domingo, 23 de novembro de 2014

GRRRRRRRRR...

 


"ROUBAVA MAS TINHA PULSO"

José Sócrates, sinistro ex-primeiro-ministro de Portugal, foi preso. Ouvi dizer na rua, ontem de manhã, quando fui ao pão. As pessoas andam tristes. Vem aí o Natal e conta-se os tostões. De sapatos cambados e roupas coçadas da loja chinesa, algumas almas generosas ainda atiram que "Não é só ele a roubar...". Como se a generalização do crime justificasse o criminoso. Outros calam-se, prudentemente, que o medo dos socialistas ainda está no ar. Meti os pés ao caminho. Já se deve chorar pelo homem que nos meteu na miséria mas que "tinha pulso".

O bom povo pela-se por autocratas. Gosta de levar umas vergastadas bem aplicadas por qualquer Pai Tirano. Dá-lhes segurança. Cá um (que era) das nossas relações, que "não gosta de padres" mas que é viva caricatura de cura de aldeia, recomendava "que se orasse muito pelo nosso irmão Sócrates, que a gente sabe lá o que custa governar"... 

E tínhamos todos que calar imperiosamente qualquer comentário sobre o auto proclamado "Animal Feroz", o chefe da pandilha cuja rapacidade levou Portugal à mendicidade, ao ridículo e à humilhação internacional. Que levou crianças a viver com meio copo de leite por dia e famílias inteiras de gente honrada a pernoitar em vão de escada.

Já sobre o Passos Coelho, o mesmo pio senhor se encarrega de fazer a sua campanha, qual uma metralhadora de insultos e despropósitos que roçam a demência. Não deve ser filho de Deus e nosso irmão, o rapaz suburbano de Massamá, um teso que nunca sonhará comprar casas de luxo no quarteirão mais caro de Paris (imagem à esquerda).

À noitinha, fiz um zapping rápido pelos canais de TV, só para confirmar as minhas suspeitas (óbvias).

Paulo Morais dizia que não é precisa investigação criminal ou judicial para aferir dos crimes cometidos pelo Animal Feroz e pelo seu governo - se é que se pode dar tal nome a um bando assim de gulosos, digo eu...

Acrescentava Morais que basta que se consulte o Diário da República para se constatar boa parte dos crimes. Citou o exemplo das Parcerias Público Privadas, com cláusulas secretas, um 'esquema' inconcebível num país normal, que vai garantir paulatino e obsceno roubo ao país durante décadas. Com a objectividade do costume, chamava a atenção para os númerozinhos: por cada milhão de "luvas" foram 20 milhões roubados - e quem vai repor o saque?

SOCIALISTAS

Nem vamos enumerar a lista dos escândalos em que o Animal Feroz esteve envolvido - antes, durante e após ter sido primeiro-ministro de Portugal, o país mais antigo da Europa, que ainda não há muito tempo era ouvido pelo Mundo e o enfrentava sozinho, sem pestanejar, qual um Israel.

E falamos só da pilhagem mais grossa. Não vamos falar das teias de favores e favorzinhos, dos jobs para boys e girls, dos institutos e fundações, da sangria desatada que engordou todas as sanguessugas do "aparelho".

Ao mesmo tempo, a perseguição pidesca das vozes dissonantes. E a mesquinhez no tratamento dos mais fracos. Aquela pobre funcionária autárquica obrigada a ir trabalhar, de muletas, doente, amparada pelos pais, enquanto uma desconchavada elite de garotos tiranetes pagos a peso de ouro pelos contribuintes passeava a sua incompetência boçal pelas empresa públicas e pelo Estado.

"Os socialistas gostam muito de bater nos fracos. Nos frágeis. É porque é fácil e é rápido. E gostam muito de ajudar os amigos. Os amigos do partido ou os amigos de certos grupos e de certas empresas. São muito ávidos dessa ajuda e muito ávidos de bater nos fracos.
A política chegou a um estado de quase indecência. Portugal precisa de se defender é de José Sócrates".
António Barreto - socialista

HIGIENE

A perseguição à Imprensa, à liberdade de expressão, foi das faces mais visíveis entre as faces ocultas do regime socialista do Animal Feroz. Este senhor, que tem exposto com sabedoria e método o saque feito ao país a coberto do regime democrático, teve, entre outras peripécias, um livro proibido em Portugal. Foi acossado, perseguido, processado.

"Escudado num aparelho Judicial ainda menor e temente ao poder Executivo, num advogado – Proença de Carvalho – sedento de reconhecimento público na área da Comunicação Social, com um último sonho chamado televisão, e manipulando como títeres múltiplos anões mentais, que semeou desde o Parlamento à ERC, José Sócrates julgou-se intangível" - escreve hoje o director do Correio da Manhã

Nem vamos comentar, para não corarmos mais, as tristes figuras do Labrego Feroz a correr pela Praça Vermelha, com o trânsito fechado em honra de Sua Excelência, ou os seus disparates de labrego cuspilhados perante políticos estrangeiros, que já nem faziam cerimónia de se rirem a bandeiras despregadas das palermices do Tontinho da Covilhã:


Das dezenas de motoristas fortes e espadaúdos, então, não falaremos, por razões elementares de decoro e higiene pública.

"MISSA SATÂNICA"

De resto, pelas Televisões, só o Salazarismo provinciano pós-modernaço e a cores, a rectórica enfatuada, podre e mole, dos doutores deste regime, das moscas que mudaram, a 25 de Abril de 1974.

Os doutores da mula russa, defensores dos oligarcas desta democracia de nome, circunavegavam a roubalheira, a corrupção, a ditadura Socrática, e martelavam nas imagens da detenção.

Uma pessoa importante, como Sócrates, não pode ser detida em público. Mais: não pode ser detida de todo! Ai que a "marca Portugal" vai sofrer! Ai que é uma vergonha internacional! Ai que isto é um terramoto político! Ai que o Mundo vai acabar! 


Estava triste...

A nota de humor negro a coroar a comédia negra foi um pesaroso Santana Lopes, com os seus olhos perpetuamente aquáticos quási rasos d'água, ao qual só faltou a gravata negra - como alguém disse. Contristado, Santana carpia a sua funda mágoa pelo incómodo para a democracia que representa a detenção de um ex-chefe de governo. E blablabla, com os seus olhares dengosos de cachorrinho abandonado, que arrasam os corações das tias todas. O maroto.

Eduardo Cintra Torres comentava o clima de velório que vai pela televisão SIC. E não deixou de comentar o «cancelamento» do programa que a RTP ofereceu (com o nosso dinheiro) ao Sócrates. Não é um cancelamento - explicou Cintra Torres - a RTP é que não pode providenciar que a "missa satânica" de Sócrates seja transmitida da prisão.

ACEITA-SE APOSTAS

Hoje, é claro, os pontas de lança da esquerda caviar, primus inter pares do mais tachista, cabotino e repulsivo que há na nossa Imprensa e no nosso país, choram discretamente a prisão do seu Menino de Oiro. O destrambelhado Daniel. A intragável Clara. And so on. Aguarda-se nova opus da impagável Eduardinha Maio *...

Felícia Cabrita, com todos os seus defeitos, deu forma ao meu modesto pensamento: se todos os dias vemos cidadãos anónimos que são levados pela Polícia, em directo na TV, porque não pode este cidadão ser detido? Não somos afinal uma democracia?

É claro que não somos. Somos uma oligarquia de políticos espertalhões e seus apaniguados, que se reúnem a pretexto de actividades maçónicas para retalhar o país, e que estão acima de tudo - de nós, da Lei e do Estado.

E aceita-se apostas sobre o dia em que o homem será posto em liberdade. Ainda o voltaremos a ver a fumar a bordo dos aviões da TAP!Se ainda houver TAP.



* Eduardinha para todo o serviço:


Capacidades de Israel pertencem à Humanidade




Com alguma regularidade, temos dado notícias do combate ao Ébola levado a cabo por Israel. Neste post, por exemplo:

Ébola - Israel na vanguarda da cura 

Mas vão chegando muitas outras notícias sobre este combate, que as mais das vezes têm que ceder prioridade às dos ataques terroristas que fustigam Israel diariamente. Povo valente e generoso, este, que é atacado pelos terroristas com fogo, pelos jornalistas com difamação, e continua  fazer o Bem, sem olhar a quem.

O papel de Israel na luta contra a epidemia foi louvado pelo Secretário geral da ONU, Ban Ki-Moon. Na imagem: Ron Prossor, Embaixador de Israel na ONU, dirige-se à Assembleia.

Israel continua a sua missão humanitária, levando a cabo a "Operação de Recuperação Completa", com o envio de equipamento médico para salvar vidas na parte de África atingida pelo ébola.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel anunciou que Israel enviou dois contentores de equipamentos médicos para os três países mais atingidos pelo vírus Ébola: Serra Leoa, Libéria e Guiné. (...)

O equipamento inclui clínicas móveis com uma capacidade de 20 camas cada, incluindo equipamento de protecção, um veículo e todo o material necessário para iniciar o tratamento de pacientes imediatamente.

Israel enviou também equipas médicas para os Camarões e para a Costa do Marfim, para aconselhar os residentes locais sobre como lidar com situações de emergência e prevenção de surtos epidémicos.

Gil Haskel, chefe da MASHAV, Agência de Israel para a Cooperação para o Desenvolvimento Internacional, afirmou que o projecto "expressa a dedicação de Israel ao combate internacional contra o vírus Ébola. Assim como Israel se comprometeu em missões em áreas desastre no passado, e à luz da vasta experiência de Israel no campo da Medicina, Israel ofereceu o seu apoio aos países em necessidade desta vez também."


Paciente de ébola recebe tratamento
'Capacidades de Israel pertencem à Humanidade'
"A luta contra a propagação do vírus Ébola faz parte da visão do Ministério dos Negócios Estrangeiros de ajuda às pessoas onde quer que estejam, e do reforçar dos laços de Israel com vários países", acrescentou Haskel. "Israel tem um conhecimento médico único, e estamos preparados para o oferecer a todas as nações do mundo. As capacidades de Israel pertencem à Humanidade, e Israel é um membro activo e pioneiro da comunidade internacional. "
Os esforços de Israel na luta contra o surto de Ébola em 2014 foram reconhecidos no mês passado pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon: "A contribuição de Israel irá desempenhar um papel crucial no aumento da qualidade do atendimento e acessibilidade às vítimas", afirmou Ban Ki-Moon.

O maior surto de Ébola da História
A epidemia de 2014 é o maior da História, afectando vários países da África Ocidental. A Organização Mundial da Saúde divulgou um relatório sobre a situação, em 5 de Novembro, que contou com um total de 13.042 casos confirmados, prováveis e suspeitos de doença vírus Ébola (EVD), que têm sido relatados em seis países afectados.
4.818 mortes confirmadas. Nos três países mais afectados - Serra Leoa, Libéria e Guiné - a transmissão do EVD continua persistente e generalizada, especialmente nas capitais.

Esta é outra grande história sobre Israel ajudando o Mundo, que o Mundo precisa conhecer. Com toda a imprensa negativa sobre Israel, cabe-nos a nós divulgar boas notícias sobre Israel
Via United With Israel

- Este será decerto mais um post do nosso blog que vai bater recordes de visualização. As notícias sobre avanços médicos costumam ser das mais apreciadas pelos nossos leitores e amigos. Quem nos dera que este pequeno país, este pequeno povo tão entusiasta e laborioso, pudesse estar como nós, portugueses, livre do risco diário de terrorismo, guerras e ataques atómicos, e pudesse dar-nos a todos mais contributos felizes, mais boas notícias.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Pedido das famílias dos quatro rabinos assassinados




As viúvas e órfãos dos quatro rabinos que foram mortos no massacre na sinagoga em Jerusalém esta semana escreveram uma carta aberta apelando à solidariedade e à unidade nacional:
Com corações partidos, lavados em lágrimas derramadas sobre o sangue derramado pelos nossos familiares, apelamos aos nossos irmãos onde quer que estejam - juntemos-nos para que possamos merecer a misericórdia do Céu, cultivemos o amor e o companheirismo, entre cada indivíduo e cada comunidade.
Pedimos que cada pessoa que se aceite a si mesma nesta véspera de Sábado (parashá Toldot, Novembro 21-22, 2014), que observe o dia do Shabat como um dia de amor incondicional, um dia durante o qual vamos abster-nos de palavras de desacordo e divisão, de palavras de intriga e acrimónia.
Que este Sábado sirva para elevar as almas dos nossos maridos e pais, que foram massacrados enquanto santificavam o nome de Deus.
Que Deus olhe para nós, veja o nosso sofrimento, enxugue as nossas lágrimas e ponha fim às nossas tribulações.
Que possamos merecer ver a vinda do nosso Mashiach (Messias) rapidamente em nossos dias. Amém.
Assinado, com o coração dilacerado
Sra Chaya Levin e família
Sra Bryna Goldberg e família
Sra Yaacova Kupensky e família
Sra Bashy Twersky e família


 Além destes quatro homens morreram no massacre um jovem polícia e uma criança.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Quanto mais me decapitas, mais gosto de ti!



É este o estado actual da nossa civilização. Quando uma pessoa se passeia pela Universidade de Berkeley com uma bandeira do ISIS, a dar vivas ao tenebroso Estado Islâmico, que enterra e queima gente viva, que degola pessoas no meio da rua, por diversão, que compra e vende meninas de 1 ano para escravas sexuais, etc., etc., etc., e morras ao Ocidente, nada acontece. O problema é quando pega numa bandeira de Israel, a minúscula e única democracia do Médio Oriente, o povo mais perseguido e massacrado da História! Aí sim, é condenado! Talvez porque os israelitas insistam em não se deixar extinguir, o que é uma ofensa para o Islão!

Terroristas de Gaza em celebração das recentes chacinas de israelitas em Jerusalém e o camarada Chico Louçã e outros terroristas esquerdistas e islamistas, em manife de apoio aos terroristas do Hamas, em Lisboa.

EXTREMA-ESQUERDA, NAZISMO E ISLÃO - A MESMA LUTA, A MESMA OBSESSÃO ANTISSEMITA, O MESMO CULTO DO MAL.
 
Terroristas islâmicos, as novas rock stars do Ocidente bem.pensante!

"O melhor revolucionário é o jovem desprovido de qualquer moral".
 Lenine


- Iá, Arafat e quê, tás a ver?...
É desta massa de hippies comunistas de sandálias que é feita a base de apoio do Hamas, do ISIS e da jihad islâmica no Ocidente. É desta massa que são feitos os cretinos que vão para as ruas com os islamistas fazer manifestações e 'pogroms' contra Israel, em todo o mundo. Alguns (sobretudo algumas, no Al-Público e assim) até passam por jornalistas.
Por muito que o ISIS os decapite, ou talvez por causa dessa tara masoquista, eles AMAM de paixão o Islão!

Massacre em Jerusalém, Festa em Gaza!


Os habitantes de Gaza, apoiantes massivos do bando terrorista Hamas, do ISIS e de tudo quanto seja terrorismo islâmico, queridos entre queridos da Imprensa Mundial e de muita opinião pública ocidental, celebram mais esta chacina de judeus, os tais "infiéis" que o Corão define como «filhos de macacos e porcos».

Quando o líder terrorista islâmico global Osama bin Laden mandou desviar os aviões de passageiros e os atirou contra as Torres Gémeas e o Pentágono, assassinando milhares de «infiéis», o regozijo em Gaza foi o mesmo:


Mas é disto que certa opinião pública e a Imprensa gostam!

Um trio de terroristas entrou numa sinagoga e procedeu ao massacre inocentes, a tiro e à machadada, causando 5 mortos (um jovem polícia israelita druzo sucumbiu entretanto aos ferimentos) e mais 8 feridos graves - ver posts anteriores: 

Mais uma chacina em Jerusalém

Hamas celebra chacina na sinagoga 

24 órfãos - Hamas distribui doces

Abbas, o Biface

A visceralmente antissemita Imprensa mundial, tem estado silenciosa, neste e nos ataques anteriores, ou então tem referido, como de costume, que "Israel abateu palestinos".

De facto, dois dos terroristas foram abatidos no local. E um conseguiu fugir. Talvez os detractores de Israel quisessem que os judeus fizessem fila para se deixarem matar, como nos bons tempos do Tio Adolfo...

Um outro aspecto que sobressai da "cobertura jornalística" de mais esta atrocidade tem sido o ignorar as vítimas e exaltar as lágrimas de crocodilo do mandante do crime, o mega terrorista Mammoud Abbas, a epítome do antissemitismo e do Nazismo no Médio Oriente.

Neste vídeo, do aniversário do bando terrorista Hamas, em 2013, o terrorista Abbas exalta o terrorismo, o Nazismo - na pessoa de Hitler e do Grande Mufti de Jerusalém (aliados no Holocausto e no plano nazi de domínio global), e exorta, como sempre, à extinção de Israel  e dos Judeus:


Enquanto ele publica as habituais felicitações aos terroristas e se junta à festa, depois de ter ordenado os crimes, Imprensa diz que ele lamenta o ocorrido. É muita má-fé!

Contamos em breve dar-vos uma breve panorâmica da cobertura jornalística do evento. Este é o dia a dia das crianças israelitas, permanentemente alvos de bombas, atiradores furtivos e outros assassinos. A Imprensa Mundial, os políticos, organizações como a Amnistia Internacional (uma associação antissemita e comunista), nada dizem. Quando Israel responde, indignam-se. Não passam de NAZIS. Até o Hitler tinha mais dignidade que essa gente. Não era hipócrita, assumia-se como discípulo do Mal.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Abbas, o Biface

 

Abbas é um terrorista. Abbas esteve envolvido em inúmeras operações de massacre de judeus. Abbas dirigiu e financiou os massacres das Olimpíadas de Munique. Abbas é um antissemita consumado, que quer fazer do imaginário Estado da "Palestina" uma zona "livre de judeus" - tal como Hitler. Abbas recebe os assassinos de judeus como heróis e recompensa-os principescamente. Abbas é um cínico.
Tido no Ocidente como um «moderado» - porque assim convencionou a máquina de propaganda antissemita, Abbas condenou este ataque para ocidental ver. Mas para dentro do mundo islâmico, a conversa foi outra. Como sempre.
O Partido Fatah de Abbas comemorou o ataque terrorista brutal contra uma sinagoga de Jerusalém:

O Partido Fatah, de Abbas, chama ataque terrorista em Jerusalém "uma operação abençoada" (Foto: Facebook)

A condenação de mais este ataque terrorista em Jerusalém é desonesta, considerando também, por exemplo, que Abbas louvou a recente tentativa de assassinato do rabino Yehuda Glick, um activista pelos direitos civis iguais para pessoas de todas as fés no Monte do Templo.
Abbas elogiou Hijazi, o autor dos disparos, e enfureceu-se contra as forças de segurança israelitas que abateram o terrorista na cena da tentativa de assassinato. "Muatez Ibrahim Hijazie ... subiu para os céus como um mártir", disse o terrorista Abbas, parceiro de Israel nas negociações de paz mediadas pelos EUA.

Outro terrorista, o da Casa Branca, não teve uma palavra para condenar mais este massacre.
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, imediatamente a seguir ao massacre, acusou Abbas de ter desempenhado um papel significativo no ataque, não obstante as palavras de condenação para consumo externo.

No dia 18 de Outubro de 2014, Abbas apelou a que os árabes usassem todos os meios para impedir os judeus de entrarem no Monte do Templo. E a onda de violência e vandalismo começou.
"Este é o resultado directo do incitamento liderado pelo Hamas e por Abu Mazen [ 'nom de guerre' de Abbas], o incitamento que a comunidade internacional está de forma irresponsável a ignorar. Vamos responder com mão pesada ao brutal assassinato de judeus que vieram para rezar e foram vítimas de assassinos", declarou Netanyahu. 
 Escusado será dizer que a Imprensa internacional retirou de todos estes assassínios, apenas a promessa de "mão pesada" de Netanyahu. Tal como a George Bush após o 11 de Setembro, é exigido ao P.M. de Israel que acate passivamente a chacina dos seus compatriotas.

Após o incitamento de Abbas, que detalharemos em próxima oportunidade (hoje isto já vai longo), até o ISIS não se coibiu de mostrar a sua presença no lugar mais sagrado do Judaísmo... onde cristãos e judeus não podem orar livremente:


Foto recente do ISIS no Monte do Templo

24 órfãos - Hamas distribui doces

VIVER PARA MATAR


Em Gaza é sempre assim: judeus chacinados, festa rija!

Quatro rabinos foram trucidados a cutelo e a tiro, 24 crianças ficaram órfãs, 8 pessoas ficaram gravemente feridas. O bando terrorista Hamas, responsável pelo massacre, celebra efusivamente com a colaboração do clero e do povo, que apoia massivamente os movimentos terroristas.

Em Gaza, em Belém, em todas as regiões ocupadas pelos colonos racistas muçulmanos, há fogo de artifício e distribuição de doces nas ruas. Os pais dos dois assassinos irromperam em júbilo quando souberam da morte dos rebentos terroristas. Consideram-nos «mártires» e crêem que já estão no Paraíso, a fornicar perpetuamente centenas de donzelas de olhos pretos.

O Islão não é uma religião; é um sistema totalitário que regula todos os aspectos das sociedades que domina. Os terroristas celebram, os clérigos celebram, o povo celebra, as crianças celebram. A desgraça dos infiéis é a única alegria destas vidas. O objectivo único destes seres é chacinar infiéis, de modo a aceder às putativas donzelas. 

Os judeus, definidos no Alcorão como «filhos de macacos e porcos», dão direito a um suprimento extra de donzelas. É esta a ÚNICA razão deste conflito e de todos os conflitos que os muçulmanos causam desde há 1400 anos: morrer a matar.



Para os islamistas, todos os pretextos são bons. Os cartazes e cartunes comemorativos deste massacre declaram que o motivo do ataque foi a «defesa» da mesquita de Al-Aqsa, construída sobre o lugar mais agrado do Judaísmo, num dos costumeiros actos de sacrilégio da "Religião da Paz".

 "DIVERSÃO"

"Alá não criou o homem para que ele pudesse divertir-se. O objectivo da criação foi a Humanidade a ser posta à prova por meio de sofrimento e oração. Um regime islâmico deve ser sério em todos os campos. Não há piadas no Islão. Não há humor no Islão. Não há diversão no Islão. Não pode haver diversão e alegria no que é grave" 
Aiatolá Khomeini


A campanha de cartunes comemorativos também já é um clássico. Sabemos que no Islão não há nada de engraçado, mas a chacina de judeus é a excepção que confirma a regra. Como pode haver gente de bem que apoie o Hamas? Não há!

HAMAS É ISIS; ISIS É HAMAS

O Mundo já acordou para a realidade do Islão - pelo menos parcialmente - desde que os bárbaros do ISIS começaram a servir-nos decapitações quase todos os dias, nos noticiários da noite

O Mundo das pessoas normais, pois o Mundo das extremas-esquerda e direita, até fazem manifestações de apoio ao ISIS, como vos mostrámos aqui há tempos.

Mas o Mundo, intoxicado pela propaganda mediática anti-Israel, tarda em perceber que o Hamas, o Hezzbollah ou a Fatah, são a mesmíssima coisa que o ISIS, o Boko-Haram ou a Al-Qaeda. As lutas entre eles são lutas para ver quem primeiro nos submete, escraviza, estropia e assassina. A bússola que os guia é o Alcorão, é o Islão. E o Islão é isso mesmo.


A diferença entre o Hamas e o ISIS é que o objectivo a curto prazo do Hamas são os judeus, o povo que o Corão define como "filhos de macacos e porcos". Outras diferenças, não há:


Mosab Hassan Yousef, filho de um destacado líder do Hamas, tem sido uma das vozes mais activas a denunciar essa corrida islâmica ao domínio global. Neste vídeo, ele explica que o Hamas não quer convivência pacífica com Israel, não quer a destruição de Israel apenas, quer liderar o domínio global do Islão:




O Hamas não passa de um bando islamista supremacista terrorista antissemita:

 
 O NAZISMO VIVE

O sucesso do Hamas (que, como todas as instituições terroristas "palestinas", é sustentado em boa parte com os impostos dos "infiéis" - ou seja: NÓS!), deve-se unicamente à sua vocação nazi. Os muçulmanos colaboraram na II Grande Guerra ao lado de Hitler e os bandos terroristas como o Hamas ou o Hezzbollah são abertamente nazis. O Nazismo acabou na Europa, mas vive no Médio Oriente, através do Islão.

Neste cartaz do Hamas pode ler-se: «JERUSALÉM TEM SEDE, E ESSA SEDE SÓ SE SACIA COM SANGUE».
A campanha de incitamento ao terrorismo contra os israelitas segue a todo o vapor. Há canções de exortação ao assassínio, na Internet e noutros meios de comunicação, há a campanha da jihad automóvel, de que já falámos um bocado, há o apelo às crianças para matarem judeus, etc., etc., etc..


O semanário Al-Hayat Al-Jadida, da Autoridade "Palestina", publicou este cartune em que o pai diz ao filho que a purificação antes das orações se faz apedrejando judeus. 
O terrorista Sami Abu Zuhri, um porta-voz do Hamas, é um dos muitos que elogiou o ataque, que nas suas palavras foi é reacção natural à "ocupação". Num post no Facebook, apelou à continuação dos ataques contra civis e soldados israelitas.

O terrorista Mushir al-Masri, também porta-voz do Hamas, chamou ao ataque de "acto heróico".

O terrorista Husam Badran, responsável pelas relações públicas do Hamas, descreveu o ataque como uma "acção de qualidade."

Os terroristas do Hamas e da Fatah (do terrorista e tido por «moderado» Mammoud Abbas) continuam a apelar aos ataques.

Hamas celebra chacina na sinagoga




MASSACRE NA SINAGOGA
Quatro rabinos israelitas foram brutalmente assassinados enquanto faziam as suas orações ontem de manhã em Jerusalém. O ataque causou ainda oito feridos. Esta está a ser a pior onda de terror dos últimos anos em Jerusalém.   
As vítimas: quatro rabinos e um jovem polícia druzo, que acabou por sucumbir aos ferimentos provocados pelos terroristas.
Os terroristas muçulmanos entraram na sinagoga, no bairro de Har Nof, em Jerusalém ocidental, e atacaram a congregação com facas e cutelos, enquanto disparavam indiscriminadamente sobre os presentes. 

A polícia israelita chega ao local
Dois terroristas foram mortos no local por polícias israelitas. As forças de segurança procuram um terceiro terrorista.
Os terroristas dispararam sobre os primeiros médicos e paramédicos que chegaram ao local.
Ambos os terroristas são residentes de Jerusalém Oriental. A IDF Radio relata que são cidadãos israelitas, com bilhete de identidade israelita.

  ATAQUE A CUTELO E A TIRO

Meios médicos evacuam feridos em Jerusalém
Aryeh Shavit, um dos médicos de urgência que chegaram primeiro ao local, disse: "Os dois terroristas entraram na sinagoga e atacaram os fiéis que oravam, com os seus xales de oração e filactérios. Nós fornecemos o tratamento médico inicial às vítimas com várias lesões. Infelizmente, muitos deles estão gravemente feridos. A resposta rápida por parte da polícia de Israel neutralizou os terroristas. Foi um ataque à machadada e a tiro".
Um dos fiéis presentes durante o ataque relatou que os muçulmanos entraram na sinagoga durante o serviço religioso gritando "Allah Akbar".
Imagens  da tragédia AQUI.

HAMAS CELEBRA O ATAQUE


  
Bárbaros muçulmanos celebram a morte dos inocentes que oravam
O bando terrorista racista supremacista islâmico Hamas celebrou o ataque (como sempre faz) alegando que se tratou de  em resposta ao suposto "assassinato" de Hasan Ramouni, um motorista de autocarro árabe que cometeu suicídio esta semana. O Hamas apelou entusiasticamente à continuação dos ataque terroristas contra cidadãos israelitas.

Decorrem as celebrações "palestinas", nomeadamente em Gaza, de mais este ataque terrorista. Os altifalantes das mesquitas entoam louvores aos "mártires", e multidões de bárbaros percorrem as ruas com machados e fotos dos assassinos.


Os rostos do Mal
 Os media "palestinos" estão a celebrar efusivamente o massacre cometido pelos terroristas Ghassan e Udai Abu Jamal (na imagem), dois assassinos pertencentes a um pequeno bando do bairro de Jabal Mukaber, em Jerusalém.


OS CARTUNES DO COSTUME
Como sempre acontece nestas ocasiões, os terroristas islâmicos locais (Hamas, Fatah, etc.) estão a lançar cartunes comemorativos do terrorismo, que os apoiantes ocidentais também reproduzem com igual satisfação: