sexta-feira, 11 de abril de 2014

Páscoa - Quatro Copos de Vinho


Foto de um site familiar.

Este blog não tem confissão religiosa. Publicamos alguns artigos do rabino Ari Enki, do site United With Israel, no sentido de divulgar a Cultura e a História de Israel, e promover uma melhor compreensão das suas tradições. Não se trata de proselitismo religioso; o que se passa é que a História de Israel se confunde com a História do Judaísmo, uma das primeiras manifestações de monoteísmo do Mundo - se não a primeira. 

Boa parte da História de Israel está narrada na Torá, no Antigo Testamento, e constitui a base da cultura Judaico-Cristã e da Civilização Ocidental. Estes artigos têm, portanto, valor cultural, mas também contêm ensinamentos morais universais. 

E sobretudo, quando mais conhecemos outras culturas, menores são os receios injustificados do que é "diferente".

Com os nossos fracos dotes de tradução, aqui vai:



Pelo Rabino Ari Enki
Porque bebemos vinho no Seder de Pessach? E porquê quatro copos? 
- Nota nossa: Seder de Pessach é a Ceia de Páscoa. Considera-se habitualmente (mas não unanimemente) que a Última Ceia de Jesus (Yeshua ben Youssef) foi um Seder.
Como a maioria de vós já sabe, temos por tradição beber quatro copos de vinho no Seder de Pessach. Põem-se então duas perguntas: porquê vinho, e porquê quatro copos? 
Resposta à primeira pergunta (os nossos sábios ensinam que, quando nos fazem perguntas, estas devem ser respondidas pela ordem em que foram feitas): Nós bebemos vinho no Seder de Páscoa porque o vinho é considerado uma bebida de prestígio, uma bebida digna de Reis. É também uma bebida que simboliza prosperidade, riqueza e liberdade, que são os temas da noite do Seder.
Mas porquê QUATRO copos de vinho?
Os quatro copos de vinho representam e correspondem às quatro expressões de liberdade e redenção que a Torá usa para descrever o Êxodo.
Como consta do Êxodo, capítulo 6:
"Por isso, digo aos filhos de Israel: 'Eu sou o Senhor, e vou retirar-vos (V'hotzeiti ) do jugo dos egípcios. Vou libertar-vos (V'hitzalti) de serem escravos deles, e vou resgatar-vos (V'go'alti) com um braço estendido e com grandes manifestações. Vou levar-vos como meu povo (V'lakachti), e serei o vosso Deus. Então vocês saberão que eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos tirei do jugo dos egípcios."
Embora estas expressões tenham sido usadas há milhares de anos, elas têm uma relevância mais contemporânea do que possa pensar-se.
Por exemplo, quando a Torá diz "Eu vou retirar-vos", é um apelo, uma chamada de atenção, que significa que, por vezes, só temos de "acordar" e sair de uma situação miserável.
Às vezes, as coisas não estão a resultar. Pode ser um problema de vizinhança, uma questão social ou de trabalho. Quando as coisas não estão a correr como deveriam, temos de mudar, assim como Deus sabia que era hora de nos levar para fora do Egipto.
Na verdade, os nossos sábios ensinam-nos: Meshaneh makom, meshaneh mazal - Quando mudamos a nossa localização, mudamos a nossa fortuna. Esta é uma ideia cabalística profunda, que podemos aplicar em muitas circunstâncias.


Mesa de Seder. Cada participante deve beber quatro copos de vinho, desde que não haja impeditivos médicos.
A segunda expressão da redenção é: "Eu vou libertar-vos". A palavra hebraica V'hitzalti refere-se geralmente  a uma "solução rápida", uma necessidade de ajuda divina. Escusado será dizer que esta foi a experiência do Êxodo - toda uma sequência de acontecimentos sobrenaturais que permitiram aos judeus tornarem-se um povo livre, da noite para o dia.
V'hitzalti ensina-nos que nunca devemos desesperar; a Salvação e a ajuda de Deus pode chegar mais rapidamente do que um piscar de olhos. Nós nunca devemos desesperar, não importa qual seja a nossa situação. Mesmo quando sentimos que estamos no fundo, podemos muito rapidamente subir ao topo.
A terceira expressão é: "Eu vou resgatar-vos" (V'go'alti). O que é esse resgate? O dicionário traduz resgate como: "recompra, recompra de acções, salvação, acto de entrega pelo pecado, salvar do mal, propiciação, expiação".
A mensagem de V'go'alti é que, mesmo que nós não mereçamos, Deus está lá para nos valer. Deus concede a bondade e a misericórdia até mesmo aos que não merecem.
Quatro copos de vinho e muitas coisas para discutir!
Finalmente, temos: "Eu vos tomarei por meu povo". Isto simboliza relacionamentos. Construir relacionamentos e solidificá-los. Deus quis um relacionamento com o povo de Israel, não só nessa altura. Ele quer um relacionamento connosco AGORA. Todo o relacionamento dá trabalho. Seja com os nossos amigos, colegas ou cônjuges, um relacionamento nunca pode permanecer estagnado ou obsoleto. Deve sempre ser estimulado. Assim, também, devemos nutrir o nosso relacionamento com Deus através da oração, estudo e boas acções!
Aí tem! Espero que este artigo lhe dê muitas coisas para pensar e discutir no seu Seder de Pessach, ao beber os quatro copos de vinho.
De todos nós aqui no Unidos com Israel, Páscoa Feliz! L' Chaim!
Autor: Rabino Ari Enkin, Director rabínico de United With Israel

Leia também: 

Páscoa, Liberdade, Israel!

E, se puder, apoie os rapazes e as raparigas, que, nas Forças de Defesa de Israel, põem as suas vidas em risco, como posto avançado do Mundo Livre face ao terrorismo e à barbárie. Deixando uma palavra de encorajamento e  gratidão no Facebook ou no site do IDF, já está a contribuir. Eles merecem.

http://unitedwithisrael.net/passover/ 

P.S. Este blog é feito em Portugal, mas temos um grande número de leitores do Brasil, Estados Unidos e Rússia. A eles e a todos, a nossa gratidão.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.