quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O Hezbollah e o Tráfico de Drogas

Este post tem dedicatória: é para um grande amigo meu, que tem uma genuína (e mui louvável) preocupação com a toxicodependência e o assalto que os narcotraficantes fazem à juventude de todo o mundo; mas que ficou muito chocado por lhe parecer que eu não gosto do "Ésbula"...

Tem paciência, Zé. Eu realmente não gosto muito do "Ésbula"... Não é nada de pessoal.



Como o Hezbollah financia o terror: Drogas ilícitas e Lavagem de Dinheiro

Publicado em 26 de Junho de 2013 no blog das Forças de Defesa de Israel

Para marcar o Dia Internacional Contra o Abuso e o Tráfico de Drogas deste ano, o Blog das IDF examina como o Hezbollah apoia muitas das suas actividades terroristas - por meio de venda de drogas ilícitas em todo o mundo.

Hoje, a ONU marca o Dia Internacional Contra o Abuso e o Tráfico de Drogas. O dia é muito mais do que a prevenção da toxicodependência. Ele também destaca uma preocupação internacional urgente - as organizações de venda de drogas em todo o mundo.

O Hezbollah - o grupo terrorista que quer destruir Israel - é um dessas organizações. O grupo financia o seu terrorismo usando uma operação de tráfico de drogas muito sofisticada. Apesar das objecções do mundo, o Hezbollah continua a lucrar com as suas vendas de drogas. Parar o seu tráfico de drogas pode ser um passo importante para prevenir os seus actos globais de terror.

O Hezbollah tira principalmente os seus lucros da venda de drogas na América Latina, mas as suas actividades foram rastreados em vários continentes. O grupo combina os seus lucros de drogas com receitas de vendas de carros roubados na África Ocidental. Até ter sido descoberto por investigadores, este esquema de lavagem de dinheiro global mascarava os ganhos do Hezbollah.

Terroristas do Hezbollah

A preocupação com os crimes do Hezbollah cresce na comunidade internacional. Em Abril deste ano, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos tomou medidas contra o Hezbollah por este trabalhar como um cartel de drogas. O departamento também tem na lista negra duas instituições financeiras libanesas, acusando-os de transferência de dezenas de milhões de dólares para o grupo terrorista.
Como as autoridades americanas revelaram na terça-feira passada, um dos bancos concordou em pagar 102 milhões de dólares para resolver uma ação judicial envolvendo um esquema de lavagem de dinheiro do Hezbollah.
Em 2001, fontes de segurança internacionais identificaram residentes libaneses que operavam para o Hezbollah na tríplice fronteira da América do Sul (Argentina, Paraguai e Brasil). A área tornou-se uma importante fonte de financiamento para as actividades terroristas do Hezbollah. Em Outubro de 2008, os investigadores descobriram uma operação de contrabando de cocaína na Colômbia, observando que "os lucros das vendas foram financiar o Hezbollah".


Na Alemanha, as autoridades prenderam dois suspeitos no aeroporto de Frankfurt, depois de terem descoberto a ligação de quatro quatro indivíduos libaneses a cerca de 10 milhões de euros de lucros da droga. As autoridades acusaram os suspeitos de negociar drogas e enviar o produto para parentes directamente ligados a altos funcionários do Hezbollah.
Em 2011, o governo dos EUA apreendeu os lucros da droga ligados a Ayman Joumaa, um traficante de drogas e lavagem de dinheiro, ligado ao Hezbollah. A sua rede ganhava tanto quanto 200 milhões de dólares por mês. Mais recentemente, em Junho deste ano, quatro homens libaneses foram sancionadas por actuarem como "embaixadores" do Hezbollah na África Ocidental.
O tráfico de drogas do Hezbollah continua a ser uma grande ameaça para a comunidade internacional. Nos últimos meses, o grupo intensificou as suas atividades enquanto disparava a turbulência política na Síria, um aliado e financiador.
Neste dia, com o mundo a tomar uma posição contra o tráfico de drogas, é importante para todos nós entendermos de onde é que o Hezbollah retira o seus lucros. Dinheiro de tráfico de drogas financia o Hezbollah, e o assassinato de pessoas inocentes através do terrorismo em todo o mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.