segunda-feira, 4 de agosto de 2014

A beleza feminina em Gaza

Ontem à noite num bar, desfrutando da liberdade de beber uma bela cerveja sem ter receio de ser incomodado pelos bárbaros seguidores de uma religião que esquizofrenicamente proíbe o consumo de álcool mas diz que haverão rios de vinho bebível no seu diabólico paraíso imaginário, não consegui não ouvir as balelas de uma donzela histérica que, na mesa ao lado, interrogava como é que o mundo não se comovia pela tragédia que as "belas mulheres de Gaza" (sic) estavam a viver. Assim de repente, e sem querer minorar tal tragédia trazida sobre tais mulheres pelas acções terroristas do Hamas, não vi como é que se pode dizer que há belas mulheres em Gaza. Mas em Israel a história é diferente.
 
 
cânone da beleza feminina em Gaza
 
 
 
cânone da beleza feminina em Israel
 
 
Também por isto, em que a visibilidade da beleza exterior mostra a beleza dos valores interiores, só posso dizer que
 
 

1 comentário:

  1. Parabéns pela contenção! Se fosse eu, enrolava-me num cortinado e passava por ela a dizer: «Olá, sou uma bela mulher de Gaza!».

    J.J.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.