quinta-feira, 31 de julho de 2014

Está tudo dito (6)

A sexta parte de uma série que, mediante cartoons internacionais de pessoas atentas à realidade e imunes ao ódio anti-Israel e anti-verdade, retrata com fidelidade o que se está a passar em Gaza.
 



 

Os deslocados de que não se (quer) fala(r)

Em mais um panfleto de propaganda pró-Hamas chamado "Gaza, a 'maior prisão ao ar livre do mundo'", o Al-Público veio, desta vez, chorar os supostos 200.000 "palestinianos" que tiveram que abandonar as suas casas e, por Gaza ser densamente povoada (e, por exemplo, Telavive, continuamente sob a mira dos indiscriminados rockets do Hamas, não o é?*) e, não obstante, não se vêem imagens dos mesmos: «excepto as imagens dos refugiados em fuga», diz a autora deste tesourinho deprimente de propaganda.
 
Esta última afirmação já em si é falsa: o que não tem faltado nos últimos dias nas televisões e jornais é imagens de "palestinianos" a saírem de suas casas (lamentavelmente, muitos outros têm sido impedidos de o fazerem pelos terroristas do Hamas) frequentemente armadilhadas, com as suas cumplicidades, pelo Hamas.
 
 
verde é a cor da desinformação pró-Hamas 
 
Mas pior do que isto é que o Al-Público, mais uma vez é selectivo no que informa os seus leitores. Não, não me refiro às dúzias de civis mortos em mais um bárbaro ataque de muçulmanos no Oeste da China que foi totalmente ignorado por este órgão de desinformação português (a este tema regressarei em breve), talvez por os autores dessas mortes serem muçulmanos e, já se sabe, os muçulmanos são sempre as vítimas, e se não o são, há que silenciar esse facto.

Refiro-me aos 300.000 cidadãos de Israel que são refugiados devido aos ataques do Hamas. Destes o Al-Público não deseja que reze a história.
 
 
a simpática autora do libelo de desinformação nem com os seus belos óculos vê a realidade
 
 
* Gaza tem 360 km2 para uma população estimada em 1.500.000 pessoas; ou seja 4166 pessoas por km2; Telavive tem 400.000 pessoas a viverem numa área de 52 km2, ou seja 7700 pessoas por km2.

Embaixadora de Israel explica o conflito na faixa de Gaza


Tzipora Rimon, embaixadora de Israel, explica o conflito na faixa de Gaza. Entrevista de Luís Gouveia Monteiro.

Horário: Sexta, às 23h05, no Canal Q (repetições: Sábado 21h30 e Domingo 18h00)

Disponível também em facebook.com/canalq e twitter.com/canalq.

Gravações automáticas MEO - prima o botão vermelho do seu comando. Gravações automáticas NOS - aceda através do GUIA do menu IRIS.

-----------------------------------

Jornalista furiosamente cretino, lamentavelmente.

Um exemplo do que é o Al-Público

Joaquim Vieira foi jornalista em vários órgãos de imprensa e provedor do leitor do jornal Público. Hoje em dia dedica-se a difamar judeus.

Como pode alguém apoiar o Hamas?! - II

Apesar de, em 2005, Israel ter dado de Gaza aos palestinos, numa política de "terra por paz" - uma ingénua retirada unilateral - o resultado não foi a paz, mas sim mais de 10.000 mísseis disparados de Gaza sobre comunidades civis israelitas. Aqui, nós mostramos como o Hamas e outros grupos terroristas armam os civis e instituições palestinianas para atacarem Israel.

2) O Hamas usa as Crianças: Usa a TV para fazer lavagem cerebral aos jovens 'palestinos' e levá-los a cometer atrocidades contra os Judeus
Da Carta do Hamas: Concentrem-se nos jovens por meio da educação, informação e meios de comunicação.

Artigo 15: "É necessário que os cientistas, educadores e professores, as pessoas da Imprensa, assim como as massas educadas, especialmente os jovens e xeques dos movimentos islâmicos, participem na operação de despertar (as massas)".



Programação infantil da TV do Hamas incentiva a matança de judeus - 8 de Maio de 2014:

Doutrinação no martírio na programação infantil da TV do Hamas – 2 de Abril 2010:


Jovens parentes da terrorista suicida Umm Nidal expressam o desejo de lhe seguir os passos. Programação infantil da TV do Hamas - 15 de Abril de 2013:

Como pode haver «gente» que apoia o Hamas, um grupo terrorista como a Al-Qaeda, o ISIS, o Boko-Haram, ou qualquer outro? Cínica preocupação com as crianças, notícias falsas que nunca são desmentidas, quando Israel se defende e os terroristas as matam e as usam como escudos humanos. A Imprensa não se preocupa quando crianças israelitas são assassinadas pelos terroristas, e crianças árabes são doutrinadas no ódio e no suicídio.
Jornais como o Público, estações de TV como a RTP e a TVI, rádios como a Antena 1, escamoteiam as matanças contra Israel, escamoteiam os ataques terroristas, e apresentam a resposta de Israel como uma agressão - com muita mentira descarada e propaganda pelo meio. Um verdadeiro 'pogrom'. Pouco diferem da propaganda nazi.
  -------------------------------------------

Nota editorial do blog - não perca esta entrevista:

Embaixadora de Israel explica o conflito na faixa de Gaza


quarta-feira, 30 de julho de 2014

It's war stupid!

A histeria dos jornais orientados pela carta constitucional do Hamas, de que em Portugal o Al-Público é um consumado exemplo, vê-se no arrancarem cabelos de raiva e lacrimejarem lágrimas de crocodilo (pois no fundo o que desejam é a aniquilação de Israel) cada vez que inadvertidamente Israel atinge um hipotético civil em Gaza. No fundo estão a dizer que Israel só se pode defender com cotonetes, mas sem nunca criticarem as armas usadas pelo Hamas. Vergonhoso e tenebroso.

 as armas que os jornalistas filo-muçulmanos (e gentalhas de esquerda) aceitam que Israel use
  

as armas que os jornalistas filo-muçulmanos (e gentalhas de esquerda) gostariam que o Hamas usasse


 -------------------------------------------

Nota editorial do blog - não perca esta entrevista:

Embaixadora de Israel explica o conflito na faixa de Gaza

Como pode alguém apoiar o Hamas?! - I



Apesar de, em 2005, Israel ter dado de Gaza aos palestinos, numa política de "terra por paz" - uma ingénua retirada unilateral - o resultado não foi a paz, mas sim mais de 10.000 mísseis disparados de Gaza sobre comunidades civis israelitas. Aqui, nós mostramos como o Hamas e outros grupos terroristas armam os civis e instituições palestinianas para atacarem Israel.
A Carta do Hamas de 1988 - define a missão do Hamas contra Israel e os judeus:
     Israel existirá só continuará a existir até que o Islão o destrua.  
     A nossa luta contra os judeus é muito grande e muito séria. Ela precisa de todos os esforços sinceros. É um passo que, inevitavelmente, deve ser seguido por outros passos. O Movimento é apenas um esquadrão que deve ser apoiado por mais e mais esquadrões deste vasto mundo árabe e islâmico, até que o inimigo seja vencido e a vitória de Alá se cumpra.

 O Profeta, Alá o abençoe e lhe conceda a salvação, disse:
     "O Dia do Juízo não virá até que os muçulmanos combatam os judeus (matem os judeus). Quando um judeu se esconder atrás de pedras ou árvores, as pedras e as árvores vão dizer: Ó muçulmanos, O Abdulla, há um judeu atrás de mim, vem e mata-o. Somente a árvore Gharkad, (evidentemente um certo tipo de árvore) não fará isso, porque é uma das árvores dos judeus ". (relatado pelo Al-Bukhari  e assumido como princípio muçulmano).
1 - O Hamas usa mulheres como bombistas suicidas e terroristas. Em Gaza, as mulheres são tratadas como objectos, como no resto do mundo muçulmano. Mas podem fazer-se explodir e matar judeus.



Cabeça de uma bombista suicida

A famosa terrorista que coordenou o ataque suicida contra a pizzaria de Sbarro, exulta de alegria com o seu feito:


A 9 de Agosto de 2001, ela matou:
  • Hemeda 2anos
  • Avraham 4anos
  • Tamara 8anos
  • Yocheved 10 anos
  • Raaya 14 anos
  • Malki 15anos
  • Michal 16anos

 E outros...

Como pode haver «gente» que apoia o Hamas, um grupo terrorista como a Al-Qaeda, o ISIS, o Boko-Haram, ou qualquer outro? 

Está tudo dito (5)

Numa altura em que os media alinhados ideologicamente com o maometanismo reiteradamente exigem que Israel combata o Hamas com cotonetes para não atingir "civis" (e repare-se que para fazerem choradeira pró-"palestiniana" Gaza é um "amontoado sem espaço para se respirar"*, mas quando Israel lá combate tem apenas que "disparar para áreas vazias"), uma das melhores formas de se passar a mensagem acerca do que se está a passar em Gaza é mediante cartoons. Já coloquei aqui quatro posts com alguns destes.
 
 
Hoje aqui fica a quinta fornada.
 



 * Gaza tem 360 km2 para uma população estimada em 1.500.000 pessoas; ou seja 4166 pessoas por km2; Tóquio tem  2100 km2 para uma população de 13.000.000; ou seja 6190 pessoas por km2. Onde estão os filo-islamitas a gritarem contra o facto de em Tóquio não se poder respirar? Não está, pois não? Para essas pessoas as únicas vítimas são sempre os muçulmanos, mesmo quando estes são tudo menos isso.

"SOMOS TODOS HAMAS!"


Ignorando por completo o genocídio diário cometido pelos islamistas radicais, a extrema-esquerda, os saudosistas do nazismo e alguns idiotas úteis, usam a Operação Protecção Limite, e a neutralização dos terroristas do Hamas, para os seus propósitos de ódio.

Na Internet há campanhas pagas para promover difamação de Israel. A Imprensa ocidental está a trabalhar de noite e de dia para impulsionar a  destruição de Israel e um novo Holocausto dos judeus na Europa e no Mundo. 

Os media globais, comprometidos com correntes ideológicas que todos conhecemos, só muito timidamente fazem alusão à jihad global. Deliberadamente, ou por critérios populistas-comerciais, dão o seu contributo para a ambicionada extinção dos judeus. Enquanto isso, escondem a realidade, mentem, manipulam, e promovem os terroristas do Hamas a santos. De tal forma que, em manifestações antissemitas, os extrema-esquerdistas cantam em coro com os islamistas: "SOMOS TODOS HAMAS!".

Israel, após anos e anos de terrorismo vindo de Gaza (território DADO por Israel aos árabes), e após milhares de mísseis, ininterruptamente, durante 15 dias, respondeu. COMO PODE HAVER QUEM CONDENE TAL ACÇÃO, IGUAL À DE QUALQUER PAÍS NA LUTA ANTI-TERRORISTA? O que vale é que Israel não é governado pela CNN, pelo Le Monde, pelo Público, pela RTP ou pela TVI. E não se vergará!

A resposta é simples: antissemitismo latente despertado pelo bombardeamento de desinformação!

São, facto, TODOS, Hamas! Seja a matar judeus, seja a matar árabes que não querem ser escudos humanos, seja a escrever nos jornais, seja a palrar na TV ou na Rádio. 

Coisitas que jamais vermos nos media mainstream:

Vídeo do Hamas glorifica o rapto e assassínio dos três jovens israelitas, e encoraja mais raptos como forma de pressionar Israel a soltar terroristas:
Mãe de um dos raptores orgulha-se de o filho ser um assassino:



Osama Hamdan, um dos líderes do bando terrorista Hamas, afirma na TV que os judeus confeccionam os seus pães com sangue de cristãos, e que são geneticamente assassinos:

Árabe, muçulmano e Sionista, o jovem Mohammad Zoab pede o apoio do Mundo para Israel, a única democracia do Médio Oriente, e compara as tiranias islamistas com a sua Pátria:


O filho do líder do Hamas expõe todo o abjecto terrorismo do bando. Converteu-se ao Cristianismo, após ter testemunhado tantas atrocidades:

Comunistas manifestam-se pelo terrorismo islâmico


Os comunistas hippies de sandálias, os revolucionários do pápi, os proibidores de piropos, parece que andam aí a fazer umas manifes islamonazis, a pedir a Solução Final final.

Esta manife foi no Brasil, mas os islamonazis da extrema-esquerda estão a preparar pogroms idênticos cá em Portugal. Não sei se o melhor é ignorar (para evitar o vómito), se é dar-lhes troco. De uma coisa podem estar certos: tudo o que seja media estará lá, em peso, a ajudar ao terrorismo. Estão a trabalhar 24/7 na propaganda, na mentira, pela extinção de Israel.

Imagem do Lisboa-Jerusalém.

E desculpem-nos, se somos politicamente incorrectos, mas é incomparavelmente mais grave ser-se terrorista-genocida-racista-supremacista-islamista-nazi-comunista, do que ser-se um bocadinho abrutalhado a falar/escrever.

Nota: jamais existiu nenhuma «Palestina» ÁrabeTal conceito é uma invenção soviética, operacionalizada pelo arqui-terrorista Arafat e mantida pela máquina de propaganda islamista e comunista conhecida como Pallywood. Temo-lo aqui demonstrado vezes sem conta, com testemunhos históricos exaustivos. Os muçulmanos simplesmente não toleram que um país que outrora tenha dominado, volte a ser independente.



Daí que o Califado Global recém-nascido ambicione, antes do domínio total do Mundo, re-invadir todos os territórios que outrora submeteu com a brutalidade que é seu apanágio. Portugal incluído.

Os idiotas que vedes acima, estão-se absolutamente nas tintas para o genocídio que o Califa e seu bando fazem na ex-Síria e no ex-Iraque, e aguardam, com saltos de alegria, que o ISIS chegue depressa, para os decapitar ou queimar vivos - que é o tratamento que dão a infiéis, ateus, homossexuais, bebedores de álcool, fumadores de drogas, mulheres que não andem mascaradas de saco de lixo, etc., etc..