sábado, 18 de abril de 2015

Porquê, Papa Francisco?

Asia Bibi com as filhas

Notícia do site católico ADELANTE LA FE
É isto que merece a família de Asia Bibi?
O Papa Bergoglio recebe (e repetidamente) Scalfari, recebe Maradona, recebe Paolo Brosio, recebe um cantor argentino, recebe um transsexual espanhol (com a noiva) recebe um mar de outras pessoas. 
Mas não recebe o marido e a filha de Asia Bibi, que estão em Roma. Para eles, apenas uma saudação fugaz depois da audiência geral na Praça de S. Pedro, de pé, por detrás das barreiras.
Uma pobre mulher cristã que se encontra há seis anos numa cela escura, com uma sentença de morte assustadora sob os seus ombros, apenas por ser cristã, não merece tão pequeno gesto...
Tenho uma palavra... e não é nada agradável. A tristeza destes tempos é interminável. Mas um dia todos teremos que comparecer ante a Justiça de Deus.
Antonio Socci




Lembramos que Asia Bibi foi condenada à morte  por ter bebido de uma fonte da qual se servem habitualmente mulheres muçulmanas, usando um recipiente "delas"

É assim que os muçulmanos tratam os cristãos, quando estão em maioria. Não se iludam com os sorrisos e as falinhas mansas que eles usam até atingirem a marca crítica dos 10%. O Islão manda falar bem aos infiéis "mas com o coração cheio de ódio", até se estar em condições de os submeter.

 O PAPA, A ISLAMIZAÇÃO E O HOLOCAUSTO CRISTÃO


Vale a pena ver este post do blogue católico O Catequista!


- Lembramos que decorre no Médio Oriente e em África o maior Holocausto da História - o dos cristãos, exterminados diariamente pelos muçulmanos. Veja a nossa secção ISIS, que, aliás, dá apenas breves pinceladas do horror.

- Lembramos que o ISIS ameaçou o próprio Papa de morte. 

- Lembramos que o Papa aprovou a luta armada contra os terroristas islâmicos do ISIS.

- Lembramos que o Papa Francisco tem sido um grande apoiante da "imigração" de muçulmanos para a Europa - a  sua primeira visita oficial até foi a Lampedusa, onde os muçulmanos fazem cocó nas panelas dos cristãos*). Ainda esta semana, 15 "imigrantes" muçulmanos atiraram 12 cristãos aos tubarões.

- Lembramos que não fazemos a mínima ideia do que vai na cabeça do Papa Francisco. Faz-nos lembrar a generalidade dos líderes mundiais de hoje; ou são desinformados, ou parece que estão a esconder alguma coisa...

* - Mas em Itália, e com o Papa a absolver o Islão de quaisquer culpas, os muçulmanos também defecam nos altares, atacam fiéis, destroem e urinam sobre estátuas de Maria, Mãe de Jesus.


999 

A petição estava há pouco "encalhada" nas 999 assinaturas. 

Vamos lá assinar!

Contra a construção de mais uma mesquita em Lisboa

Loendro Sionista?

Alô, botânicos...

Precisamos da vossa ajuda.

Quando deparámos acidentalmente com esta flor, ficámos deveras surpreendidos:


Trata-se da flor do loendro (Nerium Oleander) - também conhecido como oleandro, loandro, aloendro, loandro-da-índia, alandro, loureiro-rosa, adelfa, espirradeira, cevadilha ou flor-de-são-josé.

E, como podeis constatar, tem a forma de uma Estrela de David, a mesma que consta da bandeira de Israel

Encontrámos este exemplar no site do Projecto Noé (olha que coincidência engraçada!), e pergunta-mo-nos se todas as flores do loendro passam por esta fase, ou se se trata de um capricho da Natureza.

Fomos logo a correr para o jardim - onde temos vários loendros - e nem uma flor assim!

Boa semana para todos :)

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Porquê lembrar o Holocausto?


O United States Holocaust Memorial Museum lançou este poderoso vídeo sobre a História do Holocausto, explicando porque não devemos esquecer ou permanecer em silêncio diante da perseguição.

O Holocausto aconteceu numa
Europa moderna, civilizada e democrática - o último lugar da Terra em que seria de esperar que ocorresse o genocídio de milhões de pessoas. Como o vídeo explica, se ficarmos em silêncio, poderá acontecer novamente. Milhões de pessoas ainda estão a sofrer horrores em todo o mundo.


Entre 1915 e 1918, 2.2 milhões de cristãos arménios foram enforcados, decapitados, crucificados, mortos à fome, pelos islamistas.  Este genocídio inspirou Hitler na sua limpeza étnica dos judeus. Agora mesmo, no Médio Oriente, decorre o que alguns especialistas já classificam como o maior Holocausto da História - a continuação da limpeza étnica dos cristãos pelos islamistas.
A Imprensa institucional abafa ou informa parcialmente. Há capitais árabes-muçulmanos em boa parte dos media ocidentais. E há medo - aliás, compreensível. Mas também há cumplicidade e fidelidade ao Islão. Da parte da opinião pública, há muita indiferença. Há muito egoísmo.
Nunca devemos esquecer o Holocausto nazi e temos de continuar a denunciar a continuação do Holocausto dos cristãos no Médio Oriente, a dos Tibetanos às mãos da China comunista, e todos os Holocaustos que ainda assolam o mundo. Ignorar e não agir, é pactuar e agir com o Mal.

A propósito: 
ASSINE E DIVULGUE A PETIÇÃO CONTRA A CONSTRUÇÃO DE MAIS ESTA MESQUITA EM SOLO NACIONAL!

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Dia Oficial do Holocausto e da Bravura

 “Ouvi anciãos, e prestai atenção! Vós todos, que habitais a terra. Foi no vosso tempo que isto se passou, ou no tempo dos vossos pais? Contai aos vossos filhos, e que eles o contem aos filhos deles, e os filhos destes à geração seguinte.”  
Joel 1, 2-3


Polónia: mulheres judias levadas para serem fuziladas na floresta.


Se guardássemos um minuto de silêncio por cada vítima do Holocausto, ficaríamos em silêncio durante 11 anos e meio.

VIVER E MORRER COM HONRA. A HISTÓRIA DO GUETO DE VARSÓVIA:



Levantamento do Gueto de Varsóvia (1943)
No verão de 1942, cerca de 300.000 judeus foram deportados de Varsóvia para Treblinka.
Quando relatos dos assassinatos em massa no campo da morte chegaram ao Gueto de Varsóvia, começou a  formar-se uma resistência armada, que conseguiu contrabandear uma pequena quantidade de armas para dentro do gueto. A 14 de Nissan de 1943, os 35.000 judeus remanescentes do gueto de Varsóvia (dos originais 450.000) organizaram uma rebelião armada, e rechaçaram os nazis com uma chuva de balas, quando estes se aprestavam para levar a cabo a remoção final de todos os judeus.
A resistência judaica durou 27 dias. Uma barricada heróica foi feita num bunker subterrâneo sob o nº 18 da Rua Mila, onde centenas de combatentes, incluindo o líder Mordechai Anilevitch, de 24 anos, encontraram a morte. Embora o gueto tivesse sido incendiado inteiramente em 3 de Iyar, uns poucos sobreviventes esconderam-se nos escombros e dispararam contra os nazis durante mais dois meses.
Em tributo ao levante, o governo israeleita designou o dia 27 de Nissan como “Dia Oficial do Holocausto e Bravura”, e em muitas comunidade judaicas o dia é observado como um dia anual de recordação do Holocausto.
Porém, devido à proibição haláchica de conduzir panegíricos e outros eventos de luto no mês festivo de Nissan, o Rabinato Chefe de Israel e muitas comunidades judaicas observam o dia 10 de Tevet como dia de luto e lembrança dos seis milhões de mortos, que incluem muitas pessoas cujo yahrtzeit (data de falecimento) permanece desconhecido.
 Daqui.

ADORAM ODIAR

Esta imagem conta a história toda. Veja quem são os bons e quem são os maus. É óbvio que os judeus são os maus e "mereceram" o Holocausto, não é?

O antissemitismo, em toda a sua irracionalidade brutal, reacendeu-se, como que obedecendo a um comando invisível. Há indivíduos capazes de afirmar que o Levantamento do Gueto de Varsóvia, os campos de concentração, o Holocausto, nunca existiram. Milhares de horas de filmagens, milhões de fotos, milhões de testemunhos, os campos de concentração, que ainda lá estão, toda a documentação de factos ocorridos há apenas 70 anos, não sensibilizam os odiadores de judeus. O Holocausto não existiu. Ou se existiu foi merecido.


Ucrânia, 1942: Nazi assassina mulher judia com o seu bebé ao colo.


Há indivíduos que defendem que os judeus têm a obrigação legal e moral de se deixarem matar:
a) pelos árabes, em Israel;

b) pelos neo-nazis e pelos árabes, no resto do mundo. 

Polónia, campo de concentração nazi: mulheres e crianças judias despidas (para maior humilhação), em fila para serem mortas nas câmaras de gás. O politicamente correcto manda que se faça de conta que isto não aconteceu.

E que declaram (quiçá acreditam) que não são antissemitas. São "só" anti Sionistas. E não fazem a mínima ideia do que seja o Sionismo. E fazem questão de não saber.

Há indivíduos que acreditam que os judeus dominam secretamente o mundo, e põem por conta dos judeus cada contrariedade, cada promoção frustrada, cada corte no vencimento e cada subida de impostos.

Acabam a pregação, vão para a manifestação, de bandeirinha na mão, e rebentam em ódio contra o seu bode expiatório de eleição: os judeus. E perdem a cabeça se alguém menciona o Holocausto. Porque "devemos é cultivar a Paz".

E tal demência não depende da cultura, da ética e da inteligência. O antissemitismo é um profundo mistério. E é um caso sério.

Nada mudou.  Hoje é Dia Oficial do Holocausto e da Bravura. Para grande desgosto dos antissemitas, os judeus continuarão a exercer o seu direito de viver e respirar. 

Os poucos judeus que cá havia, estão a fugir da Europa. Uma horda de 52 milhões de muçulmanos ( que aumenta todos os dias), volta a aliar-se aos (neo) nazis, na Europa, para tornarem a vida dos judeus impossível. Os judeus fogem para Israel, de onde os mesmos muçulmanos e nazis também querem que eles saiam.

Se os judeus forem para o pólo Sul, para o fundo do mar ou para a Lua, podem estar certos de que os nazis e os muçulmanos vão lá atacá-los e exigir que saiam.

Cada "inocente" dos que são "só" anti-Sionistas, cada jornalista falsário, cada palestinianista ordinário, vale exactamente o mesmo que qualquer nazi que atirava judeus para o forno crematório. Cada "inocente" vómito antissemita que sai dessas bocas más, continua a mandar judeus para as câmaras de gás.

Esperai pela pancada, que Deus não dorme...

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Um passeio por Jerusalém


Um passeio virtual por Jerusalém, pela Cidade Velha, pelas antigas sinagogas, culminando no Muro das Lamentações, onde os Judeus oram desde 70 d.C., após a destruição do Segundo Templo.

A ligação judaica a Jerusalém está bem patente neste vídeo, belo e comovente. Algumas das sinagogas que aparecem no vídeo passaram por um processo de reconstrução, e alguns lugares mantêm-se inalterados desde o tempo do Segundo Templo.

Via United With Israel.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Gunter GraSS

“Uma grande quantidade de inteligência pode ser investida na ignorância.”
- Saul Bellow


Nunca temos gosto em falar de coisas desagradáveis. Hoje, tínhamos até planeado um post primaverial e prazenteiro. Mas a dura realidade interpõe-se, impiedosa, e lá vamos nós. Esperemos que os nossos amigos judeus tenham razão e que a Era Messiânica esteja aí à porta, para podermos finalmente dar largas ao nosso gosto por coisas alegres...

Morreu ontem Gunter Grass, antigo nazi das diabólicas SS, socialista, anti-democrata, anti-semita e escritor. Um escritor agraciado com o Prémio Nobel da Literatura, por sinal.

O foco deste post não é a morte deste canalha - que Deus o acolha na Sua paz e lhe perdoe os seus muitos crimes. O que pretendemos demonstrar, com mais este exemplo, e mais uma vez, é que a inteligência e o talento para as Artes ou para as Letras, nem sempre andam a par com a rectidão de carácter.

Uma amostra do pensamento do Gunter sobre o Holocausto:

 (...) «Mas a loucura e do crime não foram expressos apenas no Holocausto e não pararam no final da guerra. Dos oito milhões de soldados alemães que foram capturados pelos russos, talvez dois milhões sobreviveram e todos os outros foram liquidados. Havia cerca de 14 milhões de refugiados na Alemanha; metade do país foi directamente da tirania nazista à tirania comunista. Não digo isto para diminuir a gravidade do crime contra os judeus, mas o Holocausto não foi o único crime. Nós assumimos a responsabilidade pelos crimes nazis. Mas esses crimes infligiram desastres graves aos alemães e, assim, eles tornaram-se vítimas.»

Os nazis (como Gunter) invadiram o leste europeu e chacinaram multidões de inocentes desarmados. Os judeus eram forçados a cavar as valas comuns para onde eram lançados de seguida, alguns ainda vivos. 

Gunter compara a morte de carrascos invasores como ele, à de criancinhas, velhinhos, mulheres, homens, inocentes, lançados para as as valas comuns e para as câmaras de gás, sob torturas hediondas, apenas por terem nascido judeus. 

Isto define-o perfeitamente e sem mais delongas. Não chegou ao ponto de negar o Holocausto, como certos psicopatas, mas se calhar foi só porque não viveu mais tempo...

Para Gunter Grass, os demónios nazis que atafulharam valas comuns de judeus, ciganos, africanos, católicos, homossexuais e outros inocentes, equivalem moralmente às suas vítimas.

O mesmo se passa hoje, quando os anti-semitas põem em situação de equivalência moral os cidadãos de Israel, vítimas do terrorismo islâmico, e os terroristas islâmicos do Hamas, da Fatah ou do Hezzbollah. Isto quando não  apoiam abertamente os terroristas e condenam as vítimas, como faz a generalidade dos esquerdistas.

O torcionário Grass revelou, muitos anos volvidos, que quando esteve nas SS não sabia dos crimes que essas forças cometiam. Se calhar andou por lá sempre convencido de que se tratava de um clube de culinária, ou assim...


Terroristas do grupo islamista e nazi Hezzbolah, um dos muitos financiados pelo Irão

Não desistindo da sua veia anti-semita, assinou um "poema" contra Israel em que declarava que "o poder nuclear de Israel ameaça uma paz mundial já muito fragilizada." E pediu à Alemanha para não ajudar na "aniquilação" do povo iraniano.

A monstruosidade de uma declaração como esta torna-se difícil de comentar. O Irão é o patrocinador número 1 do terrorismo global, e ameaça diariamente destruir Israel, os Estados Unidos e o Mundo Livre. 

Pode procurar na nossa secção IRÃO. Ainda agora, o Irão declarou que "Apagar Israel do mapa não é negociável"

Já o José Saramago, outro canalha Nobelizado, tinha o mesmo ódio visceral a Israel (leia-se aos judeus). Quer dizer, há dois tipos de judeus de que eles gostam: dos judeus anti-semitas e dos judeus mortos. O problema da Esquerda é com os judeus que não se odeiam a si mesmos (Noam Chomsky, etc.) e com os judeus vivos.

Saramago abraça o seu ídolo Fidel Castro: Comunistas, nacional-socialistas, islamistas - os inimigos da Liberdade e da Democracia, meus amigos são.

Olavo de Carvalho sobre o sono e os sonhos de José Saramago: "Todo o mundo lusófono o ouviu roncando enquanto Stalin matava vinte milhões de russos, Mao sessenta milhões de chineses, Pol-Pot dois milhões de cambojanos."

José Saramago nutria uma reverência religiosa pelo comunismo e por carniceiros como Fidel Castro

Para José Saramago (como para qualquer militante comunista, nazi ou islamista), a Europa, os Estados Unidos, o Canadá, Israel, a Austrália, o Japão, o Mundo Livre, em suma, são prisões opressivas. Já a Coreia do Norte, o Irão, e outros  Impérios do Mal, são paraísos terrenos.

Esta gente vê o mundo ao contrário! Que Deus lhes perdoe... Que Deus lhes perdoe...

----------------------------------

P.S. - Uma mensagem de D. Afonso Henriques:

domingo, 12 de abril de 2015

7 Jihadistas Planeavam Ataque em Espanha

As células terroristas islâmicas continuam a planear ataques terroristas em toda a Europa - especialmente contra alvos judaicos. Desta vez, um ataque em Espanha foi frustrado.

As forças de segurança espanholas conseguiram frustrar um complot urdido pelos jihadistas islâmicos que planeavam um grande ataque contra uma livraria judaica em Barcelona.

As autoridades prenderam 11 pessoas na quarta-feira e apreenderam uma granada, facas, espingardas, munições e produtos químicos utilizados para o fabrico de bombas, durante buscas na região nordeste da Catalunha - revelou o juiz Santiago Pedraz num relatório. O relatório foi divulgado pelo juiz de instrução na sexta-feira, depois de sete dos suspeitos terem comparecido perante ele, em sessão do Tribunal à porta fechada. Enviou todos os sete para a prisão.

Os suspeitos, principalmente da cidade de Terrassa - a cerca de 30 minutos de carro de Barcelona - haviam formado um grupo a que chamaram de "Irmandade Islâmica para a Pregação da Jihad", ligada ideologicamente à organização terrorista Estado Islâmico (ISIS), disse o relatório.

 Um dos suspeitos após a detenção (AP/Manu Fernandez)

Um dos detidos teria elaborado os planos para atacar a livraria com a ajuda de um conhecido neo-nazi, disse o relatório.

Imagens de um hotel de Barcelona central, de uma esquadra de polícia e de um centro comercial foram encontradas no seu telemóvel.

Outros potenciais alvos do grupo incluíam sinagogas e edifícios públicos na região da Catalunha, afirma o relatório.

Três dos detidos foram libertados por Pedraz, e um suspeito de 17 anos de idade, identificada com um paraguaio a viver nem Espanha há oito anos, foi enviado para um centro de detenção juvenil. Seis dos sete adultos presos eram homens com cidadania espanhola; a sétima era uma mulher marroquina.
Forças Especiais espanholas durante a operação (AP/Manu Fernandez).

A polícia regional da Catalunha estava a acompanhar os membros do alegado grupo há mais de um ano.

O ministro do Interior paraguaio, Francisco de Vargas, disse sexta-feira que as autoridades estavam particularmente preocupados por um jovem com raízes paraguaias estar implicado.

Não há indícios de que ele tenha estado em contacto com grupos extremistas no Paraguai quando era mais novo, disse Vargas. No entanto, as autoridades paraguaias decidiram, como medida de precaução, intensificar as patrulhas na chamada Tríplice Fronteira, a parte do Paraguai que faz fronteira com Argentina e Brasil.

A região da Tríplice Fronteira é conhecida como um paraíso para os traficantes e conta com uma grande comunidade árabe. Autoridades norte-americanas dizem que é um centro para o financiamento de terror, uma alegação negada pelos três países sul-americanos.


Por: United With Israel e AP

----------------------

HOLLANDE AUTORIZA MAIS 2 MIL MESQUITAS EM FRANÇA!!!

Os líderes do Mundo Livre parecem ter sido tomados por uma estranha loucura. Repare bem:
Quase metade dos jihadista europeus no ISIS foram de França.
O que faz François Hollande, o Presidente da República?  Acaba de autorizar a construção de mais 2 MIL MESQUITAS em solo francês!
Não espere dos políticos qualquer tipo de preocupação com a SUA Liberdade! António Costa, o provável próximo Primeiro-Ministro de Portugal, garantiu o financiamento de uma nova mesquita em Lisboa com dinheiros públicos. COM O NOSSO DINHEIRO!

ASSINE A PETIÇÃO! PÁRE O ISLÃO!


O socialista António Costa financia mais um ninho de terroristas com o NOSSO dinheiro!

ASSINE E DIVULGUE A PETIÇÃO CONTRA A CONSTRUÇÃO DE MAIS ESTA MESQUITA EM SOLO NACIONAL!
É perfeitamente compreensível que tenha medo de assinar. Mas não assinar acarreta mais riscos. Não queremos terrorismo em Portugal!
Meter a cabeça na  areia e esperar que OS OUTROS façam alguma coisa, não resolve nada. Não resolveu quando Hitler subia ao Poder, não resolverá agora.
Relembramos que  não são apenas os judeus os alvos do Islão. Dê uma vista de olhos, por exemplo, no site do ex-terrorista muçulmano Walid Shoebat - RESCUE CHRISTIANS - e confirme o que o Islão  está a fazer por esse mundo aos cristãos.

A IGNORÂNCIA NÃO PROTEGE NINGUÉM!

ASSINE A PETIÇÃO CONTRA O TERRORISMO ISLÂMICO - AQUI.

Post-Scriptum:  Nesta altura, em que as forças de segurança são diariamente vilipendiadas pelos órgãos de desinformação de massas (que idolatram os bandidos e os terroristas) não esqueça que, se pode dormir descansado, é porque eles velam por si. Mal pagos, difamados pelos media e pela maior parte da Esquerda, eles velam por si. Apoie-os!

sexta-feira, 10 de abril de 2015

O Êxodo Moderno dos Judeus Etíopes



Um assunto que tem fascinado os historiadores ao longo dos séculos e até ao dia de hoje, tem sido a comunidade etíope que se designa a si mesma como "Beta Israel". Estes etíopes dizem-se descendentes dos Antigos israelitas e mantêm costumes descritos na Bíblia Hebraica.

Apesar das controvérsias acerca da origem desta comunidade, conhecida como dos "judeus etíopes", eles são agora parte da vida em Israel, e têm também uma história de Êxodo.

No início dos anos 70, o governo anti-religioso da Etiópia tornou a vida da comunidade judaica insuportável. Segundo o rabino Menechem Waldman, "o regime proibiu a prática do Judaísmo e a aprendizagem do Hebraico, e prendeu os líderes comunitários sob a acusação de serem espiões Sionistas. Fome, violência, horrendas condições sanitárias - o sofrimento dos judeus etíopes chamou a atenção do Mundo, e o governo israelita começou a fazer planos para os libertar".

Milhares de judeus etíopes fugiram da Etiópia para o Sudão, ajudados pelo governo de Israel, tal como outrora os judeus fugiram da escravidão no Egipto. Cerca de 4 mil morreram na jornada, muitas mulheres foram violadas e muitos foram atacados.

Nos anos 80, uma ponte aérea transportou milhares de judeus etíopes para Israel, na Operação Salomão. A 21 de Maio de 1991, durante um período de de 36 horas, 34 aviões israelitas, incluindo IAF C-130 e aviões de carga da El Al, transportaram 14.325 judeus etíopes para Israel.

Um avião da El Al transportou 1.122 passageiros, estabelecendo o recorde mundial de mais pessoas transportadas numa só aeronave. Hoje, 130.000 judeus etíopes vivem em Israel. Mais de metade já nasceram em solo israelita. Tal como a História do Êxodo, esta é uma jornada da opressão para a liberdade.

Bizu Riki Mullu, um israelita etíope, diz: "Ninguém compreende melhor a História do Êxodo do que nós. Cada dia na Etiópia era passado a tentar fugir para Israel".

Tal como os judeus escravos no Egipto, os judeus etíopes tiveram que fugir num ápice e estiveram sempre desprotegidos até chegarem a Israel. Mullu acrescenta: "Quando pensamos em como os Antigos Judeus viveram no deserto até chegarem a Israel, lembra-mo-nos da nossa fuga da Etiópia".

Na Páscoa, os judeus de todo o mundo vêem o Êxodo como se o tivessem vivido eles mesmos. No caso dos judeus etíopes, essa vivência tem um significado ainda mais especial.


A tradição pascal etíope é diferente e única. Antes da Páscoa, os judeus etíopes partem todos os seus pratos e fazem novos, como símbolo de ruptura com o passado. Os judeus etíopes continuam também a sacrificar cordeiros, e a sua ceia de Páscoa é mais festiva e menos estruturada que a das outras comunidades. os judeus etíopes só começaram a beber os quatro copos de vinho desde que um grupo visitou a Europa no século XIX.

Uma tradição que se mantém igual é a de se remover os produtos hametz (fermentáveis), e no geral, o Seder (ceia) é celebrado como nos tempos Bíblicos. Nesta altura do ano em que os judeus de todo o mundo recordam a Páscoa, é importante honrar a tradição dos judeus etíopes e o seu Êxodo dos tempos modernos.

Texto original de Rachel Avraham


Breve comentário: A história destes refugiados, acossados por todos os países da região, vítimas das maiores atrocidades, e acolhidos como cidadãos de pleno direito em Israel, serviu (como tudo serve) para acusações internacionais de RACISMO (!!!!!), dirigidas a Israel! Relembramos o post  'Denegrindo Israel de novo'

A mesma Imprensa e a mesma opinião pública que ignoram deliberadamente e legitimam como traço cultural o genocídio dos não muçulmanos em terras de Islão, não param de martelar o absurdo que desmontámos no post supracitado. 

O antissemitismo é uma feroz doença mental. Com a nossa propensão de nascença para estarmos sempre ao lado dos fracos e dos oprimidos, dos injustiçados e dos caluniados, não poderíamos deixar de estar ao lado de Israel. Ainda que nos custe a vida, assim será, sempre. 

Mais vale morrer livre do que viver escravo. Foi essa a lição que o Povo de Israel exemplificou, quando fugiu do cativeiro egípcio. Coincidentemente, o Deus Único, o Deus de Abraão, Isaac e Jacob, o Deus Verdadeiro, revelou-se logo a seguir, não a um homem, mas a todo um Povo, que transmitiu essa Boa Nova a todos os Povos do Mundo..
 

Após esta vida, não nos espera nenhum deus sanguinário de vingança e luxúria. Espera-nos, a TODOS, um Deus de Bondade. E Justiça...

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Coma a sua Mulher!!!



Há já uns tempos que neste blogue não jogamos ao Jihadroullete, que consistia em pegar ao acaso em meia dúzia de massacres ou outras barbaridades islâmicas e fazer um post. Não o fazemos porque ficávamos com um enorme sentimento de impotência. Porque a cada dia, a quantidade de HORROR que o Islão espalha neste Mundo é impossível de cobrir pela Imprensa profissional, quanto mais por um modesto blogue como o nosso! E porque a INDIFERENÇA do Mundo é chocante.

Deixamos essa tarefa para quem sabe mais que nós (ver barra lateral, secção O TERRRORISMO GLOBAL). 

Esta notícia, por exemplo, é uma dentre muitas que são moeda corrente no Islão:



O  xeque Abdul Aziz Al-Sheikh


Segundo diversos jornais, do Médio Oriente, o Grande Mufti da Arábia Saudita, o pedaço de homem que dá pelo nome de xeque Abdul Aziz Al-Sheikh lançou uma fatwa (um édito religioso), que permite aos maridos comerem as mulheres, se estiverem com fome.

Como o Islão permite a poligamia, um homem prevenido com muitas esposas vale por dois. E se forem bem gordinhas, melhor!

Este senhor é a autoridade máxima global em Lei Sharia, e, como tal, os muçulmanos de todo o mundo devem seguir as suas orientações, que incluem  outras maravilhas, tais como o «casamento» com meninas menores (o xeque é uma estampa, aliás; é o sonho de qualquer miúda de 16 anos).


Despensa muçulmana

Caro leitor,

Imagine que o Papa, ou o Dalai Lama, ou um grande pastor ou rabino, ditavam uma lei destas. Consegue imaginar a agitação que iria neste mundo?

Como é no Islão, a Imprensa e a opinião pública comem e calam. E isto é lá entre eles. Mas já publicámos aqui posts com provas do canibalismo dos cristãos, da extracção de orgãos a crianças vivas, do genocídio dos "infiéis" no mundo islâmico, dos leilões de meninas a partir de 1 ano para escravatura sexual, etc., etc..

O que será ainda preciso para as pessoas ACORDAREM? O que dirá a malta do Partido Comunista e do Bloco de Esquerda acerca disto? O que dirá a Ana Lopera, a que quer criminalizar o piropo?

Concurso Internacional de Cartunes sobre o Holocausto


A próxima potência nuclear não abdica de eliminar Israel
O Irão leva a cabo a segunda edição do seu festival de cartunes sobre o Holocausto. Negacionismo, anti-semitismo, terrorismo e genocídio, é o programa do regime dos aiatolas para Israel.
E não se pense que os artistas participantes neste festival vergonhoso são apenas oriundos dos países islâmicos. O Mundo Livre está também representado (Brasil, França e Itália destacam-se).
O senhor Massoud Shojayee Tabatabayee, (imagem à esquerda) secretário do Segundo Concurso Internacional de Cartunes sobre o Holocausto registou 839 concorrentes, até agora, entre cartunes e caricaturas.
Os primeiros lugares terão prémios de 12 mil, oito mil e cinco mil dólares.
Tabatabayee declarou que a iniciativa visa expor o duplo critério do Ocidente, que permite o "sacrilégio" da publicação de cartunes do profeta Maomé no Charlie Hebdo, mas é contrário a que se zombe e se negue o Holocausto.
Em 2006, o regime terrorista islâmico do Irão já tinha levado a cabo uma exposição idêntica, que registou participantes até dos Estados Unidos. Nessa altura o pretexto foi a publicação de cartunes de Maomé do jornal dinamarquês Jyllands-Posten.
O "raciocínio" que preside a ambas as iniciativas é "alguém caricatura o meu profeta, portanto eu faço troça do genocídio dos judeus".
Escusado será comentar a aberração deste "raciocínio" retorcido, típico da rectórica e da ideologia islâmica, que imputa aos judeus tudo quanto a contrarie. Nem o amigalhaço Obama escapa (imagem à direita).
No entanto, a reacção islâmica a caricaturas de Maomé nunca se fica por caricaturas. Atentados terroristas, mortos e feridos, são sempre a consequência de se representar o profeta do Islão. O Islão proíbe que se desenhe o dito senhor, e se alguém o desenha, as coisas resolvem-se à moda do Islão: com terrorismo. Coerentemente com o exemplo do dito cujo, que advogou o extermínio dos infiéis.
Lembramos que a política oficial do regime iraniano é que Israel inventou o Holocausto para se apoderar indevidamente da "Palestina" - o tal Estado fantasma, inventado nos anos 60 do século XX pelo regime soviético.
Não se  esqueça de assinar a petição para que o Irão não obtenha a capacidade de aniquilar Israel, e consequentemente o mundo não muçulmano - AQUI.
De caminho, assine também a petição contra  a construção de um novo ninho de terrorismo em Lisboa - AQUI.