terça-feira, 6 de agosto de 2013

Joane Hou e o Homem-Bomba-Cueca



 O "homem-bomba-cueca", Umar Farouk Abdulmutallab, que tentou detonar umas cuecas-bomba num avião sobre Detroit no dia de Natal de 2009 - isso é que tinha sido "bonito", hein, seus marotos?...

Os leitores engagèe do Público estão inconsoláveis porque afinal não houve (ainda) ataques terroristas islâmicos.

Alguns exemplos:

Vá lá dizer aos americanos para deixarem de andar armados e se comportarem como se ainda estivessem no tempo dos "cowboys"! Será porque andam diariamente a ser atacados nas ruas e em casa? Ou será porque a indústria do armamento não tem qualquer interesse em abolir a lei que lhes permite comprar armas como quem compra pipocas? Voltando ao início do seu comentário, concordo inteiramente consigo: você está mesmo confuso! Muito confuso!
 (Este está decididamente confuso!)
Tem piada que este pânico lançado pelos meios de comunicação sociais Norte-Americanos e Europeus, com fechos de embaixadas e supostas comunicações interceptadas pela Al-Qaeda, coincida com a presença em espaço aéreo SOBERANO Iemenita de dezenas de Drones comandados pelo exercito Norte-Americano. Fica uma duvida muito simples: se já não há cidadãos Norte-Americanos e Britânicos em território Iemenita, e se já foram encerradas as respectivas embaixadas, porque raio há de haver Drones a bombardear posições num País soberano a quem não foi declarada guerra? Ricardo
 (Este ainda mais)
Tretas
 (Este está confuso mas ao menos é conciso)


--------------------

Etc., o costume, com o travesti recorrente Joane Hou hoje especialmente pedrado, que o libanês devia ter muita resina. Mas o que se passou? Vejamos:
A "Noite do Poder", comemora a noite em que, segundo a tradição islâmica, o anjo Gabriel apareceu pela primeira vez para Muhammad e disse-lhe para "recitar" o que acabou por ser recolhido no Alcorão.
"Os líderes da Al Qaeda" queria fazer algo grande 'no feriado muçulmano, dizem as fontes"

por Matthew Cole, Richard Esposito e Robert Windrem para NBC News, 06 de Agosto:

    
Um intercepção de comunicações electrónicas, em que dois dos principais líderes mundiais da Al Qaeda concordaram que "queriam fazer algo grande" no domingo passado levou o governo dos EUA a fechar quase duas dezenas de postos diplomáticos em todo o mundo, de acordo com fontes da segurança.

    
Ayman al-Zawahiri, sucessor de Osama bin Laden como o líder da Al Qaeda, e Nasir al-Wahishi, líder da Al Qaeda na Península Arábica, queriam um ataque significativo no feriado muçulmano conhecido como Laylat al-Qadr, a 27, noite do Ramadão e dia em que o Corão foi revelado a Maomé. Este ano o feriado, também conhecido como a "Noite do Destino" ou a "Noite do Poder", calhou no fim de semana de Agosto, 3 e 4.

   
(...) 

    
Wahishi tornou-se cada vez mais influente na liderança global da Al Qaeda. NBC, e a analista Evan Kohlmann disse que houve relatos de que Zawahiri pode ter nomeado oficialmente al-Wahishi seu número dois, tornando-o vice-comandante do grupo terrorista.

   
O terceira grande líder da Al Qaeda também foi escutado nestas comunicações, e expressou o desejo de se explodir num ataque, algo que ele não tinha sido autorizado fazer no passado.

    
O Departamento de Estado ordenou o fecho de quase uma dúzia de embaixadas na África do Norte e Médio
Oriente no fim de semana (...). Vários outros países europeus, incluindo a França e a Grã-Bretanha, também fecharam postos diplomáticos na região.

    
"Há um alto nível de confiança nas fontes de informação", disse Adam Schiff, membro sénior do Comité de Informações do Senado a
Chuck Todd da MSNBC esta segunda-feira. "Interceptamos conversas constantemente ... Mas para tomarmos esta decisão dee acção encerrar embaixadas, tivemos amplo debate e vários briefings com o Presidente ... que demonstra um alto nível de confiança de que esta ameaça é real. "

    
As autoridades disseram que a interceptação inicial foi confirmada por uma segunda fonte. Vários funcionários disseram que, se os serviços de informações tivessem captado esta "conversa" entre pessoas de níveis mais baixos, não teriam provocado esse tipo de reacção.

   
(...)

    
Apesar dos relatos, também não há informações concretas de que a Al Qaeda na Península Arábica planeie usar uma bomba "implantada", como tentou fazer no passado. Um fabricante de bombas sénior da AQAP (al Qaeda da Península Arábica), Ibrahim Hassan al-Asiri, projectou várias bombas de implantes no passado, mas, até agora, não há nenhuma indicação de que ele esteja envolvido neste ameaça.
    Em 2009, al-Asiri projetou uma bomba que o seu irmão trazia no recto, numa tentativa de assassinar o príncipe Mohammed bin Nayef da Arábia Saudita. O homem-bomba morreu, mas o príncipe sofreu apenas queimaduras leves.

    AQAP tornou-se a mais sofisticada das muitas filiais da Al-Qaeda. Operando principalmente fora do Iémen, tentou realizar ataques de alto perfil contra os EUA e os seus interesses no exterior. A AQAP lançou o chamado "homem-bomba cueca", Umar Farouk Abdulmutallab, que tentou detonar uma bomba-cueca num avião sobre Detroit no dia de Natal de 2009, e o grupo terrorista também lançou um plano frustrado para destruir os aviões de carga dos EUA, usando uma bomba cartucho.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.