terça-feira, 29 de janeiro de 2013

“Carta para um amigo anti-sionista” - Martin Luther King Jr.

Muitos são os meus amigos que fazem questão de frisar que «não são antissemitas, mas 'apenas' anti-Sionistas». Não me valho desta famosa carta de Martin Luther King Jr. como argumento de autoridade, mas porque a minha posição é a mesma.




De Martin Luther King Jr., “Carta para um amigo anti-sionista”, Saturday Review XLVII (Aug. 1967), p. 76.

Reimpresso em Martin Luther King Jr., “Eu acredito nisso: Seleções dos Escritos do Dr. Martin Luther King Jr.”


“...Meu amigo, você declara que não odeia os judeus, que é meramente ‘anti-sionista’. E eu digo: Deixe a verdade ultrapassar os altos cumes de montanha, deixe-a ecoar através dos vales da vicejante terra divina. Quando alguém critica o sionismo, quer dizer judeus – esta é a própria verdade divina. O anti-semitismo – o ódio contra pessoas judias – tem sido e permanece uma mácula no espírito da humanidade. Nesse sentido, tenha conhecimento disso: anti-sionismo é inerentemente anti-semita, e será sempre assim.

Por que isso? Você sabe que o sionismo não é nada mais do que o sonho e ideal de o povo judeu retornar a viver em sua própria terra. As Escrituras nos contam que o povo judeu só gozou de um florescente Estado na Terra Santa, da qual foram expulsos pelo tirano romano – os mesmos Romanos que assassinaram Nosso Senhor. Arrancado de seu lar, com sua nação em frangalhos, o povo judeus foi forçado a perambular pelo globo, constantemente sofrendo o castigo de qualquer tirano que por ventura estendesse sua autoridade sobre si.

Meu amigo, o povo negro sabe o que é sofrer o tormento da tirania de governantes que não são de nossa escolha. Nossos irmãos na África têm esmolado, suplicado, requerido e pedido o reconhecimento e realização de nosso direito natural de viver em paz sob nossa própria soberania em nosso país. Para qualquer um que se agarrasse a este inalienável direito de toda a humanidade, seria tão fácil entender e apoiar o direito de o povo judeu viver em sua antiga Terra de Israel. Todo homem de boa vontade exulta no cumprimento da promessa de Deus de que seu povo deveria retornar e gozar da reconstrução de sua espoliada terra. Isto é o sionismo, sem nada mais, nem nada menos.

E o que é anti-sionismo? É a negação ao povo judeu de um direito fundamental que nós justamente clamamos para o povo africano e com o qual todas as nações do globo concordam. Meu amigo, trata-se de discriminação contra os judeus por eles serem judeus. Em suma, é anti-semitismo.

O anti-semita regozija-se com toda a oportunidade de espalhar sua malícia. No Ocidente, os tempos têm tornado impopular proclamar abertamente o ódio aos judeu. Sendo este o caso, o anti-semita busca constantemente novas formas e fóruns para seu veneno. Como ele deve deleitar-se em novo disfarce!...Ele não odeia judeus, ele é ‘anti-sionista’!...

Meu amigo, não acuso você de deliberado anti-semitismo. Sei que você sente, como eu, um profundo amor pela verdade e justiça, e uma repulsa contra racismo, preconceito e discriminação. No entanto, sei que você, como tantos outros, tem sido mal conduzido a pensar que pode ser ‘anti-sionista’ e ainda permanecer fiel a estes sinceros princípios que dividimos. Deixe ecoar minhas palavras na profundeza de seu espírito: Quando alguém critica o sionismo, quer dizer judeus – não se engane quanto a isso”.



Antissemitismo é o preconceito ou hostilidade contra judeus baseada em ódio contra seu histórico étnico, cultural e/ou religioso. Em sua forma mais extrema, "atribui aos judeus uma posição excepcional entre todas as outras civilizações, difamando-os como um grupo inferior e negando que eles sejam parte da(s) nação(ões) em que residem.

Pauley, Bruce F. From Prejudice to Persecution: A History of Austrian Anti-Semitism. University of North Carolina Press (2002)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.