segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

'Cristãos, muçulmanos, judeus - todos adoram o Pai Natal'

Trocou o trenó pelo camelo, e levou o "Ho, Ho, Ho!" à cidade santa de Jerusalém.
 
O ex- jogador de basquetebol Issa Kassissieh é o Pai Natal da Cidade Velha, e está mais alegre do que nunca este ano, depois de treinar na Escola Profissional de Pai Natais de Denver.
Quando o Pai Natal chega a Jerusalém, ele não chega num trenó nem entra pelas chaminés, nem fica sentado num shopping com meninos ao colo. Este Pai Natal anda pelas muralhas das muralhas da Cidade Velha de Jerusalém, ou sobe para o dorso de um camelo, e atravessa o Portão de Jaffa para cumprimentar os visitantes e tirar fotografias.

Agacha-se para tirar fotos com crianças com chapéus vermelhos e brancos de Pai Natal e inclina-se sobre as cadeiras de rodas de adolescentes de uma escola de necessidades especiais, apertando as mãos e distribuindo chocolates.


Depois de ajudar o município de Jerusalém a distribuir árvores de Natal grátis, dirige-se para a "Casa do Pai Natal", um edifício de pedra com 700 anos na encruzilhada da Rua São Pedro e da Estrada do Patriarcado Latino, enfeitada com postes vermelhos e brancos nesta temporada festiva, com placas de sinalização apontando para o Pólo Norte e para a oficina do Pai Natal.

 

Dentro desta antiga casa de pedra, o ambiente é de Natal ao estilo da Terra Santa, como idealizado por Issa Kassissieh, de 39 anos, um ex-jogador de basquetebol profissional que é também o Pai Natal de Jerusalém.

"Sou voluntário", diz ele. "Isto faz-me feliz, é por isso que o faço".
Já em casa da família Kassissieh, ele tira a roupa de Pai Natal, revelando as sobrancelhas grossas e escuras e a cola branca que mantém a sua barba falsa e branca bem presa.
A mãe, Georgina, segura o chapéu e a barba de Pai Natal, enquanto Kassissieh passa os dedos pelos cabelos escuros, com um suspiro .

"Ele adora fazer isto, mas precisa de um intervalo às vezes", diz Georgina.


À direita da entrada principal da casa fica um salão de fantasia de Natal, com paredes de pedra e o tecto arqueado, com galhos espessos e decorado com ornamentos dourados.

Um canto é dedicado à oficina do Pai Natal, abastecido com as ferramentas do pai e do avô de Kassissieh, uma lareira (falsa) em outro canto e uma grande cadeira de Pai Natal no centro, junto com uma cozinha, pilhas de cartas ao Pai Natal e uma brilhante caixa de correio na porta da frente.

Este Pai Natal não distribui presentes como nos EUA e na Europa, mas oferece chupa-chupas e chocolates com motivos natalícios aos transeuntes, e borrifa as mãos das crianças com spray de brilhantes.  
Antes de desempenhar o papel de Pai Natal, este grego ortodoxo de Jerusalém era jogador de basquetebol, tendo começado a jogar numa quadra na Cidade Velha.
Era conhecido como Issa 6 e jogou pelo Hapoel Jerusalem, pelo Olympiakos da Grécia e depois pelo De La Salle Al Quds, de Jerusalém. Agora é treinador de basquetebol, ensinando na Escola Anglicana local.


Foi há cerca de uma década que ele resolveu ir buscar ao guarda-fatos a farda de pai Natal do seu pai, para o dia anual de entrega de pequenas árvores de Natal no Portão de Jaffa, oferecido pelo município de Jerusalém a quem queira.
"Eu queria fazer algo diferente em Jerusalém", disse ele. "E se isto faz as pessoas felizes, como eu percebi, porque não fazê-lo todos os anos?".
E foi isso exactamente que ele fez, tornando-se um complemento anual com o seu fato vermelho, atravessando a Cidade Velha e também em Belém, para onde viajou de camelo.
"As pessoas adoraram", disse ele. "Todos vieram ver-me, cristãos, muçulmanos, judeus, todos adoram o Pai Natal".
(...)

Se quer seguir o Pai Natal de Jerusalém no Facebook, é aqui.

- The Times of Israel, com tradução nossa.



 --------------------------------

COMENTÁRIO

A maioria dos árabes em Israel tem orgulho em ser israelita. Numa região minada por conflitos, o conflito israelo-árabe é o mais artificial e mais alimentado pelos media e pelos mais sinistros interesses. Se alguns responsáveis deixassem de fomentar o conflito e o ódio, outro galo cantaria em Israel. E no Mundo em geral. E seria todos os dias Natal!!! 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Os comentários estão desactivados. As nossas desculpas.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.