sábado, 21 de setembro de 2013

Feliz Sukkot!

 via United With Israel, 18 de Setembro de 2013:




Feliz Sukkot! E... o que é este feriado?

Torah Viva, pelo rabino Ari Enkin

Sukkot é um maravilhoso e alegre feriado - um dos três festivais da Torá no qual os judeus fazem uma peregrinação a Jerusalém. É uma celebração que dura 7 dias, com o primeiro dia a ser observado como dia santo, semelhante ao Sábado, no qual é não permitido nenhum trabalho. Fora de Israel, os dois primeiros dias são observados como dias santos.
Os restantes dias são referidos como "Chol Hamoed". Os Chol Hamoed não são dias santos, mas são tratados com mais santidade do que dias de semana normais, com refeições especialmente elaboradas e roupas mais agradáveis. Viagens em família são comuns durante estes dias. Na conclusão do Sukkot há ainda um outro feriado, Shemini Atzeret, mas sobre isso falaremos na próxima semana.
Originalmente, o Sukkot era mais um festival agrícola, como a própria Torá lhe chama : "A Festa das Colheitas", ou "Festa das Tendas", ou ainda a "Festa dos Tabernáculos". (Ver: Êxodo 23:16, Levítico 23:40-43, Deuterónimo 16:13). Era um festival de graças a Deus pela colheita do ano. Hoje, observa-se mais como um feriado de descanso e reflexão sobre os milagres que Deus fez pelo povo judeu, quando o conduziu no deserto durante quarenta anos. 
A palavra "Sukkot" significa "cabanas" ou "abrigos", referindo-se às estruturas em que os judeus fazem as suas refeições no dia feriado, e, de preferência, aí dormem também! O que é único nestas tendas é que são estruturas geralmente de madeira ou lona, mas os telhados devem ser feitos de "schach" - material orgânico produzido a partir de rebentos de bambu, galhos ou folhas de palmeira. 
Comer e dormir na tenda lembra aos judeus as tendas de que o povo judeu construiu para si, enquanto vagueou no deserto por quarenta anos. Também lembra as "nuvens de glória" que acompanharam o povo judeu ao longo de sua caminhada, protegendo-o das intempéries e dos perigos que se escondem no chão do deserto. 

Outro destaque do Sukkot é o Etrog, também conhecido como as "Quatro Espécies". São quatro plantas específicas que se seguram durante as orações do Sukkot. As quatro espécies são: O Lulav (um ramo alto de tamareira ), o Hadas (folhas de murta), o Arava (folhas de salgueiro) e o Etrog (fruto cítrico, em baixo). É ensinado que as quatro espécies representam os quatro tipos de crentes do Judaísmo.

O Lulav é uma planta com sabor, mas sem cheiro, e simboliza os que estudam a Torá, mas não praticam o suficiente de boas acções. O Hadass cheira bem, mas não tem gosto, e simboliza os que fazem boas obras, mas negligenciam o estudo da Torá. O Arava não tem nem gosto nem cheiro, e simboliza os que estão em falta, tanto no estudo da Torá como na realização de boas acções. O Etrog tem bom gosto cheira bem - simboliza os que estudam a Torá e realizam boas obras. 
Que esta festa seja um momento de felicidade e crescimento espiritual. 
CHAG SAMEACH ! Sukkot feliz para todos! 
Rabino Ari Enkin

-  O nosso blog não tem filiação religiosa, pelo que este artigo que transcrevemos se destina a dar a conhecer mais este aspecto da cultura Hebraica - que todos os que foram educados numa religião cristã, conhecem. Estas festas já eram antigas quando Jesus esteve na Terra, e continuam a realizar-se, na sua terra natal de Israel.

A todos os nossos leitores, amigos e inimigos, desejamos um bom fim-de-semana. Que Deus esteja connosco. Shabbat Shalom.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.