quinta-feira, 11 de julho de 2013

Dzhokhar, o Dançarino Inocente

 Boston Marathon bombing victim Karen Brassard makes her way into the federal courthouse for the arraignment of bombing suspect Dzhokhar Tsarnaev Wednesday, July 10, 2013, in Boston. The April 15 attack killed three and wounded more than 260. The 19-year-old Tsarnaev has been charged with using a weapon of mass destruction, and could face the death penalty. (AP Photo/Winslow Townson)
 Karen Brassard, uma das centenas de vítimas dos atentados terroristas na Maratona de Boston, comparece na primeira sessão de julgamento do terrorista islâmico Dzhokhar Tsarnaev

Que o terrorista sobrevivente dos atentados de Boston já está absolvido no Tribunal da opinião pública politicamente correcta, já se sabia. Além de que «só» matou americanos, ele dança bem!

No Público, o coro de obscenidades já começou:

A Arte Americana de fabricar atentados.... 

Anónimo
Americanos Nazis , fabricam atentados e logo de seguida prendem os "culpados" e alguns matam-nos logo pra não falarem...fazem atentados junto de quem faz desporto com o objectivo de as pessoas ficarem em casa fechadas ....
 
Anónimo
Uau, depois do ''inside job' do 11 de Setembro o melhor que os americanos nazis se lembraram de fazer foi uma bombinha numa maratona com menos mortos que os dedos de uma mão? E se o objectivo é prevenir o desporto, quando começam a haver atentados em ginásios? Que patético.

Anónimo
O homem foi tramado pela CIA.

Anónimo
E às tantas até está inocente, pelo menos quanto o bush e a sua administração, estao. Se o bush que assassinou centenas milhares de pessoas com os mesmos metodos deste agora acusado, entao porque é que este há-de ser acusado????

À porta do Tribunal, uma pessoa destas mas americana, dizia:

"Eu acho que muitos dos seus direitos foram violados. Eles quase mataram um garoto desarmado num barco."  

E os direitos das pessoas que ele assassinou e mutilou com as bombas na Maratona de Boston?


                                        
                          Free Jahar

Apoiantes do terrorista jihadista Tsarnaev empunham cartazes anti-americanos, alguns com inscrições que dizem que se tratou de um ataque de «falsa bandeira». O costume.
A Aliança Esquerdista-jihadista 'Libertem Jahar', cantou, à chegada do suspeito dos atentados de Boston ao Tribunal"

         CBS Boston, 10 de Julho:


    BOSTON (CBS / AP) - Um pequeno grupo de manifestantes apareceu no  Tribunal Federal de Moakley em South Boston na quarta-feira para mostrar apoio ao suspeito dos atentados bombistas na Maratona de Boston, Dzhokhar Tsarnaev.

    Tsarnaev comperecu no tribunal para a sua primeira audiência pública. Ele foi acusado de usar uma arma de destruição em massa nos atentados que mataram três pessoas e feriram mais de 260.

    Um grupo de cerca de uma dúzia de entusiastas aplaudiram quando a comitiva transportando Tsarnaev chegou ao tribunal. Os manifestantes gritavam "Justiça para Jahar", como é conhecido Tsarnaev. Uma mulher segurava um cartaz que dizia: "Libertem Jahar".

    Outros levavam cartazes alegando inocência de Tsarnaev, e sugerindo conspirações elaboradas em torno do bombardeio e prisão de Tsarnaev.


                   Supporters of Dzhokhar Tsarnaev stand outside the courthouse.
Apoiantes do terrorista, á porta do Tribunal

 "Estou aqui para mostrar apoio Dzhokhar, para que ele saiba que existem milhares de pessoas em todo o mundo que acreditam na sua inocência", declarou Mary Churback de Freetown  ao canal de notícias WBZ-TV.

    
Lacey Buckley, 23, disse que viajou de sua casa em Wenatchee, Washington, para participar da manifestação. Buckley disse que nunca conheceu Tsarnaev mas veio porque acredita que ele é inocente. "Eu só acho que muitos de seus direitos foram violados. Eles quase mataram um garoto desarmado num barco", disse ela.

    
Brittney Gillis, um estudante da Universidade de Massachusetts-Dartmouth, onde Tsarnaev estudava chegou a tribunal, porque queria ver o suspeito. Ela disse que ele costumava acompanhar uma amiga a casa à noite, porque se preocupava por ela andar sozinha.

    
"Ele ia levá-la desde a biblioteca do campus até ao seu dormitório durante a noite", disse ela.(...)

Na sessão, o terrorista esteve com ar aborrecido e ausente. Afirmou-se inocente e culpou o irmão e reafirmou que este levou a cabo os atentados para defender o Islão das acusações de ser uma religião violenta.

O terrorista Dzhokhar escreveu no interior do barco onde foi encontrado: "We Muslims are one body, you hurt one you hurt us all." Ou seja: "Nós, muçulmanos, somos um só corpo; se atingem um de nós, atingem a todos".

Lembramos que a mãe dos dois terroristas, que fugiu dos Estados Unidos para não comparecer em Tribunal por roubo, é também uma jihadista convicta e afirmou que não houve explosões e tudo se tratou de uma encenação. Que não era sangue, mas sim tinta. E se ela o diz, «temos que respeitar», como diz a grande Isabel G....

14 comentários:

  1. "Na sessão, o terrorista esteve com ar aborrecido e ausente. Afirmou-se inocente e culpou o irmão e reafirmou que este levou a cabo os atentados para defender o Islão das acusações de ser uma religião violenta."

    Gostava de ter estado na sala de audiências para ver isso ao vivo.

    "Ó sotor juiz, quem fez isto foi o meu falecido irmão, a paz esteja com ele. Mas atenção, ele só fez isso para se defender das pessoas que andam a fazer acusações infundadas sobre o islão ser violento."

    ResponderEliminar
  2. Já agora, para quem não sabe, um ataque de bandeira falsa refere-se a uma operação conduzidas por uma entidade de modo a aparentar ser realizadas por outra de modo a tirar partido das consequências resultantes. O nome provêm do conceito militar de utilizar bandeiras inimigas como disfarce.

    ResponderEliminar
  3. Meus caros, vocês têm uma visão tão, mas tão distorcida da realidade que parecem viver num mundo à parte...

    ResponderEliminar
  4. Percebe-se bem, portanto, por que é que este blog, desde 2012, apenas tem meia dúzia de seguidores e a esmagadora maioria dos comentário seja feitos pelos próprios. Ainda bem. Isto quer dizer que a maioria das pessoas ainda têm senso comum!

    ResponderEliminar
  5. Relatar factos é ter "uma visão tão, mas tão distorcida da realidade que parecem viver num mundo à parte"? Essa é boa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Factos? Quais factos? Os mesmos que serviram de pretexto para a invasão ao Iraque? http://www.youtube.com/watch?v=-23kmhc3P8U

      Eliminar
  6. De uma vez por todas, eu, Isabel G, vou por os pontos nos is:

    - Fiz uma saudação árabe para felicitar os muçulmanos no início do Ramadão. Isto NÃO implica que eu seja muçulmana, NÃO implica que eu seja de esquerda, NÃO implica que eu esteja a favor de A contra B ou vice-versa. ISTO É UM FACTO!

    - Sem me ter sido sequer dada nota, I.B. e Extremista Moderado citaram a minha saudação neste blogue, acompanhada de comentários inadequados e incorrectos, baseados apenas nas suas próprias interpretações fantasistas, tais como “Radiantes, os ocidentais produzem pérolas como estas”, ou ainda “Se esta «semelhante»”, e que não correspondem de todo à verdade. É difamação! E tudo isto aconteceu ANTES de qualquer reacção minha. O meu comentário no público foi às 16:35 do dia 10. A citação do meu comentário no vosso blogue foi no mesmo dia às “10:06” (conforme já devem ter reparado, a hora do vosso blogue não está certa!) e só depois de ter visto o meu comentário publicado no vosso blogue é que reagi – ver o meu comentário das “10:46”! E só então reagi também no Público (comentário das 19:14). Depois de eu ter reagido, e apenas às 00:14 do dia 11 se dignaram então sair do anonimato! Tudo ISTO É UM FACTO!

    - Obviamente não gostei que tivessem distorcido o sentido do meu comentário. Obviamente pedi contas. Obviamente dei uma vista de olhos no blogue e obviamente, na minha opinião, o blogue reflecte um ódio a determinados grupos islâmicos, ódio esse que se sente fervilhar, em banho-maria, em cada post publicado. Obviamente não gostei de ser misturada nesses assuntos de ódio e vingança. Acrescento que, nem os muçulmanos nem os israelitas, envolvidos no conflito israelo-árabe, são dignos de qualquer respeito. Ódio gera ódio, violência gera violência. Não são melhores uns que outros e ambos cometeram e cometem atrocidades! ISTO É UM FACTO! Não partilho da vossa causa e não quero ver-me envolvida nela, seja de que modo for.

    Continua…

    ResponderEliminar
  7. Continuação

    - Para cúmulo da má interpretação e como exemplo evidente daquilo que não se deve fazer, deram asas à imaginação, pretenderam conhecer um ser humano que não conhecem de lado nenhum, e mais uma vez, em tom de chacota, citaram comentários meus completamente fora de contexto, e que mais uma vez, não correspondiam em nada às minhas opiniões. Fizeram-no através de um post intitulado “Simplesmente Isabel” que publicaram no dia 10 às “16:31”, JÁ MUITO DEPOIS de conhecerem o meu DESAGRADO pelas distorções anteriores. ISTO É UM FACTO e a isto chama-se fazer pouco das pessoas, humilhá-las e expô-las a ridículo em praça pública com base em mentiras e suposições. Quem assim faz não merece respeito porque não sabe respeitar! Quem assim procede, é capaz de passar por cima de tudo e de todos para atingir os seus objectivos! Quem assim procede não tem moral para apontar o dedo a ninguém! Quem assim procede desconhece o direito de cada um à sua opinião!

    - Houve, no Público, outro comentário a favor, de uma pessoa que se identificou (vão lá procurar, se quiserem, porque eu não tenho o direito de a citar e de a trazer para esta confusão). Essa pessoa é do sexo masculino e os seus comentários foram indubitavelmente incisivos e críticos e inquestionavelmente contra a vossa posição e a favor da minha. ISTO É UM FACTO! No entanto, foi a mim, mulher e com apenas um pequeno comentário de felicitações, que escolheram para alvo de chacota. Isto, para mim, é covardia e discriminação!

    - Se tivesse sido eu a citá-los no meu blogue, sem a vossa autorização, como exemplo do quão errados estão, e tivesse feito chacota e tivesse distorcido o que vocês escreveram, ficariam contentes? Como reagiriam?

    A partir daqui, mesmo que continuem a distorcer o que eu digo, a minha resposta neste blogue será o silêncio. Oxalá, um dia qualquer, não se vejam confrontados com a situação de alguém deturpar o sentido do que dizem e de os humilhar em praça pública… Ao contrário de vocês, não desejo a outros o que não quero para mim!

    Tudo o que aqui afirmo como FACTO pode ser perfeitamente verificado através de datas, horas e sequência de acontecimentos. Inclusivamente, o ódio entre árabes e israelitas pode ser facilmente demonstrado por fotos chocantes e explícitas que abundam na WWW e qualquer pessoa que leia os vossos posts, mesmo que só medianamente inteligente, consegue associar a vossa “contabilidade” das mortes a um desejo surdo de incitamento à vingança!

    - Moral da história:

    Há sempre mais do que uma perspectiva para o mesmo assunto. Podem ser apresentados FACTOS a partir de várias perspectivas. Nem os factos nem as perspectivas fazem desses factos e dessas perspectivas verdades irrefutáveis!

    Isabel G

    ResponderEliminar
  8. Olá Isabel G.,

    Após os ataques e insultos escabrosos que fez no Público a este blog, respondi-lhe no post intitulado Simplesmente Isabel".

    Já me ofereci para retirar a referência ao seu nome, caso tenha vergonha das barbaridades que escreveu.

    Você, NA MELHOR DAS INTENÇÕES, saudou com um entusiástico Allahu Akhbar (Alé é Grande!), uma divindade cujo culto tem como pedras basilares o extermínio dos infiéis, o culto da morte e da violência e a coisificação das mulheres (entre outros).

    Se se der ao trabalho de reler, eu nem me dei ao trabalho de me defender das suas acusações de «incitamento ao ódio» & C.a. Apenas fiz notar a CEGUEIRA do pessoal politicamente correcto que ainda acha que o Islão é uma religião normal e os islamistas pessoas normais.

    Incitamentos ao ódio e á vingança (como escreveu várias vezes, entre outros insultos), convido-a a encontrá-los neste blog. Pelo contrário: o meu propósito é apontar FACTOS e apelar à consciencialização e luta contra a islamização do Mundo Livre, por todos os meios pacíficos e legais, como sempre faço questão de frisar!

    É curioso que a sua posição é exactamente igual à que se vive no Reino Unido (e um pouco por todo o mundo,) com a English Defence League a quem a malta politicamente correcta acusa do mesmo. Sem qualquer fundamento, como no nosso caso!

    Veja o absurdo: eles matam, violam, raptam, torturam chacinam, decapitam, explodem, etc., etc., todos os dias, MAS NÓS É QUE SOMOS OS MAUS!

    Se quiser ser colaboradora deste blog, é só dizer, que terei todo o gosto em lhe enviar o convite. Não há NADA de pessoal da minha parte no nosso confronto de ideias. Acho que V. é inteligente e bem intencionada mas tremendamente ingénua e desconhecedora da ameaça islamista.

    Veja os vídeos, visite os sites, que ficará a saber dos FACTOS.

    I.B.

    ResponderEliminar
  9. "Após os ataques e insultos escabrosos que fez no Público a este blog, respondi-lhe no post intitulado Simplesmente Isabel"

    Viu as datas? As datas não mentem! Por favor não insista numa mentira...


    "Ataques e insultos escabrosos"???

    Vocês incitam ao ódio e à violência! Melhor que isso, vocês pura e simplesmente "saltam em cima " de quem não pensa como vocês!


    "caso tenha vergonha das barbaridades que escreveu"

    Não sejam ridículos...


    Isabel G

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que V. escreveu no Público:

      «O que se deveria evitar é que proliferem núcleos de ódio como o desumano blogue "Amigos de Israel" de um anónimo que se esconde, bem escondido, sob as iniciais I.B.. Este anónimo fomenta o ódio, a xenofobia e a divisão e diz que defende a liberdade e a democracia! Quem, como ele, incita ao ódio e à rebelião, quem como ele deita acha após acha na fogueira da diferença para alimentar o fogo do ódio e da vingança, que poderá saber sobre liberdade e democracia? Todos os credos, todas as raças, todos os povos têm direito à sua forma de ser, aos seus costumes, às suas tradições! Há que respeitar os outros, pois, quer queiramos quer não, somos mesmo todos iguais! »

      A minha resposta está no post Simplesmente Isabel.

      Não encontra neste blog NENHUM apelo ao ódio, ou á vingança ou à xenofobia, ou a quaisquer coisas negativas. Nem UM!

      E contra FACTOS não há argumentos!

      I.B.

      Eliminar
    2. Quem pratica o ódio, o terrorismo, o assassínio, a tortura, nas suas palavras exerce o «direito à sua forma de ser, aos seus costumes, às suas tradições!» e «Há que respeitar os outros».

      Quem se manifesta, como eu, contra a «forma de ser, aos seus costumes, às suas tradições» de assassinos como o bin Laden, «fomenta o ódio, a xenofobia e a divisão (...) incita ao ódio e à rebelião, (...) deita acha após acha na fogueira da diferença para alimentar o fogo do ódio e da vingança»!!!

      AS palavras e o raciocínio e a opinião, são SEUS!

      Está bem assim?

      I.B.

      Eliminar
    3. P.S. - É bonito, caraças! A «fogueira da diferença»! Já eles não podem ser «diferentes» e matar mais gente num ano que a Inquisição em 350, violarem meninas de 1 ano, decapitarem padres, fazerem-se explodir com coletes de bombas, assassinarem maratonistas... Ah, como é lindo ser diferente...

      Isabel, tem a PORTA ABERTA neste blog para escrever as suas ideias! É claro que não concordo, mas acho que o contraste entre as nossas ideias vai adicionar sabor a este blog!!!

      I.B.

      Eliminar
    4. "Vocês incitam ao ódio e à violência! Melhor que isso, vocês pura e simplesmente "saltam em cima " de quem não pensa como vocês!"

      Quer dar exemplos concretos de "incitação" ao ódio e violências que aqui encontra? E que tal algum exemplo de "saltarmos em cima" de quem não pensa como nós? Ou estaremos destinados a eternamente comer e calar as suas calúnias e difamações? Posso estar enganado, mas não tinha dito noutro post que a sua resposta aqui ia passar a ser o silêncio? Ou será que estaremos destinados a "comer e calar" as suas odiosas acusações sem base na realidade?

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.