terça-feira, 17 de setembro de 2013

Invasão



Cerca de 300 imigrantes deitaram abaixo a rede que separa a fronteira entre Marrocos e Espanha em Melilla esta manhã. Perto de 100 conseguiram passar, no que é o segundo assalto violento à passagem para território espanhol numa semana - Público


Post-Scriptum: Assinala-se que a comunidade Público é, tal como o jornal, desesperadamente filo-muçulmana. A Censura pidesca dos leitores-premium (os de esquerda, naturalmente), apagou o comentário em que chamei a atenção para FACTOS tais como os muçulmanos na Europa já ultrapassarem os 50 milhões, 80% deles não trabalharem, serem responsáveis por ondas de violações na Europa (em alguns países são 100% do total), promoverem patrulhas islâmicas nas ruas, recusarem a nossa cultura e pretenderem islamizar-nos, estarem envolvidos em crimes tais como o terrorismo, etc..etc., etc.. Tudo FACTOS, recorde-se. Mas os FACTOS, quando chocam com a ideologia esquerdista, são para Estalinizar, claro!

1 comentário:

  1. Ui, a nossa amiga gafapasta levou um baile nesse artigo, primeiro ter usado o termo "árabe" quando quis dizer "muçulmano", depois por ter afirmado a supremacia da cultura moura em relação à cultura portuguesa e espanhola, que ela saiu de cena a insultar a inteligência do outro interveniente (isto ap+os ter dito que não ia discutir mais por não querer alinhar em críticas pessoais). O mais irónico é o username do utilizador que lhe deu o baile. Adorei este detalhe: "Começa a ser uma característica sua puxar de familiaridades acerca do que quer que se esteja a discutir: fala-se de Ceuta, afirma que conhece muito bem Ceuta, fala-se de Espanha, afirma que tem sangue espanhol...". Absolutamente delicioso!

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.