quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Pelo menos 3 mortos, mulher decapitada em ataque terrorista islâmico em Nice

Sempre racistas e intolerantes, insistimos em que não gostamos de ser decapitados: 

 

Tu deves decapitar não-muçulmanos. 
Alcorão 8:12, 47: 4 


 

 

Mulher supostamente decapitada em ataque terrorista na Catedral de Notre Dame em Nice. Vários outros feridos.

Pelo menos três pessoas foram assassinadas e várias outras ficaram feridas num ataque terrorista na Catedral de Notre Dame, na cidade de Nice, no sul da França.

Segundo relatos locais, uma das vítimas, uma mulher, foi decapitada pelo terrorista.

O incidente ocorreu por volta das nove horas desta manhã, hora local.

O suspeito foi levado sob custódia.

O parlamentar francês Meyer Habib respondeu: "Enquanto a França enfrenta um estado de emergência devido à crise de saúde, islamistas covardes massacraram fiéis na Catedral de Notre Dame em Nice, na tentativa de profaná-la. Estamos em guerra. Basta! A nossa reacção deve ser desproporcional quando se trata de lidar com esses animais !! "

 


 

Não tarda nada, o PULHÍGRAFO já deve estar aí  verberar-nos e a dizer que é mentira e que o Islão (que lhes paga!!!) é absolutamente pacífico. 

 


Devem ser islamofóbicos, racistas, nazis e leitores do nosso blogue.

- Na nossa secção FRANÇA:

Após decapitação, esquerda enche as ruas de França a exigir mais colonização islâmica

Decapitação de Samuel Paty: manchetes abjectas

Decapitação em França: media de esquerda condena... a Polícia!

Colonos muçulmanos em Paris

 

VÍDEO - “Estamos a invadir-vos. Não gostamos do vosso país. Estamos cá para vos explorar.”

França: o Medo nas Escolas

Jean-Paul Brighelli, professor: “Vivo numa cidade com 2/3 mulheres com véu. Crianças muçulmanas forçam amigos não muçulmanos a cumprir o Ramadão” (Vídeo)

Aeroporto de Gaulle ocupado: “A França não pertence aos franceses!”

"Os brancos devem sair de África e deixar os africanos invadirem a Europa"

Guerra em França: Racailles atacam esquadra de Polícia com morteiros e barras de ferro (VÍDEO)

França: Uma em cada duas pensões de reforma é paga a uma pessoa nascida no estrangeiro

Ataque islamista de Paris: toda a aldeia no Paquistão está orgulhosa (VÍDEO)

"O homem branco não pode ter razão contra uma negra e uma árabe" - Maboula Soumahoro

 


ISLÃO: MAIS DE 670 MILHÕES DE MORTOS INOCENTES

COMO O ISLÃO DESTRÓI AS SOCIEDADES

MIL MILHÕES DE MUÇULMANOS QUEREM A LEI ISLÂMICA SHARIA

Ajudar os "refugiados" custa 135 VEZES MAIS cá, do que lá!

 


 

Ora aí está!


Ministra da Saúde do Oregon veste-se de PALHAÇA para anunciar mortes por coronavírus (VÍDEO)

Esta gente é LOUCA.

Claire Poche, do Partido Democrata, alta responsável pela Saúde no Oregon, anunciou hoje os últimos números do coronavírus para o Estado do Oregon vestida de palhaça.

Isto é o Oregon.

O mesmo Estado que há meses tolera motins em permanência na sua maior cidade. E que não deixa Trump enviar as forças da Ordem para reenviar os antifas para a cave da casa das respectivas mamãs.

 



Desde há décadas que os media e a chamada "cultura", as universidades e as chamadas "celebridades" injectam na cabeça das pessoas que quanto mais estúpida e contra-intuitiva é uma coisa, mais "intelectuais" somos se a defendermos.

Assim, as pessoas que gostam de passar por inteligentes, odeiam o Mundo Livre e idolatram o Comunismo e o Islão; odeiam a Religião e veneram o Satanismo e o ateísmo (1);  deploram a propriedade privada e o trabalho e glorificam o assalto - como a filósofa comunista Márcia Tiburi, que assume com todas as letras a INVERSÃO de valores:

 


E etc..

Chegam a um ponto em que querem parecer tão inteligentes e sofisticados que se vestem de palhaços para anunciar as mortes que a sua incúria provocou.

 


- Esta é uma das muitas notícias que apenas sites como o GATEWAY PUNDIT mostram. Desde vídeos de militantes de extrema-esquerda a incendiarem florestas nos Estados Unidos até à grossa corrupção e abuso sexual de menores pela família Biden, está lá de tudo.

- Os jornaleiros amestrados, o Twitter, o Google/Youtube, o Facebook, o Pântano globalista de extrema-esquerda e seus aliados, que dominam isto tudo, escondem estas e outras verdades.

 

 

(1) Visite a nossa secção OCULTISMO, COMUNISMO, NAZISMO, SATANISMO, NEW-AGE:

 


Templo de Satã lança campanha anti-cristã

Portland: Antifa realizam cerimónia pública de queima da Bíblia

Illuminati e Nova Ordem Mundial - uma perspectiva histórica

terça-feira, 27 de outubro de 2020

ESTREIA 4 DE NOVEMBRO!

No sítio do costume... 

 

 

A pedido de milhões de famílias, regressa a 4 de Novembro o espectáculo que fez furor em 2016:


Os ensaios estão a correr muito bem:


Agora a sério: Tudo quanto é bem-pensante, da direita à esquerda, declara o seu ódio visceral a Trump. É um pecado social não o fazer.

Trump é um bilionário que deixou os seus negócios e a sua vida de bilionário para cometer pequenos feitos tais como rebentar com o Estado Islâmico, salvando assim milhões de vidas de cristãos e outros "infiéis" (que  Obama e seu gangue - Biden, Hillary, Kerry, a Irmandade Muçulmana na Casa Branca, etc. - deixaram matar aos milhões).

Trump é o homem que evitou uma guerra nuclear iminente com a Coreia do Norte, que resgatou os Estados Unidos do colapso provocado por Obama (e que assim não deixou o Mundo Livre perder a sua maior potência - e soçobrar!) e que está a mostrar ao povo que a elite política que nos governa está podre. Está a demonstrar que não é preciso (nem convém!) ser um político de carreira para governar eficazmente um país.

Trump é provavelmente o maior estadista de todos os tempos. Que se lhe compare, só vemos o rei Salomão. E isso gera um ódio de morte no Pântano globalista esquerdista, nas esperanças do Califado Global e nas aspirações do Império do Mal (vulgo China Comunista).

Um exército global de jornaleiros e comentadeiros a soldo tornou-se a polícia do pensamento. Gostar-se de Trump (sobretudo nos Estados Unidos) implica frequentemente ser-se raptado e torturado, despedido do trabalho, expulso da escola, perseguido pela sistema podre.

A nossa desforra está próxima. É já a 4 de Novembro, a vingança pacífica de quem trabalha, de quem não deixou que os politiqueiros, os media e os palhaços do show-business lhes queimassem o senso-comum. Se a fraude eleitoral massiva (que quase custou a eleição de 2016) não triunfar, triunfará  Bem, a Verdade, a Paz.

A maior parte das pessoas  não se atreverá a festejar publicamente - até porque eles já prometeram que "cidades iriam arder" se Trump ganhar. Os grandes democratas pacifistas:

 


Vítimas dos media, do entretenimento e das universidades.


Na nossa secção TRUMP:

Que Deus o guie e o ajude.

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

‘Judeus por Trump’ emboscados por apoiantes antissemitas de Biden em Nova Iorque

No AMIGO DE ISRAEL 2.0

 

 

Quando os justos se tornam grandes, o povo regozija-se, mas quando os ímpios dominam, o povo geme. 
Provérbios 29: 2

 

A política transformou-se em racismo quando uma manifestação dos Judeus por Trump em Nova Iorque foi atacada e até mesmo o ex-presidente da câmara Guiliani foi forçado a fugir, quando o seu carro foi atacado.

 


Judeus por Trump são atacados com pedras, ovos e spray de pimenta

Uma caravana de judeus em apoio ao presidente Trump foi atacada por multidões de esquerda que os apedrejaram. Proclamado por seus organizadores como “o maior desfile de judaico de carros da História, a caravana composta por cerca de mil carros cobertos com bandeiras dos EUA e faixas pró-Trump foi lançada na tarde de domingo em Coney Island com o objectivo de chegar à Trump Tower em Manhattan e depois ao Marine Park, no Brooklyn. Sete pessoas foram presas em confrontos.

De acordo com o site Judeus por Trump, o comício de domingo teve o objectivo de mostrar solidariedade para com "a comunidade sitiada da Zona Vermelha", uma referência às secções ortodoxas da cidade de Nova Iorque que foram escolhidas pelo governador Cuomo e pelo presidente Bill de Blasio para sofrerem restrições ligadas ao COVID- 19.

Nota do Tradutor: o governo e o município de Nova Iorque (extrema-esquerdistas e antissemitas) estão (obviamente) a usar os judeus como bode expiatório das suas políticas desastrosas de combate ao COVID.


Embora as sondagens afirmem que dois terços dos judeus norte-americanos apoiam a dupla Biden-Harris, os eleitores judeus ortodoxos apoiam fortemente o presidente. Uma sondagem recente conduzida pela Ami Magazine, que atende a um grande número de leitores ortodoxos, descobriu que 83% dos entrevistados ortodoxos planeiam votar em Trump nas próximas eleições, com apenas 13% planeando votar em Biden.

O ex-presidente de Nova Iorque e advogado de Trump, Rudy Guiliani, juntou-se à manifestação, mas teve que fugir quando o seu carro foi atacado.

 


A Fox News entrevistou uma família de sete pessoas com quatro filhos que foram atacados por uma desordeira armada com spray de pimenta enquanto participavam no comício que passava pela Quinta Avenida em Manhattan. A mulher perseguiu o carro, tentando borrifar a família novamente. A agressora, uma jovem, foi presa.

 


Outro vídeo mostra o comício de judeus sendo atacado por ovos de um viaduto:

Espectadores atiram pedras de um viaduto:

Um homem esmurra o vidro do carro de um participante:



Se Trump ganhar, já sabemos quem vai ser apontado como culpado, perseguido e... talvez pior. Se Trump perder... também! Afinal, culpar os judeus é muitas vezes a única coisa que pode unir as pessoas.

A direita acusa os judeus de serem todos esquerdistas. A esquerda acusa os judeus de serem todos direitistas. Sempre acusados de uma coisa e do seu oposto. Isso e de se "armarem em vítimas", de "exagerarem" os milhões que são queimados, gaseados, abatidos a tiro nas fúrias antissemitas da História.

(E até nós, imagine-se, somos "acusados" do tremendo crime de não odiarmos os judeus).


domingo, 25 de outubro de 2020

Islamização de França: testemunho de uma professora

 
 


Olá leitor e amigo,
Agora o Blogger/Google raramente nos deixa tentar postar alguma coisa. Esta plataforma foi sabotada para ajudar a destruir a liberdade de expressão e para calar a VERDADE sobre a agenda globalista da Esquerda e a islamização do Mundo Livre. 
Estão a tentar vencer-nos pelo cansaço. E em breve contamos parar este blogue. Mas continuaremos a lutar. 
Aqui vai um pequeno post, mais uma pequena pincelada no horrendo quadro da invasão e colonização islâmica:

 
Os professores em França vivem sob permanente ameaça islâmica. Mas o governo manda-os estar caladinhos. 
Na manifestação de solidariedade para com o professor Samuel Paty (decapitado por um muçulmano de 18 anos), esta professora diz: 
"A Inspecção escolar diz-me para não 'fazer ondas', para comer e calar (...) ameaçam-me, mas continuarei a usar saias".


Assim vai a FRANÇA (visite a nossa secção). Assim vai a Europa. Assim vai Israel. Assim vai  Mundo Livre. E onde não vai, onde há um Trump ou um Bolsonaro, a canzoada esquerdalha e jornaleira uiva, espuma e ladra até mais não.

 

 Fonte:


Intoxicados pela lavagem cerebral da Televisão, a maior parte das pessoas toma cada incidente (seja ele uma decapitação de um professor ou este grito d'alma de uma professora em França) como o já clássico "caso isolado".

E são centenas de milhões de "casos isolados", em 1400 anos de Islão, e a somar a cada minuto (só cristãos, eram sacrificados ao deus Alá em média 1 a cada 5 minutos, mas isso foi antes do Trâmpe, pá):

ISLÃO: MAIS DE 670 MILHÕES DE MORTOS INOCENTES

COMO O ISLÃO DESTRÓI AS SOCIEDADES

MIL MILHÕES DE MUÇULMANOS QUEREM A LEI ISLÂMICA SHARIA

E as massas zombificadas vão-se rindo de pessoas como nós, a quem chamam "extrema-direita", "nazis", "alarmistas", "racistas". 

E vão acreditando que se se portarem muito bem, talvez os maometanos não os decapitam, como fizeram ao professor Samuel Paty. 

É simples, não é? Basta não dar aulas sobre liberdade de expressão. Basta não usar saias. Basta submeterem-se ao Islão.


- BREVEMENTE NUMA SALA DE AULAS PERTO DE SI:

 
Se não viu estes posts, não perca (e são apenas uma amostra):

 


quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Decapitação de Samuel Paty: manchetes abjectas

Publicado no AMIGO DE ISRAEL 2.0

 

 Na sequência de:

Decapitação em França: media de esquerda condena... a Polícia!

(Para que a censura islamista/extrema-esquerdista do Google/Blogger não nos CENSURE outra vez, não publicamos a imagem da cabeça decapitada do professor Samuel Paty. Pode ver a imagem AQUI.) 

 


Nos tempos da Guerra Fria realizou-se uma corrida entre um americano e um soviético. O americano ganhou. No dia seguinte, as manchetes dos jornais da U.R.S.S. diziam:

"O NOSSO GLORIOSO CAMARADA CONQUISTOU UM BRILHANTE 2º LUGAR. O  CAPITALISTA IANQUE FICOU EM PENÚLTIMO LUGAR".

Mais uma vez, e como de costume, a arte imitou a vida.  A propósito da decapitação de um professor francês por um muçulmano (incitada pelo clero islâmico e pela comunidade muçulmana em França) os jornaleiros amestrados saíram-se com manchetes como estas:

 


O comunista The Guardian basicamente chama assassinos aos polícias que abateram o monstro - "POLÍCIA FRANCESA MATOU UM HOMEM A TIRO APÓS UM ATAQUE COM FACA NO SUBÚRBIO DE PARIS".

 


A esquerdista SKY NEWS do Reino Unido (a da Austrália é conservadora) também deixa os leitores na dúvida sobre quem foi a vítima - "ATAQUE EM FRANÇA: HOMEM ABATIDO PELA POLÍCIA APÓS 'DECAPITAÇÃO' NO SUBÚRBIO DE PARIS". De notar que "decapitação" aparece entre aspas; porque quando um muçulmano decapita, é uma decapitação amiguinha e agradável.


O também extrema-esquerdista New York Times (o que publica os cartunes nazis do cartunazista António) vai pelo mesmo caminho: "POLÍCIA FRANCESA ATIRA E MATA HOMEM APÓS UM ATAQUE FATAL À FACADA NA RUA".

 

 Fonte:



Durante muitas décadas, a Imprensa (já então islamizante) só reagia assim quando um maometano era abatido pela Polícia enquanto se entregava à muito nobre tarefa de matar judeus lá em Israel. No  HONEST REPORTING encontra centenas de casos desses. Começaram com os judeuzecos, que obviamente não têm direito à vida e devem deixar-se matar alegremente. Agora já o fazem connosco, que somos pessoas.

 HONEST REPORTING em Português:

Decapitação em França: media de esquerda condena... a Polícia!

 

Para que a censura islamista/extrema-esquerdista do Google/Blogger não nos CENSURE outra vez, não publicamos a imagem da cabeça decapitada do professor Samuel Paty. Pode ver a imagem AQUI

 

- Cá está mais uma triste evidência de que o que acontece aos judeus é sempre um prenúncio do que não tardará a acontecer ao resto da Humanidade. Quando em Israel um qualquer muçulmano desata a decapitar ou a alvejar judeus na via pública, e a Polícia o abate, a Imprensa dee a Esquerda desatam imediatamente a ulular, acusando a Polícia israelita de "execução extra-judicial", de "barbárie", etc., etc..
- Após a decapitação do professor Samuel Paty, sacrificado ao deus Alá, a extrema-esquerda não só encheu as ruas a exigir mais islamização (e consequentes decapitações), como não tem parado de verberar... a Polícia!!! 
Um exemplo ao acaso:


Escandaloso: Mediapart difunde artigo denunciando a “barbárie” da Polícia contra o terrorista islâmico de Conflans
O artigo, intitulado "Execução sumária de suspeito: novo padrão matéria de terrorismo", foi publicado num blogue hospedado pelos media de extrema-esquerda.

Na sexta-feira, dia 16 de Outubro, no final da tarde, a Polícia neutralizou o suposto agressor terrorista de origem chechena, Abdoullakh A. Ele acabava de decapitar em Conflans-Sainte-Honorine o professor Samuel Paty que voltava para casa, pela única razão de que o professor abordou o tema das caricaturas de Maomé numa aula (NDT: sobre liberdade de expressão). Rapidamente, a classe política denunciou um atentado terrorista e a coragem da Polícia foi elogiada. Mas um blogue hospedado pela Mediapart distorce essa versão.

Escrito por Hors les Murs, os seus autores denunciam o tratamento dispensado ao terrorista e a forma como a Polícia atirou nele. Para eles, o "tratamento mediático do caso é tendencioso", e as "manchetes sensacionalistas" sucedem-se. Em seguida, eles (...) destacam a "imprecisão" que permanece sobre o "como se desenrolou ao certo a interpelação". (NDT: Para a extrema-esquerda, o maometano não decapitou a vítima; ele simplesmente "interpelou-a").

 


E continuam, ofendidos: “Este jovem de 18 anos era, no preciso momento da sua morte, apenas um suspeito armado com um brinquedo e uma faca. Aplaudir uma força policial que mata de forma tão sumária e sistemática os suspeitos de terrorismo é aplaudir a barbárie, é encorajar a espiral de morte da violência policial e é abraçar este choque de civilizações que está presente - há mais de 30 anos - no topo da agenda de toda a extrema direita do mundo”, dizem eles. (NDT - Note bem: quando um maometano oferece a cabeça de uma vítima ao deus Alá, a culpa é da "extrema-direita").

"Texto vil"

(...) os autores questionam, portanto, o trabalho da Polícia, denunciam a sua "barbárie" e parecem defender o autor do ataque. O tratamento do caso foi descrito como "vergonhoso" por alguns internautas, "lamentável" por outros ou mesmo "texto desprezível".

VALLEURS





 

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

TVI 24 acusa Israel de atacar escola (e faz inveja ao governo genocida terrorista sírio)


Como TODOS os países do Mundo fazem, Israel eliminou terroristas islâmicos que atacam o país e assassinam os seus cidadãos. Mas os me(r)dia ficam muito indignados!!!

 

 


Cada época tem os seus inquisidores e as suas fogueiras.


MILHARES DE PESSOAS VIRAM MAIS ESTE LIBELO DE SANGUE DA TVI 24, COMO VÊEM DEZENAS OU CENTENAS DE OUTROS, A CADA DIA.
MAS QUANTAS TRATARÃO DE APURAR A VERDADE? UMA? DUAS? NENHUMA?...
PROVAVELMENTE NENHUMA, PORQUE AFINAL, DEPOIS DE DÉCADAS DE LAVAGEM CEREBRAL JORNALÍSTICA, TODA A GENTE JÁ "SABE" QUE OS JUDEUS ATACAM AS ESCOLAS PARA MATAR AS CRIANCINHAS.

Hitler não tinha o poder sobre a opinião pública que estes fedelhos bloquistas que infestam as redacções têm.

Não vemos notícias na televisão, porque somos alérgicos à aldrabice institucionalizada. Foi casualmente que vimos há pouco, num café, passar em rodapé o título "SÍRIA ACUSA ISRAEL DE ATACAR ESCOLA" - o que, na prática, é uma acusação (e de caminho uma submissão pouco discreta ao governo genocida terrorista sírio, que bombardeia e gaseia o seu próprio povo, nomeadamente os curdos).

"Notícias" destas destinam-se obviamente a demonizar Israel, a manter acesa a chama do antissemitismo e, se possível, a encorajar 'pogroms'.

É para isso que a jornaleirada amestrada é paga.

 

O que se passou:


Israel alegadamente atacou uma base terrorista apoiada pelo Irão no sul da Síria

Um único míssil foi disparado contra uma vila perto da fronteira dos Montes Golan, a Imprensa estatal síria diz que o ataque da meia-noite atingiu o prédio da escola, sem relatos de vítimas.
(A Imprensa do regime sírio, que bombardeia e gaseia o seu próprio povo, que é satélite do regime terrorista iraniano, não diz que Israel "bombardeou uma escola". Mas a TVI 24 e a corja jornaleira em geral, sugerem-no).

A Imprensa estatal síria disse que Israel disparou um míssil na manhã de quarta-feira contra um alvo na província de Quneitra, no sul da Síria, perto da fronteira com os Montes Golan de Israel.
A agência de notícias oficial SANA disse que o ataque da meia-noite atingiu um prédio escolar na vila de Al-Harah, sem fornecer mais detalhes.

Não houve relatos imediatos de vítimas.
As Forças de Defesa de Israel não quiseram comentar o assunto, em linha com a sua chamada “política de ambiguidade” em relação às actividades militares contra o Irão e seus representantes na Síria.

Israel acusou repetidamente o grupo terrorista Hezbollah e outras milícias apoiadas pelo Irão de estabelecer bases e operar ao longo da fronteira dos Golan.

O Observatório de Direitos Humanos da Síria, sediado na Grã-Bretanha - um grupo pró-oposição com fontes de financiamento pouco claras - disse que o ataque atingiu uma base de milícias pró-Irão, acrescentando que Israel era "provavelmente" o responsável.

Os relatos do ataque surgiram duas semanas depois de soldados israelitas supostamente terem destruído dois postos militares sírios na zona desmilitarizada que separa os dois países, num raro raide de fronteira.

Esse ataque foi considerado um aviso ao presidente sírio, Bashar Assad, cujas forças estão a invadir os Montes Golan.

Israel lançou centenas de ataques na Síria desde o início da guerra civil em 2011. Tem como alvo as tropas do governo, forças aliadas iranianas e combatentes do grupo terrorista xiita libanês Hezbollah.

 

 

Israel raramente confirma detalhes das suas operações no país, mas afirma que a presença do Irão em apoio a Assad e ao Hezbollah é uma ameaça e que continuará seus ataques.

 

 
As fotos acima são ilustrativas.

 

COMENTÁRIO

Os jornalistas, para além de antissemitas raivosos, são hoje em dia apenas um exército de propagandistas de extrema-esquerda, promotores da islamização.
 
Recordamos, do nosso post


Em 3 de Agosto de 2014 Israel estava em guerra com o Hamas, depois de o país inteiro ter estado paralisado duas semanas, debaixo de bombardeamentos vindos de Gaza. Milhares de mísseis, os jornaleiros calados e o Mundo a gozar o prato.
Nunca na História um país tinha suportado duas semanas de bombardeamento sem responder.  A partir do momento em que Israel respondeu, sucederam-se as calúnias antissemitas.
Escrevíamos assim nesse dia:
"Israel, hoje de manhã, atacou dois terroristas do Hamas que circulavam em motociclos carregados de explosivos que, ao deflagrarem, atingiram uma escola da ONU. Esta imagem de um tweet de um jornalista do The Wall Street Journal evidencia isto mesmo:

O que é que diz o Al-Público? Simples: «um míssil lançado a partir de um avião atingiu a entrada de uma escola em Rafah», causando «pelo menos dez pessoas morreram e cerca de 30 ficaram feridas na sequência de um ataque aéreo a uma escola gerida pela ONU na Faixa de Gaza».


O libelo do "ataque à escola da ONU" pegou. Desde aí Israel é acusado de "bombardear escolas".
A 13 de Junho deste ano, o Hamas voltou a bombardear Israel (como faz regularmente) e alvejou uma escola:



A Imprensa mundial (a tal que dizem que é "controlada pelos judeus") ficou CALADA, como sempre.
Se tivesse sido ao contrário, teria havido 'pogroms' globais.
Apenas os media locais deram a notícia:

MÍSSIL TERRORISTA ATINGE ESCOLA EM ISRAEL

Associação Internacional de Amizade entre Judeus e Cristãos
No segundo ataque de mísseis de Gaza num dia, a cidade de Sderot, no sul de Israel, foi atingida por um projéctil terrorista. No Times de Israel, Judah Ari Gross relata que o míssil danificou uma escola, mas, graças a Deus, ninguém ficou ferido (...)
UM MILAGRE, MÍSSIL POR POUCO NÃO ATINGE ESTUDANTES
Associação Internacional de Amizade entre Judeus e Cristãos

Como o Stand for Israel informou logo após o ataque, um míssil disparado pelos terroristas de Gaza atingiu uma escola judaica na cidade de Sderot. Embora o ataque e o dano causado fossem chocantes, poderia ter sido muito, muito pior. O Times of Israel relata que se o projéctil tivesse embatido apenas a alguns metros de distância ou apenas alguns minutos antes, a devastação poderia ter sido catastrófica (...)
Os vídeos onde é mostrado que Israel é o Exército mais moral da História são permanentemente retirados, sobretudo as traduções para Português. Fica aqui este:


APÊNDICE

Organizações como a HONEST REPORTING dedicam-se a responder às mentiras diárias contra Israel:

https://honestreporting.com/brasil-artigos/

Israel está cercado de terroristas, de 57 países islâmicos e de 1 bilião e 800 milhões de muçulmanos, cuja religião ordena que "limpem" a Terra de judeus.
Aqui, podemos ver uma família israelita a ser bombardeada pelos terroristas, a partir de Gaza:


São estas pessoas que os jornalistas consideram os "criminosos".
Aqui, podemos ver os sacrossantos "palestinos" tentando invadir Israel, enquanto gritam que vão comer o coração aos judeus:


São estas pessoas que os jornalistas retratam como as "vítimas".
Aqui, por exemplo, temos o massacre da família judaica Fogel e a celebração por parte dos "palestinos":

 


Sugerimos o post:

O Massacre da Família Fogel


 e a nossa limitada secção TERRORISMO ANTI-SEMITA.

As fotos da família judaica massacrada são frequentemente usadas em propaganda que inflama o ódio popular. Apresentam as fotos e dizem que se trata de vítimas dos israelitas. Fácil, não é? Também, o público antissemita não é exigente...
Israel tem as Forças Armadas e a Polícia mais morais da História. Mas os amigos dos jihadistas, à falta de imagens de "palestinos" mortos para apresentarem como vítimas dos judeus, usam de novo a propaganda global nazi, encenado putativos massacre cometidos por Israel.
Tem aqui um exemplo de como se produzem os vídeos com as "vítimas":





Os adorados assassinos de crianças judias:




O site PALLYWOOD desmonta a propaganda "palestinianista":
www.pallywood.com


O que querem os inimigos de Israel? Que os judeus façam fila para se deixarem massacrar pelos terroristas do Hamas, da Fatah, da FPLP, do ISIS, da Al-Qaeda, do Hezzbollah, e de todos os milhentos grupos terroristas que cercam Israel e atacam a única democracia do Médio Oriente?
A China tem neste momento 10 milhões de muçulmanos em campos de extermínio. A Rússia trata-os com a mesma mão de ferro. Os Estados Unidos, a França, o Reino Unido, todos os países atacados pela jihad, bombardeiam populações civis para matarem terroristas. Os muçulmanos exterminam-se mutuamente. Os muçulmanos exterminam todos os não-muçulmanos. E os jornalistas bocejam... 

Terroristas do Hezzbollah, grupo dedicado à destruição de Israel, fazem a saudação nazi. Para a jornaleirada, são uns gajos porreiros.

Não chega que Israel use padrões humanitários ridículos, que mais ninguém usa, para lidar com os terroristas.
Os judeus hoje já não fazem fila para as câmaras de gás, defendem-se dos seus inimigos e VENCEM, apesar de Israel ser apenas 0,4% do Médio Oriente e de os judeus serem 0,02% da Humanidade, ao passo que os muçulmanos são 25%, e todos viverem para destruir Israel.


Os judeus são povo nativo de Israel, com uma presença ininterrupta há 3800 anos.
A patranha soviética da "Palestina Árabe" continua a enganar quem quer ser enganado:

 

A Mentira Soviético-Palestina 


Poderíamos sugerir aos jornaleiros que estudassem a HISTÓRIA DE ISRAEL.
Se eles se dispusessem a estudar, e não fossem pagos para mentir, poderiam também ler este livro:





E se duvidassem, poderiam investigar por conta própria, para saber quem fala VERDADE.
Mas os jornaleiros, mais os seus amigos nazis, comunistas, islamistas, globalistas e antissemitas em geral, querem lá saber da VERDADE... Mesmo que tenham cérebro para lerem um livro inteiro e para procurarem a verdade com sentido crítico e raciocínio lógico, escolhem conscientemente o ódio genocida.

Os jornaleiros:


 "Trá-lá-lá-lá-lá.. Não-estou-a-ouvi-ir!!!"


Nem a papinha toda feita, em vídeo, os consegue convencer a deixarem a propaganda e abraçarem a realidade:

 

O que dói aos jornaleiros é que Israel é a nação mais antiga do Mundo, e continua a existir, apesar de ser a mais fustigada da História, alvo de gente como o Stalin, o Hitler, o Haman, o Maomé e tantos outros que tentaram extinguir os judeus.
Os antissemitas, não podendo matar Deus, matam os judeus, o povo mais pequenino do Mundo, o último a quem Deus propôs ser o porta-estandarte do monoteísmo, e o único que aceitou.
Israel continuará a existir. Não por mérito dos judeus, que são apenas gente como qualquer outra gente. Mas porque Deus assim quer. Os jornaleiros, os Stalins, os Hitleres, passam. Israel fica.
E como Deus não dorme, os adeptos das Trevas terão o devido pagamento pelo Mal que propagam. Até ao último tostão. Lembrem-se disso, jornaleiros, quando chegar a hora de se encontrarem com o vosso Criador.



Israel - o primeiro Estado indígena do mundo moderno