quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Hamas - vitória em (quase) toda a linha!


Alegria! O Hamas não acabou! O terrorismo continua! Quanto pior, MELHOR! - foto Times of Israel

Nas ruas de Gaza, onde há poucos dias as multidões exigiam massivamente a continuação das hostilidades contra Israel, decorrem agora mesmo manifestações de regozijo pela «vitória». O Hamas quebrou os sucessivos cessar-fogo vezes sem conta, e neste último despediu-se com um ataque particularmente violento com mísseis, que só cessou horas após o momento acordado. Já está calado há umas horas e passou à fase da celebração - como destaca, radiante, o Público..

Na verdade, e com a excepção da derrota militar, trata-se de uma vitória em toda a linha para os terroristas islâmicos:
1 - O Hamas não foi esmagado e erradicado de Gaza, como era o objectivo inicial da operação. Vai poder continuar a matar, sabotar e aterrorizar.

2 - Os terroristas que morreram, foram todos, segundo a crença muçulmana, para o paraíso eterno, onde poderão fazer tudo o que lhes é proibido nesta vida (basicamente tudo o que é agradável e normal).
3 - A ofensiva do Hamas contra Israel obrigou o Estado Judaico a defender-se, o que foi um banquete de antissemtismo para a  Imprensa, para a Esquerda, para os neo nazis, para os hippies conspiratórios new age e outros odiadores. Vicejaram as encenações de bombardeamentos, de mortes, de baixas. A indústria Pallywood floreceu.
4 - O conflito deu oportunidade a que uma nova onda de antissemitismo explodisse no Mundo - agora que a crise financeira global tem as pessoas no estado de espírito ideal para descarregarem nos bodes expiatórios do costume, e com a cumplicidade criminosa da Imprensa global.
5 - O Hamas usou (como sempre faz) civis como escudos humanos; hospitais, casas de habitação, escolas, mesquitas e ambulâncias, como bases para atacar o IDF. A população civil, maioritariamente apoiante do terrorismo, teve algumas baixas, inevitáveis, nas condições em que os terroristas actuam. Melhor para o Hamas, é mais ódio contra Israel. O Hamas quer morte e destruição entre os seus, porque o ódio perpetua a guerra.
6 -  Nas últimas sete semanas, os terroristas dispararam mais de 4500 mísseis contra Israel, mataram 64 soldados e 5 civis.  Para uma organização que pretende a destruição total de Israel e o extermínio dos judeus, é ganho!

Para Israel, ganhar guerras não chega para ganhar guerras. No caso presente, Israel deveria ter esmagado totalmente o Hamas em Gaza e ter retomado a soberania do território. A vida, com esse ninho de terrorismo e sorvedouro de dinheiro ali apegado, é impossível.

Para além dos ataques "menores", diários, em velocidade de cruzeiro, dentro de 2 anos, com a regularidade de um relógio suíço, o Hamas voltará exuberantemente a dar prova de vida. Nunca falha.


Os terroristas operacionais, a população que os apoia, e os bilionários mandantes, que cobardemente mandam os outros fazer-se matar, estão todos de parabéns! Alá está contente!


P.S. - No Al-Público, na rotineira propaganda:

 http://www.publico.pt/mundo/noticia/hamas-declara-vitoria-com-acordo-de-cessarfogo-1667670

O título oficial é

'Israelitas e palestinianos entram em "fase de teste" com cessar-fogo'

e o resto é a desgraça do costume...

2 comentários:

  1. Acho particularmente nojento a afirmação no Público de que «não havia literalmente um local em que se pudesse juntar uma pequena multidão que não estivesse cheio de escombros». É uma mentira descarada. Absolutamente descarada.

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida. O IDF mostrou um mapa em que assinala, a azul, os locais que foram atacados. São ínfimos.

    Fernando

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.