam Hussein ou da Líbia de Muamar Kadhafi. A sua perseguição sistemática - o genocídio - começou somente depois de os Estados Unidos terem interferido nessas nações sob o pretexto da "democracia".
  
Tudo o que eles fizeram foi libertar as forças jihadistas que os ditadores tinham suprimido há muito tempo. Agora, o Estado Islâmico está profundamente enraizado nas três nações, escravizando, estuprando e matando incontáveis ​​infiéis cristãos e outras minorias.  

Já que as políticas dos EUA foram responsáveis ​​pelo desencadear da jihad plena contra os cristãos, o menos humanitário que os Estados Unidos poderiam ter feito era dar prioridade aos cristãos como refugiados? De facto, e como Trump apontou, deu-se o oposto: De acordo com um relatório de 1 de Maio a 23 de Maio de 2016, 499 refugiados sírios foram recebidos nos Estados Unidos. 99 por cento eram sunitas (a mesma seita a que pertence o ISIS e que não é perseguida pelos terroristas).  

Mas há também benefícios em aceitar cristãos do Oriente Médio em vez de muçulmanos. Os cristãos são facilmente assimilados nos países ocidentais, devido à herança cristã e perspectivas comuns, e tornam-se regularmente membros produtivos da sociedade.
Os muçulmanos seguem um plano completamente diferente, a lei islâmica ou a Sharia - que exige uma constante hostilidade (jihad) contra todos os não-muçulmanos e defende práticas claramente incompatíveis com as ocidentais (subjugação feminina, escravidão sexual, pena de morte por blasfémia e apostasia, etc).
Por isso, não é nenhuma surpresa que muitos muçulmanos que buscam asilo sejam anti-ocidentais de coração - ou, como disse recentemente o chefe da união policial alemã, os imigrantes muçulmanos "desprezam o nosso país e riam da nossajustiça".


 Os media ESCONDEM o HOLOCAUSTO DOS CRISTÃOS:


Os cristãos do Oriente Médio também trazem uma linguagem confiável e aptidões culturais. Eles compreendem a mentalidade do Médio Oriente  - incluindo a mentalidade islâmica - e podem ajudar os EUA a compreendê-la. Além disso, ao contrário dos muçulmanos, os cristãos não têm problemas de "lealdade conflituosa": a lei islâmica proíbe os muçulmanos de fazer amizade ou ajudar os "infiéis" contra os muçulmanos (clique aqui para ver algumas das traições a que essa lei tem levado nos EUA e aqui para ver as traições que os cristãos têm sofrido da parte dos seus vizinhos muçulmanos e "amigos" de longa data ). Nenhuma ameaça existe por parte dos cristãos do Médio Oriente. Eles também dão a Deus o que é de Deus e a César o que é de César.

Por fim, é evidente que os cristãos do Médio  Oriente não têm lealdade às ideologias islâmicas que fizeram das suas vidas um inferno - as ideologias islâmicas, que também são responsáveis ​​pelo terror jihadista na América. Assim, temos uma vitória: os cristãos dos Estados Unidos e do Médio Oriente complementam-se mutuamente, ainda que apenas compartilhem o mesmo inimigo.

Todas as razões acima - desde oferecer ajuda humanitária às verdadeiras vítimas de perseguição e genocídio, até dar preferência aos que garantem harmonia e até benefícios aos Estados Unidos - são inatacáveis ​​na sua lógica.

O Presidente Trump entende isso - mesmo que a maioria dos liberais e dos media mentirosos não o façam.

- Publicado em FrontPage Mag por Raymond Ibrahim 
- Raymond Ibrahim é um cristão norte-americano de origem egípcia, cujo site - RAYMOND IBRAHIM - aconselhamos vivamente.



Apesar do Holocausto dos Cristãos, este Papa comunista afirma que "não existe terrorismo islâmico".



Muhammad ibn Jarir at-Tabari: 
"Se vocês [os muçulmanos] estão sob a autoridade dos não-muçulmanos, temendo por vós mesmos, comportai-vos fielmente com a vossa língua enquanto abrigais uma animosidade interior por eles ... [sabeis que] Alá proibiu os crentes de serem amigáveis ou em termos íntimos com os infiéis, em vez de outros crentes - excepto quando os infiéis estão acima deles [na autoridade]. Se assim for, deveis agir de forma amigável em relação a eles, preservando a vossa religião". [1]
O companheiro íntimo de Maomé, Abu Darda, resumiu as coisas assim: 
"Sorrimos na cara deles enquanto os nossos corações os amaldiçoam". [2]

[1] Abu Ja’far Muhammad at-Tabari, Jami’ al-Bayan ‘an ta’wil ayi’l-Qur’an al-Ma’ruf: Tafsir at-Tabari (Beirut: Dar Ihya’ at-Turath al-Arabi, 2001), vol. 3, p. 267.
[2] ‘Imad ad-Din Isma’il Ibn Kathir, Tafsir al-Qur’an al-Karim (Beirut: Dar al-Kutub al-Ilmiya, 2001), vol. 1, p. 350.
Islão: os amigos de ontem são os decapitadores de hoje: 

P.S. - Obviamente que o vídeo, que mostrava um muçulmano a decapitar um cristão, foi retirado pelos censores islamofascistas do YouTube. Assim, como deixou de estar visível, os muçulmanos e seus aliados de extrema-esquerda e extrema-direita neo-nazi, podem argumentar que nunca aconteceu. Esta gente re-escreve a História. A primeira determinação dos muçulmanos quando tomam conta de um país, depois de chacinarem a sua população (como fizeram no Norte de África, Médio Oriente, Ásia, etc.) é apagar a História.