quarta-feira, 3 de julho de 2013

Bombas islamistas no Dia do Canadá



  Bomba de panela de pressão e pregos, como ensinam os sites de terrorismo islâmico

  


Canadá: mais dois muçulmanos presos por conspiração jihadista para assassinar milhares de pessoas no Dia Nacional do Canadá

Agora repare bem no contra-senso: Estes dois muçulmanos, entre os muitos outros que diariamente  planeiam atentados, «não agem por ódio», na opinião dos políticos e da Imprensa. Mas quem faz eco da notícia será considerado um «propagador de ódio». E os maiores meios de comunicação nem dão estas notícias. Já viu bem o ponto a que se chegou?




"Presos planeavam matar milhares de pessoas com bombas feitas de panelas de pressão, no Dia do Canadá"

por Erica Ritz para The Blaze, 02 de Julho 



Surrey, British Columbia (theblaze / AP) - A polícia do Canadá prendeu e acusou um homem e uma mulher de terrorismo por tentarem detonar bombas-panela de pressão na província da Colúmbia Britânica, nas comemorações do Dia do Canadá, onde eram esperados milhares de pessoas.
John Stewart Nuttall e Amanda Marie Korody foram inspirados pela ideologia da Al-Qaeda, mas segundo o comissário assistente James Malizia, da Real Polícia Montada do Canadá, "auto-radicalizaram-se". O comissário classificou este acto como "uma ameaça nacional, sem ligações internacionais."
Malizia disse em entrevista colectiva que não havia provas ou indicação para sugerir uma conexão com os atentados mortais da Maratona de Boston, em Abril, que também usaram bombas feitas de panelas de pressão (Nota: como o site da Al-Qaeda ensina e encoraja os simpatizantes a construírem e detonarem).
O superintendente da RPMC, Wayne Rideout, disse que o público nunca esteve em risco, e que a ameaça foi detectada precocemente.
(...)
"Este plano foi concebido para criar o máximo impacto e danos a cidadãos canadianos, em dia de feriado nacional", disse Rideout. "Eles tiveram instrução em terrorismo, para serem capazes de produzir artefactos explosivos concebidos para causar a lesão e morte."
O casal foi acusado de conspiração, actividade terrorista e fabrico de dispositivos explosivos.
"Um dia depois de milhares de canadianos patriotas se terem reunido para comemorar a fundação de nossa nação, estou incrivelmente aliviado ao saber que nunca houve qualquer risco para ninguém", disse o Primeiro-Ministro, Christy Clark, esta terça-feira. "Estamos também certos de que os suspeitos não têm ligações com nenhum grupo, dentro ou fora do Canadá. Mais uma vez, um alívio incrível, porque estes dois indivíduos operavam sozinhos. "...

- A primeira constatação óbvia é que os insultos de "racista", aplicados a quem  se preocupa com a jihad islâmica, são improcedentes. Agora mesmo, 22 milhões de árabes no Egipto opõem-se à islamização do país. Estes dois terroristas canadianos, a ver pelos nomes, são de origem europeia. E a nossa indignação e preocupação são as mesmas! Tal como o apoio aos árabes egípcios democratas é o mesmo!

- Não há absolutamente nenhum tipo de racismo ou outra forma de discriminação da parte de quem se opõe à jihad. O nosso único desejo é que os muçulmanos vivam a sua religião como os adeptos de outras religiões as vivem: como crença e disciplina interior, sem a quererem impor pelo terrorismo!

- O «alívio» de Christy Clark, deve-se exactamente a quê? No seu país e em todo o mundo há muita gente com o mesmo ideário terrorista de destruição dos «infiéis», tenham ou não ligação directa a grupos terroristas internacionais!


2 comentários:

  1. "John Stewart Nuttall e Amanda Marie Korody foram inspirados pela ideologia da Al-Qaeda"

    Vou só atirar duas perguntar para o ar:

    1 - Qual é a ideologia da Al-Qaeda?
    2 - Como é que tanta gente em tantas partes do mundo concluem que a Religião da Paz lhes ordenem que matem infiéis?

    Pergunta bónus:
    Porque é que em alguns países (que se dizem) democráticos as duas perguntar anteriores me valeriam o epíteto de "racista" ou "islamofóbico"?

    ResponderEliminar
  2. Nada disto no Público...

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.