sábado, 23 de julho de 2016

Massacre de Munique - Terrorismo ou não, eis a questão!

1. "SERÁ UM ATAQUE TERRORISTA?..."


"Última Hora: CNN dá conta de um homem armado a gritar 'Allahu Akbar' e a executar crianças."
  
Ontem, na Alemanha, mais um muçulmano aos gritos de "Allahu Akbar" e a matar infiéis. Como em Nice, em Bruxelas, em Paris, em Tel-Aviv, em Jerusalém, em Fort Hood, em Orlando - como em todo o Mundo, todos os dias.
Não tem nada a ver com o Islão, claro! Nunca tem! É sempre uma coincidência que os terroristas que todos os dias matam, torturam, mutilam, estupram, escravizam, sejam muçulmanos aos gritos de "Allahu Akbar".


10 mortos, para já, é a contabilidade desta manifestação de afecto muçulmano*.
* - re-citando um conhecido comentador da CM-TV e colunista do Crescente da Manhã, "os muçulmanos são melhores que nós, porque eles têm o afecto".
Ontem parecia que estávamos num hospital psiquiátrico planetário. Enquanto o terrorista executava crianças em Munique, os jornaleiros, os politiqueiros e os comentadeiros diziam que "talvez se tratasse de um ataque terrorista"
Um homem a disparar sobre a multidão é o quê? Uma performance de arte vanguardista? Uma partida de Carnaval em Julho?

2. "É UM ATAQUE TERRORISTA!"


No vídeo amador que foi entretanto divulgado, um alemão fala com o terrorista, e a dada altura ouve-se alguém dizer "Malditos estrangeiros!". Aí passou logo a ser um ataque terrorista!
Em estado de transe e júbilo, os jornaleiros, comentadeiros e politiqueiros afiavam já a moca para desancar os racistas dos europeus, que não sabem ser exterminados pelos terroristas em ordem e silêncio!

3. "AFINAL, JÁ NÃO É UM ATAQUE TERRORISTA OUTRA VEZ"..."
A partir do momento em que foi confirmada a identidade do terrorista, as suas motivações muçulmanas e os seus gritos de "Allahu Akbar", deixou outra vez de ser um ataque terrorista e passou outra vez a ser um "incidente".
Um "incidente" meramente fortuito, que, a ter algum responsável, será o capitalismo, o colonialismo europeu, possivelmente até o canto tirolês - mas nunca, jamais, o Islão! 

Todas estas senhoras, de mãos no ar, têm todo o aspecto de quem anda a matar inocentes em nome de Alá. A Polícia sabe que não, mas tem ordens para ser politicamente correcta.

4. E SE TIVESSE SIDO MESMO UM ATAQUE TERRORISTA NÃO MUÇULMANO?
Se num país muçulmano algum cristão levasse a cabo qualquer destes massacres com que a Religião da Paz nos presenteia diariamente, a comunidade cristã seria imediatamente varrida (quem diz cristãos diz outros "infiéis" quaisquer - nos países muçulmanos em que eles ainda sobrevivem).
Um dia destes - ESPERAMOS BEM QUE NÃO!!! - ninguém está livre de algum europeu desesperado resolver pagar na mesma moeda. E será a guerra civil. 
Se algum europeu decidir que já chega, e resolver agir por conta própria, os muçulmanos, como é sua característica, redobrarão a fúria do terrorismo com que diariamente nos fustigam.
Para eles, matar, torturar, perseguir, estuprar e escravizar "infiéis", é louvável (porque o Alcorão assim ordena, e os clérigos muçulmanos também). Mas se um "infiel" ripostar, isso é uma ofensa irreparável que exige vingança.

O "mártir" e "herói" de Munique apenas cumpriu os mandamentos do Islão.

5. O QUE QUEREM OS LÍDERES POLÍTICOS?
A avaliar pelo comportamento dos nossos responsáveis políticos, dir-se-ia que estão a fazer todo o possível para que estale mesmo uma guerra civil.
Tal como Obama fez nos Estados Unidos (onde proibiu a Polícia de investigar o terrorismo islâmico), na Europa os muçulmanos também gozam de estatuto de seres superiores e inquestionáveis.

A senhora Merkel continua a importar jovens muçulmanos em idade militar, que semeiam o terror e o caos na Europa. PORQUÊ? 

A Polícia recebe ordens para não investigar os jihadistas, e para perseguir quem se opõe à islamização do nosso continente.
Se alguém souber o que é que eles querem, avise. É que o povo há muito que se interroga.
------------------------
O que é que cada um de nós pode fazer para evitar a submissão ao Islão - e a consequente escolha entre morte e escravidão -  e para evitar a guerra civil?

Na nossa opinião:

- Devemos continuar a prestigiar as nossas autoridades policiais (que tantas vezes têm demonstrado a sua abnegação e sentido de dever).
- Devemos espalhar a palavra sobre a realidade do Islão e da islamização, contrariando a narrativa islamista e politicamente correcta da Imprensa mainstream.
- Devemos apoiar líderes políticos capazes de salvar o Mundo Livre. 
- Devemos apoiar as duas soberanias-chave do Mundo Livre: Estados Unidos (de regresso à democracia, depois de dois mandatos do islamista Barack Hussein) e Israel (a única democracia do Médio Oriente, guarda avançada do Mundo Livre no meio do imenso continente islâmico).

Esta geração de políticos e opinion-makers, jornalistas e académicos, está falida. Submeteu-se. Acabou.

A Islamização da Europa e do Mundo


Adivinha: decapitam inocentes e brincam com as cabeças. Qual será a religião deles?

Brevemente numa rua perto de si, se não ACORDAR!


Não há justificação para que a ignorância continue. Devemos exigir novos líderes, que salvem o Mundo Livre.
Confirme:

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Obama é um apologista da ideologia tóxica do Islão

Os colonos muçulmanos que aportam ao Mundo Livre avisam explicitamente que não aceitam a nossa cultura e que vêm para nos dominar. Os lideres políticos e religiosos muçulmanos avisam que a nossa Civilização tem os dias contados e que o Islão vai dominar-nos. Os ex-muçulmanos avisam-nos do perigo que corremos.
Vemos todos os dias novos massacres, agressões, estupros, motins, o sofrimento, o caos e o medo generalizado nos nossos países.Vemos todos os dias cristãos, budistas, judeus, sikhs - não-muçulmanos, em suma - a serem trucidados pelo mundo fora.
E ainda assim, os jornalistas ignoram o óbvio e injectam-nos doses cavalares de Obamismo. E ainda assim, os comentadores e os políticos insistem em nos anestesiar com vacuidades rectóricas. E ainda assim NÃO ACORDAMOS!


 Obama - "O meu trabalho aqui está terminado!"

Obama é um "apologista" da ideologia tóxica do Islão, diz um professor muçulmano que foi violado e espancado por  ser gay.

Eu estou aqui para o recrutar para lutar contra a intolerância islâmica. Eu não quero que você continue silencioso. Quero que grite comigo um NÃO à ideologia islâmica.


Eu sou agora um ex "moose" (termo usado para designar ex-muçulmanos), uma bicha, um maricas, que está faz soar a campainha de alarme. Estou triste, mas não surpreendido pelo Massacre de Orlando. Não me surpreende porque  conheço muito bem a rectórica de ódio que está por detrás (a tóxica ideologia islâmica).

No meu país de origem, o Paquistão, quando eu ainda não era tão fabuloso como sou hoje – eu era um menino assustado. Eu fui estuprado, torturado e espancado por homens como Omar Mateen e Farrokh Sekaleshfar, porque eu era homossexual e porque o Islão precisava ser salvaguardado de animais sujos como eu. Eu era um cidadão da República Islâmica, um país cujos cidadãos pedem fervorosamente a implementação da Sharia, ou lei islâmica, que exige que sodomitas como eu (e alguns de vocês) sejam condenados à morte "por lapidação, que sejam atirados de um lugar alto, ou de um edifício em ruínas ".

Isso fez-me detestar o Islão - a sede de sangue, o ódio, a hipocrisia. Enquanto estava ainda no Paquistão, renunciei ao Islão, mas mantive a boca fechada. Tive que ficar em silêncio, ou teria sido silenciado. Matar-me teria sido um duplo deleite para uma jihadista muçulmano. Não só porque eu sou um pervertido sexual, mas um apóstata, que, de acordo com o Islão, não merece outra coisa que não a morte.

O Alcorão conta aos seus seguidores o terrível destino do povo de Lot, os homossexuais de Sodoma.
    
Na verdade, vocês aproximaram-se de homens com desejo, em vez de mulheres. Por isso, vocês são um povo transgressor. (7:81)

    E desencadeámos sobre eles uma chuva [de pedras]. Em seguida, vede como foi o fim dos criminosos. (7:84)

Em seguida, o Alcorão diz aos seus seguidores:  
   Se dois homens entre vós são culpado de lascívia, puni-os a ambos. Se eles se arrependerem e mudarem, deixai-os em paz; porque Alá é Remissório Misericordiosíssimo. (4:16)
Os apologistas islâmicos vão dizer-lhe que essas leis são contra a violação homossexual. Eles vão dizer-lhe que o problema é a sua má interpretação, preconceituosa, do texto do Alcorão, que não olha ao contexto. Você deve responder-lhes que não é você que prescreve as punições severas para os homossexuais, mas os preciosos estudiosos islâmicos que sabem o Alcorão melhor do que os apologistas.
Você deve, então, mostrar-lhes as injunções da Sharia contra a homossexualidade. O único debate no Islão sobre a homossexualidade é que como é que um homossexual deve ser morto.
Os companheiros de Maomé, Abu Bakr e Ali, consideravam que as bichas deviam ser queimadas até à morte. Ibn Abbas, primo de Maomé, era da opinião de que deveriam ser atiradas do topo do edifício mais alto da cidade (imagine uma chuva de homens vinda da Estátua da Liberdade, uma fantasia islâmica tornada realidade).
Se os apologistas ainda insistirem que essas interpretações são falaciosas quanto à natureza do Alcorão, você deve apenas dizer-lhes:
"Eu apresento-vos o que é dito no Alcorão e o que os crentes mais fiéis do Islão prescrevem. Se vocês acreditam que essas interpretações estão erradas, não discutam comigo, discutam com os chamados estudiosos que interpretam o Islão desta maneira. Estou apenas a mostrar-vos o que o Islão diz sobre a homossexualidade".

E se um apologista, como Barack Obama, tentar silenciá-lo dizendo que condenar o radicalismo islâmico não vai servir de nada, diga-lhe que o silêncio é igual à morte.
O primeiro passo para combater uma ideologia viciosa é nomeá-la, para torná-la visível. Se uma ideologia não é nomeada, ela não pode ser criticada. Se ela não pode ser criticada, ela ganha poder. Quando se ganha poder, o derramamento de sangue acontece. Conte a um apologista a minha história.
Candidatei-me e obtive asilo nos Estados Unidos, e juntei-me à Academia.
E tornei-me o menino bonito dos justiceiros sociais de esquerda do Departamento de Humanidades. Pensei que os meus camaradas de esquerda se juntariam a mim na luta contra a regra hegemónica patriarcal islâmica, mas tive uma decepção.
Eu queria contar a minha história como um conto preventivo, mas fui proibido e silenciado. Foi-me dito que eu não entendia os meandros do Islão. Foi-me dito que eu tinha herdado a islamofobia dos meus amos imperialistas. Foi-me dito que eu sou Fox News. O Islão nunca fez nada de mal, disseram-me eles – o problema é a pobreza, a privação de direitos, o imperialismo ocidental, a reacção contra o colonialismo cisgénero branco, até mesmo o aquecimento global. Mas nunca o Islão.
Enquanto milhares de pessoas em todo o mundo são assassinadas porque o Islão inspirou os seus assassinos, a culpa nunca foi do Islão.
Eles já tentaram fazer da tragédia Orlando um problema de controle de armas, de masculinidade tóxica, de homofobia do assassino, eles querem fazer desta tragédia  qualquer coisa, menos consequência da ideologia tóxica do Islão.


Os seus detractores vão dizer que a maioria dos muçulmanos são boas pessoas. Sim! A maioria dos muçulmanos são pessoas boas, porque a maioria dos muçulmanos não segue o Islão correctamente.
Não os deixe desviar a conversa, não deixe que o silenciem. Eduque-se sobre o Islão. Critique essa ideologia.

Por Uzi Fasadi

 Uzi Fasadi é o pseudónimo literário de um ex-muçulmano
gay

Publicação original: “Obama Is ‘Apologist’ for Islam’s Toxic Ideology, Says Muslim Teacher Who Was Raped, Beaten for Being Gay,” by Uzi Fasadi, Heat Street, June 22, 2016

Diversos sites reproduziram este artigo. Por exemplo: 

Gay ex-Muslim: “Toxic Islamic ideology” behind Orlando jihad massacre

, By

Nunca na História houve acesso a tanta informação, documentada com testemunhos, fotos, vídeos, espectadores directos que estão vivos e contam o que presenciaram. Nunca, na História,  houve tanta gente a fazer absoluta questão de ser enganada.
O site The Religion of Peace regista os ataques que ocorrem todos os dias em nome do Islão. Estão disponíveis, com todos os dados, a cada dia, cada semana, cada mês e cada ano.
Em Junho deste ano, por exemplo, registaram-se 238 ataques islâmicos, morreram 2055 vítimas e 2006 ficaram gravemente feridas. Os ataques suicidas foram 43 e os países atingidos foram 33.
Desde o século 7, o Islão já ceifou mais de 270 milhões de vidas inocentes (entre estupros, torturas, mutilações e atrocidades de toda a ordem). O Islão é a ideologia mais imperialista, supremacista e assassina que a Humanidade já conheceu. 
Confira a actividade terrorista islâmica nos últimos 30 dias, deste ano e dos anos precedentes:
 Last 30 Days
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010
2009
2008
2007
2006
2005
2004
2003
2002
2001 (Post 9/11)

Não há justificação para que a ignorância continue. Devemos exigir novos líderes, que salvem o Mundo Livre.
Confirme:
 

Israel é uma ilha de liberdade e democracia no meio do vasto oceano do Mundo Islâmico. Israel é apenas 0,17% do Mundo Muçulmano em área, mas é a guarda avançada do Mundo Livre na região.
APOIE ISRAEL!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Intifacada na Alemanha e em Israel - Porquê o duplo padrão?


Ataca alemães? É terrorista! Ataca israelitas? É herói! Porquê a diferença de tratamento, se os atacantes (os jihadistas) e os motivos (a jihad), são os mesmos?

Esfaqueamento na Alemanha, esfaqueamento em Israel: Porquê o duplo padrão?
Anteontem, um terrorista islâmico na Alemanha tentou assassinar pessoas com um machado. Fizemos um post sobre esse ataque:

Intifacada na Alemanha - Ainda há esperança para o MUNDO LIVRE?

Este ataque foi semelhante a muitos ataques recentes em Israel - inseridos na campanha de assassínio que designámos como INTIFACADA.
Se foi semelhante, porque é que foi relatado na Imprensa de forma tão diferente? Os editores da HONEST REPORTING (agora em Português!) fazem a pergunta:


Na secção  que denominámos INTIFACADA temos compilado algumas das centenas de ataques contra cidadãos israelitas em Israel, e a forma como os jornalistas fazem parecer que foram os terroristas islâmicos as vítimas, com títulos enganadores, com a repetição de chavões como "o alegado ataque terrorista", ou "as autoridades israelitas dizem que", e outros ainda mais obscenos - ainda mais nazis, porque não dizê-lo?

Halel Ariel, de 13 anos, foi assassinada por um terrorista islâmico igual em tudo ao que atacou alemães à machadada. Os jornalistas esconderam o ataque, fizeram crer que foram israelitas que atacaram os colonos árabes muçulmanos, esconderam as habituais celebrações dos terroristas. Esconderam e escondem tudo, sempre.

E assim, o terrorismo contra os israelitas continua a ser rentável para os jihadistas, porque tem o apoio garantido de políticos, comentadores, académicos e jornalistas ocidentais. Ver por exemplo: 

O Hamas e a Guerra da Propaganda Global

A classe profissional dos jornalistas, que se gaba tanto da sua ética, é basicamente constituída de anti-semitas e pró-terroristas como o do post anterior.


--------------------------

'POGROM' DIGITAL E CEGUEIRA ESPIRITUAL 
QUATRO COMENTÁRIOS DE YOUTUBERS AO VÍDEO ACIMA:

- O anfitrião deste vídeo está errado quando diz que a maioria das pessoas só quer que as notícias sejam comunicadas de forma justa e com precisão, especialmente quando se trata de fontes como a MSNBC, a BBC ou a RT de Putin -  Russia Today (RT). (...) É essencialmente um pogrom digital.
- O que quer que Israel faça, é sempre retratado como o mau.
- Um Mohammed usou um camião em Nice, França, para trucidar inocentes. O ISIS, em seguida, elogiou os palestinos pela ideia de utilizar veículos para trucidar peões. O ISIS também agradeceu aos palestinos pelas inovações dos cintos de suicídio, pelos carros-bomba e pelos esfaqueamentos com ferramentas de uso doméstico. Como é que as mamãs e papás palestinos se orgulham de que os  seus filhos disfuncionais "inventem" algo original como matar, cometer suicídio e assassínio em massa? Não admira que os palestinos estejam sempre a usar o dinheiro da ajuda internacional para construir monumentos na Judeia, Samaria e Gaza, para elogiar os seus assassinos como heróis. Quem é que ainda não ligou os pontos? Os islamitas radicais em todo o Ocidente e na Europa e os radicais islâmicos em Israel aka "palestinos" são a mesma coisa.
- É uma cegueira espiritual
 
É realmente cegueira espiritual - mais do que doutrinação de extrema-esquerda e extrema-direita, mais do que jornalismo assassino, mais do que simples ódio atávico, mais do que ignorância milenar ou hábito adquirido.
Correndo o risco de ser catalogado como "fanático religioso" (a classificação moderna para quem crê em Deus e não despreza a cultura judaico-cristã), cito:

Isaías 5

20 Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Francisco J. Gonçalves - ISLAMONAZISMO no CORREIO DA MANHÃ!



O Hezbollah e o Hamas são grupos terroristas, criminosos, islamistas e nazis. Não é segredo para ninguém, e até consta das respectivas "Constituições". Mas o Chiquinho do CM... apoia-os!!!
Leia este grande artigo do blog O OVO DA SERPENTE:

Citamos:
"Depois de legitimar a luta do Hezbollah e do Hamas contra Israel (não considerando estes dois grupos como terroristas) Francisco J. Gonçalves utiliza um dos argumentos mais queridos da estirpe anti-semita e neo-nazi: o mito de que os Judeus dominam o mundo, começando pelos EUA."


APOIO AO TERRORISMO NO CORREIO DA MANHÃ

O JORNALISMO dos nosso dias é o puro ofício de mentir a favor de quem paga mais - ou da forma que vende mais. E o CORREIO DA MANHÃ, apesar daquele seu ar gingão não politicamente correcto, também precisa de vender papel.
Nesse intuito, e porque o anti-semitismo vende, não se priva de deixar fugir o pé (ainda mais) para a chinela, e permite-se traquinices como a manchete mais tristemente ridícula de todos os tempos, que entrou directamente para a Galeria da Abjecção Mediática: 

"SARGENTO DE BAIXA PSIQUIÁTRICA MATA COM ARMA ISRAELITA POR UMA BOLA DE BERLIM"


Muitos outros exemplos (diários) haveria para comentar. Mas como temos um fraquinho (confessamos) pelo jornalismo não-chato do CORREIO DA MANHÃ, só de vez em quando é que citamos as atrocidades jornalísticas dessa publicação sobre a problemática em apreço:

Correio da Manhã PERPETRA!

A mutilação genital do Correio da Manhã

O Jornalismo assassino de que falámos

CSI: Bolas de Berlim

Terrorista abatido, Imprensa ACORDA!

Etc...


Todos os jornaleiros malham em Israel e nos judeus, e se arrojam aos pé de deus Alá. Mas este Francisco J. Gonçalves não hesita em assumir-se - para além do mentiroso propagandista e odiador antissemita que é - como um apoiante dos bandos terroristas islâmicos e nazis Hamas e Hezbollah! Onde é que iremos parar?...
Se houver um novo Holocausto, novos pogroms, o CORREIO DA MANHÃ terá grandes responsabilidades (e eles ralados; assim até vendem ainda mais papel!).
Quanto ao Chiquinho do CM, esse, tem 40 moças de olhos negros à sua espera no Paraíso de Alá. 



(Agora a sério, Chiquinho: estás bem lixado quando tiveres que comparecer diante de Deus! Nem o Alá, nem o Estaline, nem o Louçã, nem o Lobitinho Incha Lá que como tu também é apoiante do Hezbollah, te valerão... ).

PROTESTE (EDUCADAMENTE, SE POSSÍVEL) CONTRA MAIS ESTA POUCA-VERGONHA:

cartas@cmjornal.pt
geral@cmjornal.pt
redaccao@cmjornal.pt
direccao@correiomanha.pt
octavioribeiro@cmjornal.pt
eduardodamaso@cmjornal.pt

Entidade reguladora para a Comunicação Social:  

info@erc.pt

Procuradoria-Geral da República

 Departamento Central de Investigação e Acção Penal -

Rua Alexandre Herculano, 60 1250-012 Lisboa - Portugal
Tel: 21 384 70 00 * Fax: 21 384 70 48


Post-Scriptum: Diz o JN de hoje:
"A Europol destacou esta quarta-feira as "repetidas ameaças" do Estado Islâmico a Portugal e Espanha e considerou que ataques semelhantes aos de Paris podem ocorrer num "futuro próximo" na UE."
O motivo pelo qual os islamistas nos atacam, é o mesmo pelo qual atacam Israel e os judeus. É pela guerra santa aos não-muçulmanos.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Intifacada na Alemanha - Ainda há esperança para o MUNDO LIVRE?

1. OS GEBOS E AS SOMBRAS



Os gebos comentadeiros que ontem se afadigavam, como todos os dias, nas mais doutas mesas-redondas, na TV, a isentar o Islão de culpas no Massacre de Nice (que já levou bem mais que as 84 vidas previamente anunciadas), foram surpreendidos por mais um episódio da jihad nossa de cada dia.
Um "homem" atacava pessoas à machadada, num comboio, na Alemanha.

O "homem" em questão - que só por mero acaso era muçulmano, claro! - urrava Allahu Akbar enquanto esquartejava carninha infiel.

Eis o refugiadinho fofinho da Religião da Paz:


Para os gebos islamófilos, Muhammad Riyad é apenas mais um que:

a) Não compreende o Islão

b) Usa o Islão indevidamente

c) É apenas doido

d) Teve acesso a um machado e uma faca, e portanto esses utensílios devem ser proibidos (porque é a "cultura deles" matar infiéis quando têm facas e machados à mão).

Ter também em atenção que:

e) Não aconteceu nada e foi tudo inventado pela CIA e pela Mossad  

f) A culpa é "nossa" (não sabemos porquê, mas entretanto havemos de inventar qualquer coisa)!

Porque o o Islão não pode, em circunstância alguma, ser responsabilizado pelo que prega e pelo que faz!


  2. "O LADO DELES (PÁ!)"
"Ó pá, mas tu tens que ver o lado deles..." - dizem os que são doutrinados pelos gebos a amar as sombras do Islão e a odiar o Mundo Livre.
Ora vamos lá ver o "lado deles"...
Traduzimos e condensamos do MIRROR:

Ataque à machadada em comboio alemão
Um vídeo divulgado pelo ISIS mostra Muhammad Riyad, de 17 anos, a proferir um discurso em pashto para a câmara enquanto segura uma faca.

Rios de sangue (mas como é o popular MIRROR que dá a notícia, não conta)

A Polícia ainda não confirmou sua identidade (ou seja: porque é muçulmano, a identidade foi censurada pelas autoridades alemãs).
O ISIS chama-lhe 'o soldado do Estado Islâmico que realizou o ataque em Wurzburg '.
O vídeo mostra Muhammad Riyad dizendo que vai matar 'infiéis' à facada.
Muhammad diz: "Eu sou um soldado do Califado e vou realizar um ataque suicida na Alemanha".
"Ó Kufar, o tempo passou, quando tu vinhas à nossa pátria e matavas os nossos homens, as nossas mulheres e os nossos filhos. E os teus governantes apóstatas ficavam em silêncio sobre esses massacres".

- Sério? Quando? Enquanto o Islão ceifou 270 milhões de vidas inocentes - por exemplo no Holocausto dos Cristãos Arménios?
O Islão é uma ideologia esquizofrénica, que mata e acusa os outros de matarem, que invade e acusa os outros de invadirem, que é intrinsecamente diabólica e acusa os outros de o serem.
É este o "lado deles". Pá.

Continua o adepto da Religião da Paz:

"Esse tempo agora acabou. Agora, o Califado Islâmico foi estabelecido no Iraque, Al-Sham, Khorosan, Líbia e Iémen, e, graças a Alá, os soldados do Califado vão-te apanhar".
"Eles vão-te matar na tua própria terra, vão viver na tua casa, destruir as tuas leis e conquistar os teus países. Nós vamos matar-vos em cada vila, em cada cidade e em cada aeroporto, Alá seja louvado".

POST-SCRIPTUM: O vídeo anterior foi retirado pelo lóbi islamista. O vídeo do suicida a dizer que iria atacar gente à machadada em nome do deus Alá, é um vídeo que "não pode ser visto pelos infiéis". vamos ver quanto tempo este se aguenta:


SALVAR O MUNDO LIVRE
 Dezenas de pessoas foram atingidas pelo jihadista:

Em breve teremos ataques a vingar a "execução arbitrária de um pacífico muçulmano" que sé estava a ser um bom muçulmano:

Pelo menos 21 pessoas ficaram gravemente feridas neste ataque à facada e à machadada.
O terrorista foi abatido.
Aplicando o mesmo raciocínio que o Mundo aplica a Israel e à INTIFACADA islâmica, se o terrorista morreu, e a Polícia conseguiu evitar mortos alemães, então o terrorista tem razão e a Alemanha deve ser condenada pela ONU, pela EU, pelos partidos políticos, pelos jornalistas e pelos comentadores e pelo gato e pelo cão!
Cabe a cada cidadão com sentido de responsabilidade e dignidade, pugnar para que esta classe política, jornalística, académica e afins, receba uma guia de marcha para o Irão, para a Turquia, ou para qualquer desses paraísos que não se cansam de louvar, e dê lugar a quem possa, ainda, salvar o Mundo Livre.
----------------------
 REFUJIADISTAS


Os "refugiados" e o Holocausto dos Cristãos

Enquanto vos escrevemos, uma mãe e duas filhas foram atacadas à machadada por um "refugiado" marroquino, em França. Estão em estado grave. O motivo? Não andavam todas tapadas com véus.
Enquanto vos escrevemos, estão a decorrer chacinas, torturas, estupros, mutilações, horrores Dantescos que o Islão distribui generosamente há 1,400 anos.
Os gebos comentadeiros, jornaleiros, politiqueiros e academiqueiros, são pagos para nos instruir de que o Islão, em caso algum, pode ser a causa do que o Islão prega e faz - então que vão para lá e nos deixem em PAZ!
Lá, nos países islâmicos, cortam cabeças de cristãos e outros "infiéis". Cá, são pobres "refugiados". E "sírios", mesmo que venham de Marrocos, do Afeganistão, da Mauritânia ou do Paquistão!

 Não queremos ter muitas visitas. Preferimos encorajar as nossas visitas a que procurem e explorem sites como estes:


Israel é a guarda avançada do Mundo Livre. 

Apoie ISRAEL!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Portugal: Racistas querem abolir a Polícia (entre outras coisas)




João Delgado, Kitty Furtado, Mamadou Ba e Sadiq S. Habbib exigem, entre outras coisas a "abolição total da PSP e da GNR e sua substituição por mecanismos de garantia da segurança colectiva, baseados nas comunidades".
em O OVO DA SERPENTE:

Movimento negro quer abolir a PSP e a GNR


O grupo de racistas subscritores do texto, intitulado "Da celebração ao Combate", termina com uma promessa que sugere terrorismo: "Estamos aqui para todos os combates que for necessário travar (...) usando todos os meios ao nosso alcance. Ainda não conquistámos nada".

  Lembramos, a propósito, o:

"Nzingalis"

- Mais uma vez, a extrema-esquerda e o Islão, unidos para destruir a nossa Civilização. Ou o movimento racista-islamista 'Black Lives Matter' (as vidas de pessoas de outras cores não interessam) a alastrar ao resto do Mundo!

- Caso não saiba, nos Estados Unidos, estão a ser abatidos polícias brancos e negros todos os dias. Por muçulmanos negros racistas. Todos os dias. Com o endosso do terrorista islâmico Barack Hussein Obama. E da organização terrorista islâmica CAIR, financiadora do Hamas, que o Obama permite que seja legal!



A poucos meses do final do mandato, o terrorista islâmico OBAMA acelera a destruição do Mundo Livre.

A propósito também, e via LURA DO GRILO:

Desastre Obama

  • Caos no Iraque e tragédia na Líbia e Síria.
  • Perda de um dos importantes aliados: o Egipto.
  • Uma catástrofe de imigração para a Europa.
  • Ocultação da colaboração da Arábia Saudita com o terrorismo.
  • Uma ditadura a ganhar fôlego na Turquia que, manobrada por um louco, sonha reconstituir o império Otomano.
  • Perda eventual da Turquia como aliado.
  • Excitação de ódios raciais nos EUA.
  • Uma economia americana periclitante quando podia singrar graças a energia barata.
  • Um acordo com o Irão que liberta o último de todas as amarras que o impediam de desenvolver a arma nuclear.
  • Colaboração com o extremismo islâmico.