domingo, 28 de julho de 2013

"Pode despertar o ódio"

Um dos problemas que a presença de islamistas no Mundo Livre mais tem suscitado é a onda de violações sexuais que trazem com eles. Habituados a odiar e desprezar os «infiéis», não lhes parece mal a violação, e têm o apoio dos clérigos a que obedecem. Há os gangues de violadores muçulmanos, que agem de forma organizada, em cumprimento dos preceitos religiosos que os autorizam a ter escravas/os sexuais, mas há também os violadores de oportunidade, que não poupam ninguém. Uma religião que permite sexo com bebés de 1 ano de idade tem necessariamente que entrar em choque com o Mundo Livre e razoavelmente civilizado que somos...




"O Alcorão diz que os homens muçulmanos podem tomar as mulheres não muçulmanas como "espólio de guerra". Os Jihadistas querem a guerra porque querem escravos sexuais aqui na Terra e no céu.
Desde os primeiros anos do Islão até os dias actuais, os islâmicos fazem comércio de escravos não-muçulmanos para o sexo.

Das ruas de cidades europeias, onde protestatários
muçulmanos clamam pela guerra para tomar as mulheres como "espólio de guerra", aos tribunais-sharia da Nigéria, Paquistão e Arábia Saudita, a lei Sharia faz com que condenar um homem por estupro seja impossível, por causa da necessidade de 4 testemunhas do sexo masculino, e o "crime" é da mulher - por ter sido estuprada (!!!!!!!!!!).

Isto leva a uma enorme subnotificação de estupro nesses países. Os muçulmanos vão apontar para o número de estupros nos EUA, onde o estupro dentro do casamento é um crime, como é bater na esposa. Essa é apenas uma tentativa de distracção das suas leis e sociedades-sharia corruptas e misóginas."
80% dos 50 milhões de muçulmanos que vivem na Europa, não trabalham, vivem à custa dos esforçados contribuintes, que nesta Europa atingida pela crise económica já passam muitas vezes fome. E gabam-se disso.





Os 20% que fazem alguma coisa, em muitos casos seria preferível que estivessem quietos. É o caso de muitos motoristas de táxi, que violam os/as seus/suas clientes. E para cúmulo, tem havido pessoas condenadas em Tribunal por não aceitarem ser transportadas por taxistas muçulmanos durante a noite.

Dentre um mar de casos que poderíamos citar, apontamos este a título de exemplo:

"CULPADO: taxista viola menino de 15 anos", por  para The Bolton News.
UM TAXISTA enfrenta pena de cadeia após ter sido considerado culpado por ter capturado e violado um menino no seu carro. Um júri de oito homens e quatro mulheres demorou três horas e meia para considerar unanimemente que Shahbaz Ahmed é culpado de ter violado um menino de 15 anos.

Durante o julgamento no Tribunal de Bolton, ouviram como o rapaz, agora com 16 anos, que ia para sua casa em Thicketford Road, Tonge Moor, na noite de 13 de Julho do ano passado, após ter estado com amigos.

O taxista da empresa Metro Cars, Ahmed, estava de serviço nessa noite quando reparou no jovem, que não pode ser identificado por razões legais, e ofereceu-lhe boleia, dizendo: "Não devias andar sozinho a esta hora. É perigoso".

O rapaz disse ao Tribunal que achou que o taxista estava apenas a ser amável, mas após ter parado momentaneamente à porta da casa da vítima, arrancou e levou-o para o parque de estacionamento do Harwood Golf Club. 


Aí chegado, forçou o menino a satisfazê-lo sexualmente. O jovem disse ter ficado aterrorizado e com medo que, caso fugisse, Ahmed o atropelasse com o carro.


Após o crime, Ahmed, um homem casado, de 35 anos, pai de três filhos, levou o rapaz a casa, onde ele contou o sucedido.

DNA de Ahmed foi encontrado no corpo do rapaz, e o taxista, de Parkfield Road, Great Lever, foi detido.


Ahmed manteve-se imperturbável no Tribunal enquanto ouviu o veredicto que o considerou culpado. O seu advogado de defesa, Wayne Jackson, pediu um adiamento até 6 de Setembro para os relatórios serem preparados antes da sentença condenatória, e admitiu: "A pena privativa de liberdade por algum tempo vai ser inevitável."

O juiz Timothy Stead disse a Ahmed: "Ser considerado culpado é um caso sério. Ficará em prisão preventiva entre agora e Setembro. "

Ahmed será colocado no registo de criminosos sexuais e impedido de trabalhar com crianças e adultos vulneráveis.
É realmente difícil para pessoa que vêm de sociedades onde a pedofilia é bem vista, acatar as regras do nosso mundo, que há séculos condena tais práticas vis: 


É preocupante a complacência ocidental, politicamente correcta e boazinha, para com a barbárie e o terrorismo islâmico que invadem a nossa Sociedade. Noutro dia, alguém me chamou a atenção para que este blog «pode despertar o ódio». Repare-se na inversão de valores! Estas pessoas matam, torturam, violam, mutilam, perseguem, e está tudo bem. Devemos é ficar caladinhos, para não «despertar o ódio».

Para chegar a tal conclusão, o meu amigo que assim falou, baseou-se em 10 segundos aqui no blog, e na sua firme intenção de «não querer saber nada acerca do Islão, pois é tema que não lhe interessa».

Pessoa de elevadíssimos padrões morais (sem ironia), perguntou-me: «Mas tu queres salvar o mundo?!...». Tem filhos, e quer o melhor para eles. Pensará nos filhos e nas filhas dos outros, que aqui no Mundo Livre, como lá na barbárie islamista, sofrem atrocidades? Ainda era capaz de ter ficado chateado comigo se o tivesse mandado bardamerda.

2 comentários:

  1. Para se ser tolerante tem que se tolerar o intolerável até perdermos a vida por isso e mesmo assim terá sido nossa culpa: este é o mote do marxismo-nazo-islâmico.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.