quinta-feira, 11 de julho de 2013

Arábia Saudita ameaça expulsar estrangeiros que desrespeitem o Ramadão.

Via Jornal da Madeira online

"A Arábia Saudita ameaçou hoje expulsar todos os não-muçulmanos que comam, bebam ou fumem em público durante o período do Ramadão, em que essas atividades são proibidas aos muçulmanos do nascer ao pôr do sol.
O período do Ramadão começa na quarta-feira no reino, cujo Ministério do Interior declarou hoje que "os residentes não-muçulmanos não podem comer ou beber em público", por "respeito à santidade do Ramadão e aos sentimentos dos muçulmanos".
Os estrangeiros que forem apanhados a quebrar o jejum em público serão "sujeitos a medidas que incluem o fim dos seus contratos de trabalho e a expulsão do reino", lê-se na declaração divulgada pela agência de notícias oficial, a SPA.
Cerca de oito milhões de estrangeiros, na maior parte asiáticos, vivem e trabalham na Arábia Saudita, que aplica os princípios rígidos da sharia, a lei islâmica.
Durante o mês do Ramadão, os muçulmanos não podem beber líquidos, fumar ou ter relações sexuais entre o nascer e o pôr do sol.
Este período é sagrado para os muçulmanos, que acreditam que foi o mês em que o Corão (livro sagrado) foi revelado por Alá ao profeta Maomé."


É de relembrar que durante o Ramadão os muçulmanos se esforçam para ser mais piedosos e caridosos...

Informação a reter: nos países muçulmanos os não-muçulmanos devem adaptar os seus comportamentos de modo a não ferir as suscetibilidades dos muçulmanos. E nos países não-muçulmanos os não-muçulmanos devem adaptar os seus comportamentos de modo a não ferir as suscetibilidades dos muçulmanos.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.