terça-feira, 2 de julho de 2013

Reino Unido: Dia da Rendição




Aqui está um excelente resumo do triste episódio: 


por Jonathon Narvey no The Propagandist, 26 de Junho:
    "...O Islão é uma religião e um sistema de crenças que obriga à guerra contra os 'infiéis' com a finalidade de estabelecer um modelo de sociedade que é absolutamente incompatível com a sociedade ocidental. Os media ocidentais e a falta de vontade dos governos para enfrentarem o terrorismo islâmico, continuam a ser maioritariamente desconhecidos do grande público ".

(...)

    A questão importante aqui é: você concorda com a guerra ordenada pelo Corão contra os 'infiéis'? Concorda com a Sharia - a lei que manda cortar as mãos aos ladrões; a lei que obriga as mulheres a encontrar quatro testemunhas no caso de terem sido estupradas, ou serão consideradas culpadas; a lei  em que quem se converte ao Cristianismo deve ser preso? Acha a Sharia compatível com a sociedade ocidental?
Acha que os media e os governos estão dispostos a lembrar ao público que o terrorismo islâmico é inspirado pelo Islão? Sério? Você acredita nisso?
(...)
    Se você for um jihadista, na Grã-Bretanha o Governo vai financiar as suas actividades jihadistas. As autoridades apoiam organizações islâmicas que habitualmente acolhem jihadistas pregadores do ódio, a fim de condenar a onda de ódio contra os muçulmanos que na verdade nunca ocorreu. Mas se você criticar esse procedimento e apontar o facto inconveniente que a jihad é inspirada nos textos islâmicos  - então você não é bem-vindo na Grã-Bretanha. Foi o que aconteceu com Robert Spencer e Pamela Geller.

    Os dois dispunham-se a ir palestrar à Grã-Bretanha, na sequência do assassinato jihadista do soldado Lee Rigby, para mostrar solidariedade com aqueles que acreditam na liberdade de todos. Iam falar da ameaça do fascismo teocrático - algo que todos os britânicos deveriam apoiar. O Ministério do Interior considerou que as intervenções e escritos de Robert Spencer e Pamela Geller contêm as seguintes violações:

    - fomentam ou justificam a violência terrorista em prol de determinadas crenças.
    . encorajam actos terroristas.
   - fomentam outras actividades criminosas graves.
    fomentam o ódio, que pode levar a violência inter-comunitária no Reino Unido.

    Nenhum dos oradores alguma vez justificou a violência terrorista em prol de determinadas crenças - apenas criticou terror jihadista! Tão pouco encorajaram actos terroristas, a menos que o  Ministério do Interior entenda que falar sobre o terrorismo islâmico é suficiente para estimular os jihadistas para a acção
(Um argumento do do género "não deves dizer coisas que possam levar o teu marido a bater-te").

    O governo do Reino Unido está essencialmente a dizer que fazer declarações razoáveis e informadas sobre a conexão entre o Islão e a jihad vai criar terror.

    É isso. Este é o dia a Grã-Bretanha se rendeu. A família de Lee Rigby e as vítimas dos atentados de 07/07 e outros actos de terrorismo islâmico deve sentir vergonha do seu país no momento."
A declaração de um dos terroristas após terem assassinado Lee Rigby:

Neste sábado, 29 de Junho, dois elementos da Liga de Defesa Inglesa que iam homenagear o compatriota decapitado, foram agredido por muçulmanos, e... presos!




O que Spencer e Geller iam dizer de viva voz era isto:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.